Jacob Angelim de Sousa

jacob-angelim-de-sousa-iJacob Angelim de Sousa nasceu no dia 12 de janeiro de 1929 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Luís Angelim de Sousa e de Quitéria Lameu de Sousa.
No dia 26 de novembro de 1952, segundo informações existentes no livro B-14, pertencente ao cartório Geraldina, 1º Ofício, folha 98v, tombo 2.108, contraiu matrimônio com Maria Alberto de Sousa, nascida no dia 9 de julho de 1932, sendo filha de Manoel Bertulino da Costa e de Maria Joana da Conceição.
Desse matrimônio foram gerados quatorze filhos, sendo eles: Maria Lucinete de Sousa, José Alberto de Sousa e Francisco Antônio Alberto de Sousa.
Era comerciante e foi uma das principais lideranças políticas da vila de Domingos da Costa.
Na eleição municipal que ocorreu no dia 15 de novembro de 1970, desejando entrar na vida pública por meio de uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos da ARENA, a Aliança Renovadora Nacional, conseguiu ser eleito ao receber a confiança de 449 eleitores, ficando entre os cinco vereadores de maior votação desse pleito.

“Visando unificar o período das eleições majoritárias e proporcionais no país, a Justiça Eleitoral, baseada na nova legislação em vigor, determinou que os candidatos, eleitos em 15 de novembro de 1970, deveriam ter um mandato mais curto de maneira que, na próxima eleição, fossem eleitos do presidente da república ao vereador no mesmo pleito.” (COSTA, 2002: p. 357)

Em uma sessão ocorrida no dia 1º de outubro de 1971, segundo informações existentes na página 44v do livro de atas da Câmara, encaminhou um requerimento à mesa diretora com o seguinte teor:

“Requerimento nº 4/7, do Vereador Jacob Angelim de Sousa, no qual solicita do senhor prefeito a construção de uma praça e a instalação de um televisor público na vila de Domingos da Costa.”

Nessa legislatura, apoiou os projetos encaminhados pelo gabinete do Prefeito Osmar de Oliveira Fontes, sendo eles: A aquisição de máquinas e equipamentos para manutenção das estradas municipais e aquisição de equipamentos para o Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima.
Na eleição municipal seguinte, que ocorreu no dia 15 de novembro de 1972, ainda compondo a bancada da ARENA, conseguiu ser reeleito depois de receber 605 votos, ficando entre os cinco vereadores de maior votação dessa disputa eleitoral.
Nessa legislatura, deu apoiou aos projetos encaminhados pelo gabinete do Prefeito Dr. Francisco Vieira Carneiro, sendo eles: A criação do plano rodoviário municipal; A construção do Centro Comunitário Dep. José Vieira Filho; A construção da Escola de Ensino de Fundamental David Vieira da Silva; A construção do Centro de Abastecimento Municipal Walkmar Brasil Santos; A reforma da Praça Vereador José Vieira de Lima; A instalação da CODAGRO, a Companhia de Desenvolvimento Agrário do Ceará, e outros.
Na disputa eleitoral do dia 15 de novembro de 1976, permanecendo na bancada da ARENA, conseguiu ser reconduzido ao exercício de um terceiro mandato no Poder Legislativo.
Nessa legislatura, que foi prorrogada por mais dois anos, dando apoio aos projetos vindos do gabinete do Prefeito Benjamim Alves da Silva, aprovou o orçamento da construção do Centro Administrativo Gov. Virgílio de Morais Fernandes Távora; A instalação do projeto sertanejo; A construção do Terminal Rodoviário Samuel Alves da Silva; A construção do Terminal Aéreo Cel. Virgílio de Morais Fernandes Távora; A construção do Açude da Massangana; A construção das muralhas do Estádio Municipal Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto e a instalação da EMATERCE, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará.
No pleito eleitoral seguinte, que ocorreu no dia 15 de novembro de 1982, dessa vez compondo a bancada do PDS, o Partido Democrático Social, com a legenda nº 1.609, desejando o seu quarto mandato, recebeu apenas 354 votos, ficando na suplência de seu partido.
Segundo informações existentes no livro C-05, pertencente ao Cartório Geraldina, folha 224v, tombo 3.565, faleceu na cidade de Boa Viagem, aos 70 anos de idade, no dia 20 de abril de 1999.
Logo após o seu falecimento o seu corpo foi levado à vila de Domingos da Costa, onde recebeu as exéquias fúnebres que são de costume, sendo depois disso conduzido pelos seus familiares ao cemitério dessa vila, onde foi sepultado.

BIBLIOGRAFIA:

  1. COSTA, João Eudes Cavalcante. Retalhos da História de Quixadá. Fortaleza: ABC Editora, 2002.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na administração do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 718, de 23 de março de 2000, uma das dependências da Câmara Municipal de Vereadores recebeu o seu nome;
  2. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 818, de 22 de dezembro de 2002, uma das ruas do Bairro Vila Holanda, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua denominação;
  3. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 1.181, de 30 de setembro de 2013, o edifício que abriga a unidade básica da saúde que está localizado na vila de Domingos da Costa recebeu a sua nomenclatura.