Cartório Geraldina

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O Cartório de 1º Ofício de Registro Civil, Tabelionato de Notas e Protestos, Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas de Boa Viagem, que atualmente possui o nome de fantasia de Cartório Geraldina está localizado na Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, nº 144, no Centro da cidade de Boa Viagem, no Município de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem do Cartório de 1º Ofício, em 2021.

Um cartório é uma repartição pública, ou privada, que tem a custódia de documentos que lhes dão fé pública, existindo o serviço de registro civil de nascimento, casamento e óbito.

UM POUCO DE SUA HISTÓRIA:

Segundo Macêdo (1991, p.139), no artigo 3º da Lei Provincial nº 1.128, de 21 de novembro de 1864, que nesse mesmo dia criou os Municípios de Aiuaba e Boa Viagem, esses novos Município deveriam possuir um tabelião, acumulando todos os ofícios.

“De 1850 a 1860 Boa Viagem aparece como Distrito de Quixeramobim, embora conste como criado pela Lei nº 1.025, de 18 de novembro de 1862. Elevado a Município pela Lei nº 1.128, de 21 de novembro de 1864. Em 1931, em virtude do Decreto nº 193, de 20 de maio, foi extinto e reduzido a Distrito de Quixeramobim. Voltou, novamente, a ser Município em virtude da Lei nº 260, de 28 de dezembro de 1936. Atualmente é sede do Município e cabeça de comarca de 2ª entrância. O cartório de registro civil foi instalado em 11/11/1888.”  (MACÊDO, 1991: p. 137)

Alguns anos depois, ainda conforme Macêdo, (1991, p.137), o Cartório de Registro Civil foi finalmente instalado no dia 11 de novembro de 1888, pouco tempo antes da Proclamação da República.

“Em 1901, continuava a haver na vila um único tabelionato, exercido pelo serventuário Delfino Alves Pinheiro e Lima. De acordo com o Cod. 319, do Arquivo Público do Ceará, havia no início do século em Boa Viagem os seguintes ofícios: 1 – Tabelião do público, judicial e notas, escrivão do crime, civil, órfão e mais anexos, criado pela lei nº 1.128, de 21 de novembro de 1864; 2 – Escrivão do júri e execuções criminais. Criado pela lei nº 261, de 3 de dezembro de 1841; 3 – Partidores (dois), criados pela lei nº 1.158, de 9 de setembro de 1873; 4 – Contador, criado pela lei nº 1.558, de 9 de setembro de 1873.” (MACÊDO, 1991: p. 137)

No dia 28 de agosto de 1926, conforme a Lei nº 2.382, na forma da Lei nº 1.949, de 22 de dezembro de 1921, consolidada pelo Decreto nº 947-A, de 22 de novembro de 1926, foi criado o Cartório de 2º Ofício, que dividiu algumas de suas funções.
No curso de sua existência esse importante cartório já funcionou em diversos endereços na cidade de Boa Viagem, dentre eles, na década de 1930, na Rua Agronomando Rangel, nº 345, esquina com a Rua José Leal de Oliveira, Centro.

Imagem do Comercial J. Cândido por volta de 1950, um dos locais onde já funcionou esse cartório.

Durante algum tempo, junto aos seus livros, estiveram anexos os livros do Cartório Dr. Sérgio Amaro Sátiro Fernandes, do Distrito de Domingos da Costa; o Cartório Lobo, do Distrito de Jacampari e o Cartório Mendes, do Distrito de Ibuaçu.

O NOME DE SEUS TITULARES:

  1. Balduino de Almeida Cabral – 1884 e 1885;
  2. Francisco Borges de Aquino – 1886 e 1887;
  3. Delfino Alves Pinheiro e Lima – 1887 a 1906;
  4. Francisco Alves Ribeiro – 1906 a 1911;
  5. Severino Ernesto Tavares – 1911 a 1924;
  6. Luís Antônio de Sousa – 1924 a 1936;
  7. José Cândido de Carvalho – 1936 a 1946;
  8. Edite Carvalho Câmara – 1946 a 1973;
  9. Manoel Fernandes de Almeida – 1973;
  10. Geraldina Bezerra da Silva – 1974 a 1992;
  11. Joaquim Bezerra Sobrinho – 1992 a 2020;
  12. Luís Eliardo Gadelha da Silva – 2021 (atual).

O CONTATO:

Os canais de comunicação com o Cartório Geraldina são os seguintes:

  • Telefone:
  1. 88.327-1016.
  • E-mail:
  1. cartoriogeraldina@bol.com.br

BIBLIOGRAFIA:

  1. FRANCO, G. A. & CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  2. MACÊDO, Deoclécio Leite de. Notariado Cearense. História dos Cartórios do Ceará. Volume II, Fortaleza: Expressão, 1991.
  3. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  4. PELOSI FALCÃO, Marlio Fábio. Dicionário Toponímico, Histórico e Geográfico do Nordeste. Fortaleza: Artlaser, 2005.
  5. VIEIRA FILHO, José. Minha História, Contada por Mim. Fortaleza: LCR, 2008.