Aline Cavalcante Vieira

Aline Cavalcante Vieira nasceu no dia 15 de setembro de 1980 na cidade de Fortaleza, capital do Estado do Ceará, sendo filha de José Vieira Filho e de Maria Dias Cavalcante Vieira.
Os seus avós paternos se chamavam José Vieira de Lima e Adília Maria de Lima, já os maternos eram Valdemar Dias Cavalcante e Josefa Costa Cavalcante.
Proveniente de uma influente e tradicional família da política cearense, conseguiu obter fácil acesso à vida pública graças ao nome construído pelos seus ancestrais, tanto no Município de Boa Viagem quanto no Município de Monsenhor Tabosa.
Desde que nasceu, por conta das conveniências políticas e econômicas proporcionadas pelos seus pais, a maior parte de sua infância e juventude foram vividos na cidade de Fortaleza, onde cumpriu praticamente toda a sua vida estudantil, conforme relata a sua mãe:

“Tivemos um bom período, cerca de 22 anos, em que eu e os meninos morávamos em Fortaleza e ele em Boa Viagem. Nossos encontros eram sistematicamente motivados por compromissos de trabalho ou circunstancialmente movidos pela necessidade um do outro. Nossa vida é movimentada por episódios políticos que vão desde mandatos eletivos de um dos dois ou dos dois, até a partilha na luta por mandatos de terceiros que tinham o nosso apoio.” (VIEIRA FILHO, 2008: p. 85-86)

No dia 11 de dezembro de 1998, juntamente com a sua família, foi surpreendida pela notícia do inesperado falecimento de seu tio, o Dr. Francisco Vieira Carneiro, conhecido como “Major”, que cometeu suicídio por conta de um processo de impeachment que o levou a perder o comando da Prefeitura de Boa Viagem.
Mais tarde, no dia 17 de outubro de 2002, foi a vez de sua irmã mais velha, Diana Cavalcante Vieira, que deu fim a sua própria existência pulando pela janela do edifício em que residia.
Nos últimos meses de 2004, depois de um período de estudos na Europa, passou a compor uma das turmas da UFC, a Universidade Federal do Ceará, conseguindo concluir a sua graduação em agronomia.
No ano seguinte, pouco tempo depois de sua colação de grau, por conta do regresso de seu pai ao comando da Prefeitura de Boa Viagem, fixou residência na Fazenda Jantar, que está localizada na zona rural desse Município.
Estabelecida em Boa Viagem, como não seria diferente, logo foi nomeada por seu pai em diversos cargos de confiança de seu governo, entre eles destacamos inicialmente o da Chefia de Gabinete e por fim o da pasta da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Convivência Ambiental, onde mais tarde, por conta de acusações de desvio de recursos destinados para construção de cisternas, teve o seu nome envolvido no processo que desaprovou as contas de seu genitor ao fim desse mandato pelo TCM, o Tribunal de Costas dos Municípios.

Imagem de um dos momentos de seus trabalhos na campanha eleitoral.

Em acordo com as informações existentes na Revista de Boa Viagem, periódico produzido por sua gestão, ano 1, nº 1, edição de junho de 2008, página 6, estando à frente da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Convivência Ambiental, conseguiu desenvolver algumas atividades em sua pasta no Parque de Exposições Agropecuárias José Vieira Lima, dentre elas citamos as feiras agropecuárias e um seminário que visava o fortalecimento da apicultura no Município.

“Ao longo de três anos a Feira Agropecuária do Município colabora com a inserção de produtos rurais, principalmente do pequeno produtor… O evento já alcançou um número satisfatório em relação à quantidade e venda de animais.”

Nos últimos meses de 2008, desejando conseguir a reeleição de seu pai, esteve em uma das coordenações de sua campanha, momento em que ocorreu os desvios dos recursos a serem aplicados nas cisternas, quando não obteve o êxito em seu intento, mesmo com o declarado abuso de poder aquisitivo no intuito de obter a maioria dos votos.

“Na eleição municipal que ocorreu no dia 5 de outubro de 2008, agora nos quadros políticos do PR, o Partido da República, ainda com a legenda nº 22, acompanhado pelo Dr. Márcio Ary Machado de Morais, concorreu para a sua reeleição contra duas chapas adversárias. A primeira delas, que era encabeçada pelo ex-Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, do PSDB, o Partido da Social Democracia Brasileira, com a legenda nº 45, que foi acompanhado pelo Vereador Ismael Fragoso da Silva. A segunda chapa, pelo PMDB, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, com a legenda nº 15, sendo formada pelo ex-Prefeito Antônio Argeu Nunes Vieira e do Dr. Marco Antônio Feitosa Moreira. Nesse pleito amargou a sua segunda derrota em eleições municipais, a chapa do Dr. Fernando Antônio Vieira Assef recebeu a confiança de 12.866 votos, enquanto a sua recebeu apenas 9.439, uma diferença de 3.427 votos, já a terceira chapa, de Antônio Argeu Nunes Vieira, recebeu 5.822 votos.” (SILVA JÚNIOR, 2012: José Vieira Filho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/jose-vieira-filho/. Acesso no dia 23 de março de 2018)

Ainda respondendo por essa pasta, outros processos que envolveram diretamente o seu nome estiveram relacionados à compra de balanças para feira livre e outra que foi destinada ao Matadouro Público Municipal Edmílson Patú, um equipamento que na denúncia ao Ministério Público afirmava existir o tombo de uma prefeitura do Estado de Minas Gerais, gerando a desconfiança de que o equipamento declarado na nota fiscal não era novo, fato que conseguiu reverter na justiça algum tempo depois, embora não tenha conseguido convencer grande parte da população.
Nos primeiros meses de 2009, depois de prestar concurso público, passou a compor o quadro de fiscais da ADAGRI, a Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Ceará, executando os seus serviços no edifício que abriga a EMATERCE, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará, na cidade de Boa Viagem, onde aberta e regularmente fazia pré-campanha divulgando as suas ideias e as suas intenções políticas.
Nessa função, algum tempo depois, protocolou diversas denúncias ao Ministério Público contra o Governo Municipal envolvendo o matadouro público, que segundo ela não cumpria às exigências do órgão referente ao transporte, manejo e abate dos animais para consumo.
No dia 22 de janeiro de 2010, partilhou com a sua família e correligionários políticos da notícia do falecimento de seu pai, que durante muitos anos vinha enfrentando uma ferrenha luta contra o câncer, trazendo propositalmente para si, diante da comunidade boa-viagense, a projeção como a sua virtual herdeira política.
Nesse mesmo período, por conta do falecimento de seu genitor, juntamente com um de seus irmãos, tomou a frente como sócia proprietária da Triunfo Agroindustrial Ltda, uma empresa especializada no abate e venda de carne suína e de aves que está localizada na Rodovia Estadual Senador Fernandes Távora, a CE-266, dentro do perímetro da Fazenda Jantar.

Imagem de uma charge produzida entre os seus aliados onde fez-se referência ao seu apelido.

Ao aproxima-se as eleições municipais, com a projeção do seu nome nas pesquisas encomendadas, embora não tenhamos comprovação desse fato, conta-se que o Dr. Domingos Gomes de Aguiar Filho, que nessa época era o vice-governador do Estado e dava sustentação política ao grupo de oposição, afirmou em seu gabinete que não poderiam deixar essa “cabrita” vencer o pleito, surgindo daí um apelido que foi utilizado como troféu pelos seus correligionários no período de campanha.
Pouco tempo depois, no dia 29 de junho de 2012, na convenção eleitoral que definiu os candidatos para o pleito eleitoral do dia 7 de outubro, no Ginásio Poliesportivo Eliel Rafael da Silva, pertencente ao Instituto de Educação Paulo Moody Davidson, militando nos quadros políticos do PR, o Partido da República, o seu nome foi referendado como candidata a prefeita do Município de Boa Viagem na chapa que tinha como vice o nome de Adriano José da Silva, formando uma coligação que foi denominada de “Forte é o Povo”, tendo por lema de campanha a frase “a geração do trabalho”, já que estava acompanhada de um jovem empresário bem sucedido.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem do seu material de campanha.

Nesse mesmo dia, no salão de festas da Associação Atlética Boa-viagense, buscando a sua primeira reeleição, dessa vez militando nos quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, legenda nº 55, o nome de um declarado desafeto foi endossado pela assembleia, o Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, o mesmo concorrente de seu pai na eleição anterior e que nessa ocasião teve como companheira de chapa o nome da Vereadora Maria da Conceição Costa Araújo, popularmente conhecida por “Ceiça”.
Nos bastidores dessa campanha, de uma forma bem sutil e articulada, as lideranças politicas locais seguiam os interesses do vice-governador do Estado, o Dr. Domingos Gomes de Aguiar Filho, que propositalmente dividiu o grupo do Prefeito Antônio Argeu Nunes Vieira nas duas chapas, onde astuciosamente apontou os dois vices.
Essa disputa eleitoral teve diversas particularidades, ao qual destacaremos apenas duas, sendo a primeira delas a mesma da eleição anterior, quando os dois grupos se dividiram por cores, o vermelho, que geralmente era utilizado pelo Partido dos Trabalhadores, que foi adotado pelo dela, e o amarelo, o de seu concorrente, que sendo do PSD deveria ter utilizado a cor laranja.

Imagem da carreata de apresentação de seu nome.

A outra característica desse pleito foi o grande número de boatos, entre eles o de que o Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef abriria mão de sua candidatura na véspera da eleição em favor da Vereadora Maria Alzira Lima Vieira, esposa do ex-Prefeito Antônio Argeu Nunes Vieira, que detinha grande rejeição do eleitorado, principalmente entre funcionários públicos e comerciantes.
Esse boato, que foi maliciosamente materializado na forma de uma carta e em seguida espalhado pela zona rural há poucas horas da eleição tinha por finalidade gerar desconfiança entre os apoiadores de seu concorrente, fato que refletiu nas urnas ao dar uma pequena margem de votos em favor de seu adversário.
Antes da divulgação dessa carta, no auge dessa campanha, no dia 12 de agosto de 2012, um fato inédito ocorreu quando a emissora de Rádio Asa Branca, AM 710, promoveu o primeiro debate ao vivo entre candidatos a prefeito do Município de Boa Viagem, programa que foi organizado em seu formato pelo Lic. Eliel Rafael da Silva Júnior a convite do diretor da emissora, o Radialista Valdenir Venâncio Rodrigues.

Imagem do debate ocorrido no estúdio da Rádio Asa Branca.

Momentos antes do início do debate, demonstrando um profundo descontrole emocional, de forma rude e sem um motivo aparente, obrigou aos organizadores a pedirem a imediata retirada do fotógrafo, que era o Sr. Antenor Ferreira da Silva, que só pode fazer as imagens desse momento fora do estúdio.
Nesse debate, que teve uma grande audiência, sendo mal assessorada por seus acompanhantes, que mal sabiam da existência da localidade de Amargoso, quando foi interpelada sobre os benefícios levados a essa região, deixou transparecer enormes falhas em sua argumentação aos eleitores indecisos, encerrando todos os blocos do programa afirmando que o seu concorrente “não era candidato” e quando sentia-se intimidada pelas perguntas que não sabia responder, por trás do mediador, colocava a sua mão com o dedo maior em riste para provocar o seu oponente.
Alguns dias depois desse fato, no estúdio da Rádio Liberdade, AM 1.310, por conta de seu concorrente abrir mão do segundo debate, concedeu uma longa entrevista expondo os seus projetos ao Radialista João Alves Filho, todavia os seus esforços foram inúteis para reverter o que ocorreu no debate anterior.
Ao fim dessa disputa, que foi definida por detalhes, foi derrotada nas urnas ao receber a confiança de 14.706 eleitores, enquanto o seu oponente foi eleito com 15.190 votos, uma diferença de apenas 484 sufrágios, uma derrota que foi bastante indigesta pelos seus apoiadores.
Essa insatisfação pelo fracasso nas urnas passou meses massacrando os seus aliados na rádio que lhe apoiou antes e durante toda campanha, que por ironia eram achincalhados por uma frase dita constantemente no ar por um de seus apoiadores, o Radialista João Alves Filho, quando em uma entrevista no seu programa “A Voz do Povo” perguntou como ela estava se sentido diante da “manga” que o Dr. Fernando Assef lhe deu.
Durante os quatro anos que se seguiram parte do povo comentava nas ruas que essa “grande manga”, que sendo amarela e tendo um pequeno caroço tinha um sabor muito amargo na boca dos comerciantes e empresários que investiram em sua campanha e contabilizavam os prejuízos.
Antes disso, encerrada essa disputa, o seu resultado foi amplamente divulgado pelas emissoras de rádio locais, todavia os votos de seu concorrente não foram contabilizados pelo site do TRE, o Tribunal Regional Eleitoral, o que alimentava diariamente o desejo de alterar o resultado das urnas.

“O futuro prefeito de Boa Viagem, Município no interior do Ceará, será Fernando Antônio Vieira Assef (PSD) e não Aline Cavalcante Vieira (PR), como divulgado na apuração do primeiro turno das eleições do último dia 7. O TSE validou o registro de candidatura de Assef e da vice, Maria da Conceição Costa Araújo e mudou o resultado da eleição. Fernando Assef teve o registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) e concorreu por força de liminar. Com a decisão de ontem (23), Fernando Assef e sua vice foram considerados aptos. Os 15.190 votos que recebeu no primeiro turno passaram a ter validade e superaram os 14.706 obtidos por Aline Cavalcante Vieira. A candidata derrotada e o Ministério Público Eleitoral, por integrarem a ação que pediu a impugnação do registro de Assef, têm prazo até a próxima sexta-feira (26) para questionar a decisão da ministra Laurita Vaz e pedir para que o plenário do TSE reveja a decisão.” (COURA, 2012: TSE declara Fernando Assef prefeito eleito de Boa Viagem, no Ceará. Disponível em http://www.ebc.com.br/2012/10/tse-declara-fernando-assef-prefeito-eleito-de-boa-viagem-no-ceara. Acesso no dia 27 de abril de 2017)

Mesmo derrotada nas urnas, nos anos que se seguiram, recorreu em todas as instâncias cabíveis da justiça com recursos para modificar essa decisão, fato que rotineiramente gerava acaloradas discussões nas emissoras de rádio que lhe davam apoio.

“Nessa gestão, o Município de Boa Viagem atravessou longos e duros anos de seca, e o seu governo foi muito atacado pela oposição nas emissoras de rádio local, principalmente pela Rádio Liberdade e a Rádio Esperança, um veículo de comunicação que tem ligações com a Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem, mas não se diferenciava das outras emissoras seculares na busca desesperada de um contrato de publicidade, desviando-se precipuamente do objetivo de sua concessão, que era o evangelismo. Essa oposição, que era encabeçada por Aline Cavalcante Vieira e os seus aliados, entre eles o presidente da Rádio Esperança, contrataram diversos profissionais de rádio para difamar o seu mandato. O curioso dessa atitude é que alguns desses radialistas não eram de confissão protestante e utilizavam publicamente de uma linguagem imprópria para um veículo de comunicação que era mantido com recursos eclesiásticos, fato que gerou relativo descontentamento dentro da comunidade protestante existente dentro do Município. Ao fim desse mandato, quando o nosso país enfrentava uma grave crise de recessão econômica e problemas políticos externos, que culminaram no impeachment da Presidente Dilma Vana Rousseff, o grupo de oposição ao seu governo, todos os meses, no dia 22, fazia uma reunião em que injetava uma injeção de ódio em seus militantes.” (SILVA JÚNIOR: Fernando Antônio Vieira Assef. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/fernando-antonio-vieira-assef/, Acesso no dia 5 de abril de 2018)

Mais tarde, quando esse processo chegou ao TSE, o Tribunal Superior Eleitoral, chegou a protocolar uma grave denúncia contra um dos ministros do STF, o Supremo Tribunal Federal, algo que não obteve êxito, embora tenha servido para manter unido alguns dos seus principais correligionários.

“Já que está tão preocupado com ‘possíveis ilícitos’, o Ministro Gilmar Mendes poderia aproveitar para explicar melhor a denúncia feita ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre o favorecimento dos seus familiares no Tribunal Superior Eleitoral. Ela foi apresentada em 16 de junho passado, mas até agora não mereceu as devidas explicações do ministro nem teve maior repercussão na mídia golpista. A autora da denúncia foi Aline Cavalcante Vieira. Segundo Luiz de Queiroz, em matéria postada no Jornal GGN, a representação lança duras acusações contra Gilmar Mendes. Vale conferir: Em 2008 Fernando Assef, o atual prefeito de Boa Viagem, interior do Ceará, foi processado e condenado por improbidade administrativa, pelo crime de apropriação indébita. Ele conseguiu uma liminar que permaneceu válida até 2012, garantindo-lhe uma segunda candidatura. A condenação e a inelegibilidade foram confirmadas pelo Tribunal de Contas e pela Câmara Municipal. O caso foi parar no TSE, o Tribunal Superior Eleitoral, e se arrastou por dois anos. Assef era filiado ao PDS e aliado do PT. No dia 14 de agosto de 2014 passou a apoiar as candidaturas de Eunício Oliveira (deputado pelo PMDB) e Tasso Jereissatti (candidato ao senado pelo PSDB). O padrinho político de Assef foi o suplente de Tasso, Chiquinho Feitosa.” (Disponível em http://nossapolitica.net/2015/09/os-familiares-de-gilmar-mendes/. Acesso no dia 19 de setembro de 2017)

Antes disso, no dia 1º de janeiro de 2013, no início do governo de seu adversário e declarado desafeto, articulou nos bastidores uma chapa encabeçada pelo nome do Vereador José Anchieta Paiva Chaves como presidente da mesa diretora para o primeiro biênio da Câmara Municipal de Vereadores, fato que gerou uma polêmica eleição e criou uma facção dentro daquela casa que foi denominada pela imprensa local de o “Grupo dos Oito”:

“Passando alguns dias, tornou-se o presidente do bloco formado pelos oito vereadores que acompanharam o seu nome [referindo-se ao Vereador José Anchieta de Paiva Chaves], sendo eles: Ademir Carneiro de Freitas, Antônio Alves Barbosa Júnior, Arnaldo Cavalcante Lima, Jessé Alves da Silva Filho, José Airto Vieira Lima, Jovino Mendes Neto e Rosana Clotilde Vieira Fernandes.” (SILVA JÚNIOR, 2016: José Anchieta Paiva Chaves. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/jose-anchieta-paiva-chaves/. Acesso em 24 de outubro de 2016)

Poucos dias depois desse acontecimento, um fato burlesco ocorreu quando o grupo de vereadores que contestou a eleição da Vereadora Maria Alzira Lima Vieira arrombou a entrada principal da Câmara de Vereadores, tendo a frente nesse episódio a Deputada Gorete Pereira como uma das principais instigadoras do ato, encerrando esse episódio com a “sessão da calçada”.

Imagem da sessão da Câmara de Vereadores que ocorreu no meio da rua.

Imagem da sessão da Câmara de Vereadores que ocorreu no meio da rua.

Depois disso, por meio das vias legais, esse grave imbróglio ético-político foi paulatinamente sendo sufocado pelos altos custos judiciais e por conta da lentidão de nossa justiça, que nunca julgou o caso, mas produziu algo de bom, pois forçou aos vereadores dessa legislatura a mudarem o regimento interno da Câmara, fazendo com que as eleições da messa diretora passassem a ser abertas.
Alguns tempo depois dessa eleição, todos os meses, religiosamente no dia 22, durante os anos que antecederam ao pleito de 2016, promoveu reuniões de pré-campanha com os seus apoiadores e na pauta das discussões, que tinham o nome de “seminários”, estava à grade de programação da Tv Justiça, onde alimentava entre os seus apoiadores o julgamento do processo que visava derrubar a liminar que mantinha o Prefeito D. Fernando Antônio Vieira Assef na prefeitura.
Nos dias desses julgamentos, os seus eleitores mais apaixonados promoviam sessões de cinema em frente de suas casas, onde disponibilizavam televisores e poltronas em suas calçadas.
Nessa época, diante do fato da Wikipédia colocar o seu nome como prefeita de Boa Viagem, os seus adversários diziam que ela era a “prefeita virtual”, governando apenas dentro das cercanias da Fazenda Jantar.
Mais tarde, nos últimos meses de 2015, juntamente com um grupo de seus correligionários, tomou a frente em uma manifestação ocorrida na Câmara de Vereadores que tinha por objetivo pressionar ao Governo Municipal a promover um concurso público, onde incitou aos presentes a promoverem baderna.

Imagem da ocasião em que ocorreu uma manifestação de pressão sobre os vereadores em favor do concurso público.

Nessa época, rotineiramente, fazia de sua presença algo certo em todo tipo de manifestação, pública ou privada, pois tinha por finalidade manter reunidos os seus eleitores e deixar transparecer que era uma grande liderança, principalmente entre os mais jovens, a quem prometia colocação profissional caso fosse eleita.
Os seus apoiadores, em todos os setores da sociedade, seculares ou eclesiásticos, faziam questão em colocar o seu nome em evidência, especialmente nos eventos de colação de grau, quando era tratada como autoridade sem nunca ter sido ou ocupado um cargo público eletivo.
Antes disso, no pleito eleitoral ocorrido no dia 3 de outubro de 2014, sem o apoio financeiro de alguns dos seus simpatizantes, os seus candidatos a deputado, estadual e federal, sendo eles Fernanda Pessoa e Gorete Pereira, não tiraram uma votação expressiva no Município, o que demonstrou que sem esse suporte não conseguia transferir votos.

Imagem do material de campanha em que pedia votos para os seus candidatos.

Nesse mesmo período o Município de Boa Viagem já enfrentava uma das piores secas de sua história recente, chegando ao ponto do único reservatório da cidade, o Açude Público Prefeito José Vieira Filho, operar em seu volume morto, algo que gerou grande preocupação e despesas para o povo, que sentia no bolso a carestia pelo custo de manutenção de suas despesas básicas.

“O açude que abastece a cidade de Boa Viagem, no Sertão Central, deve ser considerado seco até a próxima semana. As torneiras só têm água a cada três dias. ‘A cada dia, o colapso se aproxima’, diz a gestora de água do Município. Do local onde, há alguns anos, já era margem do Açude Vieirão, que abastece Boa Viagem (a 221 km de Fortaleza, no Sertão Central), hoje é possível andar 100 metros, no mato e em terreno ressecado, até encontrar água. A capacidade do açude é de 20 milhões de m³, mas disso resta apenas 0,58%, e a previsão da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (COGERH) é de que, no próximo dia 15, o reservatório esteja seco, sem possibilidade de sucção. Já foram perfurados 75 poços para incrementar o abastecimento da cidade, inclusive fora da sede. Mas somente 19 tiveram vazão para serem incorporados à rede e seis estão em processo de conclusão. A cidade de Boa Viagem é a sede de Município em pior situação hídrica na região da sub-bacia do Banabuiú, resume o gerente regional da COGERH em Quixeramobim, Paulo Ferreira. ‘A nossa cidade tem uma situação das mais delicadas’, lamenta a diretora do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), Regina do Vale.” (FREIRE, 2015: Com um dos piores cenários do Estado, Boa Viagem depende de poços. Disponível em www.opovo.com.br. Acesso em 31 de agosto de 2016)

Sendo testemunha desse caos, pouco ou nada fez junto aos deputados que conseguiu eleger para amenizar os efeitos dessa carestia, nem mesmo um simples poço artesiano chegou a conseguir, o que reforçou ainda mais o quadro de forte desespero e pressão da população por água sobre a prefeitura.
Percebendo essa grande fragilidade social, promoveu uma acentuada aproximação aos proprietários dos carros-pipas existentes no Município de Boa Viagem, a quem prometeu impedir o cadastramento de pipeiros de outros Municípios nas licitações promovidas pelo Exército Brasileiro e pela Defesa Civil, algo que conscientemente sabia que não poderia cumprir.
Diante dessas promessas esses pipeiros, propositalmente, durante o período de estiagem, faziam questão de dificultar a entrega d’água nos pontos e prazos estabelecidos pelos seus superiores, causando forte irritação na população dependente desse serviço básico, que jogavam a culpa desses e outros atos nos ombros do Governo Municipal.
Pouco tempo antes disso alguns dos seus aliados, entre eles o Vereador Arnaldo Cavalcante Lima, minaram as defesas do “governo assefista” conquistando a presidência de importantes setores da sociedade, entre eles inicialmente o da Federação das Associações Comunitárias de Boa Viagem e algum tempo depois o da Câmara de Dirigentes Lojistas de Boa Viagem.
Outro grupo ao qual se aproximou foi o dos servidores públicos municipais de nível superior, que estavam insatisfeitos por conta dos oito anos de congelamento de seus salários, principalmente entre os enfermeiros e os agentes de trânsito, a quem prometeu de imediato repor as perdas salariais quando fosse eleita.

Imagem de seu material de campanha.

Mais tarde, no dia 30 de julho de 2016, depois de quatro anos fazendo uma acirrada campanha, no salão de festas da Associação Atlética Boa-viagense, o seu nome voltou a ser referendado em uma concorrida convenção partidária, tendo dessa vez como vice o nome do Vereador Ademir Carneiro de Freitas, que no pleito anterior por pouco não perdeu o seu mandato eletivo por conta de sua infidelidade partidária, quando o seu partido fez coligação com o grupo do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef.

“Foi realizada na noite deste sábado, dia 30 de julho, na sede da Associação Atlética Boa-viagense, a convenção do Partido da República (PR), que contou com apoio de 12 partidos, onde foram homologadas as candidaturas de Aline Vieira do PR a prefeita e Ademir Carneiro (PMDB) a vice-prefeito, além de vários pré-candidatos a vereadores(as). Participaram do evento o presidente estadual do PSD, Deputado Federal Domingos Neto; Patrícia Aguiar, presidente estadual do PMB; Deputado Estadual Odilon Aguiar, Deputada Federal Gorete Pereira, superintendente do INCRA, Marcos Cals e o secretário de Estado do meio ambiente e sustentabilidade Artur Bruno.” (CRISTIAN, 2016. Convenção do PR homologa candidatura de Aline Vieira e Ademir Carneiro. Disponível em http://www.fjnoticias.com.br/2016/07/convencao-do-pr-homologa-candidatura-de.html. Acesso no dia 1º de agosto de 2016)

Nessa mesma noite os fogos de artifício que foram soltos por sua convenção partidária causaram um princípio de incêndio em uma casa de construção, denominada de “Carneiro Construções”, existente nas proximidades do referido clube, fato que foi registrado por sua proprietária nas redes sociais.
No mesmo instante em que ocorria essa convenção, nas dependências da Escola de Ensino Fundamental Pe. Paulo de Almeida Medeiros, ocorreu à convenção partidária que definiu a segunda chapa do pleito, que foi formada por Rogério Vitor Campêlo e Antônio Gadelha:

“Em convenção realizada na tarde de sábado, dia 30 de julho, nas dependências da Escola de Ensino Fundamental Padre Paulo de Almeida Medeiros, no Bairro de Nossa Srª de Fátima, foram homologadas as candidaturas de Rogério Campêlo a prefeito e Antônio Gadelha a vice.” (CRISTIAN, 2016. PPL é o único partido que parte com chapa pura em Boa Viagem. Disponível em http://www.fjnoticias.com.br/2016/07/ppl-e-o-unico-partido-que-parte-com.html. Acesso no dia 1º de agosto de 2016)

Antes disso, no dia anterior a sua convenção partidária, no mesmo local, em uma convenção que foi organizada pelo PRB, o Partido Republicano Brasileiro, o nome de Adriano José da Silva, seu aliado no pleito anterior, foi homologado como o seu principal concorrente a prefeito do Município de Boa Viagem, tendo como companheiro de chapa o nome do Vereador Ezaú Fragoso da Silva, que detinham o apoio do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef.
Nessa ocasião ocorreu um acidente que por pouco não terminou em tragédia, fato que foi bastante especulado nas redes sociais:

“A convenção partidária realizada nesta sexta-feira (29), por volta das 19h, em Boa Viagem, na Associação Atlética Boa-viagense, foi marcada por um momento de grande susto para políticos e populares, onde o Partido Republicano Brasileiro (PRB), apresentava ao público seus pré-candidatos a prefeito, vice e vereadores quando o palco de alvenaria acabou literalmente caindo abrindo um buraco de aproximadamente 3 metros e derrubando o prefeito de Boa Viagem, Fernando Assef, deputados e  pré-candidatos que participavam da convenção. Apesar do susto, ninguém se feriu gravemente, resultando apenas em algumas pessoas com pequenos arranhões. No evento foram homologadas as candidaturas a prefeito e vice, de Adriano Silva (PRB) e Ezaú Fragoso (PHS).” (CRISTIAN, 2016. Convenção partidária é marcada por susto com desabamento de palco em Boa Viagem. Disponível em http://www.correiopedrabranquense.com.br/2016/07/30/em-boa-viagem-convencao-partidaria-e-marcada-por-susto-com-desabamento-de-palco/. Acesso no dia 30 de junho de 2016)

No momento do ocorrido, por coincidência, um dos repórteres da emissora de Rádio Esperança, a FM 106,1, que cobria o evento, estava na frente do palco na parte superior esquerda em uma coluna de som do evento fazendo imagens na intenção de mostrá-las ao seu grupo político.
Poucos instantes depois, propositalmente, esse registro de imagens foi exposto no youtube, sendo exibido inclusive no CETV, um programa da Rede Globo de televisão e no jornal da Rede Bandeirantes.
Um detalhe importante dessa campanha eleitoral foi o apoio recebido pelo Deputado Marcos César Cals de Oliveira, uma destacada figura do meio político cearense que possuía ligações históricas com o grupo adversário.

Imagem de alguns dos apoiadores de sua campanha.

Depois disso, outros graves incidentes ocorreram, entre eles o fato da Polícia Militar fazer treinamento de tiro dentro da propriedade de seu concorrente sem fazer qualquer tipo de aviso, algo que gerou muitas controvérsias, pois a maioria do contingente de polícia do Município de Boa Viagem abertamente lhe dava apoio, inclusive fazendo segurança pessoal.

“Em Boa Viagem, uma série de tiros chamou a atenção na zona rural do Município. A chapa apoiada pelo prefeito acusa a Polícia Militar de tentativa de intimidação. Os militares dizem que, por coincidência, houve treinamento de armas no local. Em Boa Viagem, a 216 quilômetros de Fortaleza, no interior do Ceará, uma série de tiros feitos por policiais militares gerou um grave atrito político. Os disparos ocorreram na zona rural do Município, na última quarta-feira, dia 21, no entorno da fazenda do candidato à prefeitura, Adriano Silva (PRB). A chapa diz que a ação foi tentativa de intimidação, já que os PMs  da cidade apoiam a adversária Aline Vieira (PR).”  (CGD apura tiros da PM próximo a fazenda de candidato em Boa Viagem. Disponível em www.boaviagemnoticias.com. Acesso no dia 18 de outubro de 2016)

No 10 dia de setembro de 2016, temendo acontecer o que ocorreu no último debate, mesmo tendo se comprometido em ir, estando a frente em todas as pesquisas, resolveu não comparecer ao debate entre os candidatos a prefeito promovido pela Rádio Asa Branca, que ocorreu com apenas dois candidatos.
Pouco tempo depois desses fatos, na eleição municipal ocorrida no dia 2 de outubro de 2016, depois da abertura das urnas, sem nenhuma novidade, conseguiu ser eleita com uma esmagadora maioria de votos, recebendo 19.397 votos, já o candidato Adriano José da Silva recebeu 11.383 sufrágios, enquanto Rogério Campêlo recebeu apenas 167 votos.
Alguns meses depois do pleito, no auditório do Núcleo de Artes Educação e Cultura José Assef Fares, cumprindo o que determina a lei municipal nº 1.006, de 3 de dezembro de 2008, participou da equipe de transição recebendo todos os informes necessários ao início de seu governo.
Nesse mesmo período, juntamente com os seus assessores e correligionários, recebeu com grande alegria o fato de logo poder contar com uma grande soma em dinheiro extra enviado pelo Governo Federal, somando o montante de R$ 1.738.233,89, valor que desde o início alavancaria o seu governo e ajudaria a cumprir parte do montante de suas promessas.

“Sob pressão dos Municípios, o Governo Federal antecipou para este ano o repasse de recursos arrecadados com a multa da repatriação para as prefeituras de todo o país. A medida provisória que havia sido editada na segunda-feira, dia 19, estabelecia que o montante seria disponibilizado a partir de janeiro, o que causou insatisfação em cidades com dificuldades de quitar dívidas de final de ano, como o 13º salário de servidores públicos. Para os Estados, a mesma MP previa o repasse ainda em dezembro. Para atender ao pedido dos prefeitos, o Governo Federal decidiu publicar nesta terça-feira, dia 20, edição extra do ‘Diário Oficial da União’ com norma que altera o início da liberação dos recursos para o dia 30 de dezembro, mesma data definida para o repasse da multa aos Estados. Ao todo, a União repassará mais de R$ 10 bilhões a Estados e Municípios. A liberação do dinheiro aos Estados foi acertada após negociação com os governadores, que haviam recorrido ao STF, o Supremo Tribunal Federal, para receber parte da arrecadação com a multa. Inicialmente, eles teriam de cumprir uma série de contrapartidas para ter acesso aos recursos. Com as queixas de administrações estaduais, contudo, a União aceitou repassar o montante mediante a assinatura de uma espécie de carta de compromissos.”

Fora esses valores, a Prefeitura de Boa Viagem ainda tinha em caixa os recursos para o término de duas creches, sendo elas: a Creche Proinfância Professora Maria Rosary Pereira e a Creche Proinfância Édina Vieira da Silva; O convênio para o início da construção de três unidades básicas de saúde, uma na vila de Águas Belas, outra na vila de Várzea da Ipoeira e outra na localidade de Varzantinha, bem como para o início da construção do Centro de Referência da Assistência Social Francisca Martins da Silva, localizado no Bairro Osmar Carneiro.

Imagem do dia em que ocorreu a sua diplomação.

A sua gestão, desde o início, foi cercado de muitas polêmicas, partindo da nomeação de alguns secretários e de assessores de confiança, a maioria acordos políticos, dentre eles citamos a sua mãe, a sua tia, Maria Guiomar Cavalcante França, Antônio Williams Vieira Vaz e Rosa Vieira Fernandes, que foram nomeadas para as pastas da educação, ouvidoria, saúde e políticas públicas respectivamente, que não poderiam exercer cargos públicos por conta de problemas envolvendo nepotismo e até improbidade administrativa, fato nunca questionado pelo Ministério Público ou pela Câmara de Vereadores, onde tinha grande maioria.

“A prefeita eleita de Boa Viagem, Aline Vieira, anunciou oficialmente o seu secretariado durante o encontro 22, realizado pelo partido PR, na Casa do Forró, nesta quinta-feira (22). Aline e o seu vice, Ademir, ressaltaram ao apresentar seus secretários(as), de que todos são capacitados tecnicamente para assumir as pastas as quais foram designados.” (Prefeita Aline Vieira anuncia o seu secretariado. Disponível em http://www.fjnoticias.com.br/2016/12/prefeita-aline-vieira-anuncia-seu.html. Acesso no dia 15 de julho de 2018)

Nessas nomeações, envolvendo inclusive o segundo escalão de seu governo, conseguiu aos poucos produzir muito descontentamento entre os seus principais aliados por conta do não cumprimento das promessas de campanha.
Diante disso, no intuito de reconquistar a opinião pública e mudar o foco da mídia local, em seu primeiro gesto de governo, depois do anúncio desse secretariado, cuidou de uma vingança pessoal, quando promoveu o desfile de um micro-ônibus há muito tempo danificado, de placa HYG-1118, na carroceria de um carro-guincho pelas principais ruas da cidade.

Imagem do “Carro de Ouro”, em 2009.

Esse veículo, que havia sido adquirido em 2002, na segunda gestão de seu antecessor por meio do Projeto Alvorada, desde cedo apresentou problemas mecânicos e a sua manutenção dependia do aval do Governo do Estado, que nunca o mandou recolher, fato que o deixou parado na garagem da Prefeitura de Boa Viagem por mais de 12 anos, um prato cheio para quem queria revidar o episódio do “Carro de Ouro”, um escândalo envolvendo o final do governo de seu pai, quando o Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, indignado por receber à Prefeitura de Boa Viagem totalmente sucateada, colocou o veículo que servia ao Gabinete do Prefeito, uma Mitsubishi, modelo Pajero de cor prata, de placa HXJ-4422, em exposição na Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima com uma faixa apresentando os exorbitantes valores gastos em sua manutenção na véspera do recebimento de seu mandato, R$ 67.500, 00 (sessenta e sete mil e quinhentos reais), e o pior, o motor do veículo estava batido, processo que ainda corre na justiça e pode refletir no espólio deixado por seu genitor.
Desde o início de seu governo deixou bem claro para população, especialmente para os seus aliados, que o interesse precípuo de seu governo foi deixar o seu principal desafeto inelegível para o pleito de 2020, uma intenção que foi reproduzida em diversas charges divulgadas nas redes sociais, que eram monitoradas diuturnamente pelo setor de assessoria jurídica da prefeitura.

Imagem de uma charge fazendo referência ao pleito de 2020.

Entre as ações que determinaram os primeiros dias do seu governo está o fato de ter acionado na justiça o direito de descumprir a lei nº 1.252, de 29 de setembro de 2015, que efetuou a doação de diversos lotes urbanos para pessoas carentes e foram entregues pela Secretaria do Trabalho e Assistência Social, bem como reter o pagamento dos beneficiados pelo cartão “Rende Mais”, criado pela gestão anterior por meio da lei nº 1.106, de 6 de julho de 2011.
Antes disso, diante do fato do Município de Boa Viagem ainda enfrentar um período de estiagem, desejando firmar contratos e compras sem a necessidade de licitação, decretou o Município de Boa Viagem em “estado de emergência”, algo que gerou forte desconfiança da população diante dos rumores dos altos preços dos produtos negociados nos processos de compra direta, chamando a atenção do Dr. Alan Moitinho Ferraz, promotor de justiça, e algum tempo depois do TCM, o Tribunal de Contas dos Municípios.

“O Tribunal de Contas dos Municípios do Ceará tem atualmente 102 processos contra gestões municipais que decretaram emergência administrativa e financeira em 2017. A suspeita é de que gestores utilizem os decretos para obter dispensa de licitação e cometer irregularidades. Em fevereiro, algumas cidades desistiram do decreto de emergência após saberem que seriam fiscalizados pelo TCM. Dentre as principais acusações investigadas há inexistência de registros contábeis ou de controle interno da atual gestão; irregularidades em procedimentos de dispensa de licitação; superfaturamento de despesas; descumprimento às normas do TCM relacionadas ao Portal de Licitações (atrasos, omissão de informações); inércia administrativa/omissão na adoção de medidas para normalizar a situação dita como anormal, dentre outras. Dos 102 processos, 40 foram convertidos em tomadas de contas especiais para dar sequência à apuração dos fatos apontados pelos técnicos. Os julgamentos podem resultar em multas, devolução de recursos aos cofres públicos e desaprovação de contas. A força-tarefa realizou 49 fiscalizações presenciais, entre 16 de janeiro e 21 de abril, e 53 à distância, via solicitação de documentos. Foram priorizadas visitas a municípios não percorridos na operação especial anterior, realizada após as eleições de 2016. O início da operação ocorreu quando o tribunal constatou situações em que prefeitos, ao iniciarem seus mandatos, alegaram ter encontrado desorganização administrativa e serviços essenciais paralisados – como coleta de lixo, transportes, oferta de insumos para a área da saúde, dentre outros. Para resolver a situação, decretou-se situação de emergência e calamidade pública, que permite ao gestor público contratar sem licitação, na forma do art. 24, IV da Lei de Licitações. (TCM tem 102 processos contra prefeituras que decretaram emergência no Ceará. Disponível em http://www.sertnews.com.br/artigo/tcm-tem-102-processos-contra-prefeituras-que-decretaram-emergencia-no-ceara20170805124234.html. Acesso no dia 22 de julho de 2018)

Mais tarde, no segundo semestre de 2018, depois do exame dos técnicos do tribunal,  veio a público o resultado dessa inspeção, onde foram constatadas diversas irregularidades na execução desse decreto, infringindo os princípios de transparência, legalidade e eficiência nas contratações.
Esse relatório destacou ainda que, em virtude do estoque existente no almoxarifado, não havia a necessidade da contratação e compra de alguns produtos, a empresa de transporte contratada, que serviria à saúde e à educação, não possuía os veículos locados e houve claro direcionamento para favorecer as empresas vencedoras.
Antes disso, ainda movida pelo sentimento de revanchismo político e sem poder cumprir com a sua promessa de promover as festividades carnavalescas que tanto prometeu, por conta de uma recomendação do Ministério Público referente ao decreto de emergência que ela mesmo promulgou, culpou ao Vereador Adelmo Rodrigues de Freitas de protocolar denúncias contra o seu governo e de seu desejo em promover uma festa carnavalesca em Boa Viagem, que enfrentava uma seca.
Seguindo a esse fato foram produzidas varias outras polêmicas, a primeira delas contra o vereador supracitado, um antigo e declarado desafeto pessoal de sua família, quando foi forçada em abrir mão de seu intento e a contra gosto assinar a lei nº 1.312, de 23 de março de 2017, lei que alterou o artigo 90 da Regime Jurídico dos Servidores Públicos do Município.

“Nos primeiros meses de sua segunda legislatura, fazendo parte do bloco de oposição ao governo da Prefeita Aline Cavalcante Vieira, sem nenhuma justificativa aparente, foi transferido do exercício de sua função de Coordenador Pedagógico da Escola de Ensino Fundamental Pe. Antônio Correia de Sá para uma escola distante 22 quilômetros da cidade de Boa Viagem, atitude que ficou caracterizada como assédio moral, pois visava prejudicar o seu mandato e o forçar a perder os seus direitos trabalhistas, pois ainda se encontrava no estágio probatório. Diante desse fato, recorrendo ao ministério público, ganhou na justiça o direito de retornar para o seu posto de trabalho de origem, imprimindo uma fragorosa derrota para gestora.” (SILVA JÚNIOR. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/adelmo-rodrigues-de-freitas/Acesso no dia 6 de abril de 2018)

No início do mês seguinte, no dia 3 de abril, por meio da lei nº 1.313, dispondo sobre a estrutura organizacional de sua gestão e no intuito de acomodar alguns de seus apoiadores criou 345 cargos comissionados, algo que causou forte desanimo entre os funcionários efetivos que lhe apoiaram e já tinham os seus salários congelados há vários anos.
Nesse mesmo período, depois de recorrer na j
ustiça e contando com a omissão da mesa diretora da Câmara de Vereadores, formada por seus aliados, conseguiu na justiça derrubar os efeitos da lei nº 1.301, do dia 21 de setembro de 2016, que anulou os efeitos da lei nº 822, do dia 30 de dezembro de 2002, que implantou a taxa de iluminação pública.

“A taxa de iluminação pública, que era cobrada junto a fatura de energia elétrica das residências em Boa Viagem, deverá voltar a ser cobrada novamente após quase um ano depois de seu fim, quando foi aprovada pela Câmara Municipal de Boa Viagem no ano de 2016. O projeto de iniciativa popular conseguiu recolher milhares de assinaturas para extinguir a taxa, sendo idealizada pelo ex-vereador e professor Francisco Jonas Vieira. De acordo com informações do parlamentar Adelmo Rodrigues, em sua rede social, a Prefeitura de Boa Viagem recorreu à justiça a a decisão que exinguiu a cobrança… comenta que cobrará um posicionamento da mesa diretora do legislativo acerca do assunto, e repudia a ação da Prefeitura de Boa Viagem que segundo ele, contraria e afronta o julgamento do STF, que propositalmente mudou de taxa de iluminação pública para contribuição de iluminação pública, onde fica a critério do cidadão pagar ou não a referida contribuição. Em contato com a Prefeitura de Boa Viagem, ninguém se manifestou sobre o caso.” (Taxa de Iluminação Pública deverá voltar a ser cobrada pela prefeitura em Boa Viagem. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/taxa-de-iluminacao-publica-devera-voltar-a-ser-cobrada-pela-prefeitura-em-boa-viagem20170619105057.html. Acesso no dia 18 de julho de 2018)

Sobre a iluminação pública, tentando ganhar simpatia popular pelo projeto oneroso ao bolso do cidadão, sem um planejamento racional de troca, autorizou a empresa contratada a retirar as lâmpadas que estavam em perfeito estado de funcionamento e deixou vários pontos da cidade na escuridão, uma reclamação constante nas emissoras de rádio.

“Quem trafegar pelas ruas 26 de Junho, Francisco Rosiêr Uchôu Araújo e Basílio Vieira Carneiro irá perceber que a iluminação dos postes das referidas ruas mudou, isso porque começaram a ser instaladas novas luminárias do tipo LED, projeto da Prefeitura de Boa Viagem que foi denominado de ‘Ilumina Boa Viagem’. As novas lâmpadas tem uma tonalidade diferente, ao invés das tradicionais core amarela. Segundo a Secretaria de Infraestrutura serão instaladas de início 700 lâmpadas, tendo o Centro da cidade como prioridade. Nas redes sociais a iniciativa dividiu opiniões, pois a nova iluminação diminuiu o campo de visão dos locais onde foram instalados, não sendo percebida uma diferença significativa, alguns internautas arriscam dizer que a rua ou o local teve uma queda de quase 50% de luminosidade.” (Nova iluminação em Boa Viagem divide opiniões. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/nova-iluminacao-em-boa-viagem-divide-opinioes-de-populares20170706110620.html. Acesso no dia 18 de julho de 2018)

Sobre esse assunto, depois do retorno dessa taxa, a população passou a perceber o descaso existente da Prefeitura de Boa Viagem com a iluminação pública, que nunca apresentou algo para geração de economia.
Pouco tempo depois, cumprindo uma velha promessa de campanha, por meio de um decreto, anulou os atos da lei nº 1.282, de 22 de março de 2016, que ampliava definitivamente a carga horária de 158 professores da rede municipal, algo que lhe causou seguidas derrotas na justiça no curso de sua gestão.

Imagem de uma das faixas que foram retiradas por ordem de um de seus assessores.

No início desse imbróglio ocorreu uma atitude de profunda truculência quando um de seus assessores, que trabalhava na Secretaria da Infraestrutura, propositalmente mandou retirar três faixas colocadas pelo Sindicato dos Professores que reclamavam em favor do cumprimento de seus direitos.
Depois desse fato, um boletim de ocorrência foi registrado com o número 423-263/2017 pelos professores Marcos Roberto Rodrigues Chagas e Alexandre Rodrigues Ramos.

“Compareceu a esta delegacia a pessoa supra qualificada para informar que foram furtadas três faixas de cunho reivindicatório dos professores do Município. Que a pessoa conhecida por ‘Galego’ procurou o noticiante para dizer que o mesmo havia retirado as faixas porque uma pessoa a qual não quis declinar o nome o pagou para retirar as faixas alegando que as mesmas foram colocadas de forma ilegal e que inclusive a polícia havia autorizado essa retirada. Que as faixas foram recuperadas e que os professores irão continuar expondo as suas reivindicações, pois as consideram educativas.”

Ainda nessa época, por conta de sua impopularidade, a emissora de Rádio Asa Branca expunha muitas falhas de sua gestão e certo dia, na Garagem da Prefeitura, existindo um rádio ligado na frequência da referida emissora, esse mesmo assessor arremessou esse pequeno rádio no chão, virando chacota entre os funcionários da Secretaria da Infraestrutura.
Pouco tempo depois desse registro policial, sem dar nenhuma importância ao caso e efetuar uma investigação, passou despercebido para população que o rapaz que retirou essas faixas foi inexplicavelmente assassinado.

Imagem da charge fazendo referência ao “presente” dado pela sua gestão aos professores beneficiados pela lei de  ampliação.

No dia 6 de julho, por meio da lei nº 1.326, finalmente ocorreu algo que foi muito esperado pelos funcionários efetivos de nível superior, que andavam aflitos pelo não cumprimento da lei nº 1.295, do dia 16 de junho de 2016, que estabelecia como data base para os seus reajustes o dia 31 de março, todavia essa expectativa tornou-se em grande decepção por conta do pífio reajuste salarial de 6,47%, quando já detinham perdas acumuladas de mais de 55%.
Nessa lei, utilizando de profunda malícia, usou o artifício de em um dos artigos esconder o seu real propósito, que era revogar os efeitos da lei nº 1.197, do dia 11 de abril de 2014, que padronizava os uniformes escolares da rede municipal.
Meses depois, quando descoberto o seu real intento, os vereadores da oposição ficaram indignados pelo fato de em uma mesma lei, de forma ardilosa, serem tratadas duas matérias diversas não enunciadas na epigrafe da lei, algo que nunca havia ocorrido.
Diante desse e outros fatos o Vereador Jovino Mendes Neto, que foi um importante aliado em suas duas campanhas de eleição, estando decepcionado com os desajustes de seu governo, passou a compor o bloco de oposição, chegando a afirmar em uma entrevista algum tempo depois que “fazia parte dos 19.000 arrependidos”.

“Uma entrevista do vereador a emissora de rádio local – Asa Branca AM, acabou pegando muitos de surpresa, porém alguns já especulavam a sua saída. O vereador que legisla há mais de 20 anos, e hoje é um dos vereadores mais respeitados em Boa Viagem por manter uma postura ‘imparcial’. Segundo Jovino, a sua exclusão do grupo de situação se deu por conta das duras críticas que o mesmo vinha fazendo durante os seis primeiros meses de mandato, ainda de acordo com o parlamentar, ele tentou entrar em contato com a Prefeita Aline Vieira (PR) por diversas vezes para apaziguar o clima de estranheza, porém, não havia sido bem recebido, chegando a ficar mais de 4 horas esperando para ser atendido. Apesar de sua saída, ele não se declara membro de grupos oposicionistas, diz se manter do lado do povo, projetos que forem enviados à Câmara Municipal serão apreciados pelo parlamentar, se for de acordo com a lei, e não prejudicar os munícipes, poderá contar com seu voto. Este é o primeiro rompimento político do ano.” (Declarações do vereador seriam de que havia sido “expulso” do grupo de situação. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/vereador-jovino-mendes-rompe-alianca-com-prefeita-de-boa-viagem20170823095824.html. Acesso no dia 23 de agosto de 2017)

Nos meses que se seguiram a sua base aliada foi desfalcada de mais um edil, quando a Vereadora Ivonete Leitão Facundo, que teve ao seu lado o importante apoio do Dr. Agripino Rodrigues Gomes Magalhães, estando muito insatisfeita com os rumos de seu governo, também passou a compor o bloco de oposição.
Nessa época, por conta de uma norma interna implantada em seu gabinete, que estabelecia um número reduzido de pessoas a serem atendidas, muitos de seus aliados estranharam que na campanha não sentiam essa dificuldade, pois era uma pessoa muito acessível.

Imagem da charge publicada nas redes sociais representando a execução dessa norma.

Ainda nos primeiros meses de seu governo, por conta das graves falhas em sua administração de pessoal, ocorreram vários roubos nos edifícios públicos, entre eles citamos os aparelhos de transmissão de tv de aberta, que são de enorme serventia para os mais carentes, como também de alguns prédios públicos, na maioria deles escolas.

“Mais uma escola vira alvo de ladrões por falta de vigilância escolar, dessa vez a Escola de Ensino Fundamental Francisco José Vieira, no Bairro Padre Paulo, próximo ao Parque de Exposições e Eventos. O caso ocorreu no sábado (31 de março), durante o dia e segundo o Núcleo Gestor, foram levados parte da merenda escolar, um isqueiro e uma faca da cantina, que pelas características do roubo tudo indica que apenas uma passou agiu. A Policia Militar foi informada e a diretora da escola prestou queixa, protocolando um boletim de ocorrência. Até o fechamento desta matéria não foi obtido informações sobre a prisão de algum suspeito. A Secretaria de Educação foi informada e providenciará um vigilante para o local.” (Sem vigia, escola em Boa Viagem tem faca, isqueiro e parte da merenda roubada. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/sem-vigia-escola-em-boa-viagem-tem-faca-isqueiro-e-parte-da-merenda-roubada20180403233505.html. Acesso no dia 4 de abril de 2018)

Em seu primeiro ano de gestão encaminhou alguns projetos para aprovação na Câmara de Vereadores, entre eles destacamos a reformulação de um dos artigos da lei nº 414, de 14 de dezembro de 1984, que trata do sacrifício de animais de rua, não apresentando a forma de apreensão, manejo, adoção e sacrifício desses animais, principalmente cães e gatos, algo que gerou grande repercussão na sociedade, sendo inclusive acionado pelo bloco de oposição e Ministério Público a presença de representantes de sociedades de defesa dos animais, que lamentavelmente sequer foram ouvidos pelos vereadores de sua base aliada.

“Uma nova polêmica volta a dividir opiniões de moradores da pacata cidade, uma lei que recolhe animais de ruas para um abrigo, para evitar acidentes nas ruas e danos ao patrimônio publico. Durante a sessão ordinária realizada nesta terça-feira, dia 19, uma intensa discussão entre vereadores da base de oposição foi registrada pelo publico presente, vereadores estiveram hoje votando o projeto de lei nº 032/2017, que altera a redação da lei nº 414 de 1984, na qual institui o código de postura do Município de Boa Viagem. De acordo com o parlamentar Adelmo Rodrigues – principal figura de oposição, o projeto de lei põe em risco a criação de animais como cachorros e gatos, o parlamentar questionou os demais vereadores os motivos pelos quais a prefeitura irá sacrificar animais que forem apreendidos, sendo respondido logo em seguida pelo vereador Arnaldo Cavalcante que leu o parágrafo 3 do artigo 1, que diz que o animal cuja apreensão seja impossível e perigosa ou o seu comportamento possa oferecer risco a saúde individual ou coletiva poderá após um atestado de um médico veterinário, ser sacrificado. Outros parlamentares de pronunciaram contra a medida, questionando valores a serem cobrados como multa pela apreensão do animal e a destinação de animais de raça. O debate ficou acalourado, porém, o projeto de lei seguiu para ser votado e acabou sendo aprovado pela maioria, com a ausência do Vereador Jardel Fernandes, o grupo de oposição encabeçado pelos vereadores Adelmo Rodrigues, Anchieta, Vera, Clícia, Jovino e Nete Facundo acabou ficando sem maioria. (Sacrifício de animais de rua vira debate polêmico na Câmara Municipal de Boa Viagem nesta terça. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/sacrificio-de-animais-de-rua-vira-debate-polemico-na-camara-municipal-de-boa-viagem-nesta-terca20170919134732.html. Acesso  no dia 8 de janeiro de 2018)

No dia 20 de setembro de 2017, depois da polêmica aprovação da lei nº 1.339, pouquíssima coisa na cidade mudou, continuando a existir a constante perambulação de rebanhos de gado, porcos, cabras e ovelhas nas principais ruas da cidade, na maioria deles revirando os tambores de lixo.

Imagem de uma das charges que fizeram referência ao sacrifício de animais.

Sobre o sacrifício de cães e gatos, mesmo depois de ter-se constatado um pequeno surto de calazar e a desconfiança de um óbito em sua decorrência, parte da população reconheceu nas redes sociais que o problema da proliferação dessa doença estava diretamente relacionada ao grande acumulo de lixo e nas falhas existentes em seu recolhimento pela prefeitura, tornando os cães em vítimas e não vilões.
Em seu governo, não atendendo ao apelo popular que pedia a criação de um local para receber animais de rua, onde seriam castrados e depois colocados para adoção, dezenas de cães foram mortos e depois sepultados na propriedade da antiga Escola Agrotécnica Dr. Janival Almeida Vieira, causando forte decepção entre os seus eleitores que não apoiavam tal atitude.
Mais tarde, nos últimos meses de 2018, um grupo de ativistas de uma Organização Não Governamental denominada de Arca do Assis realizou diversos questionamentos sobre o assunto, desafiado-a e a todos os veterinários da cidade para um debate público sobre a doença, algo que não chegou a acontecer por conta do fato da prefeitura não ter promovido uma audiência pública sobre o assunto.
Diante da ignorância das pessoas pela falta de informação e do “clima de terror” implantado pela Secretaria da Saúde, vários moradores abandonaram os seus cães, aumentando a quantidade desses animais na rua.

“Após a morte de uma boa-viagense residente no Bairro Padre Paulo, que portava a doença Leishmaniose – Calazar – transmitida pelo mosquito palha, a cidade entrou em alerta no tocante da onda de doença que se espalhou em diversos animais. O anuncio de 39 cães que tiveram que ser sacrificados acabou assustando populares que agora acham que a culpa é dos animais, em especial os de rua, o que de fato não é verídico. Nas emissoras de rádio local, populares em participação via telefone acabam ligando para reclamar do ocorrido e pedindo providências por parte do poder público para por fim nessa onda de terror que assombra não só aos próprios, como também aos donos de animais domésticos.” (Matança de cachorros revolta população boa-viagense. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/matanca-de-cachorros-revolta-populacao-boa-viagense20180726170610.html. Acesso no dia 27 de julho de 2018)

Na saúde os dois primeiros anos de seu governo foram repletos e seguidos de desastres, sendo o primeiro deles uma epidemia de chikungunya e zika que assolou a cidade e vilas, originada também por conta do grande acumulo de lixo nos terrenos baldios.

De acordo com boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa) divulgado nesta sexta-feira (7), o número de casos confirmados da doença em Boa Viagem é de 33. O Boletim ainda apresenta dados de outras doenças também transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypt como dengue e zika, o primeiro com 11 casos confirmados e zika com apenas 2 casos. Com estes dados, o Município é o segundo do grupo que é atendido pela 5ª Coordenadoria Regional da Saúde de Canindé, ficando atrás do Município sede – Canindé que só em 2017 registrou 582 casos confirmados de pessoas acometidas pela chikungunya.” (Boa Viagem é o 2º Município da região com mais casos de chikungunya. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/boa-viagem-e-o-2-municipio-da-regiao-com-mais-casos-de-chikungunya-aponta-dados-da-sesa20170708184613.html. Acesso no dia 29 de julho de 2018)

Essa epidemia ocasionou uma grande procura por atendimentos no Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima, bem como nos postos da saúde que não foram fechados em seu governo, que pouco podiam fazer por conta do baixo número de médicos e da constante falta de medicamentos.

Imagem de uma charge que foi produzida onde vemos os reflexos da falha desse setor.

Nessa época, depois da divulgação de um comunicado pela direção do hospital, os funcionários que trabalhavam no plantão foram proibidos de fazer uma refeição ao fim de seu expediente, algo que nunca havia ocorrido, decisão que gerou forte repercussão negativa entre os servidores.
Pouco tempo depois, ainda no hospital municipal, deu início a uma onda de perseguição a funcionários que estavam no fim de estágio probatório e que não deram apoio a sua candidatura, sendo eles: Mikaelle Teixeira Ramos, Dr. Gutemberg Mendes Farias Filho e Dr. Ajalon Noronha Mota.
Ao fim da apuração desses processos administrativos, que nada de efetivo conseguiu produzir contra esses servidores, ficou bem claro para sociedade e Ministério Público que houve crime de assédio moral movido com o único interesse de lhes tirar a investidura do cargo.
Nos dois primeiros anos de seu governo, diante do fato de existir essa coação contra alguns médicos e das más condições físicas do centro cirúrgico, grande parte das gestantes da cidade, na maioria delas pessoas de baixa renda, foram obrigadas a dar a luz no Hospital São Francisco, na cidade de Canindé, onde passavam por algumas privações.
Sobre esse assunto, outra grande falha nesse setor de sua gestão esteve relacionado a não ter conseguido colocar em funcionamento a Unidade de Pronto Atendimento Dr. Émerson Gustavo Almeida Silva, que poderia diminuir o fluxo do hospital.

“A Unidade de Pronto Atendimento – UPA foi inaugurada no ano 2015, de la pra cá populares que até então aguardavam ansiosamente o funcionamento da obra que custou aos cofres públicos R$ 1,5 milhões, e continua parada no tempo. O Portal de notícias BOL – Brasil Online, publicou uma matéria especial sobre as Unidades de Pronto Atendimento espalhadas pelo País que estão sem funcionar, onde o Município de Boa Viagem foi um dos destaques. Em contato com o grupo Bandeirantes, o Portal Sert News obteve a informação de que em breve a emissora enviará uma equipe de reportagem para tratar sobre o assunto na cidade de Boa Viagem e vários Municípios do Ceará.” (Disponível em http://www.sertnews.com.br/noticia/216/upa-sem-funcionar-em-boa-viagem-destaque-na-mdia-nacional-. Acesso no dia 25 de agosto de 2018)

Para vergonha dos munícipes, em seu governo, esse local chegou a ser utilizado como curral, algo constantemente noticiado pelos portais de notícia e emissoras de rádio locais.

Imagem de uma charge demonstrando o estado de algumas ruas.

Durante o seu governo uma das reclamações mais constantes foi a falta de manutenção das estradas municipais, que são denominadas pela sigla BV’s, bem como do pavimento das ruas da cidade, que é feito em sua maioria por pedra tosca.

“Um vídeo que circula nas redes sociais tem chamado a atenção de quem o assiste. Moradores da localidade de Várzea da Pedra, na zona rural de Boa Viagem, decidiram por conta própria reparar uma estrada carroçável na comunidade. No vídeo publicado em uma pagina denominada de ‘A Voz de Boa Viagem’ é possível ouvir um dos moradores reclamar da falta de manutenção da estrada que da acesso as escolas, ‘Nem a estrada para carregar os alunos ela ajeita’ – faz menção à prefeita de Boa Viagem, Aline Vieira, exaltando no final ‘E é porque eu votei nela, tirou mais de 8 mil votos de lambuja’.” (Cansados de esperar, moradores reparam por conta própria estrada da zona rural de Boa Viagem. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/cansados-de-esperar-moradores-reparam-por-conta-propria-estrada-na-zona-rural-de-boa-viagem20170615155529.html. acesso no dia 27 de julho de 2018)

Mais tarde, na noite do dia 28 de julho de 2018, na Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, onde se encontra o Paço Municipal, mesmo consciente de que os moradores da cidade enfrentavam uma grave crise hídrica, em um gesto de ostentação que fortaleceu ainda mais o desgaste de seu governo, abriu margem para crítica popular onde passou a imagem de que fazia da máquina pública um equipamento para servir aos interesses de seus parentes, desprezando o resto da sociedade que a elegeu.

Neste sábado (28) um verdadeiro show pirotécnico foi registrado no Centro da cidade de Boa Viagem, no Sertão Central do Ceará. Curiosos procuraram a equipe do Portal Sert News para se informarem sobre o ocorrido que tratava-se apenas de uma festa de família que foi realizada no paço da Prefeitura Municipal de Boa Viagem. O evento, denominado 1º encontro da Família Amaro, reuniu dezenas de familiares, incluindo a Prefeita Aline Vieira (PR), a cerimonia foi realizada no início da noite desta data e foi encerrada com um show de fogos e artifícios que acabou chamando a atenção de quem viu e ouviu. Na internet, populares reclamaram de que o fato acabou paralisando a missa por alguns instantes, que estava sendo celebrada na Igreja Matriz e pode também ser ouvido no hospital municipal em horário de visita.” (Prefeita comemora festa de família em praça pública com direito a show pirotécnico. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/prefeita-comemora-festa-de-familia-em-praca-publica-com-direito-a-show-pirotecnico20180728220746.html. Acesso no dia 29 de julho de 2018)

Pouco tempo depois, no dia 31 de julho, estando com o seu nome muito desgastado, e sem uma melhor alternativa a seguir, resolveu aderir ao nome do Governador Camilo Sobreira de Santana ao Governo do Estado, que também tinha o apoio de seu principal desafeto, o Dr. Fernando Antônio Vieira Assef.
Antes dessa decisão demonstrou por diversas vezes que a sua relação com o governador não eram boas, mesmo quando o Município recebia benefícios do Governo do Estado como a implantação do RAIO, o Batalhão de Rondas Intensivas e Ostensivas; A colocação de câmeras para vídeo-monitoramento; a construção da Praça da Infância; A construção de um galpão para instalação de uma fábrica; A construção de uma arena esportiva; A construção de uma creche e a promessa de compra dos equipamentos para Unidade de Pronto Atendimento Dr. Émerson Gustavo Almeida Silva.

Imagem de uma charge demonstrando o estado de insatisfação popular por conta da adutora.

Esse relacionamento se tornou “azedo” depois da notícia de que o Município perdeu a verba para construção de uma adutora, que foi dada pelo próprio governador em sua live no facebook e que, a “pedido do Dr. Fernando Antônio Vieira Assef e da população do Município”, o Governo do Estado faria a construção dessa obra com dinheiro de seus próprio cofre.

A prefeita de Boa Viagem, Aline Vieira, conseguiu o que parecia impossível: perder R$ 20 milhões do Governo Federal. Esse dinheiro seira gasto na construção de uma adutora. O equipamento traria água do açude Umari, em Madalena, para a sede do Município, que sofre com a crise hídrica. Aline, por displicência, incapacidade de gestão ou, simplesmente, falta de vontade, não organizou a papelada correta para que o dinheiro fosse repassado a Boa Viagem. E olhe que ela fez uma confusão danada com o Governo Federal para que fosse a Prefeitura a responsável pela obra. Depois que moveu céus e terras, conseguiu ficar à frente do empreendimento, mas não se disciplinou para o mais simples, reunir os documentos necessários do consórcio Boa Viagem-Madalena. O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) chegou a empenhar os R$ 20 milhões, mas não selou convênio e não repassou o dinheiro, porque Aline não cumpriu com o acordado. Na internet, a prefeita tentou se justificar dizendo que ‘desde janeiro de 2017 não tenho medido esforços para conseguir garantir água à população da Sede e da Zona Rural’. Só não conseguiu o mais fácil, a documentação. Ela ainda lamentou que está sofrendo ‘muitas agressões verbais, ataques virulentos e hostilidades inexplicáveis’. Com auxílio do presidente do Senado, Eunício Oliveira, e da bancada cearense na Câmara, os R$ 20 milhões foram conseguidos para que Aline construísse a adutora e resolvesse o problema da falta d’água no Município. Aline, mesmo com o dinheiro empenhado, não se empenhou para que o dinheiro chegasse a Boa Viagem.” (Prefeita de Boa Viagem perde 20 milhões para construção de adutora no Município. Disponível em http://cearanews7.com/prefeita-de-boa-viagem-perde-r-20-milhoes-para-construcao-de-adutora-no-municipio/. Acesso no dia 1º de agosto de 2018)

No fim do primeiro semestre de seu segundo ano de mandato, diante do fato de ter conseguido grande impopularidade, a sua assessoria buscou conseguir votos em uma campanha nas redes sociais, onde eram pedidos votos para escolha dos melhores gestores do Estado do Ceará, algo que não obteve êxito.

Imagem do banner na internet pedindo votos.

Mais tarde, com o ego ferido, foi indicada a receber essa premiação, quando foi descoberto o ardil e publicado em todo país através de uma matéria exibida pelo Fantástico no dia 5 de agosto de 2018.

“Um jumento como um dos cem melhores prefeitos do Brasil? Para ser eleito, precioso não baixou decreto nem cortou pastos; ele só teve que pagar a uma das empresas que vendem diplomas de melhor gestor para prefeitos, vereadores e secretários municipais. Para mostrar a falta de critérios na hora de conceder esse tipo de premiação, a reportagem conseguiu negociar a compra de um diploma para um jumento – o jumento Precioso. Para mostrar como a UDB vende prêmios, o repórter da RBS TV mandou uma mensagem para o celular da empresa. O Portal Sert News consultou o site da empresa mencionada na reportagem e baixou a lista completa dos prefeitos do Ceará que segundo a empresa seriam os melhores do ano. Veja abaixo: Pref. Roberto Cláudio Rodrigues Bezerra (Fortaleza)… Pref. Aline Cavalcante Vieira (Boa Viagem)…” (Boa Viagem na lista da empresa que vende diplomas e jumento é tido como o melhor prefeito do Brasil. Disponível em http://www.sertnews.com.br/noticia/74/boa-viagem-na-lista-empresa-vende-diploma-e-jumento-tido-como-melhor-prefeito-do-brasil. Acesso no dia 6 de agosto de 2018)

No dia 25 de agosto de 2018, em uma entrevista concedida na Rádio Liberdade, divulgando as ações de seu governo, muitas delas inexistentes ou inacabadas, deixou bem claro aos ouvidos do público de que o seu governo estava voltado para arrecadação de impostos, onde relatou sobre a lei nº 1.353, de 20 de dezembro de 2017, que atualizou os valores do Código Tributário e criou novos impostos.
Antes disso, depois da aprovação dessa lei, baixou um decreto em que fechou o setor de arrecadação para o recebimento dos alvarás pela tabela antiga, pois desejava arrecadar os impostos de 2018 pela nova tabela.
Ainda nessa entrevista, quando foi perguntada sobre o reajuste do funcionalismo, teve a coragem de indagar que não reajustaria o salário dos funcionários diante do excedente de servidores.
O curioso é que nesse ano, como também no anterior, para satisfazer os seus apoiadores, muitos deles vereadores, celebrou muitos contratos temporários, deixando o funcionalismo mais um ano sem receber as perdas inflacionárias e descumprindo a lei de data base para os reajustes.
Nessa época, fazendo de tudo para impedir as ações do SINDBOA, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Boa Viagem, proibiu o repasse da taxa sindical autorizada pelos seus sócios e promoveu a divisão do funcionalismo dando voz aos sindicatos onde mantinha pelegos, entre eles a APEOC, o Sindicatos dos Professores do Estado do Ceará.

Imagem de uma charge envolvendo o problema da adutora.

“Um vídeo publicado na tarde desta quarta-feira, dia 3, na página do Facebook da Prefeita de Boa Viagem, chamou a atenção por conta dos inúmeros comentários contrários à publicação da Prefeita Aline Vieira. No vídeo, a gestora fala sobre o apoio do Governador Camilo Santana e o ‘reconhecimento’ pelas inúmeras obras e esforços da prefeitura, dentre as citadas, a adutora de engate rápido, obra construída com recursos do DNOCS após novamente ser realocado nos cofres do departamento por ter sido pressionado por populares junto à políticos incluindo a prefeita. Nos comentários, internautas falam sobre suas ações, com frases ‘Até agora não fez nada’ e questionamentos sobre os trabalhos da Prefeitura além de cobrança de pagamentos de 13º salários de funcionários públicos, mostram que a aceitação de Aline Vieira  na grande rede enfrenta dificuldades.” (Disponível em http://www.sertnews.com.br/noticia/408/prefeita-de-boa-viagem-pressionada-por-populares-aps-postar-vdeo-poltico. Acesso no dia 4 de outubro de 2018)

No dia 31 de outubro de 2018, dia do feriado municipal em comemoração a Reforma Protestante, o público evangélico, que foi um dos grandes apoiadores de sua eleição, foi desprestigiado quando o Governo Municipal deixou de promover o evento em comemoração a esse dia, algo que foi prometido repetidas vezes em palanque.
Na manhã desse mesmo dia, no Centro de Esportes José Assef Fares, em uma reunião com os representantes das agremiações de futebol amador existentes no Município de Boa Viagem que participariam do Copão, um tradicional campeonato que envolve centenas de desportistas, foram comunicados de que o Governo Municipal não patrocinaria da forma de costume o referido evento, algo que causou grande repercussão negativa na mídia local, expondo algumas das grandes feridas de seu governo, dentre elas a falta de manutenção dos equipamentos esportivos, a falta de pagamento aos árbitros, bem como o grande atraso no pagamento das premiações das equipes vencedoras, entre elas as quadrilhas juninas.
Pouco tempo depois, diante do fato de sofrerem com vários meses de atraso em seus salários, os garis entraram em greve, despertando o interesse de várias autoridades em procurarem as causas, algo que foi resolvido poucos dias depois com um pagamento misterioso, o que reforçou ainda mais a sua impopularidade.
No dia 13 de novembro de 2018, depois de visíveis irregularidades em seu governo, foi protocolada uma abertura de CPI, Comissão Parlamentar de Inquérito, junto a mesa diretora da Câmara Municipal no intuito de apurar vários delitos, sendo eles:

  1. Descumprimento da lei federal nº 11.738/2008 com o não pagamento do Piso Nacional do Magistério há alguns professores da municipalidade, bem como o não pagamento do reajuste dos vencimentos dos professores da educação básica, conforme prevista na aludida lei;
  2. Descumprimento da lei federal nº 9.394/96, no ano de 2017, mais especificamente no artigo 24, inciso I, que determina uma carga horária minima de 800 horas para o Ensino Fundamental, distribuídas por um minimo de 200 dias de efetivo trabalho escolar, excluindo o tempo reservado nos exames finais, quando houver;
  3. Irregularidades no transporte escolar com constantes atrasos nos pagamentos e outras anomalias, conforme noticiado pelo jornal Diário do Nordeste na matéria intitulada de “Descaminhos da Escola”;
  4. Apropriação indébita de recursos dos servidores públicos lotados na Secretaria Municipal da Educação e demais secretarias, que contratam empréstimos consignados junto aos bancos oficiais, tendo os respectivos valores sido descontados da remuneração destes servidores e não repassados nos termos dos convênios firmados entre a Prefeitura de Boa Viagem e as instituições bancárias;
  5. Irregularidades no Programa Novo Mais Educação, dentre os quais o atraso nos pagamentos das bolsas devidas aos mediadores e facilitadores do programa;
  6. Irregularidades no Programa Bolsa Trabalho, dentre as quais o atraso no pagamento dos bolsistas que atuam como monitores nos ônibus responsáveis pelo transporte escolar;
  7. Contratação irregular de pessoas lotadas na Secretaria Municipal da Educação e demais secretarias, sem observância do devido processo seletivo;
  8. Vícios, irregularidades e fraudes nas licitações e dispensa de licitações na Secretaria Municipal da Educação e demais secretarias, com ênfase aos fatos narrados na ACP – Ação Civil Pública de nº 913-54.2018.8.06.0051 e denúncia de nº 912.2018.8.06.0051, ajuizada pelo Ministério Público em desfavor de agentes públicos da administração municipal;
  9. Irregularidades constantes no relatório final da 4ª Inspetoria do Tribunal de Contas dos Município do Ceará em 2017, quando da inspeção neste Município;
  10. Possíveis irregularidades no IPM, o Instituto de Previdência do Município.

Esse documento foi assinado pelos seguintes vereadores: Adelmo Vieira de Freitas, Clícia Muniz de MeloEmanoel da Costa Braz, Ivonete Leitão Facundo, Jardel Linistefeson de Sousa Fernandes, José Anchieta Paiva Chaves, Jovino Mendes Neto e Vera Lúcia Cavalcante Dantas de Sousa.
Depois disso, na sessão seguinte, ocorrida no dia 20 de novembro, embora existindo uma grande expectativa por parte do povo, o presidente da mesa diretora deu ordem para o arquivamento das duas CPI’s existentes, uma contra ela e a outra contra o seu antecessor, que fora assinada pelos vereadores de seu bloco de defesa.
Nesse dia, entre as falas dos vereadores, fora revelado de suas tribunas o ardil existente que fora tramado pelo seu vice-prefeito, que de última hora desistiu em levar os votos necessários para o seu afastamento, deixando transparecer que recebeu uma gorda propina.

52 ideias sobre “Aline Cavalcante Vieira

  1. Pingback: Garagem e Oficina da Secretaria da Infraestrutura | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Ademir Carneiro de Freitas | História de Boa Viagem

  4. Pingback: Jovino Mendes Neto | História de Boa Viagem

  5. Pingback: Administração de 2017 – 2020 | História de Boa Viagem

  6. Pingback: Secretários e Assessores da Administração de 2017 – 2010 | História de Boa Viagem

  7. Pingback: Secretários e Assessores da Administração de 2005 – 2008 | História de Boa Viagem

  8. Pingback: Praça da Infância | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Gutemberg Mendes Farias Filho | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Adriano José da Silva | História de Boa Viagem

  11. Pingback: Fernando Antônio Vieira Assef | História de Boa Viagem

  12. Pingback: José Vieira Filho (Mazinho) | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Rosa Vieira Fernandes | História de Boa Viagem

  14. Pingback: Maria Dias Cavalcante Vieira | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Maria da Conceição Costa Araújo | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Antônio Sérgio Vieira Fernandes | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Arnaldo Cavalcante Lima | História de Boa Viagem

  18. Pingback: Emanoel da Costa Braz | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Érica Berenice Teixeira Batista | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Ismael Fragoso da Silva | História de Boa Viagem

  21. Pingback: Maria Alzira Lima Vieira | História de Boa Viagem

  22. Pingback: Açude Público Prefeito José Vieira Filho | História de Boa Viagem

  23. Pingback: O Bairro Oséas Facundo | História de Boa Viagem

  24. Pingback: Adelmo Rodrigues Freitas | História de Boa Viagem

  25. Pingback: Manoel Antero da Silva | História de Boa Viagem

  26. Pingback: Gervina Barbosa Gomes | História de Boa Viagem

  27. Pingback: Antônio Manoel da Silva | História de Boa Viagem

  28. Pingback: José Rodrigues Gomes | História de Boa Viagem

  29. Pingback: Júlia Alves Facundo | História de Boa Viagem

  30. Pingback: Maria do Socorro Vieira | História de Boa Viagem

  31. Pingback: Pedro Facundo Carneiro | História de Boa Viagem

  32. Pingback: Raimunda Facundo de Sales | História de Boa Viagem

  33. Pingback: Ezaú Fragoso da Silva | História de Boa Viagem

  34. Pingback: Porcina Luiza dos Santos | História de Boa Viagem

  35. Pingback: Creche Proinfância Professora Maria Rosary Pereira | História de Boa Viagem

  36. Pingback: Francisco Jonas de Oliveira Vieira | História de Boa Viagem

  37. Pingback: Creche Proinfância Édina da Silva Vieira | História de Boa Viagem

  38. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Padre Antônio Correia de Sá | História de Boa Viagem

  39. Pingback: Casa de Apoio Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto | História de Boa Viagem

  40. Pingback: Luiz Batista de Freitas | História de Boa Viagem

  41. Pingback: Unidade Básica da Saúde Drª. Ledjane Cavalcante Noronha | História de Boa Viagem

  42. Pingback: Centro de Referência da Assistência Social Deputado José Vieira Filho | História de Boa Viagem

  43. Pingback: Unidade de Pronto Atendimento Dr. Émerson Gustavo Almeida Silva | História de Boa Viagem

  44. Pingback: Mastro do Pavilhão Municipal | História de Boa Viagem

  45. Pingback: Escola de Ensino Fundamental José Ricarte de Albuquerque | História de Boa Viagem

  46. Pingback: Centro de Esportes e Multiuso Dr. Sérgio Amaro Sátiro Fernandes | História de Boa Viagem

  47. Pingback: Quadra Poliesportiva da EEF Manoel Rodrigues Paé | História de Boa Viagem

  48. Pingback: Unidade Básica da Saúde Antônio Martins de Lima – São Pedro | História de Boa Viagem

  49. Pingback: Quadra Poliesportiva Manoel Aristeu do Nascimento | História de Boa Viagem

  50. Pingback: O ESPORTE NO MUNICÍPIO DE BOA VIAGEM | História de Boa Viagem

  51. Pingback: Cozinha Comunitária Maria Cristina da Silva | História de Boa Viagem

  52. Pingback: Edson Alves da Silva | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta