Maria da Conceição Costa Araújo

Maria ConceiçãoMaria da Conceição Costa Araújo nasceu no dia 7 de março de 1965 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filha de Gilberto Castelo Branco de Araújo e de Maria Auxiliadora Costa Araújo.
Foi casada com José Raulino da Silva, que nasceu no dia 5 de abril de 1951, sendo filho de Raimundo Raulino da Silva e de Antônia Raulino da Silva.
Desse matrimônio gerou apenas um filho, sendo ele: José Raulino Júnior.
Na eleição municipal que ocorreu no dia 3 de outubro de 1992, desejando entrar na vida pública através de uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos do PDS, o Partido Democrático Social, com a legenda nº 11.625, conseguiu ser eleita depois de receber à confiança de 795 votos, ficando em segundo lugar entre os vereadores de maior preferência dos eleitores.
Segundo informações existentes no jornal “Voz & Vez”, ano I, nº 2, edição de outubro de 1995, participou com outros colegas do seminário regional que tratou sobre aposentadoria e ocorreu na cidade de Quixeramobim:

“Assunto de vital importância para o trabalhador rural, comerciantes e empresários… Na comitiva de Boa Viagem estavam presentes os seguintes vereadores: João Mozart Silus Cunha, Rosa Vieira, Maria Conceição, Antônio França, Antônio Pereira, José Mendes, Hermínio Veras, Valdeni Vieira, Fernando Assef, José Diniz, João Martins e Francisco Lobo… O destaque de nossa representação no encontro foi a participação direta nos debates, quando os vereadores Fernando Assef e Valdeni Vieira questionaram e se posicionaram contra a política oficial do governo por ser ‘burocrática e exigir uma documentação excessiva para se requerer uma aposentadoria rural’. Os nossos vereadores falaram com conhecimento de causa, o primeiro é advogado e o segundo é um ex-sindicalista ativo na região.”

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

Na eleição municipal seguinte, que ocorreu no dia 3 de outubro de 1996, partindo para o seu segundo mandato, estando filiada nos quadros políticos do PSDB, o Partido da Social Democracia Brasileira, dessa vez com a legenda nº 45.625, recebeu 538 votos, ficando em décimo sétimo lugar e conseguido ser reconduzida a sua cadeira no Poder Legislativo.

Imagem de seus trabalhos na Câmara.

Imagem de seus trabalhos na Câmara.

No pleito eleitoral ocorrido no dia 1º de outubro de 2000, o primeiro totalmente informatizado em nosso Município, dessa vez estando filiada nos quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, com a legenda nº 41.625, foi reconduzida ao seu terceiro mandato depois de receber 939 votos, sendo a segunda vereadora com a maior votação dessa disputa.
Na eleição seguinte, que ocorreu no dia 3 de outubro de 2004, depois de retornar aos quadros políticos do PSDB, utilizando a mesma legenda do pleito de 1996, concorreu ao seu quarto mandato eletivo, mas conseguiu receber apenas 995 sufrágios, ficando na 1ª suplência de sua coligação e conhecendo a sua primeira derrota nas urnas.
No dia 5 de outubro de 2008, em uma nova eleição municipal, dessa vez querendo compor à bancada do PMDB, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, com a legenda nº 15.625, conseguiu receber à confiança de 1.291 votos, sendo a sexta vereadora que conseguiu o maior número de votos dessa eleição.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

Nessa legislatura, por conta de uma licença médica, solicitou afastamento de sua função pelo período de um mês, sendo substituída nessa ocasião pelo suplente José Airto Vieira Lima, popularmente conhecido pela alcunha de “Setenta”.
Na convenção partidária que antecedeu a eleição municipal que ocorreu no dia 7 de outubro de 2012, compondo os quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, teve o seu nome escolhido para concorrer ao cargo de vice-prefeita do candidato Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, também do PSD, que concorria a reeleição.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

Nessa disputa, que foi bastante acirrada, enfrentaram o nome da candidata e Engenheira Agrônoma Aline Cavalcante Vieira, do PR, o Partido da República, que foi acompanhada do Empresário Adriano José da Silva, do PRB, o Partido Republicano Brasileiro, que foi o seu vice.
Nessa campanha, por várias vezes, a sua chapa foi acusada pela adversária de não estar concorrendo na disputa, até receber o deferimento pela caneta da Dr. Laurita Hilário Vaz, ministra do TSE, o Tribunal Superior Eleitoral:

“A Ministra Laurita Vaz, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deferiu por decisão individual os registros de candidatura de Fernando Antonio Vieira Assef (PSD) e de Maria da Conceição Costa Araújo aos cargos de prefeito e vice do Município de Boa Viagem, no Sertão de Central, no Ceará. A chapa concorreu na condição de registro indeferido com recurso e obteve 15.190 votos. Com a decisão da ministra, Fernando Assef fica à frente da candidata considerada eleita, Aline Cavalcante Vieira (PR) que teve 14.706 votos.” (2012: Ministra defere registro de candidato a prefeito de Boa Viagem e muda resultado. Disponível em http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2012/Outubro/ministra-defere-registro-de-candidato-a-prefeito-de-boa-viagem-ce-e-muda-resultado-da-eleicao. Acesso em 29 de outubro de 2016)

Depois disso, aberta às urnas, a sua chapa recebeu 15.190 votos, enquanto a chapa adversária recebeu apenas 14.706, um resultado que demorou a ser digerido pela oposição, que passou os quatro anos seguintes perseguindo todas as ações de seu governo.
No dia 24 de agosto de 2016, residindo na cidade de Fortaleza, depois de algum tempo estudando na FAK, a Faculdade Kurios, concluiu o curso de Bacharelado em Administração de Empresas.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

No pleito eleitoral seguinte, que ocorreu no dia 2 de outubro de 2016, ainda na bancada do PSD, em uma das ironias de nossa recente história política, depois de romper politicamente com o “Grupo Assefista”, o seu partido figurou na composição da coligação da candidata que veementemente perseguiu a sua chapa na eleição anterior, mesmo assim, concorrendo ao seu quinto mandato ao Poder Legislativo e com a legenda nº 55.333, conseguindo receber 1.906 votos, sendo a terceira maior votação entre os vereadores dessa disputa.
No primeiro ano dessa legislatura, fazendo parte da base aliada da Prefeita Aline Cavalcante Vieira, votou favoravelmente aos projetos encaminhados pelo seu gabinete, entre eles destacamos a do sacrifício de animais de rua, que não apresentou a forma de apreensão, manejo, adoção e sacrifício desses animais, principalmente cães e gatos, algo que gerou grande polêmica na sociedade, sendo inclusive acionada a presença de representantes de sociedades de defesa dos animais, que nem sequer foram ouvidos pelos vereadores da base aliada da prefeita.

“Uma nova polêmica volta a dividir opiniões de moradores da pacata cidade, uma lei que recolhe animais de ruas para um abrigo, para evitar acidentes nas ruas e danos ao patrimônio publico. Durante a sessão ordinária realizada nesta terça-feira, dia 19, uma intensa discussão entre vereadores da base de oposição foi registrada pelo publico presente, vereadores estiveram hoje votando o projeto de lei nº 032/2017, que altera a redação da lei nº 414 de 1984, na qual institui o código de postura do Município de Boa Viagem. De acordo com o parlamentar Adelmo Rodrigues – principal figura de oposição, o projeto de lei põe em risco a criação de animais como cachorros e gatos, o parlamentar questionou os demais vereadores os motivos pelos quais a prefeitura irá sacrificar animais que forem apreendidos, sendo respondido logo em seguida pelo vereador Arnaldo Cavalcante que leu o parágrafo 3 do artigo 1, que diz que o animal cuja apreensão seja impossível e perigosa ou o seu comportamento possa oferecer risco a saúde individual ou coletiva poderá após um atestado de um médico veterinário, ser sacrificado. Outros parlamentares de pronunciaram contra a medida, questionando valores a serem cobrados como multa pela apreensão do animal e a destinação de animais de raça. O debate ficou acalourado, porém, o projeto de lei seguiu para ser votado e acabou sendo aprovado pela maioria, com a ausência do Vereador Jardel Fernandes, o grupo de oposição encabeçado pelos vereadores Adelmo Rodrigues, Anchieta, Vera, Clícia, Jovino e Nete Facundo acabou ficando sem maioria.” (Sacrifício de animais de rua vira debate polêmico na Câmara Municipal de Boa Viagem nesta terça. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/sacrificio-de-animais-de-rua-vira-debate-polemico-na-camara-municipal-de-boa-viagem-nesta-terca20170919134732.html. Acesso  no dia 8 de janeiro de 2018)

Nos últimos meses de 2017, percebendo a grande impopularidade dessa administração, bem como alguns ilícitos, resolveu sair de sua base aliada entregando os cargos de sua indicação no Poder Executivo.
Depois disso, no dia 27 de fevereiro de 2018, tendo reforçado o número de votos que ajudou a eleger o Vereador José Anchieta Paiva Chaves à presidência da mesa diretor da Câmara Municipal, passou a receber retaliação política por parte da prefeita do Município, que desmontou a estrutura social há anos existente em favor do povo de uma das regiões que lhe depositou confiança nas urnas, fazendo com que divulgasse uma carta aberta ao povo em sua página de facebook:

“Tenho recebido algumas conversas das redes sócias através de amigos. Quero exteriorizar a todos os boaviagenses alguns pontos das mensagens: GOLPISTA, COSPE NO PRATO QUE COMEU, CHANTAGISTA, CONSPIRADORA, QUE SÓ PERFURA POÇOS EM FAZENDAS PARTICULARES, CEGA, EXTORQUISTA. Pois bem, para se comer em um prato ele tem de ter comida, não tenho esse peso em minha consciência, pois ajudei a colocar comida nesse prato que tanto falam, e desafio a qualquer um a dizer o que comi nele. Desafio também a dizerem qual tipo de chantagem que já fiz ou quando quis a metade da prefeitura e quando fiz extorsão. Sobre a cegueira, isso garanto que não possuo, pois consegui ver há tempo a maldade, o ódio, a perseguição com os professores e muitos outros funcionários. Acho que estou sendo ‘tachada’ disso por não ter aceito e cedido as negociatas que quiseram fazer comigo para que eu me calasse, mas vou deixar bem claro, NÃO ESTOU À VENDA, não devo nada a prefeita, pelo contrário, ela é quem me deve, pois lhe ajudei a eleger. Votei nela e ela não votou em mim. DEVO O MEU MANDATO E SATISFAÇÃO AO POVO. Deixo dito que golpe é o que estão fazendo com esses profissionais efetivos que tanto estudaram, perderam noites de sono e lutaram para serem aprovados em um concurso público, sendo agora alvos de perseguição. Só tem uma forma de me calar: pagando os funcionários atrasados, deixando os professores ampliados trabalharem. Golpe é enganar mais de 19 mil eleitores que confiaram nas promessas de palanque e, hoje, sofrem juntamente comigo a DECEPÇÃO. Golpe é fazer uma professora lecionar somente 3 crianças, fazendo um percurso de 23 km de distância, isso por pura perseguição. Golpe é a transferência de 80 alunos do fundamental menor da vila de Olho d’Água dos Facundos até a comunidade do Inharé. Golpe são as irregularidades que o relatório do extinto TCM aponta no ano de 2017. Golpe é tirar 100 horas dos professores que foram ampliados, assim não respeitando a lei e os 15 vereadores que a aprovaram. Golpe é colocar pessoas na folha dos 60% só para estarem levando e trazendo fofocas. Golpe é não pagar o transporte escolar. Golpe é não pagar os carros que transportam o lixo. Golpe é não pagar os garis, bolsistas e monitores de informática, isso ainda do ano passado. Golpe é não pagar o piso dos professores. Golpe é não pagar os meses de maio e junho de 2018 dos monitores do Projeto Mais Educação, onde o dinheiro se encontra nas contas das escolas desde 2018. Sobre a perfuração de poços profundos, não tenho lembrança de ter perfurado nenhum em nenhuma fazenda particular, uma vez que, quem marca o local de ser perfurado é o geólogo e não eu, e sou uma vereadora e não uma geóloga, mas até compreendo a senhora que postou isso, pois ela não mora em Boa Viagem, talvez se morasse soubesse a realidade do interior com a falta de água. Tem outro conhecido que lembro muito bem dele criticando a prefeita em 2017, um certo dia até perguntei o porquê da raiva dele, segundo a prefeita, ele queria um carro agregado, mas ela disse que não, pois ele mora em Fortaleza, certamente deve ter tido o seu carro locado ou coisa do tipo. Até entendo os funcionários que vão a câmara, pois estão com medo de perder os seus empregos, muitos deles até ilegais, cito: ESPECIALISTAS EM PLANEJAMENTO E ESPECIALISTAS EM GESTÃO, onde alguns só tem uma graduação indo contra o plano cargos e carreiras que tem algumas exigências. ‘É melhor a vaia da democracia do que o silêncio dos oprimidos.’ Não poderia deixar de citar a secretária de educação, que nos anos de 2017 e 2018 entregou a secretaria 3 vezes, será por quê? Não vou entrar no mérito, pois ela tem os seus motivos, e uma coisa que aprendi é respeitar os mais velhos, mas sei que a autonomia é pouca, ela pode até ter certificados e diplomas e até ser mestra, mas lhe falta a maturidade espiritual. Falando é uma inteligente, calada é uma sábia. Sou Maria da Conceição Costa Araújo, entrei na vida pública no ano de 1992 e sigo até os dias de hoje, desafio a qualquer um que seja a apontar, investigar ou fiscalizar e comprovar algum indício de alguma irregularidade minha. E garanto que não recorrerei a justiça para tirar esse direito de ninguém, uma vez que sempre ouvi um ditado popular bem citado por aí ‘quem não deve, não teme!’ Agora, pergunto: Prefeita, qual o medo motivo do medo da câmara investigar esses dois anos de sua gestão? Qual será o medo? O que esconde? DEIXO DITO: a luta permanece, abraçarei, não arredarei o pé em qualquer campo de batalha, a ninguém renderei homenagem que tentem denegrir minha imagem. Apontarei qualquer irregularidade com a frieza do equilíbrio e atacarei com lâminas cortantes aos que se atreverem coagir, mentir, perseguir, humilhar o povo mais carente de Boa Viagem. Acredito no trabalho do Ministério Público do Estado do Ceará e acima de tudo confio na justiça divina.”

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  2. SERTNEWS. Sacrifício de animais de rua vira debate polêmico na Câmara Municipal de Boa Viagem nesta terça. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/sacrificio-de-animais-de-rua-vira-debate-polemico-na-camara-municipal-de-boa-viagem-nesta-terca20170919134732.html. Acesso  no dia 8 de janeiro de 2018.
  3. TSE. Ministra defere registro de candidato a prefeito de Boa Viagem e muda resultado. Disponível em http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2012/Outubro/ministra-defere-registro-de-candidato-a-prefeito-de-boa-viagem-ce-e-muda-resultado-da-eleicao. Acesso em 29 de outubro de 2016.
  4. VIEIRA FILHO, José. Minha História, Contada por Mim. Fortaleza: LCR, 2008.