João Abreu Lima

joao-abreu-limaJoão Abreu Lima nasceu no dia 14 de outubro de 1911 no Município de Independência, que está localizado no Sertão de Crateús, distante 310 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo o filho primogênito de Sebastiana Abreu Lima.
Em sua adolescência, desejando conseguir meios para melhorar a sua subsistência, costumava banhar os cavalos dos abastados agropecuaristas que vinham comprar as suas provisões na cidade de Boa Viagem, local que foi escolhido por sua mãe para residirem pouco tempo depois do seu nascimento.
Chegando a sua juventude, passou a trabalhar como caixeiro-viajante da loja de tecidos que era pertencente ao Prefeito José Rangel de Araújo, que dentro de algum tempo o convidou para uma sociedade.
Alguns anos depois, quando essa sociedade comercial foi desfeita, comprou o patrimônio pertencente ao seu sócio, passando a funcionar em um dos boxes do Mercado Público Jessé Alves da Silva.
Segundo informações existentes no livro B-08, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 75, folha 174v, no dia 24 de agosto de 1936, diante do Pe. Francisco de Assis Castro Monteiro, aos 24 anos de idade, contraiu matrimônio com Maria Socorro Lima, que era nascida no dia 27 de setembro de 1920, sendo filha de Luiz de Assis Uchôa e de Amélia Lobo Uchôa.
Mais tarde, no dia 21 de setembro de 1942, conforme informações contidas no livro B-08, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 568, folha 41, confirmou os seus votos em uma cerimonia civil.
Desse matrimônio foram gerados oito filhos, seis homens e duas mulheres, sendo eles: Francisco Wertas Abreu Lima, Maria das Graças Abreu Lima, João Abreu Lima Filho, Luiz Wagner Abreu Lima, José Welington Abreu Lima, Luiz Uchôa Neto, Verônica Lima e Domingos Sávio Abreu Lima
Alguns anos depois, na eleição municipal ocorrida no dia 3 de outubro de 1950, desejando entrar na vida pública do Município de Boa Viagem por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos do PSP, o Partido Social Progressista, conseguiu ser eleito depois de receber a confiança de 184 eleitores, ficando entre os nove vereadores de maior votação desse pleito.
Nessa legislatura, inicialmente prestou apoio aos projetos que foram encaminhados pelo gabinete do Prefeito Aluísio Ximenes de Aragão, sendo eles: aprovação da compra de máquinas agrícolas, que posteriormente foram destinadas ao auxílio de pequenos agricultores; reforma e construção da área interna do Mercado Público Municipal Jessé Alves da Silva, que foi destinado à venda de carne; abertura e pavimentação em paralelepípedo de algumas ruas do Centro da cidade; serviço de abertura e manutenção de rodovias municipais; manutenção do funcionamento de 39 escolas; reforma da cadeia pública; manutenção do motor e do gerador de iluminação da cidade e de campanhas em favor da vacinação do rebanho.
Ainda nessa época, deu parecer favorável a consulta que foi encaminhada pelo Governo Federal em favor da estatização do petróleo e acompanhou de perto os trabalhos do Governo Municipal na luta contra um surto de varíola que atingiu o Município.
No pleito eleitoral seguinte, que aconteceu no dia 3 de outubro de 1954, resolveu sair da vida pública e indicou o nome do seu irmão, Antônio Tupinambá de Araújo, como seu sucessor no Poder Legislativo.

“Depois dessa legislatura, no pleito eleitoral ocorrido no dia 3 de outubro de 1954, sabendo da insatisfação de seu irmão em permanecer na vida pública, foi indicado como seu sucessor a uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores.” (SILVA JÚNIOR, 2015: Antônio Tupinambá de Araújo. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/antonio-tupinamba-de-araujo/. Acesso no dia 19 de dezembro de 2016)

Faleceu no Município de Fortaleza, aos 72 anos de idade, no dia 21 de novembro de 1983.

BIBLIOGRAFIA:

  1. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. Antônio Tupinambá de Araújo. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/antonio-tupinamba-de-araujo/. Acesso no dia 19 de dezembro de 2016.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito Benjamim Alves da Silva, através da lei nº 559, de 5 de junho de 1992, uma das ruas do Bairro Vila Holanda, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.