Mons. Luiz Orlando de Lima

Mons. Luiz Orlando de LimaLuiz Orlando de Lima nasceu no dia 17 de março de 1961 no Município de Quixadá, que está localizado no Sertão do Estado do Ceará, distante 167 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Francisco Rodrigues de Lima e de Júlia Fernandes de Lima.
Os seus avós paternos se chamavam José Rodrigues de Lima e Cristina Maria Rodrigues, já os maternos eram Antônio Emídio de Lima e Maria Leandra de Lima.
Pouco tempo depois do seu nascimento, no dia 14 de abril, seguindo os ritos da confissão religiosa de seus pais, recebeu o sacramento do batismo na Capela de Nossa Srª da Conceição pelo Pe. Francisco de Assis Castro Monteiro.
Antes disso, quando nasceu, foi trazido ao mundo pelas mãos de uma parteira na localidade denominada de Fazenda Garrote, que hoje está dentro dos limites do Distrito de Barra do Sitiá, no Município de Banabuiú:

“Sitiá é um Distrito na zona leste do Município de Banabuiú, no Estado do Ceará. Ele foi criado no ano de 1878, sendo administrado pela prefeitura de Banabuiú. Anteriormente o Distrito fazia parte do Município de Quixadá, com o nome Barra do Sitiá, em 1964 mudou o nome para Sitiá, e em 1988 foi emancipado como parte do Município de Banabuiú.” (Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ce/banabuiu/historico. Acesso no dia 13 de dezembro de 2017)

Alguns anos mais tarde, chegando a sua época de enfrentar os bancos escolares, deu início a sua brilhante carreira acadêmica, com muita dificuldade, nas proximidades de sua residência, onde cursou até o terceiro ano do ensino fundamental, tendo como professora a sua mãe.

“É bacharel em Teologia pelo ITEP/UFC e licenciado em Filosofia pela UECE – Universidade Estadual do Ceará; Especialista em Administração Escolar, pela Universidade Salgado Filho; Especialista em Gestão Escolar, pela Universidade de Santa Catarina – UDESC; Especialista em Gestão e Avaliação da Educação Pública, pela Universidade Federal de Juiz de Fora – CAED; Mestre em Ciências da Educação, pela Universidade Americana/PY.” (MARINHO, 2014: p. 161)

Depois disso, desejando dar continuidade aos seus estudos, os seus pais resolveram enviar-lhe para cidade de Quixadá, onde inicialmente cursou o quarto e o quinto ano na Escola de Ensino Fundamental José Jucá, sendo transferido logo em seguida para Escola de Ensino Fundamental e Médio Cel. Virgílio de Morais Fernandes Távora, onde concluiu o ensino fundamental.
Posteriormente, foi matriculado em uma das turmas da Escola de Ensino Fundamental e Médio José Bonifácio de Sousa, onde conseguiu concluir o curso de Técnico em Contabilidade.
Nessa época, no dia 2 de setembro de 1979, tendo despertada a sua vocação ao sacerdócio, foi encaminhado por sua paróquia aos estudos eclesiásticos no Centro Vocacional Pio XII, uma instituição religiosa que servia de Seminário Menor e que foi criada pelo bispo de Quixadá, Dom Joaquim Rufino do Rêgo.
Nos primeiros meses de 1980 foi encaminhado para capital do Estado, onde ingressou em uma das turmas do Seminário Episcopal do Ceará, o atual Seminário da Prainha, que está localizado na Rua Tenente Benévolo, nº 201, Centro, na cidade de Fortaleza, onde inicialmente cursou Filosofia e algum tempo depois Teologia:

“No início de 1980, transfere-se para Fortaleza, onde fez a seleção e ingressou no Seminário Regional, estudando Filosofia e Teologia, no Instituto de Ciências Religiosas. Lá, permaneceu até 1984.” (MARINHO, 2014: p. 159-160)

