Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O templo da Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira está localizado na comunidade de Cachoeira, dentro dos limites geográficos pertencentes ao Distrito Sede do Município da Viagem, que está distante 18 quilômetros da cidade de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Templo da Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira.

Imagem do templo da Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira, em 2008.

Esse pequeno templo, que foi construído graças aos esforços dos cristãos de confissão protestante estabelecidos em nosso Município a partir do final da década de 1930, é considerado o templo de confissão reformada mais antigo do Município de Boa Viagem.
Atualmente essa igreja é independente, mas já possuiu vinculo denominacional com a UIECB, a União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, na época pertencendo a sua 25ª região administrativa.

A IGREJA MATRIZ:

Entre os cristãos de confissão protestante o termo igreja matriz é pouco ou quase nunca utilizado, entre eles costuma-se usar o nome de igreja mãe para àquela comunidade religiosa que consegue gerar outras igrejas.
Sobre essas igrejas, principalmente entre aquelas de modo de governo congregacionalista, toda igreja começa a sua vida eclesiástica como um ponto de pregação, que é um local que serve de referência para futuros encontros, onde de forma simples e reverente se expõe a palavra de Deus.
Algum tempo depois, dependendo do número de pessoas e da regularidade dessas reuniões, o local passa a ser considerado pela comunidade mantenedora como uma de suas congregações.
Essas congregações geralmente possuem uma liderança leiga formada e comprometida, que presta regularmente satisfação de suas atividades religiosas nas assembleias da igreja mãe.
Com o passar do tempo essas congregações conseguem a sua autonomia financeira, daí solicitam da igreja mãe a sua independência eclesiástica para realizar as suas próprias assembleias administrativas.

OS PASTORES / OFICIAIS / MISSIONÁRIOS: 

O quadro de oficiais de uma Igreja Evangélica Congregacional é dividido em pastores, presbíteros e diáconos. Eles possuem o poder de dirigir e responder pelos trabalhos da comunidade, mas algumas de suas funções são limitadas pela assembleia de seus membros:

“Os oficiais são simples funcionários da igreja local, designados para ensinarem e para administrarem os interesses da igreja, e não tem poder de governo além do que possuem como membros da igreja.” (BERKHOF, 1990: p. 584)

  • Os Pastores:

O pastor é alguém com qualidades morais e espirituais, com formação especifica em um curso de Bacharelado em Teologia, que geralmente estudou em um seminário da própria denominação, ou indicado pela igreja, que foi avaliado por uma banca examinadora da junta regional e que foi ordenado por outros pastores, entre às suas várias funções destacamos: ensinar, disciplinar, aconselhar, realizar visitas e administrar o patrimônio da igreja.
Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já foi cuidadosamente dirigida pelos seguintes pastores:

  1. Rev. Paulo Moody Davidson – 1941 a 1947;
  2. Rev. Humbert Cook – 1948;
  3. Rev. Eduardo Carl Knechtel – 1949;
  4. Rev. Cecil Flechtel – 1950 a 1952;
  5. Rev. Antônio Francisco Neto – 1953;
  6. Rev. Manoel Bernardino de Santana – 1954;
  7. Rev. Antônio Francisco Neto – 1955 a 1956 (2ª vez);
  8. Rev. José Borba da Silva Neto – 1957 a 1959;
  9. Rev. Ezequiel Fragoso Vieira – 1959 a 1960;
  10. Rev. Francisco Souto Maior – 1961 a 1963;
  11. Rev. Ezequiel Fragoso Vieira – 1964 (atual).
  • Os Presbíteros:

O presbítero é uma pessoa geralmente madura na fé e no testemunho, que foi reconhecida pela assembleia da igreja por suas qualidades, e consagrado pelo pastor, para supervisionar os serviços de ensino, disciplina, governo e administração.
Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já contou com a colaboração dos seguintes irmãos:

  1. Presb. Daniel Fragoso Vieira – 1951;
  2. Presb. Eleotério Manoel da Silva – 1966;
  3. Presb. Esdras Fragoso Vieira – 1982;
  4. Presb. Francisco Andrade da Silva – 1950;
  5. Presb. Francisco Manoel da Silva – 1949 a 1951;
  6. Presb. Jonas Fragoso de Freitas – 1947 a 1971;
  7. Presb. Pompeu Fragoso Vieira – 1941 a 1956.
  • Os Diáconos e as Diaconisas:

O diácono, ou a diaconisa, é o oficial eleito pela assembleia da igreja, e consagrado pelo pastor, para dedicar-se especialmente à arrecadação de ofertas para fins piedosos; ao cuidado dos pobres, doentes e inválidos; à manutenção da ordem e reverência nos lugares reservados ao serviço divino; exercer a fiscalização para que haja boa ordem na Casa de Deus e em suas dependências.
Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já contou com a colaboração das seguintes pessoas:

  1. Diac. Aniel Fragoso Vieira – 1965 a 1983;
  2. Diac. Bernardino Fragoso de Freitas – 1953 a 1956;
  3. Diac. Cicero Fragoso Vieira – 1941 a 1957;
  4. Diac. Delmiro Manoel da Silva – 1953 a 1965;
  5. Diac. Eleotério Manoel da Silva – 1951 a 1966;
  6. Diac. Francisco Fragoso Vieira – 1941 a 1983;
  7. Diac. Joel Fragoso Vieira – 1982;
  8. Diac. José Vieira Benício – 1953;
  9. Diac. José Santos Filho – 1953 a 1956;
  10. Diac. Sebastião Alves da Silva – 1949 a 1956;
  11. Diac. Severino Fragoso de Freitas – 1951 a 1965;
  12. Diac. Manoel José da Silva – 1953.
  • Os Evangelistas:

Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já contou com a colaboração do seguinte irmão:

  1. Francisco Manoel da Silva – 1954.

AS CONGREGAÇÕES:

Devido ao forte êxodo rural, que vem ocorrendo nos últimos anos, o campo tem sido trocado pela cidade, o que faz com uma igreja distante das vilas e povoados do Município tenha a forte tendencia de ficar vazia:

“A Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira, que teve o seu templo construído em 1956 – pelo Sr. João Pereira – permaneceu e permanece como igreja mãe, tendo passado as suas congregações para a Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem.” (NASCIMENTO, 2002: p. 105)

Para alguns protestantes, principalmente os de linha reformada, a congregação ou templo não é a igreja, a sua estrutura física é apenas o local aonde costuma acontecer as reuniões, a igreja é o povo que se reúne dentro dela.
Atualmente, com muita dificuldade, a Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira ainda mantem a regularidade de seus cultos, se constituindo ainda como o simbolo da perseguição religiosa e da resistência de tempos passados.
Embora nos dias de hoje ela não possua nenhuma congregação, ninguém pode tomar-lhe o mérito de ser a igreja mãe da Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem e da Igreja Evangélica Boa-viagense, duas das principais igrejas protestantes estabelecidas na cidade de Boa Viagem, que regularmente costumam receber àqueles que migram para o principal centro urbano do Município.

53 ideias sobre “Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira

  1. Pingback: RELIGIOSIDADE | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Rev. Paulo Moody Davidson | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Congregação de Pitombeira | História de Boa Viagem

  4. Pingback: DEZEMBRO | História de Boa Viagem

  5. Pingback: Rev. Francisco Souto Maior | História de Boa Viagem

  6. Pingback: Rev. Eduardo Knechtel | História de Boa Viagem

  7. Pingback: TURISMO | História de Boa Viagem

  8. Pingback: David Vieira da Silva | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Eládio Alves da Silva | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Pe. Francisco Clineu Ferreira | História de Boa Viagem

  11. Pingback: Manoel Bernardino de Santana | História de Boa Viagem

  12. Pingback: Instituto de Educação Paulo Moody Davidson | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Rev. José Borba da Silva Neto | História de Boa Viagem

  14. Pingback: Pe. Alberto Nepomuceno de Oliveira | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Adalgisa Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Cícero Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Pe. Paulo de Almeida Medeiros | História de Boa Viagem

  18. Pingback: Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem (História) | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Casa Pastoral da Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Igreja Evangélica Congregacional de Várzea da Tapera | História de Boa Viagem

  21. Pingback: Igreja Evangélica Congregacional de Olho d’Água dos Facundos | História de Boa Viagem

  22. Pingback: Epitácio Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  23. Pingback: Rev. Antônio Francisco Neto | História de Boa Viagem

  24. Pingback: Ezequiel Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  25. Pingback: Jonas Fragoso de Freitas | História de Boa Viagem

  26. Pingback: Sebastião Alves da Silva | História de Boa Viagem

  27. Pingback: José Santos Filho | História de Boa Viagem

  28. Pingback: Aniel Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  29. Pingback: Eleotério Manoel da Silva | História de Boa Viagem

  30. Pingback: Manoel Maria de Jesus | História de Boa Viagem

  31. Pingback: João Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  32. Pingback: Antônio Manoel da Silva | História de Boa Viagem

  33. Pingback: Maria do Socorro Vieira | História de Boa Viagem

  34. Pingback: Jessé Alves da Silva | História de Boa Viagem

  35. Pingback: Benjamim Alves da Silva | História de Boa Viagem

  36. Pingback: João Pereira Adelino | História de Boa Viagem

  37. Pingback: Daniel Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  38. Pingback: José Vieira de Freitas | História de Boa Viagem

  39. Pingback: Manoel Bernardino de Santana Filho (Bibliografia) | História de Boa Viagem

  40. Pingback: Gerardo Felix da Silva | História de Boa Viagem

  41. Pingback: Eunice Antero Rodrigues | História de Boa Viagem

  42. Pingback: João Rodrigues da Silva | História de Boa Viagem

  43. Pingback: Francisco Alves de Sousa | História de Boa Viagem

  44. Pingback: Eliane da Silva Alves | História de Boa Viagem

  45. Pingback: Igreja Evangélica Boa-viagense (História) | História de Boa Viagem

  46. Pingback: Sofia Vieira de Freitas | História de Boa Viagem

  47. Pingback: Manoel José da Silva | História de Boa Viagem

  48. Pingback: Açude Público José de Alencar Araújo | História de Boa Viagem

  49. Pingback: Pompeu Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  50. Pingback: Dirceu José dos Santos | História de Boa Viagem

  51. Pingback: Manoel Antero da Silva | História de Boa Viagem

  52. Pingback: Florípes Fragoso da Silva | História de Boa Viagem

  53. Pingback: José Vieira de Freitas Filho | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta