Pe. José Erineudo Ferreira de Souza

José Erineudo Ferreira de Souza nasceu no dia 31 de agosto de 1976 no Município de Quixadá, que está localizado no Sertão de Quixeramobim, no Estado do Ceará, distante 167 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Francisco Eduardo de Souza Firmo e de Maria Neide Ferreira de Souza.
Os seus avós paternos se chamavam João Firmo de Souza e Francisca Pequeno de Souza, já os maternos eram Francisco Xavier Cazuza e Olga Xavier Cazuza.
Alguns meses depois do seu nascimento, no dia 8 de dezembro, na localidade de Palmares, seguindo os costumes da confissão religiosa de seus pais, recebeu o sacramento do batismo na Capela de Nossa Senhora da Conceição das mãos do Pe. Pedro Paulo Meneses de Carvalho.
Na época do seu nascimento, residia com os seus pais na localidade de Aroeiras, um local onde os seus genitores eram pequenos agropecuaristas, que alguns anos depois passou a figurar dentro do perímetro geográfico do Município de Banabuiú:

“Laranjeiras, antigo Distrito de Quixeramobim, foi o núcleo central do Município de Banabuiú, tendo a sua autonomia política declarada pela primeira vez no dia 29 de outubro de 1918 com a publicação da lei nº 1.613. Contudo, laranjeiras voltou à condição de Distrito de Quixadá em 1938 com a publicação da lei nº 448, de 20 de dezembro de 1938. A lei nº 1.114 de 30 de dezembro de 1943, trocou a denominação de Laranjeiras para Banabuiú, mas apenas em 25 de janeiro de 1988, com a lei nº 11.427, Banabuiú foi elevado em definitivo à categoria de Município. O local onde foi instalado a sede do Município nunca tinha sido sede do Distrito de Banabuiú, era conhecido como Acampamento Banabuiú, logo se transformou em povoado. Nasceu em torno da construção do Açude Arrojado Lisboa, obra realizada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), também conhecido como Mudubim.” (Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Banabui%C3%BA. Acesso no dia 11 de dezembro de 2017)

Mais tarde, chegando a sua época de enfrentar os bancos escolares, foi matriculado por seus pais na Escola de Ensino Fundamental Basílio Emílio Pinto, onde conseguiu concluir à 4ª série do Ensino Fundamental nos últimos meses de 1988, sendo transferido no ano seguinte para cidade de Quixadá.
Nessa época, anualmente no mês de março, os seus avós paternos costumavam receber a visita dos padres capuchinhos, que celebravam em seu alpendre para os paroquianos da localidade, fato de grande relevância para o seu despertamento vocacional nos anos seguintes.
Residindo na cidade de Quixadá, passou a estudar em uma das turmas da Escola de Ensino Fundamental e Médio Governador César Cals de Oliveira Filho, onde concluiu o Ensino Fundamental nos últimos meses de 1992.
No ano seguinte, foi matriculado por seus pais em uma das turmas do GVA, o Ginásio Valdemar Alcântara, uma escola da rede privada que é pertencente à Diocese de Quixadá, onde finalmente concluiu o Ensino Médio nos últimos meses de 1995.
Ainda nessa época, tendo sido despertado em sua vocação sacerdotal, foi encaminhado aos estudos eclesiásticos pelo Pe. Giovane Ferreira, pároco da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Fátima, do Município de Banabuiú, contando ainda com o valioso apoio das Irmãs Ravasco.
No dia 5 de fevereiro de 1995, prestes a completar 19 anos de idade, passou a compor a primeira turma do Instituto de Filosofia e Catequese, que é considerado a semente da Faculdade Católica Rainha do Sertão, concluindo essa etapa de sua formação nos últimos meses de 1997, quando foi encaminhado para Itália no intuito de aperfeiçoar os seus conhecimentos.

“Dom Adélio, juntamente com o Pe. Benildo – então reitor do seminário – e outros idealizaram a formação dos próprios seminaristas na própria Diocese, incluindo a possibilidade de acolher seminaristas de outras Dioceses. Assim, em 08 de dezembro de 1996, com o decreto n° 28, Dom Adélio criou o curso de filosofia instalando no seminário o ‘Instituto de Filosofia e Catequese’. Desse modo, em 1997, deu-se inicio à primeira turma do curso seminarístico de filosofia. Com a presença de cinco seminaristas, deu-se a viabilização daquele ousado projeto. Vontade de Deus, manifestada no mais vulnerável instrumento da sua ação criadora: o homem.” (Disponível em http://diocesedequixada.org.br/seminarios/seminario-maior-historico/. Acesso no dia 22 de novembro de 2017)

Nos primeiros meses de 1999, residindo na cidade de Roma, ingressou em uma das turmas do curso de Bacharelado em Teologia da Pontifícia Universidade Lateranense, concluindo essa graduação nos últimos meses de 2001.
Regressando ao Brasil para fazer os seus votos, foi ordenado ao sacerdócio na cidade de Banabuiú no dia 25 de agosto de 2001 pelo Bispo Dom Adélio Giuseppe Tomasin, celebrando em seguida a sua primeira missa entre os seus familiares na localidade de Aroeiras, onde teve o seu despertamento vocacional.

Imagem da celebração de uma missa.

Pouco tempo depois de sua ordenação, nos primeiros meses de 2002, sendo autorizado por seu bispo, regressou para Roma no intuito de ingressar em uma turma de mestrado em Filosofia da Pontifícia Universidade São Tomas de Aquino, concluindo esse curso nos últimos meses de 2003.
No ano seguinte, depois de ter retornado novamente ao Brasil, estando em sua diocese, assumiu a responsabilidade pelo curso de Teologia do Seminário Maior Diocesano Nossa Senhora Imaculada Rainha do Sertão, recebendo ordens de seu bispo para assumir a reitoria dessa casa de estudos no dia 31 de julho de 2006, ocasião em que deu continuidade aos trabalhos do Pe. Antônio Eronildo de Oliveira, permanecendo nessa função até os primeiros dias do mês de dezembro de 2009, quando foi substituído pelo Pe. Geraldo Cardoso de Oliveira.
Pouco tempo antes disso, nos últimos meses de 2009, recebeu ordens para assumir os trabalhos da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, substituindo nessa ocasião o Mons. Luiz Orlando de Lima.
Alguns meses depois, no dia 23 de maio de 2010, na solenidade de Pentecostes, assumiu a sua nova responsabilidade diante de seus paroquianos sendo recebido por essa comunidade em uma grande festa.
Nessa paróquia, ao longo de sua administração, empreendeu muitas reformas e a construção da Capela de São José, no Bairro Floresta; da Capela de Nossa Senhora de Lourdes, no Bairro Ponte Nova, na cidade de Boa Viagem; da Capela de Nossa Senhora do Carmo, na localidade de Vista Alegre.
Em seu paroquiato, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, por meio da lei nº 1.166, de 29 de novembro de 2012, conseguiu alterar a lei nº 261, de 30 de abril de 1976, que estabelecia o feriado em comemoração da festa da padroeira da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem.
Mais tarde, por meio da lei nº 1.222, do dia 15 de dezembro de 2015, conseguiu ampliar o patrimônio da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem depois de receber terras do Governo Municipal no intuito de implantar o Centro Pastoral São João Paulo II, que está localizado na localidade de Capitão Mor, propriedade que foi acrescida pela lei municipal nº 1.308, de 15 de dezembro de 2016, leis que alteraram as dimensões da Estação Experimental José Bruno Maciel, que foi criada pela lei nº 450, de 6 de outubro de 1987.

Imagem da celebração de uma missa, em 2016.

Antes disso, nos primeiros meses de 2014, em parceria com à Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, implantou o costume de celebrar a festa de Pentecostes no Estádio Municipal Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto, atividade que conseguiu reunir grande número de pessoas:

“A missa que celebra o PENTECOSTES, e que já é uma tradição, ocorreu no Estádio Serjão, é o quarto ano da realização de um evento organizado pela Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem. O público presente foi estimado em pouco mais de 5 mil pessoas, segundo cálculos do Padre José Erineudo, a missa celebra a descida do Espírito Santo, que relembra o dia de Pentecostes. Celebração do dia em que línguas de fogo foram vistas descendo sobre pessoas de várias nações que estavam no templo em Jerusalém e todos que estavam ali eram de povos diferentes, mas passaram a falar de modo que todos entendiam o que se pronunciava, o Espírito Santo foi dado naquele momento, a partir daí os apóstolos poderiam seguir adiante pelo mundo a espalhar as boas novas. O Bispo da Diocese de Quixadá, Dom Angelo Pingnoli, esteve presente e durante a celebração convocou a igreja a focar mais na vida espiritual, relembrou ainda que Deus nos dá livre arbítrio, cabendo a nós escolhermos que caminho seguir… Caravanas de outros Municípios, localidades, grande parte da zona rural e zona urbana de Boa Viagem, estiveram presentes na missa de Pentecostes.” (LAMEU, 2017: Fiéis Celebram Pentecostes. Disponível em http://www.radioasabranca.com.br/noticias/753-boa-viagem-fieis-celebram-pentecostes. Acesso no dia 22 de novembro de 2017)

No dia 28 de agosto de 2014, por meio da resolução nº 9, foi agraciado pela Câmara Municipal de Vereadores de Boa Viagem com o titulo de cidadania.

Imagem da celebração de uma missa.

Nos últimos meses de 2017, por designação pastoral, foi informado de sua substituição em seus trabalhos na Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem pelo Pe. Antônio Eronildo de Oliveira.

“O Bispo Diocesano de Quixadá, Dom Ângelo Pignoli, que responde pelas paróquias dos Municípios de Quixadá, Quixeramobim, Itatira, Boa Viagem, Madalena, Choró, Itapiúna, Capistrano, Ibaretama e Banabuiú, e uma população de mais de trezentos mil habitantes, assinou no último dia 11 de novembro os decretos de nomeações realizando alterações em diversas paróquias pelas quais é responsável. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, dia 16, no site oficial da Diocese de Quixadá. Entre os Municípios que passarão por mudanças estão Quixadá, Quixeramobim, Boa Viagem, Banabuiú e Itapiúna.” (Disponível em http://www.monolitospost.com/2017/11/17/dom-angelo-pignoli-realiza-mudancas-de-parocos-e-vigarios-em-varias-paroquias-da-diocese-de-quixada/. Acesso no dia 21 de novembro de 2017)

Pouco tempo depois, no dia 17 de fevereiro de 2018, tomará posse de sua nova provisão, a Paróquia de São Francisco de Assis, na cidade de Quixadá, onde por coincidência dará continuidade aos trabalhos deixados pelo Mons. Luiz Orlando de Lima.