BR-020

AS CARACTERÍSTICAS GERAIS:

A Rodovia Federal BR-020 é uma rodovia mantida com recursos do Governo Federal, classificada como radial, que possui aproximadamente 2.038.5 quilômetros de extensão, mas desses apenas 420 estão dentro do Estado do Ceará.

Mapa da Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020.

Essa importante rodovia corta quatro Estados da Federação, sendo eles: Goiás, Bahia, Piauí e o Ceará, tendo o seu ponto inicial na cidade de Brasília, o Distrito Federal, e o final na cidade de Fortaleza, capital de nosso Estado.
Dentro do Estado do Ceará, sentido norte-sul, essa rodovia corta os seguintes Municípios: Fortaleza, Caucaia, Maranguape, Maracanaú, Caridade, Canindé, Itatira, Madalena, Boa Viagem, Pedra Branca, Tauá e Parambu.
Em relação à sua largura e a circulação de automóveis essa rodovia é classificada como sendo de pista simples, mas já possui alguns trechos que foram duplicados.
A partir do dia 25 de julho 2005, através da lei nº 11.141, o trecho compreendido entre as cidades de Formosa, no Estado de Goiás, e a cidade de Fortaleza, no Estado do Ceará, recebeu o nome do Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira.

“Art. 1º Fica denominado de ‘Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira’ o trecho da rodovia BR-020 compreendido entre as cidades de Formosa, no Estado de Goiás, e de Fortaleza, no Estado do Ceará.”

Quanto à velocidade, nessa rodovia, os limites podem variar de acordo com às características de cada trecho, sendo comum também a imposição de limites de velocidade reduzida nas zonas urbanas dos Municípios pelos quais ela passa, medida que tem por finalidade proteger os pedestres e os animais que possam eventualmente surgir pelo caminho.
Uma das principais características dessa rodovia, algo que é comum com as outras rodovias que cortam os Estados do Nordeste, é a utilização de sua base para o represamento de água.

Panorama da cidade de Boa Viagem pela BR-020, em 2013.

Nessa rodovia registramos a existência de uma intensa circulação de veículos pesados e a sua fiscalização é constantemente realizada pela Polícia Rodoviária Federal com a utilização de radares fixos e móveis.
Quanto a sua manutenção ela é gerenciada pelo DNIT – o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.

OS RADARES FIXOS EXISTENTES NA RODOVIA DENTRO DO ESTADO DO CEARÁ:

Nessa rodovia, com a finalidade de controlar a velocidade dos veículos e diminuir os acidentes, registramos a existência dos seguintes radares fixos:

  1. Em Caucaia, km 397;
  2. Em Campos Belo, km 348, em Caridade;
  3. Próximo ao encontro com a CE-162, km 326, na cidade de Caridade;
  4. Em Canindé, km 313;
  5. No Posto da Polícia Rodoviária Federal, km 310, na cidade de Canindé;
  6. Próximo ao encontro com a CE-257, km 307, na cidade de Canindé;
  7. Em Canindé, km 305, na cidade de Canindé;
  8. Em Japuário, km 294, em Canindé;
  9. No Distrito de Cachoeira, km 263, em Itatira;
  10. Próximo ao encontro com a CE-366, Distrito de São José da Macaoca, km 257, em Madalena;
  11. Próximo ao encontro com a CE-265 e a CE-166, km 239, na cidade de Madalena;
  12. Em Anafuê, km 210, em Boa Viagem;
  13. No Posto da Polícia Rodoviária Federal, km 208, na cidade de Boa Viagem;
  14. Próximo ao Posto Carneiro, km 205, na cidade de Boa Viagem;
  15. Próximo ao Posto Ipiranga, km 205, na cidade de Boa Viagem;
  16. No encontro com a CE-168 e a CE-266, km 203, na cidade de Boa Viagem;
  17. No cruzamento com a BR-404, em Santa Cruz do Banabuiú, km 155, em Pedra Branca;
  18. Em Bom Jesus, km 142, em Tauá;
  19. Em Cachoeirinha do Pai Senhor, km 132, em Tauá;
  20. No encontro com a CE-176, km 83, na cidade de Tauá.

Nos primeiros meses de 2019, no governo do Presidente Jair Messias Bolsonaro, em uma decisão polêmica, esses radares foram desativados, voltando a ocorrer acidentes dentro do perímetro da cidade de Boa Viagem.

“Todos os radares fixos, conhecidos como pardais, estão sendo retirados das rodovias federais (BR’s) que cortam o Ceará. A medida tomada pela superintendência do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) no Estado cumpre determinação nacional. De acordo com a superintendência, ‘um contrato que contempla a instalação de novos equipamentos já foi assinado, porém aguarda orientações de Brasília a respeito da liberação das ordens de serviço para a instalação dos radares’. Atualmente as rodovias federais no Ceará contam com 71 radares fixos. O Dnit informou que a retirada começou na semana passada e a previsão é que todos os equipamentos sejam retirados até o fim do mês de abril.” (TOSI, 2019: Disponível em https://www.opovo.com.br/noticias/ceara/2019/04/08/fotossensores-sao-retirados-das-rodovias-federais-no-ceara.html. Acesso em 8 de abril de 2019)

Algum tempo depois, pressionado pelo STF – o Supremo Tribunal Federal, alguns desses radares foram reativados.

Imagem de um radar fixo, no cruzamento da BR-020 com as CE’s-168/266, em 2012.

AS CARACTERÍSTICAS DA RODOVIA DENTRO DO MUNICÍPIO:

Partes do trecho dessa rodovia possuem grande relevância para história do desenvolvimento econômico do Estado do Ceará, sendo conhecido alguns desses trechos como a antiga “Estrada Nova das Boiadas”, que era descrita da seguinte forma:

“Vem de Pau dos Ferros (RN), pelo Pereiro, atravessa o rio Jaguaribe em local próximo à cidade de Jaguaribe; mais na frente cruza o rio das Pedras, atinge o rio Banabuiú e depois o Quixeramobim e, enfim, chega a cidade do mesmo nome, onde se bifurca. Um ramal vai para Boa Viagem, Independência e Crateús, alcançando o Piauí pelo boqueirão do Poti; o outro dirige-se a Sobral. Ainda na concepção de Studart Filho, 1966, p. 149, ‘A Estrada Nova das Boiadas prolonga-se até a capital de Pernambuco, por Barriguda, Tabuleiro Formoso e pelo ‘Caminho das Boiadas’, da Paraíba, era a corda de um imenso arco formado pelo velho caminho que, beirando o mar, unia Camocim ao Recife, tocando em Natal, João Pessoa e Olinda’. Assim, tanto isola Fortaleza quanto contribui para que populações das capitanias vizinhas venham povoar o Ceará”. (LIMA, 2008: p. 146-147)

Em nossos dias a Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira corta 65 quilômetros do território do Município de Boa Viagem e nesse trajeto passa por dez rios, onde existem pontes de armação em concreto.
Em seu percurso, além das rodovias municipais, que são classificadas como BV’s, registramos o encontro da BR-020 com três rodovias estaduais, a CE-168 e a CE-266 na cidade de Boa Viagem e a CE-265 nas proximidades da divisa com o Município de Madalena.
Na cidade de Boa Viagem essa rodovia serve de marco divisor dos Bairros Vila Holanda e Vila Azul da Ponte Nova e ainda do Alto do Motor, Boaviaginha e Tibiquari dos Bairros Alto da Queiroz, Recreio, Padre Paulo e Várzea do Canto.
Seguindo no sentido paralelo da rodovia, sentido sertão-capital, ela recebe ainda os seguintes nomes urbanos: Rua Luciano Maia Rocha, Rua Coronel José Cândido de CarvalhoRua Raimundo Ribeiro da SilvaRua Dr. Solon Ximenes de Araújo e Rua José Natal de Araújo.

Imagem de um ponto de ônibus, em 2020.

Na margem dessa rodovia, patrocinado pelo Governo Municipal, existem abrigos que servem de local de espera e embarque que atende principalmente aos alunos da rede pública escolar.

OS POSTOS DE POLÍCIA RODOVIÁRIA FEDERAL DENTRO DO ESTADO DO CEARÁ:

Nessa rodovia, dentro do Estado do Ceará, registramos a existência das seguintes bases da PRF – a Polícia Rodoviária Federal:

  1. Posto de Fortaleza/Caucaia, km 413;
  2. Posto de Canindé, km 310;
  3. Posto de Boa Viagem, km 208;
  4. Posto de Santa Cruz do Banabuiú, km 157, em Pedra Branca – Desativado.

Imagem de um ponto de ônibus, em 2020.

OS POSTOS DA RECEITA FEDERAL:

Nessa rodovia, dentro do Estado do Ceará, registramos a existência das seguintes bases da Receita Federal:

  1. Posto de Maranguape, km 371 – Desativado;
  2. Posto de Boa Viagem, km 232 – Desativado.

AS PONTES DA RODOVIA EXISTENTES DENTRO DO ESTADO DO CEARÁ:

A palavra ponte provém da língua latina “pons”, que por sua vez descende do etrusco “pont”, que significa “estrada”, já em grego, πόντος (póntos), deriva talvez da raiz “pent”, que significa uma ação de caminhar.

Imagem da ponte sobre o Rio Boa Viagem, em 1980.

Uma ponte é uma construção que permite interligar ao mesmo nível pontos não acessíveis, que geralmente são separados por rios, vales, ou outros obstáculos naturais ou artificiais. As pontes são construídas para permitirem a passagem sobre algum obstáculo a transpor, de pessoas, automóveis, comboios, canalizações ou aquedutos.
Quando uma ponte é construída sobre um curso de água o seu tabuleiro é frequentemente situado a uma altura calculada de forma a possibilitar a passagem das embarcações com segurança sob a sua estrutura.
Quando a ponte é construída sobre um meio seco costuma-se chamá-la de viaduto, como uma forma de apelidar as pontes em meios urbanos. No Estado do Ceará essa rodovia possui as seguintes pontes:

  1. Ponte sobre o Rio Carauaçanga, km 400, em Caucaia;
  2. Ponte sobre o Rio Espiroá, km 390, em Caucaia;
  3. Ponte sobre o Rio Feijão, km 387, em Caucaia;
  4. Ponte sobre o Riacho Monte Alegre, km 378, em Caucaia;
  5. Ponte sobre o Rio Ceará, km 373, em Maranguape;
  6. Ponte sobre o Rio Gonçalo, km 366, em Maranguape;
  7. Ponte sobre o Riacho Salgado, km 357, em Maranguape;
  8. Ponte sobre o Rio Bonsucesso, km 349, em Caridade;
  9. Ponte sobre o Rio Capitão Mor, km 345, em Caridade;
  10. Ponte sobre o Rio Seriema, km 336, em Caridade;
  11. Ponte sobre o Rio Camarão, km 318, em Caridade;
  12. Ponte sobre o Rio Canindé II, km 311, em Canindé;
  13. Ponte sobre o Rio Canindé I, km 308, em Canindé
  14. Ponte sobre o Rio Cachoeira, km 264, em Itatira;
  15. Ponte sobre o Rio Tigre, km 250, em Madalena;
  16. Ponte sobre o Rio Barrigas, km 237, em Madalena;
  17. Ponte sobre o Rio Poltrinho, km 230, em Boa Viagem;
  18. Ponte sobre o Rio Conceição, km 221, em Boa Viagem;
  19. Ponte sobre o Rio Cabeça de Boi, km 215, em Boa Viagem;
  20. Ponte sobre o Rio Juazeiro, km 214, em Boa Viagem;
  21. Ponte sobre o Rio Capitão-Mor, km 207, em Boa Viagem;
  22. Ponte sobre o Rio Boa Viagem, km 202, em Boa Viagem;
  23. Ponte sobre o Rio Carrapateira, km 189, em Boa Viagem;
  24. Ponte sobre o Rio Facão, km 180, em Boa Viagem;
  25. Ponte sobre o Rio Jacu, km 178, em Boa Viagem;
  26. Ponte sobre o Rio Trapiá I, km 170, em Boa Viagem;
  27. Ponte sobre o Rio Banabuiú, km 159, em Pedra Branca;
  28. Ponte sobre o Rio Bom Jesus, km 141, em Tauá;
  29. Ponte sobre o Riacho Castelo, km 134, em Tauá;
  30. Ponte sobre o Riacho da Reta, km 124, em Tauá;
  31. Ponte sobre o Rio Floresta, km 122, em Tauá;
  32. Ponte sobre o Riacho Riachão, km 118, em Tauá;
  33. Ponte sobre o Riacho Santa Rosa, km 108, em Tauá;
  34. Ponte sobre o Riacho Docinha, km 107, em Tauá;
  35. Ponte sobre o Rio Carrapateira, km 89, em Tauá.

A ROTA DA FÉ:

Existe por parte da CNBB – a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, do Governo do Estado do Ceará e com o apoio do Governo Federal o desejo de transformar essa rodovia dentro de nosso Estado em um dos principais roteiros do turismo religioso de nosso país.

Imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem, em 2011.

O Governo Estadual trata essa ideia como uma alternativa econômica para essa região, semelhantemente como a Espanha, que está localizada no continente europeu, tratou as rotas dos caminhos de Santiago de Compostela.
No Estado do Ceará os Caminhos de Assis são os percursos feitos pelos romeiros de todo o país e de algumas partes do mundo que afluem para a Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, com destino à Basílica de São Francisco de Assis, que existe no Município de Canindé, no intuito de pagarem alguma promessa.
Esses romeiros se trajam com um manto de cor marrom, que é amarrado na cintura com uma corda e costumam carregar um cajado ao se dirigirem ao seu destino, sempre que podem, peregrinando de cidade em cidade visitando as imagens sacras e as pequenas capelas existentes nas margens da rodovia.
Diante dessa possibilidade, os Municípios de Itatira, Madalena e Boa Viagem encaram o grande desafio de incluírem os seus nomes no roteiro utilizado por esses romeiros.
Entre as cidades de Boa Viagem e Fortaleza registramos a existência das seguintes imagens sacras:

  1. Imagem de São Francisco de Assis, km 373, em Caucaia;
  2. Imagem de Nossa Senhora de Fátima, km 349, em Campos Belo;
  3. Imagem de Santo Antônio, km 326, em Caridade;
  4. Imagem de São Sebastião, km 326, em Caridade;
  5. Imagem de São Francisco de Assis, km 307, em Canindé;
  6. Imagem de Nosso Senhor do Bonfim, km 262, Distrito de Cachoeira, em Itatira;
  7. Imagem de Nossa Senhora da Conceição, km 239, em Madalena;
  8. Imagem de Nossa Senhora Aparecida, km 237, em Madalena;
  9. Imagem do Sagrado Coração de Jesus, km 210, em Anafuê, Boa Viagem;
  10. Imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem, km 205, em Boa Viagem.

Registramos ainda, para dar apoio aos romeiros, a existência de cinco alojamentos que foram construídos com recursos provenientes do Governo do Estado com intuito de servirem de ponto de descanso para os peregrinos que trafegam a pé, pelo acostamento da rodovia, dois deles estão na BR-020:

  1. Campos Belo, BR-020, km 349;
  2. Caridade, BR-020, km 326;
  3. Tabatinga;
  4. Massapê;
  5. Lagoa do Juvenal.

Esses alojamentos, também chamados de estações, que foram construídos às margens da rodovia, são compostos por dormitório coletivo, banheiros, refeitório, oratório e obelisco, com energia elétrica e melhores condições sanitárias para abrigar os romeiros, tornando o percurso dos romeiros mais confortável e seguro.

Imagem de um dos alojamentos para os romeiros nos Caminhos de Assis, em 2012.

O turista que precisa obter informações sobre essas casas de apoio deve entrar em contato com os responsáveis pelos seguintes telefones:

  1. 85.3466-4898/4899 (Casa Civil do Governo do Estado);
  2. 85.3369-9101 (Maranguape);
  3. 85.3324-1234 (Caridade);
  4. 85.3343-6937 (Canindé).

ONDE ABASTECER DENTRO DO ESTADO DO CEARÁ:

Nessa rodovia, dentro do Estado do Ceará, registramos a existência dos seguintes postos:

  1. Posto Sereno/ALE, km 410, na cidade de Caucaia;
  2. Posto Ceará/BR, km 402, na cidade de Caucaia;
  3. Posto Tucunduba/Shell, km 391, em Caucaia;
  4. Posto dos Romeiros, km 368, em Maranguape;
  5. Posto Noronha, km 348, na vila de Campos Belo, Caridade;
  6. Posto Marajó/SP, km 332, em Caridade – Desativado;
  7. Posto São Sebastião, km 326, na cidade de Caridade;
  8. Posto São Francisco/Shell, km 307, na cidade de Canindé;
  9. Posto Barzão, km 304, na cidade de Canindé;
  10. Posto São Jorge II, km 301, na cidade de Canindé;
  11. Posto Campos, km 280, na vila Campos, em Canindé;
  12. Posto Cachoeirinha, km 263, na vila de Cachoeira, em Itatira;
  13. Posto Júnior/BR, km 240, na cidade de Madalena;
  14. Posto Lagoa II, km 239, na cidade de Madalena;
  15. Posto ALE, km 239, na cidade de Madalena;
  16. Posto Carneiro/Shell, km 205, na cidade de Boa Viagem;
  17. Posto Uirapuru/ALE, km 205, na cidade de Boa Viagem;
  18. Posto Texaco, km 204, na cidade de Boa Viagem – Desativado;
  19. Posto Fragoso/BR, km 203, na cidade de Boa Viagem;
  20. Posto SP, km 155, na vila de Santa Cruz do Banabuiú, em Pedra Branca;
  21. Posto Cruzeta, km 155, na vila de Santa Cruz do Banabuiú, em Pedra Branca;
  22. Posto ALE, km 84, na cidade de Tauá;
  23. Posto SP, km 83, na cidade de Tauá.

O LIMITE ENTRE OS MUNICÍPIOS DO ESTADO DO CEARÁ:

Uma fronteira é um limite entre duas partes distintas, por exemplo, dois Países, dois Estados, dois Municípios e etc.

Placa identificando o limite entre os Municípios, em 2009.

As fronteiras representam muito mais do que uma mera divisão e unificação dos pontos diversos, elas determinam também uma área territorial precisa de um Estado. As fronteiras podem ser naturais, geométricas ou arbitrárias; sendo delimitações territoriais e políticas que, através da proteção que garante aos seus Estados, representa a autonomia e a soberania desses perante os outros.
Para quem não sabe o termo “fronteira” refere-se a uma região ou faixa, enquanto que o termo “limite” está ligado a uma concepção imaginária.
No Brasil costumamos utilizar a seguinte classificação: uma fronteira são as delimitações dos países, uma divisa são as delimitações dos Estados e um limite são as delimitações dos Municípios.
Na Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, os limites estre os Municípios do Estado do Ceará são os seguintes:

  1. Caucaia e Maranguape, km 373;
  2. Maranguape e Maracanaú;
  3. Maracanaú e Caridade;
  4. Caridade e Canindé;
  5. Canindé e Itatira, km 265;
  6. Itatira e Madalena;
  7. Madalena e Boa Viagem, km 231;
  8. Boa Viagem e Pedra Branca, km 168;
  9. Pedra Branca e Tauá, km 145;
  10. Tauá e Parambu;
  11. Parambu e o Estado do Piauí.

AS DISTÂNCIAS E A SITUAÇÃO DA RODOVIA DENTRO DO ESTADO DO CEARÁ:

  • Fortaleza – Distrito de Campos Belo = Trecho de 69 km asfaltados.
  • Distrito de Campos Belo – Caridade = Trecho de 22 km asfaltados.
  • Caridade – Canindé = Trecho de 20 km asfaltados.
  • Canindé – Distrito de Esperança = Trecho de 25 km asfaltados.
  • Distrito de Esperança – Distrito de Macaoca = Trecho de 27 km asfaltados.
  • Distrito de Macaoca – Madalena = Trecho de 15 km asfaltados.
  • Madalena – Boa Viagem = Trecho de 35 km asfaltados.
  • Boa Viagem – Distrito de Santa Cruz do Banabuiú = Trecho de 49 km asfaltados.
  • Distrito de Santa Cruz do Banabuiú – Tauá = Trecho de 74 km asfaltados.
  • Tauá – Divisa com o Estado do Piauí = Trecho de 84 km asfaltados.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BRAGA, Renato. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Ceará. v. 1º. Fortaleza: Imprensa Universitária do Ceará, 1964.
  2. FRANCO, G. A. & CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  3. LIMA, Antônio Cláudio Ferreira: A Construção do Ceará: Temas de História Econômica. Fortaleza: Instituto Albanisa Sarasate, 2008.
  4. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  5. TOSI, Marcela. Fotossensores são retirados das rodovias federais do Ceará. Disponível em https://www.opovo.com.br/noticias/ceara/2019/04/08/fotossensores-sao-retirados-das-rodovias-federais-no-ceara.html. Acesso em 8 de abril de 2019.

220 pensou em “BR-020

  1. Pingback: Potencialidade Viária do Município | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Eliel Rafael da Silva | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Avenida Basílio Vieira Carneiro | História de Boa Viagem

  4. Pingback: Rua Coronel Luís Amaro Bezerra | História de Boa Viagem

  5. Pingback: CE-168 | História de Boa Viagem

  6. Pingback: Nossa Senhora da Boa Viagem | História de Boa Viagem

  7. Pingback: Rua Maria Idalina da Silva | História de Boa Viagem

  8. Pingback: Bairro Alto da Queiroz | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Rua Dr. Solom Ximenes de Araújo | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Bairro Ponte Nova | História de Boa Viagem

  11. Pingback: Rua Raimundo Ribeiro da Silva | História de Boa Viagem

  12. Pingback: Rua José Natal de Araújo | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Rua Coronel José Cândido de Carvalho | História de Boa Viagem

  14. Pingback: Rua Luciano Maia Rocha | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Rua Padre Antônio Correia de Sá | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Rua Deodato José Ramalho | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Bairro Vila Holanda | História de Boa Viagem

  18. Pingback: Rua Balbina Almeida Vieira | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Boa Viagem | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Jacampari | História de Boa Viagem

  21. Pingback: A Bandeira do Município | História de Boa Viagem

  22. Pingback: Terminal Rodoviário Samuel Alves da Silva | História de Boa Viagem

  23. Pingback: CE-266 | História de Boa Viagem

  24. Pingback: Águas Belas | História de Boa Viagem

  25. Pingback: Açude do Anafuê | História de Boa Viagem

  26. Pingback: Açude da Palha | História de Boa Viagem

  27. Pingback: Associação Atlética Banco do Brasil de Boa Viagem | História de Boa Viagem

  28. Pingback: Posto Ipiranga | História de Boa Viagem

  29. Pingback: Escola de Ensino Fundamental José Adauto Sales | História de Boa Viagem

  30. Pingback: Pavilhão Municipal | História de Boa Viagem

  31. Pingback: CAMINHOS DE ASSIS | História de Boa Viagem

  32. Pingback: O Triângulo Maçônico | História de Boa Viagem

  33. Pingback: Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes | História de Boa Viagem

  34. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Filomena Uchôa Viana | História de Boa Viagem

  35. Pingback: Pedreira Natasha | História de Boa Viagem

  36. Pingback: Indústria Cearense de Tintas | História de Boa Viagem

  37. Pingback: Cerâmica Boa Viagem | História de Boa Viagem

  38. Pingback: Distribuidora Ruty Cosméticos | História de Boa Viagem

  39. Pingback: Pedreira Natasha | História de Boa Viagem

  40. Pingback: Posto de Polícia Rodoviária Federal | História de Boa Viagem

  41. Pingback: Posto Fragoso | História de Boa Viagem

  42. Pingback: Posto Uirapuru | História de Boa Viagem

  43. Pingback: Posto Carneiro | História de Boa Viagem

  44. Pingback: Capela de Santo Antônio – Monte Limpo | História de Boa Viagem

  45. Pingback: Antônia Ivani Soares Vieira | História de Boa Viagem

  46. Pingback: Capela de São Pedro – São Pedro | História de Boa Viagem

  47. Pingback: CE-265 | História de Boa Viagem

  48. Pingback: Aureliano Verçosa Lima | História de Boa Viagem

  49. Pingback: José Assef Fares | História de Boa Viagem

  50. Pingback: Luciano Maia Rocha | História de Boa Viagem

  51. Pingback: Estádio Municipal Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto | História de Boa Viagem

  52. Pingback: Bairro Recreio | História de Boa Viagem

  53. Pingback: Francisco Braga do Nascimento | História de Boa Viagem

  54. Pingback: Cristovam de Queiroz Sampaio | História de Boa Viagem

  55. Pingback: Imagem do Sagrado Coração de Jesus | História de Boa Viagem

  56. Pingback: Distrito de Boqueirão | História de Boa Viagem

  57. Pingback: Domingos da Costa | História de Boa Viagem

  58. Pingback: Distrito de Guia | História de Boa Viagem

  59. Pingback: Distrito de Ibuaçu | História de Boa Viagem

  60. Pingback: Distrito de Massapê dos Paés | História de Boa Viagem

  61. Pingback: Distrito de Olho d’Água do Bezerril | História de Boa Viagem

  62. Pingback: Distrito de Ipiranga | História de Boa Viagem

  63. Pingback: Olho d’Água dos Facundos | História de Boa Viagem

  64. Pingback: Distrito de Poço da Pedra | História de Boa Viagem

  65. Pingback: Distrito de Várzea da Ipueira | História de Boa Viagem

  66. Pingback: Maria Rosary Pereira | História de Boa Viagem

  67. Pingback: O Domingo Trágico | História de Boa Viagem

  68. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Francisco Lourenço | História de Boa Viagem

  69. Pingback: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará | História de Boa Viagem

  70. Pingback: Serrote da Cabeça de Pedra | História de Boa Viagem

  71. Pingback: Praça do Bairro Floresta | História de Boa Viagem

  72. Pingback: Congregação em São Pedro da Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Templo Central | História de Boa Viagem

  73. Pingback: A Pedra Encantada | História de Boa Viagem

  74. Pingback: O Serrote da Onça | História de Boa Viagem

  75. Pingback: Antônio Apolônio Maciel | História de Boa Viagem

  76. Pingback: Praça da Imagem de Nossa Senhora da Boa Viagem | História de Boa Viagem

  77. Pingback: Ginásio Poliesportivo Dirceu José dos Santos | História de Boa Viagem

  78. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Patrícia Facundo Campos | História de Boa Viagem

  79. Pingback: Monumento ao Encontro das Estradas do Estado do Ceará | História de Boa Viagem

  80. Pingback: Capela de São José – Floresta | História de Boa Viagem

  81. Pingback: Posto de Saúde da Família Dr. José Arnon Cruz Bezerra de Menezes | História de Boa Viagem

  82. Pingback: Lavanderia Pública Municipal do Bairro Floresta | História de Boa Viagem

  83. Pingback: Edina da Silva Vieira | História de Boa Viagem

  84. Pingback: Pe. Paulo de Almeida Medeiros | História de Boa Viagem

  85. Pingback: Loja Maçônica Cavaleiros do Amor | História de Boa Viagem

  86. Pingback: Bairro Boaviaginha | História de Boa Viagem

  87. Pingback: Rio Boa Viagem | História de Boa Viagem

  88. Pingback: Solom Ximenes de Araújo | História de Boa Viagem

  89. Pingback: José Adauto Sales | História de Boa Viagem

  90. Pingback: Promotoria de Justiça | História de Boa Viagem

  91. Pingback: Adriano José da Silva | História de Boa Viagem

  92. Pingback: Pedro Eugênio Cidrão Uchôa | História de Boa Viagem

  93. Pingback: Francisca Ione Vieira Assef | História de Boa Viagem

  94. Pingback: Fábrica de Calçados Madry | História de Boa Viagem

  95. Pingback: Açude Prefeito José Vieira Filho | História de Boa Viagem

  96. Pingback: Unidade Básica da Saúde Antônio Martins de Lima – São Pedro | História de Boa Viagem

  97. Pingback: Unidade Básica da Saúde Aureliano Verçosa Lima | História de Boa Viagem

  98. Pingback: Marcos Luís Cidrão Uchôa | História de Boa Viagem

  99. Pingback: João Martins de Lima | História de Boa Viagem

  100. Pingback: Misrain Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  101. Pingback: Raimundo de Oliveira Mota | História de Boa Viagem

  102. Pingback: Francisco Vieira Carneiro | História de Boa Viagem

  103. Pingback: João Soares Lima Filho | História de Boa Viagem

  104. Pingback: José de Queiroz Sampaio Neto | História de Boa Viagem

  105. Pingback: João Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  106. Pingback: Antônio Argeu Nunes Vieira | História de Boa Viagem

  107. Pingback: Sidônio Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  108. Pingback: A Pedra do Lajedo | História de Boa Viagem

  109. Pingback: Os Cemitérios Indígenas | História de Boa Viagem

  110. Pingback: Pedra do Letreiro | História de Boa Viagem

  111. Pingback: Francisco Alves de Sousa | História de Boa Viagem

  112. Pingback: O Letreiro dos Albertos | História de Boa Viagem

  113. Pingback: Capela de Nossa Senhora de Lourdes | História de Boa Viagem

  114. Pingback: Parque de Vaquejadas e Eventos Joaquim Vieira Lima | História de Boa Viagem

  115. Pingback: Patrícia Facundo Campos | História de Boa Viagem

  116. Pingback: Rua José Leorne Leitão | História de Boa Viagem

  117. Pingback: Eliane da Silva Alves | História de Boa Viagem

  118. Pingback: Igreja Evangélica Boa-viagense em Anafuê | História de Boa Viagem

  119. Pingback: Raimundo Ribeiro da Silva | História de Boa Viagem

  120. Pingback: Émerson Gustavo Almeida Silva | História de Boa Viagem

  121. Pingback: Dirceu José dos Santos | História de Boa Viagem

  122. Pingback: Rua Brígido Alves de Morais | História de Boa Viagem

  123. Pingback: Rua José de Sousa Jales | História de Boa Viagem

  124. Pingback: Rua Delfino Alves Pinheiro e Lima | História de Boa Viagem

  125. Pingback: Rua Calvino Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  126. Pingback: Eliel Rafael da Silva Júnior | História de Boa Viagem

  127. Pingback: Quartel da 4ª Companhia do 4º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Ceará | História de Boa Viagem

  128. Pingback: Anafuê | História de Boa Viagem

  129. Pingback: Rio Conceição | História de Boa Viagem

  130. Pingback: Rio Capitão-Mor | História de Boa Viagem

  131. Pingback: Rio Juazeiro | História de Boa Viagem

  132. Pingback: Rio Trapiá | História de Boa Viagem

  133. Pingback: Rio da Comissão | História de Boa Viagem

  134. Pingback: Antônio Osmar Mendes Lobo | História de Boa Viagem

  135. Pingback: Boqueirão | História de Boa Viagem

  136. Pingback: Guia | História de Boa Viagem

  137. Pingback: Areias | História de Boa Viagem

  138. Pingback: Areia dos Albertos | História de Boa Viagem

  139. Pingback: Lajes dos Rogérios | História de Boa Viagem

  140. Pingback: Serrote Alto | História de Boa Viagem

  141. Pingback: Barriguda | História de Boa Viagem

  142. Pingback: Lagoa do Senador | História de Boa Viagem

  143. Pingback: Belmonte | História de Boa Viagem

  144. Pingback: Boa Esperança | História de Boa Viagem

  145. Pingback: Aroeiras (Ipiranga) | História de Boa Viagem

  146. Pingback: Poço da Pedra | História de Boa Viagem

  147. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Francisca Diniz Sobreira | História de Boa Viagem

  148. Pingback: Arvoredo | História de Boa Viagem

  149. Pingback: Balança | História de Boa Viagem

  150. Pingback: Aleixo | História de Boa Viagem

  151. Pingback: Agreste | História de Boa Viagem

  152. Pingback: Alívio | História de Boa Viagem

  153. Pingback: Alto do Descanso | História de Boa Viagem

  154. Pingback: Andreza | História de Boa Viagem

  155. Pingback: Argentina | História de Boa Viagem

  156. Pingback: Conceição | História de Boa Viagem

  157. Pingback: Gurupi | História de Boa Viagem

  158. Pingback: Aroeiras (Boqueirão) | História de Boa Viagem

  159. Pingback: Brasileira | História de Boa Viagem

  160. Pingback: Assentamento Boa Ventura | História de Boa Viagem

  161. Pingback: Barreira Branca | História de Boa Viagem

  162. Pingback: Belo Horizonte | História de Boa Viagem

  163. Pingback: Bonga | História de Boa Viagem

  164. Pingback: Boqueirão (Guia) | História de Boa Viagem

  165. Pingback: Cachoeirinha (Boqueirão) | História de Boa Viagem

  166. Pingback: Cachoeira | História de Boa Viagem

  167. Pingback: Barra da Onça | História de Boa Viagem

  168. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Antônio Francisco Chaves | História de Boa Viagem

  169. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Joaquim Vieira Lima | História de Boa Viagem

  170. Pingback: Quadra Poliesportiva da EEF Joaquim Vieira Lima | História de Boa Viagem

  171. Pingback: Rio Santo Antônio | História de Boa Viagem

  172. Pingback: Rio Carrapateira | História de Boa Viagem

  173. Pingback: Rio Jacu | História de Boa Viagem

  174. Pingback: Madeira Cortada | História de Boa Viagem

  175. Pingback: São José dos Vinutos | História de Boa Viagem

  176. Pingback: Inharé | História de Boa Viagem

  177. Pingback: Posto da Saúde – Santo Antônio dos Dodôs | História de Boa Viagem

  178. Pingback: Tabuleiro Alegre | História de Boa Viagem

  179. Pingback: Arara | História de Boa Viagem

  180. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Antônio Botelho Filho | História de Boa Viagem

  181. Pingback: Boa Ventura | História de Boa Viagem

  182. Pingback: Rio Poltrinho | História de Boa Viagem

  183. Pingback: Cabeça do Boi | História de Boa Viagem

  184. Pingback: Poldrinha | História de Boa Viagem

  185. Pingback: Pereiros | História de Boa Viagem

  186. Pingback: Santa Maria | História de Boa Viagem

  187. Pingback: Posto Leandro Costa | História de Boa Viagem

  188. Pingback: Algodão (Várzea da Ipoeira) | História de Boa Viagem

  189. Pingback: Conversa de Bêbado. | História de Boa Viagem

  190. Pingback: Barra | História de Boa Viagem

  191. Pingback: Bom Jesus | História de Boa Viagem

  192. Pingback: Cachoeira dos Paus Brancos | História de Boa Viagem

  193. Pingback: Cajueiro | História de Boa Viagem

  194. Pingback: Caloji | História de Boa Viagem

  195. Pingback: Camará dos Aderaldos | História de Boa Viagem

  196. Pingback: Camará dos Pereiras | História de Boa Viagem

  197. Pingback: Campinas | História de Boa Viagem

  198. Pingback: Cachoeira dos Silvestres | História de Boa Viagem

  199. Pingback: Gameleira (Boa Viagem) | História de Boa Viagem

  200. Pingback: Guajiru | História de Boa Viagem

  201. Pingback: Lagoa do Arroz | História de Boa Viagem

  202. Pingback: Lembranças | História de Boa Viagem

  203. Pingback: Malvinas | História de Boa Viagem

  204. Pingback: Marinheiro | História de Boa Viagem

  205. Pingback: Olho d’Água do Bezerril | História de Boa Viagem

  206. Pingback: Carobas | História de Boa Viagem

  207. Pingback: Pedras Pretas | História de Boa Viagem

  208. Pingback: Pedra Branca | História de Boa Viagem

  209. Pingback: Pitombeira | História de Boa Viagem

  210. Pingback: Pitombeira dos Araújo | História de Boa Viagem

  211. Pingback: Jucazeiro | História de Boa Viagem

  212. Pingback: Pitombeira dos Bertoldos | História de Boa Viagem

  213. Pingback: Pitombeira dos Beneditos | História de Boa Viagem

  214. Pingback: Pocinhos | História de Boa Viagem

  215. Pingback: Ipu | História de Boa Viagem

  216. Pingback: Poço da Pedra (Boa Viagem) | História de Boa Viagem

  217. Pingback: Poço dos Angicos | História de Boa Viagem

  218. Pingback: Poço Salgado | História de Boa Viagem

  219. Pingback: Pombo | História de Boa Viagem

  220. Pingback: Poço Comprido | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta