Adriano José da Silva

Adriano José da SilvaAdriano José da Silva nasceu no dia 22 de março de 1978 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de José Pedro Filho e de Geralda Celestino da Conceição.
Para compreendermos um pouco de sua trajetória de vida, além de sua origem familiar, faz-se necessário sabermos também um pouco do contexto histórico e das motivações que vieram a fazer com que ele nascesse no Estado do Ceará.
Nos primeiros anos da década de 1940 muitos paraibanos deixaram o seu Estado natal no intuito de encontrar um local com melhores condições para se viver, tendo em vista que a Paraíba é um Estado com pouca extensão territorial e com uma alta taxa de habitantes, fator que na época gerava uma forte especulação sobre as terras agricultáveis da região.
Nessa época, além das poucas terras disponíveis, havia ainda uma forte intolerância contra os cristãos de confissão protestante, algo que fortaleceu ainda mais a onda de migração para o Estado vizinho nas décadas que se seguiram.
O Estado do Ceará, que no passado possuía muitas terras devolutas, começou a receber vários paraibanos, que além de manterem os laços de parentesco mantinham também os laços de confissão religiosa.

“Terras devolutas são terras públicas sem destinação pelo Poder Público e que em nenhum momento integraram o patrimônio de um particular, ainda que estejam irregularmente sob a sua posse. O termo ‘devoluta’ relaciona-se ao conceito de terra devolvida ou a ser devolvida ao Estado.” (S.N.T)

Nos primeiros anos da década de 1970 o seu pai, que era natural do Município de Brejo dos Santos, na época um pequeno Distrito pertencente ao Município de Catolé do Rocha, localizado no Sertão paraibano, nascido no dia 5 de agosto de 1927 e filho de José Pedro com Joventina Maria da Conceição, resolveu conhecer as terras alencarinas.
Pouco antes dessa época, devido à sazonalidade da lavoura, José Pedro executava também atividades de pedreiro realizando pequenas construções e reformas em sua localidade, quando foi surpreendido com a inesperada morte de sua primeira esposa, que se chamava Rosilda Maria da Conceição.
Algum tempo depois desse fato ele contraiu matrimônio com Geralda Celestino da Conceição, que era natural do Município de Pombal, também localizado no Sertão paraibano, nascida no dia 20 de fevereiro de 1952 e filha de Alexandrino Batista da Silva com Celestina Maria da Conceição.
Depois dessa série de fatos o novo casal resolveu conhecer o Estado do Ceará, onde passou a residir na cidade de Boa Viagem em uma pequena casinha existente na Rua 26 de Junho, n° 15, no Bairro Vila Azul.
Pouco tempo depois disso, no dia 1º de março de 1979, depois do nascimento do quarto filho de seu segundo casamento, Adriano José da Silva, e conforme as informações existentes no livro B-03, tombo nº 961, folha 156v do Cartório Geraldina, 1º Ofício, diante do Dr. Rômulo Moreira de Deus, José Pedro e Geralda regularizaram a sua situação conjugal perante o Estado, tendo em vista que o seu casamento era apenas religioso.
Os primeiros anos de vida do jovem Adriano não foram fáceis, logo que nasceu o Estado do Ceará passava por uma das mais duras secas de sua história e com pouco dinheiro em circulação as obras de construção logo ficaram escassas, algo que dificultava a continuação e o surgimento de novas edificações onde o seu pai pudesse trabalhar.
Assim que alcançou a idade escolar foi matriculado na Escola de Ensino Fundamental Padre Antônio Correia de Sá, onde estudou até a 4ª série do curso ginasial. Em seguida foi transferido para Escola de Ensino Fundamental e Médio Dom Terceiro, onde concluiu o ensino fundamental e deu continuidade aos estudos no curso de Técnico em Contabilidade.
Nessa época, sem abdicar de suas responsabilidades, conseguia conciliar os estudos com o trabalho e a sua primeira experiência profissional foi na Padaria Nosso Pão, onde era um dos ajudantes do padeiro.
Depois dessa experiência, por volta de 1990, passou a trabalhar como ajudante de pintor nas equipes que eram coordenadas pelo Sr. Gerniel Alves da Silva nas obras públicas de reforma e construção que eram contratadas pela Prefeitura de Boa Viagem.
Nos primeiros meses de 1993, aos 15 anos de idade, como muitos jovens de sua época, resolveu tentar a sorte na cidade de São Paulo, nessa ocasião foi embarcado no Terminal Rodoviário Samuel Alves da Silva por dois amigos de infância e aventuras, Eliel Rafael da Silva Júnior e Clécio Vieira da Silva.
Ao chegar ao seu destino conseguiu um emprego como balconista em uma pequena padaria, mas logo percebeu que o famoso eldorado nordestino era apenas uma ilusão.
Algum tempo depois, no segundo semestre de 1995, decidiu retornar para a sua cidade natal e conseguiu um emprego como comerciário em uma loja de artigos eletrônicos pertencente ao Sr. Cleristom Fragoso Vieira, que era localizada na Rua Agronomando Rangel, nº 334, Centro, onde desenvolveu um forte tino comercial.
Nessa época, bastante envolvido nas atividades da Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem, era participante assíduo das atividades culturais e religiosas da UAC, a União de Adolescentes Congregacionais, como também da UMEC, a União de Mocidade Evangélica Congregacional.
Durante muitos anos foi o baterista do grupo de louvor que animava os cultos dessa igreja e um dos nomes certos nos retiros destinados aos jovens nos períodos de carnaval, época que ficou conhecido pelos mais íntimos pelo apelido de “Congo”.
Em 1996, nessas atividades da igreja e em seu trabalho, mantinha constante contato com Marcondes Vieira Figueiredo, um amigo que estava querendo deixar o emprego de representante comercial e voltar para cidade de João Pessoa.
A empresa que esse amigo representava, a PROHIGIBEL, que estava localizada na Rua Walter Batista Santana, nº 29, Centro, trabalhava com a venda de cosméticos e produtos de higiene pessoal, sendo propriedade de José Almeida Cavalcante.
Logo após uma breve entrevista Adriano foi contratado como representante comercial e recebeu a carteira de clientes que era atendida por seu amigo.
Nessa mesma época conheceu Auri Angelim do Nascimento, nascida no dia 28 de agosto de 1979 e filha de Pedro Paulo do Nascimento com Francisca Angelim do Nascimento, que dentro de pouco tempo passou a ser a sua namorada e logo depois a sua esposa.

Imagem de sua família.

Imagem de sua família.

No dia 23 de junho de 1997, conforme os registros existentes no livro B-01, tombo nº 54, folha 27v, do Cartório Geraldina, 1º Ofício, contraiu matrimônio religioso com efeito civil no templo da Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem em uma cerimônia que foi presidida pelo Rev. Josafá Vieira.
Desse feliz união conjugal nasceram três lindas filhas, sendo elas: Rute Angelim da Silva, Adriany Angelim da Silva e Laura Angelim da Silva.
Nessa cerimônia, além dos convidados, serviram de testemunhas e padrinhos: José Almir Teixeira de Almeida, Maria Zilda Nascimento Almeida, Roseilson Fragoso Vieira e Renata Mendes Teixeira.
Em 1998, recém casado, firmemente decidido a ascender profissionalmente, resolveu investir as suas poucas economias na aquisição da empresa de seu patrão, que estava migrando para outro ramo comercial.
Após a consumação do negócio, que foi feito em sociedade com Roseilson Fragoso Vieira, esposo de sua sobrinha, a sua empresa foi finalmente instalada em um prédio alugado na Rua 26 de Junho, nº 485, Centro.
Nessa época o ramo de cosméticos não tinha a variedade e nem o marketing que conhecemos hoje, isso levou a pequena empresa a falência e ao encerramento da sociedade comercial.
Mesmo assim, ainda acreditando nesse filão comercial, resolveu abrir as portas da Distribuidora Ruty Cosméticos LTDA na garagem de sua casa, que inicialmente era localizada na Rua Agronomando Rangel, n° 45, esquina com a Rua Brígido Alves de Morais, no Bairro Vila Azul.
Dentro de pouco tempo a empresa começou a crescer e logo necessitou de um espaço mais amplo, sendo instalada na Rua Antônio Domingues Álvares, nº 269, Centro, esquina com a Rua Padre Mororó.
Nos primeiros anos do século XXI uma sucessão de perdas no seio de sua família não lhe desfez o ânimo. Conforme os registros do Cartório Geraldina, livro C-06, tombo nº 3.909, folha 11, no dia 11 de outubro de 2001, com 74 anos de idade, certificado pelo Dr. Gutemberg Mendes de Farias Filho, o seu pai veio a óbito vítima de problemas cardíacos quando trabalhava nas proximidades da vila de Boqueirão.
Pouco tempo depois, com informações obtidas no mesmo cartório no livro C-06, tombo nº 4.176, folha 78, no dia 30 de março de 2003, com apenas 51 anos de idade, atestado pelo Dr. Arlindo Florêncio dos Santos, a sua mãe deixa de existir padecendo do mesmo motivo que vitimou o seu pai.

Imagem da Empresa Ruty Cosméticos, em 2009.

Imagem da Empresa Ruty Cosméticos, em 2009.

Em junho de 2003, enxugada às lágrimas, um grande passo estava sendo dado em sua carreira empresarial, aos poucos a Distribuidora Ruty crescia e ganhava sede própria no km 203 da Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, no trecho urbano que é denominado de Rua Coronel José Cândido de Carvalho, s/n°, no Bairro Ponte Nova.
Alguns anos mais tarde, em 2007, desejando participar da resolução dos problemas da sociedade boa-viagense, resolveu contribuir com a sua inteligência organizando o diretório do PRB, o Partido Republicano Brasileiro, em nosso Município.
Em 2009, firmando novas parcerias comerciais, a sua empresa passa por uma reformulação onde conseguiu ampliar a variedade de produtos e a sua área de mercado consumidor, sendo convidado por isso a transferir as operações de sua empresa para cidade de Fortaleza e Caucaia, onde receberia incentivos fiscais do poder público.
Mesmo com todo esse assédio dos Municípios em questão não quis abandonar a sua terra natal, acreditou que seguindo o seu exemplo outros empresários tomariam o mesmo caminho.
Nessa mesma expansão, surgiu à necessidade de mais espaço físico e finalmente no dia 14 de outubro de 2011 foi solenemente inaugurada à atual sede de sua empresa, que está localizada no km 205 da margem da mesma rodovia, só que no trecho urbano denominado de Rua Dr. Solom Ximenes de Araújo, nº 1.290, no Bairro Floresta.
Nesse mesmo ano, no dia 21 de novembro, por seus esforços no desenvolvimento econômico do Município de Boa Viagem, foi agraciado pela Câmara de Vereadores no Núcleo de Arte e Cultura José Assef Fares com a mais alta distinção honorifica concedida por essa municipalidade, a Comenda Antônio Domingues Álvares.
No ano seguinte, quando se aproximava o pleito eleitoral do dia 7 de outubro, o seu nome foi escolhido pela convenção municipal a figurar como candidato a vice-prefeito da chapa que era encabeçada por Aline Cavalcante Vieira, que tinha como lema: “A Geração do Trabalho”.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

Na chapa concorrente, buscando a sua primeira reeleição, dessa vez militando nos quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, legenda nº 55, teve o nome do Prefeito Dr. Fernando Antonio Vieira Assef, que tinha como companheira de chapa o nome da Vereadora Maria da Conceição Costa Araújo, popularmente conhecida por “Ceiça”.
Ao fim dessa disputa, que foi definida por detalhes, a sua chapa foi derrotada ao receber a confiança de 14.706 eleitores, enquanto os seus adversários foram eleitos com 15.190 votos, uma derrota que foi bastante indigesta.
Pouco tempo depois disso, expandiu os seus negócios comerciais gerando emprego e investindo em uma construtora que passou a construir casas do projeto “Minha Casa Minha Vida”.
No dia 29 de julho de 2016, na Associação Atlética Boa-viagense, em uma convenção que foi organizada pelo PRB, o Partido Republicano Brasileiro, o seu nome foi homologado como candidato a prefeito de Boa Viagem, tendo como companheiro de chapa o nome do respeitabilíssimo Vereador Ezaú Fragoso da Silva.
Nessa ocasião ocorreu um acidente que por pouco não terminou em tragédia, gerando inúmeras chacotas por parte dos eleitores da corrente política adversária. Sobre esse fato, que foi bastante especulado pela oposição, foi registrado da seguinte forma pela imprensa local:

“A convenção partidária realizada nesta sexta-feira (29), por volta das 19h, em Boa Viagem, na Associação Atlética Boa-viagense, foi marcada por um momento de grande susto para políticos e populares, onde o Partido Republicano Brasileiro (PRB), apresentava ao público seus pré-candidatos a prefeito, vice e vereadores quando o palco de alvenaria acabou literalmente caindo abrindo um buraco de aproximadamente 3 metros e derrubando o prefeito de Boa Viagem, Fernando Assef, deputados e  pré-candidatos que participavam da convenção. Apesar do susto, ninguém se feriu gravemente, resultando apenas em algumas pessoas com pequenos arranhões. No evento foram homologadas as candidaturas a prefeito e vice-de Adriano Silva (PRB) e Ezau Fragoso (PHS).” (CRISTIAN, 2016. Convenção partidária é marcada por susto com desabamento de palco em Boa Viagem. Disponível em http://www.correiopedrabranquense.com.br/2016/07/30/em-boa-viagem-convencao-partidaria-e-marcada-por-susto-com-desabamento-de-palco/. Acesso em 30 de junho de 2016)

Esse lamentável incidente, que foi levianamente tratado pela oposição, foi motivo de grande chacota nas redes sociais, sendo exibido inclusive no CETV, um programa da Rede Globo de televisão.

Imagem do material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

No outro dia dessa convenção, em 30 de julho, no mesmo local, ocorreu a convenção que homologou o nome da candidata Aline Cavalcante Vieira, que foi acompanhada do Vereador Ademir Carneiro de Freitas.

“Foi realizada na noite deste sábado, dia 30 de julho, na sede da Associação Atlética Boa-viagense, a convenção do Partido da República (PR), que contou com apoio de 12 partidos, onde foram homologadas as candidaturas de Aline Vieira do PR a prefeita e Ademir Carneiro (PMDB) a vice prefeito, além de vários pré candidatos a vereadores (as). Participaram do evento o presidente estadual do PSD, Deputado Federal Domingos Neto; Patricia Aguiar, presidente estadual do PMB; Deputado Estadual Odilon Aguiar, Deputada Federal Gorete Pereira, superintendente do INCRA, Marcos Cals e o secretário de Estado do meio ambiente e sustentabilidade Artur Bruno.” (CRISTIAN, 2016. Convenção do PR homologa candidatura de Aline Vieira e Ademir Carneiro. Disponível em http://www.fjnoticias.com.br/2016/07/convencao-do-pr-homologa-candidatura-de.html. Acesso em 1º de agosto de 2016)

Nessa mesma noite, como se fosse a lei do retorno, os fogos de artifício que foram soltos por essa convenção causaram um incêndio em uma casa de construção que existe nas proximidades do clube, fato que foi registrado por sua proprietária nas redes sociais.
No mesmo instante que ocorria essa convenção, nas dependências da Escola de Ensino Fundamental Pe. Paulo de Almeida Medeiros, ocorreu a convenção que definiu a terceira chapa do pleito, que foi formada por Rogério Vitor Campêlo e Antônio Gadelha:

“Em convenção realizada na tarde de sábado, dia 30 de julho, nas dependências da Escola de Ensino Fundamental Padre Paulo de Almeida Medeiros, no Bairro de Nossa Srª de Fátima, foram homologadas as candidaturas de Rogério Campelo a prefeito e Antônio Gadelha a vice.” (CRISTIAN, 2016. PPL é o único partido que parte com chapa pura em Boa Viagem. Disponível em http://www.fjnoticias.com.br/2016/07/ppl-e-o-unico-partido-que-parte-com.html. Acesso em 1º de agosto de 2016)

Depois disso, outros graves incidentes envolveram a sua campanha, entre eles o fato da Polícia Militar fazer treinamento de tiro dentro de sua propriedade sem fazer qualquer tipo de aviso:

“Em Boa Viagem, uma série de tiros chamou a atenção na zona rural do Município. A chapa do prefeito acusa a Polícia Militar de tentativa de intimidação. Os militares dizem que, por coincidência, houve treinamento de armas no local. Em Boa Viagem, a 216 quilômetros de Fortaleza, no interior do Ceará, uma série de tiros feitos por policiais militares gerou um grave atrito político. Os disparos ocorreram na zona rural do Município, na última quarta-feira, dia 21, no entorno da fazenda do candidato à prefeitura, Adriano Silva (PRB). A chapa diz que a ação foi tentativa de intimidação, já que os PMs  da cidade apoiam a adversária Aline Vieira (PR).”  (CGD apura tiros da PM próximo a fazenda de candidato em Boa Viagem. Disponível em www.boaviagemnoticias.com. Acesso em 18 de outubro de 2016)

Alguns dias depois, na manhã do dia 26 de setembro, o Empresário Antônio Virgílio Marinho Verçosa, seu amigo pessoal, comete suicídio.

Imagem de Adriano José da Silva, Dep. Domingos Filho e o empresário Virgílio Marinho, em 2015.

Imagem de Adriano José da Silva, Dep. Domingos Filho e o empresário Virgílio Marinho, em 2015.

Pouco tempo depois desses fatos, na eleição municipal ocorrida no dia 2 de outubro de 2016, depois da abertura das urnas, a candidata Aline Cavalcante Vieira conseguiu receber 19.397 votos, já o candidato Adriano José da Silva recebeu 11.383 sufrágios, enquanto Rogério Campêlo recebeu apenas 167 votos.
Adriano José da Silva indiscutivelmente é um jovem empresário que fez do trabalho a sua bandeira, conseguiu com muita paciência e dedicação vencer a desconfiança transformando uma pequena empresa na garagem de sua casa em uma marca de sucesso.
Cheio de felicidade não esconde as suas paixões: a sua bem estruturada família, a sua empresa e o seu time de coração, o Clube de Regatas Vasco da Gama.
Inibido e muitas vezes injustamente classificado como orgulhoso, através do diálogo, venceu barreiras consideradas por muitos como intransponíveis fazendo valer a frase de Fernando Pessoa: “O homem é do tamanho do seu sonho”.