Gutemberg Mendes Farias Filho

gutemberg-mendes-farias-filhoGutemberg Mendes Farias Filho nasceu no dia 23 de março de 1968 na cidade de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, sendo filho de Gutemberg Mendes Farias e de Maria das Dores Mota Farias.
Os seus avós paternos se chamavam Francisco José Mendes e Maria Mendes Farias, já os maternos eram Pedro Mota Braga e Idelzuite Albuquerque Mota.
Em sua infância, quando chegou em idade escolar, foi matriculado por seus pais na Escola de Ensino Fundamental e Médio Estado do Alagoas, que está localizada na Avenida Presidente Castelo Branco, nº 5.244, no Bairro Barra do Ceará, na cidade de Fortaleza, onde concluiu o Ensino Fundamental.
Depois disso, passou a estudar no curso de química, que era ofertado pela Escola Técnica Federal do Ceará, onde concluiu o Ensino Médio.
Nos últimos meses de 1988, sempre estudando em escolas públicas, destacando-se entre os seus colegas, decidiu tentar o vestibular da UFC, a Universidade Federal do Ceará, para um dos cursos mais concorridos de sua época, Medicina, onde foi aprovado e conseguiu concluir o seu curso no dia 22 de dezembro de 1994.

Imagem de sua turma de medicina.

Nesse mesmo ano, ingressando nas Forças Armadas, fez o curso de formação de oficiais na EPCAR, a Escola Preparatória de Cadetes no Ar, que está localizada na cidade de Barbacena, no Estado de Minas Gerais, chegando ao posto de Tenente da FAB, a Força Aérea Brasileira, sendo designado por seus superiores a sentar praça na Base Aérea de Fortaleza, onde permaneceu até os últimos meses de 1997.
Pouco tempo antes disso, em 1990, contraiu matrimônio com Maria Francilene Lopes de Paiva, que é nascida no dia 25 de setembro de 1969, sendo filha de Francisco Lopes de Paiva e de Maria Lenir Lopes de Paiva.
Desse matrimônio foram gerados três filhos, dois homens e uma mulher, sendo eles: Pedro de Paiva Farias, Carolina de Paiva Farias e Lucas de Paiva Farias.

Imagem de um momento de lazer com a sua família.

Em fevereiro de 2001, a convite do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, foi contratado como médico do Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima, concluindo também, no dia 14 de dezembro de 2001, pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões, a sua especialização em cirurgia.
Algum tempo depois disso, por divergências em seu matrimônio, passou a viver em união estável com Rozivalda Ferreira de Almeida, que nasceu no dia 23 de setembro de 1965, sendo filha de Luiz Gonzaga Ferreira de Almeida com Maria de Lourdes Ferreira de Almeida.
No dia 5 de junho de 2006, através de concurso público, passou a compor o quadro de funcionários da Prefeitura de Pedra Branca, servindo como médico cirurgião no Hospital Municipal São Sebastião.
Nos últimos meses de 2009, envolvido com o esporte do Município de Boa Viagem e tentando ocupar o vácuo deixado pela morte do Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto, assumiu à presidência do Boa Viagem Esporte Clube.
No dia 25 de outubro de 2010, pela Escola de Saúde Pública do Ceará, concluiu a sua residência médica na especialidade de cirurgia médica, sendo realizada no Hospital Geral de Fortaleza.
No pleito eleitoral ocorrido no dia 7 de outubro de 2012, militando nos quadros políticos do PP, o Partido Progressista, com a legenda nº 11.555, resolveu colocar o seu nome para escolha popular a uma das cadeiras do Poder Legislativo do Município de Boa Viagem, conseguindo nessa oportunidade receber a confiança de 1.205 votos, estando entre os nove vereadores de maior votação desse pleito.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

No dia 1º de agosto de 2014, solicitou à mesa diretora da Câmara uma licença por interesse particular, em seu lugar assumiu a suplente, a Vereadora Maria Mocinha Teixeira Pinto Batista, que permaneceu até o final desse ano.
Em 3 de agosto de 2015, por meio do Decreto nº 415, depois de aprovado no concurso público promovido pela Prefeitura de Boa Viagem, passou a compor o quadro de funcionários efetivos do Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima, sendo nomeado em seguida o seu Diretor Clinico.
Na eleição municipal seguinte, que ocorreu no dia 2 de outubro de 2016, dessa vez estando filiado nos quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, figurando na preferência do eleitorado para concorrer ao cargo de prefeito do Município de Boa Viagem, foi maliciosamente prejudicado pelo acordo firmado pelo Dr. Domingos Gomes de Aguiar Filho, que visou eleger à candidata Aline Cavalcante Vieira.
Diante disso, insatisfeito por não colocar o seu nome nessa disputa eleitoral ao cargo majoritário, foi impedido também pelo seu partido de concorrer a sua reeleição à Câmara Municipal de Vereadores.
Nessa campanha, estando sem legenda, resolveu apoiar abertamente ao Empresário Adriano José da Silva, que foi candidato pelo PRB, o Partido Republicano Brasileiro, tornando-se um dos pilares dessa coligação.

Imagem de sua propaganda de campanha.

Imagem de sua propaganda de campanha.

Mesmo com todas as dificuldades colocadas em seu caminho, nessa eleição, resolveu indicar o nome do jovem Jardel Linistefeson de Sousa Fernandes, que conseguiu ser eleito depois de receber 886 votos.
No ano seguinte, retornou a sua velha rotina de trabalho, servindo em seu ofício nas cidades de Boa Viagem, Pedra Branca e Quixeramobim, quando por concurso público passou a compor o quadro de médicos do HRSC, o Hospital Regional do Sertão Central.
Nos últimos meses de 2018, mesmo estando concentrado nessa intensa rotina de trabalho, sofreu uma impiedosa perseguição política e grave assédio moral nas redes sociais, que foi abertamente movido pela Profª Maria Dias Cavalcante Vieira, que nessa época era a secretária da educação do Município de Boa Viagem e a principal conselheira e articuladora política da Prefeita Aline Cavalcante Vieira.
Segundo o mesmo, pouco tempo antes desse escândalo, havia declinado do convite de retomar o controle da Secretaria da Saúde e da direção do Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima, fato que causou muita irritação entre os aliados da gestora do Município.

Imagem do cometário feito pela Profª. Maria Dias Cavalcante Vieira contra o Dr. Gutemberg no facebook.

Esse infeliz comentário nas redes sociais também tinha outro propósito, que era o de coagir aos médicos da única unidade hospitalar existente no Município para que estes não passassem exames aos pacientes, como também não concedessem atestados aos funcionários públicos que estivessem doentes.
Diante desses graves problemas, foi impedido pela direção do hospital, que nessa época era dirigido por Guiomar Cavalcante França, irmã da secretária da educação e tia da prefeita, de atender aos pacientes em seu consultório, obrigando-o a receber essas pessoas no hospital da cidade de Pedra Branca.
Depois de toda essa exposição, o seu nome foi amplamente defendido nas redes sociais, principalmente em um vídeo gravado e divulgado em grupos de whatsapp pelo Dr. Deodato José Ramalho Júnior, que chegou a entender nesses fatos fortes indícios de improbidade administrativa na gestão da Prefeita Aline Cavalcante Vieira.

“O ex-diretor hospitalar e atual médico clínico geral de Boa Viagem, Dr. Gutemberg Mendes, anunciou durante entrevista a emissoras de rádios locais que estará deixando o cargo ao qual atua na cidade. De acordo com ele, perseguições políticas estão impedindo o seu trabalho no atendimento ao público, Gutemberg é ex-vereador e é tido como figura de oposição ao governo da atual prefeita, Aline Vieira. De acordo com o Dr Gutemberg, medidas administrativas tomadas por parte da direção estão sendo prejudiciais para os médicos que não concordam com algumas práticas ali realizadas e por muitas vezes reclamam desejando solucionar o problema. Esta semana o SINDBOA – o Sindicato dos Servidores de Boa Viagem emitiu uma nota de repúdio contra a direção do Hospital Municipal onde, segundo a categoria, funcionários que não ficam calados acabam sofrendo perseguição política por parte da direção.” (SERTNEWS, 2018: Alegando perseguição, médico deixará de atender no hospital municipal de Boa Viagem. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/alegando-perseguicao-medico-deixara-de-atender-em-hospital-municipal-de-boa-viagem20180605150633.html. Acesso no dia 6 de junho de 2018)

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  2. SERTNEWS. Alegando perseguição, médico deixará de atender no hospital municipal de Boa Viagem. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/alegando-perseguicao-medico-deixara-de-atender-em-hospital-municipal-de-boa-viagem20180605150633.html. Acesso no dia 6 de junho de 2018.