Manoel Ximenes de Araújo

Manoel Ximenes de Araújo nasceu no dia 17 de maio de 1913 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Manoel Araújo Marinho e de Júlia Ximenes de Aragão.
Os seus avós paternos se chamavam Manoel Duarte de Araújo e Maria Amélia de Araújo, já os maternos eram Antônio Ximenes de Aragão e Ana Benvinda Ximenes.
Pouco tempo depois de seu nascimento, em 1914, a sua querida mãe veio a óbito deixando-lhe órfão, juntamente com os seus dois irmãos até que, no dia 21 de agosto de 1915, o seu pai contraiu um novo relacionamento conjugal, dessa vez com Maria Gabrielina Queiroz Araújo, senhora que dignamente assumiu as crianças do primeiro relacionamento de seu esposo:

“No livro B-03, existente no Cartório Geraldina, 1º Ofício, folha 13, tombo nº 4, encontra-se o registro de casamento de Manuel Araújo Marinho com Maria Gabrielina de Queiroz diante do juiz de casamentos, Severino Ernesto Tavares, tendo como escrivão Manuel Honor da Costa Mendes e as seguintes testemunhas: José Cândido de Carvalho e José Leal de Oliveira.” (SILVA JÚNIOR, 2014: Manoel Araújo Marinho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/manuel-araujo-marinho/. Acesso em 13 de janeiro de 2015)

Segundo informações existentes no livro B-08, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 80, página 52, no dia 27 de dezembro de 1931, aos dezoito anos de idade, diante do Mons. Francisco José Oliveira, contraiu matrimônio com Francisca de Sousa Terceiro, que era nascida no dia 23 de maio de 1912, sendo filha de Alfredo de Sousa Terceiro e de Maria Clotildes de Sousa Camelo.
Desse matrimônio foram gerados treze filhos, seis homens e sete mulheres, sendo eles: Alfredo Terceiro Araújo, Cosmo Terceiro Araújo, João Vianey de Araújo, Luiz Carlos de Araújo, Manoel Ximenes de Araújo Filho, Maria Eneida de Araújo, Maria Zeneida Terceiro de Araújo Costa, Maria Júlia de Araújo Santos, Maria Nereida de Araújo, Silvia Terceiro Sampaio, Maria Sineida Araújo Navarro, Maria Elisabete Terceiro de Araújo e Francisco de Assis Terceiro de Araújo.
Alguns anos mais tarde, segundo informações existentes no livro A-13, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 2.918, folha 163v, no dia 10 de maio de 1941, por ordem judicial, conseguiu a alteração de seu nome em seu registro de nascimento, que era Manoel Ximenes de Aragão.
Antes disso, acompanhou a projeção política de diversos parentes, entre eles do seu pai e dos seus tios, Luís Ximenes de Aragão e Aluísio Ximenes de Aragão, que assumiram o Poder Executivo em diversas fases de nossa história política.
Pouco tempo depois, no dia 3 de outubro de 1954, desejando entrar na vida pública por meio de uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos da UDN, a União Democrática Nacional, conseguiu ser conduzido a um mandato eletivo na sexta vaga existente no Poder Legislativo do Município de Boa Viagem.
Nessa legislatura deu total apoio ao projeto do Prefeito Delfino de Alencar Araújo para construção do Açude Público José de Alencar Araújo, na localidade de Capitão-Mor, uma represa que abasteceu a cidade de Boa Viagem por muitos anos.
No pleito eleitoral seguinte, que ocorreu no dia 3 de outubro de 1958, ainda compondo a bancada da UDN, conseguiu ser reconduzido ao exercício de um novo mandato eletivo.
Nessa legislatura, em apoio ao governo do Prefeito Dr. Gervásio de Queiroz Marinho, votou em favor da compra de um trator, que tinha o intuito de servir aos agricultores do Município; realizar convênio com o Governo Federal para fomentar o Ensino Primário; instalação de água e esgoto na cidade de Boa Viagem; criação do serviço de manutenção de estradas municipais; aprovação e modificação da nomenclatura das ruas da cidade; doação de um lote urbano para construção da sede social da Associação Atlética Boa-viagense; delimitação da zona urbana da cidade e das vilas de Domingos da Costa, Ibuaçu e Jacampari.
De acordo com as informações existentes do livro C-05, pertencente ao Cartório Geraldina, tombo nº 2.800, folha 33, veio a óbito no Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima no dia 6 de dezembro de 1994, aos 81 nos de idade, vítima de um AVC, Acidente Vascular Cerebral.
Logo após o seu óbito, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares no mausoléu da família existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto de. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  2. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. Manoel Araújo Marinho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/manuel-araujo-marinho/. Acesso em 13 de janeiro de 2015.