Luís Ximenes de Aragão

Luís Ximenes de Aragão nasceu no dia 11 de março de 1894 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Antônio Ximenes de Aragão e de Ana Benvinda Ximenes.
Os seus avós paternos se chamavam João Ximenes Aragão e Perciliana Soares Freitas, agropecuaristas da região, já os maternos eram Francisco Manoel de Almeida e Isabel Carneiro Monteiro, residentes em Riacho do Sangue, atual Jaguaretama.
Poucos meses depois do seu nascimento, em 22 de agosto, seguindo o costume da confissão religiosa de seus pais, foi batizado pelo Pe. José Antônio Cavalcante na Capela de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, na vila de Jacampari.
Foi casado com Corina Nogueira Riquet, nascida da cidade de Russas no dia 15 de abril de 1898, sendo filha de Francisco Aprígio Riquet Nogueira e de Adélia Gurgel Nogueira.
Desse matrimônio foram gerados cinco filhos, dois homens e três mulheres, sendo eles: Ernani Riquet Ximenes Aragão, Luiz Carlos Riquet Nogueira Aragão, Yeda Riquet Ximenes Aragão, Yolanda Riquet Ximenes Aragão e Yvone Riquet Aragão.
Em 1914, juntamente com a sua família, partilhou da repentina perda de sua irmã, Júlia Ximenes Aragão, que com apenas 24 anos de idade veio a óbito deixando o viúvo, Manoel Araújo Marinho, com três pequenas crianças órfãs.
Segundo as informações contidas no relatório do Recenseamento dos Estabelecimentos Rurais do Estado do Ceará, documento publicado no dia 1º de setembro de 1920 pelo Ministério da Agricultura, Comércio e Indústria, página 35, era agropecuarista e a sua propriedade era localizada em um local denominado de Poço da Pedra.
Ainda nesse ano, ingressou na vida pública do Município de Boa Viagem por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, mandato que foi encerrado em 1924.
Ao concluir o seu mandato no Poder Legislativo, concorreu as eleições municipais ao Poder Executivo, recebendo nessa ocasião o apoio da “Oligarquia Araújo” e do seu irmão, Aluísio Ximenes de Aragão, conseguindo ser o primeiro prefeito eleito do Município de Boa Viagem pelo voto direto para o exercício do mandato entre o ano de 1926 e o dia de 1° de outubro de 1928, ocasião em que substituiu o Coronel José Cândido de Carvalho.

“Em 1926, segundo informações dos mais antigos, foi eleito, na nossa primeira eleição direta para prefeito, o Sr. Luís Ximenes de Aragão.” (NASCIMENTO, 2002: p. 65)

Ao concluir o seu mandato, conseguiu deixar Manoel Araújo Marinho, seu cunhado, como seu sucessor na Prefeitura de Boa Viagem.
Mais tarde, no dia 2 de maio de 1939, estando enfermo, faleceu vítima de câncer, no Bairro de Messejana, na cidade de Fortaleza, aos 55 anos de idade.
Depois do seu falecimento o seu corpo foi trazido para sua terra natal, onde recebeu as despedidas fúnebres que são de costume, sendo sepultado por seus familiares no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

Imagem do túmulo de Antônio Ximenes de Aragão, em 2016.

BIBLIOGRAFIA:

  1. CAVALCANTE MOTA, José Aroldo. História política do Ceará. 1889-1930. 2ªed. Fortaleza: ABC, 1999.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  3. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro de batismos. 1885-1891. Livro A-05, Tombo nº 335. Página 114.
  4. VIEIRA FILHO, José. Minha História, Contada por Mim. Fortaleza: LCR, 2008.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito José Vieira Filho – o Mazinho, por meio da lei nº 459, de 21 de março de 1988, uma das ruas do Bairro Ponte Nova, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.