No dia 31 de outubro de 1982, ainda na cidade de Fortaleza, foi admitido como candidato ao presbitério em uma solenidade que foi presidida pelo Bispo Dom Joaquim Rufino do Rêgo.
Algum tempo depois, no dia 27 de abril de 1984, recebeu o Ministério de Leitor, e mais tarde, no dia 13 de maio, passou a ser acólito, auxiliando os ministros nas Missas até que, no dia 23 de dezembro, foi ordenado ao diaconato, exercendo também a função de Coordenador Diocesano Pastoral.
Nos primeiros meses de 1985, depois de prestar exames no intuito de convalidar o seu curso de Filosofia, foi autorizado pelo seu bispo a retornar para cidade de Fortaleza e ingressar em uma das turmas da FAFIFOR, a Faculdade de Filosofia de Fortaleza.

Imagem do dia de sua ordenação.

No dia 8 de dezembro de 1985, na cidade de Quixadá, recebeu o Sacramento da Ordem pelas mãos do Bispo Dom Joaquim Rufino do Rêgo, sendo depois disso nomeado secretário do bispado e logo depois ecônomo procurador da diocese.
Durante algum tempo acumulou as funções de chanceler, vigário geral da diocese e diretor da Rádio Cultura de Quixadá; Entre 1986 e 1991 foi reitor do Seminário Diocesano de Quixadá, o Seminário Maior Diocesano Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão:

“O primeiro reitor do Seminário foi o próprio bispo, Dom Joaquim Rufino do Rêgo, permanecendo nesta missão até às primeiras ordenações que aconteceram somente oito anos depois. O segundo reitor foi o Revmo. Pe. Luiz Orlando de Lima, sacerdote diocesano, que assumiu o seminário por ocasião da transferência de Dom Rufino para a Diocese de Parnaíba. O terceiro reitor foi o Revmo. Pe. Benildo Ceresa, PSDP, que assumiu o seminário em 1991 e permaneceu até dezembro de 2001.” (Seminário Maior. Disponível em http://diocesedequixada.org.br/seminarios/seminario-maior-historico/. Acesso em 21 de maio de 2016)

De 1989 a 1991 foi diretor do Colégio Diocesano, que é denominado de Ginásio Waldemar Alcântara; De 1991 a 1995 foi diretor do Hospital e Maternidade Jesus, Maria e José, também na cidade de Quixadá:

“Foi membro da equipe de Formação da Diocese e professor do Instituto Filosófico Teológico Nossa Senhora Rainha do Sertão, no seu início; Membro do Conselho Presbiteral, Colégio de Consultores, entre outros.” (MARINHO, 2014: p. 160)

Nos primeiros meses de 1996, recebeu designação sacerdotal do Bispo Dom Adélio Giuseppe Tomasin para assumir os trabalhos da Paróquia de Nossa Senhora Auxiliadora, na cidade de Ibaretama, onde permaneceu até o mês de julho de 1998.

Imagem do Mons. Luiz Orlando de Lima em sua juventude.

Mais tarde, no dia 12 de julho de 1998, depois do repentino falecimento do Pe. Paulo Ângelo de Almeida Medeiros, por designação do bispo, assumiu os trabalhos da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem.

“O nosso atual pároco, que foi empossado por Dom Adélio Tomasin, bispo de Quixadá, no dia 12 de julho de 1998. Não obstante o curto espaço de tempo à frente da paróquia, já realizou, com dedicação e sensatez, os seguintes trabalhos na igreja: construção da Capela do Santíssimo; substituição e ampliação da instalação elétrica; pintura e marmorização do túmulo do Pe. Paulo de Almeida Medeiros. Também comprou dois imóveis e um terreno, além de ter reativado a festa de nossa padroeira.” (NASCIMENTO, 2002: p. 94)

Ao assumir essa importante paróquia abraçou o grande desafio de dar continuidade ao legado deixado pelo seu antecessor, como também imprimir a sua própria marca, que as vezes não era bem recebida por aqueles que eram mais conservadores e insistiam em fazer comparações.
Nessa época, a casa paroquial, onde passou a residir, era constantemente monitorada por aqueles que queriam lhe manipular, algo que desde cedo e com muita gentileza tratou de impor limites, porém a sua vida e alguns dos seus atos não eram perdoados, sendo distorcidos e rotineiramente levados como fofoca ao bispo por aqueles que julgava ser de sua confiança.
Entre as muitas e diversificadas fofocas que lhe tiraram a paz estava o fato de ter adquirido uma pick-up da montadora Toyota, modelo Hilux, para o serviço da paróquia, um veículo que era considerado de luxo para alguns de seus paroquianos.
Nessa mesmo período, por conta da dimensão territorial da Paróquia de Nossa Srª da Boa Viagem, das quadras invernosas e do estado precário das estradas municipais, o pároco necessitava de um veículo tracionado e com um minimo de conforto para suas longas e cansativas viagens, mas isso não era levado em conta por aqueles que praticamente residiam à sua porta com o fito de observar o seu cotidiano.

Imagem do Mons. Luiz Orlando acompanhado do Núcleo Gestor e do Grêmio Escolar da Escola de Ensino Médio Dom Terceiro,

Imagem do Mons. Luiz Orlando acompanhado do Núcleo Gestor e do Grêmio Escolar da Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, em 2002.

Depois de poucos dias instalado na cidade de Boa Viagem, passou a compor o quadro docente da Escola de Ensino Médio Dom Terceiro e algum tempo depois assumiu a função de diretor, exercendo dois mandatos consecutivos:

“No dia 2 de janeiro de 2002 assumiu a direção o Pe. Luiz Orlando de Lima, que foi eleito pela comunidade escola. Coordenadora Pedagógica: Rita Vieira de Oliveira Sampaio; Coordenadora Administrativa-Financeira: Maria Necivalda Queiroz Facundo; Coordenador de Gestão: Lic. Eliel Rafael da Silva Júnior e Secretária Escolar: Lúcia de Fátima Martins Leal. As principais realizações dessa gestão foram: Ampliação da muralha, da sala de professores e coordenação administrativa-financeira; recuperação do piso da parte administrativa; aquisição de livros para o acervo bibliotecário e banco de livros, numa importância de R$ 40.000 (Quarenta mil reais); instalação de ventiladores nas salas de aula; aquisição de TVs, cadeiras, birôs e carteiras escolares.” (NASCIMENTO, 2002: p. 124)

Nessa mesma época, em 16 de fevereiro de 2002, empreendeu a implantação do Ginásio Waldemar Alcântara na cidade de Boa Viagem, a construção do Centro Pastoral Monsenhor Luiz Orlando de Lima e a organização administrativa da Paróquia de Nossa Srª de Fátima.
Pouco tempo antes disso, no dia 18 de outubro de 2000, por meio da resolução nº 2, foi agraciado pela Câmara Municipal de Vereadores com o título de cidadania boa-viagense.

Imagem do Mons. Orlando ao lado de Dom Adélio.

Imagem do Mons. Orlando ao lado de Dom Adélio Giuseppe Tomasin.

Nos últimos meses de 2003, tendo o seu nome cotado para bispo, foi contemplado pelo Papa João Paulo II com o título honorífico de monsenhor, notícia que foi amplamente divulgada por um informativo da Prefeitura de Boa Viagem:

“A paróquia de Boa Viagem está em grande festa, pois domingo passado, dia 19 de outubro de 2003, o pároco da cidade, recebeu o bispo diocesano, Dom Aurélio Tomasin, nomeado pelo Papa João Paulo II, com o título honorífico de “monsenhor”.

No ano seguinte, aproximando-se o período eleitoral, o seu nome foi cotado como possível sucessor do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, fato que lhe rendeu forte perseguição de alguns dos membros do PT, o Partido dos Trabalhadores.
Nos primeiros meses de 2009, finda a sua segunda gestão, a convite da Profª Maria Sami Vieira de Sousa, assumiu uma das coordenações escolares da Escola de Ensino Fundamental Dom Terceiro, permanecendo nessa função até os últimos meses de 2010, quando foi substituído pela Profª Maria Necivalda Queiroz Facundo.
Permaneceu como pároco da Igreja Matriz de Nossa Srª da Boa Viagem até o dia 23 de maio de 2010, quando por designação do bispo, Dom Ângelo Pignoli, foi substituído pelo Pe. José Erineudo Ferreira de Souza.

Imagem do Mons. Luiz Orlando de Lima.

Nessa época, desejando galgar melhor qualificação docente, cumprindo os requisitos da Universidade Americana, foi reconhecido como mestre em Ciências da Educação na cidade de Assunção, na República do Paraguai.
Retornando para cidade de Quixadá, voltou a ocupar a chancelaria da diocese e pouco tempo depois assumiu à direção da Escola de Ensino Médio Cônego Luiz Braga Rocha, na cidade de Ibaretama:

“A única escola pertencente a rede estadual de ensino da cidade de Ibaretama, no Sertão Central cearense, a EEM Cônego Luiz Braga Rocha já conhece o seu novo Diretor Geral. Participaram da disputa duas pessoas já bem conhecidas dos cidadãos e jovens ibaretamenses. Concorreram ao cargo o ex-secretário de educação municipal, Eremberg Gonçalves, e o Monsenhor Luiz Orlando, ex-pároco da comunidade local, popularmente conhecido por Padre Orlando. Ambos já tiveram a oportunidade de dirigir a maior escola da rede municipal de Ibaretama, a EEF Raimunda Emília de Lima. Participaram do processo democrático, com o poder do voto, alunos regularmente matriculados e pais e ou responsáveis previamente inscritos. O Padre Orlando, como é mais conhecido, venceu a disputa diante do Prof Eremberg. O padre obteve 404 votos e Eremberg Gonçalves conseguiu 269 votos, ainda tiveram 05 votos nulos e 02 brancos, num total de 680 votantes”. (Pe. Orlando vence eleição. Disponível em http://www.monolitospost.com/2013/06/18/ibaretama-padre-orlando-vence-eleicao-para-diretor-de-escola/. Acesso em 21 de maio de 2016).

Antes disso, segundo informações que foram publicadas no informativo “Cuidando de Você”, ano 1, 7ª edição, página 2, de outubro de 2011, por meio da lei nº 973, de 27 de setembro de 2007, foi agraciado pelo Poder Executivo do Município de Boa Viagem com a Comenda da Paz:

“No dia 6 de outubro de 2011 foi outorgada a Comenda da Paz ao Mons. Luiz Orlando de Lima pelos relevantes serviços prestados em favor da implantação de uma cultura de paz no Município. O evento foi realizado na Câmara Municipal, em sessão ordinária. A comenda foi entregue ao homenageado pelo prefeito municipal, Dr. Fernando Assef.”

Nos primeiros meses de 2013, por decisão de seu bispo, Dom Ângelo Pignoli, assumiu os trabalhos da Paróquia de São Francisco de Assis, na cidade de Quixadá, permanecendo nessa função até os últimos meses de 2017, quando por coincidência foi substituído pelo Pe. José Erineudo Ferreira de Souza.

“O Bispo Diocesano de Quixadá, Dom Ângelo Pignoli, que responde pelas paróquias dos Municípios de Quixadá, Quixeramobim, Itatira, Boa Viagem, Madalena, Choró, Itapiúna, Capistrano, Ibaretama e Banabuiú, e uma população de mais de trezentos mil habitantes, assinou no último dia 11 de novembro os decretos de nomeações realizando alterações em diversas paróquias pelas quais é responsável. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, dia 16, no site oficial da Diocese de Quixadá. Entre os Municípios que passarão por mudanças estão Quixadá, Quixeramobim, Boa Viagem, Banabuiú e Itapiúna.” (Disponível em http://www.monolitospost.com/2017/11/17/dom-angelo-pignoli-realiza-mudancas-de-parocos-e-vigarios-em-varias-paroquias-da-diocese-de-quixada/. Acesso no dia 21 de novembro de 2017)

Nessa freguesia, sendo uma pessoa muito querida pelos seus paroquianos, sempre que era convidado, esteve presente nos momento de inaugurações promovidos pela Prefeitura de Quixadá.

Imagem do Mons. Orlando em uma inauguração na cidade de Quixadá.

Mais tarde, nos primeiros meses de 2018, depois de receber nova designação de seu bispo, assumiria a coordenadoria Diocesana Pastoral e a capelania da Capela da Misericórdia, na Paróquia de Santa Terezinha, na cidade de Quixadá, até que, na manhã do dia 16 de fevereiro, sem um motivo aparente, possivelmente sofrendo de depressão, o seu corpo foi encontrado sem vida na casa paroquial onde residia com sinais de enforcamento:

“A Diocese de Quixadá amanheceu de luto, acontece que na manhã desta sexta-feira, dia 16, foi encontrado morto dentro de sua residência, na casa paroquial da Igreja do Alto São Francisco, o Monsenhor Luiz Orlando de Lima, 56 anos. Em 2013 o religioso assumiu a Paróquia de São Francisco, permanecendo nessa função até final do ano de 2018, quando iria assumir a Coordenação da Pastoral Diocesana, e, também, da Capela da Misericórdia, em Quixadá. Além de dedicar-se a vida religiosa, o Monsenhor Orlando foi diretor da Rádio Cultura de Quixadá, do Colégio Valdemar de Alcântara e da Maternidade Jesus, Maria e José. Durante sua trajetória na Igreja Católica, Monsenhor Orlando já comandou as paróquias de Ibaretama e Boa Viagem.” (Disponível em http://www.monolitospost.com/2018/02/16/diocese-de-quixada-de-luto-morre-o-monsenhor-luiz-orlando/. Acesso no dia 16 de fevereiro de 2018).

Pouco tempo depois da divulgação dessa notícia, que foi feita pelas redes sociais e também pelas emissoras de rádio, os sinos das igrejas existentes na cidade de Boa Viagem anunciaram o ocorrido, causando grande consternação entre os seus habitantes.
Na manhã do dia 17 de fevereiro, depois de receber as exéquias fúnebres na Igreja Matriz de São Francisco de Assis, foi sepultado por seus amigos e familiares no Cemitério Parque Nova Jerusalém, que está localizado na Rua Dr. Alessandro Nottegar, s/nº, no Bairro Nova Jerusalém, na cidade de Quixadá.

23 ideias sobre “Mons. Luiz Orlando de Lima

  1. Pingback: Pe. Paulo de Almeida Medeiros | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Capela de Santa Clara de Assis – Japão | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Capela do Sagrado Coração de Jesus – Bom Jesus | História de Boa Viagem

  4. Pingback: Capela de Santo André – Cachoeira dos Andrés | História de Boa Viagem

  5. Pingback: Capela de Nossa Senhora da Conceição – Ramadinha | História de Boa Viagem

  6. Pingback: Capela de São Vicente de Paulo – Fazenda Nova | História de Boa Viagem

  7. Pingback: AS COMENDAS E OS TÍTULOS CONCEDIDOS PELO MUNICÍPIO DE BOA VIAGEM | História de Boa Viagem

  8. Pingback: Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Antônio Argeu Nunes Vieira Filho | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Escola de Ensino Médio Dom Terceiro | História de Boa Viagem

  11. Pingback: MARÇO | História de Boa Viagem

  12. Pingback: Francisco Jonas de Oliveira Vieira | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Igreja Matriz de Nossa Senhora de Fátima | História de Boa Viagem

  14. Pingback: Pe. José Erineudo Ferreira de Souza | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Pe. Raimundo Nonato de Oliveira | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Banco do Nordeste do Brasil | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem | História de Boa Viagem

  18. Pingback: FEVEREIRO | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Maria Rosary Pereira | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Pe. Mário Bertoldo Nunes Neto | História de Boa Viagem

  21. Pingback: Capela de São José – Varzantinha | História de Boa Viagem

  22. Pingback: Quadra Poliesportiva da EEM Dom Terceiro | História de Boa Viagem

  23. Pingback: Eliel Rafael da Silva Júnior | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta