Francisco de Oliveira Lima

francisco-de-oliveira-limaFrancisco de Oliveira Lima nasceu no dia 2 de janeiro de 1944 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Bento Vieira de Lima e de Antônia Maria de Oliveira.
Os seus avós paternos se chamavam Quintiliano Vieira Lima e Felisbela Vieira de Freitas, já os maternos eram Theóphfilo da Costa Oliveira e Francisca Juliana da Conceição.
No dia 5 de outubro de 1967, segundo informações existentes no livro B-20 do Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 4.551, folha 119v, contraiu matrimônio com Balbina Maria Sampaio Lima, que era nascida no dia 22 de setembro de 1945, sendo filha de Cristóvam de Queiroz Sampaio com Maria Vieira Sampaio.
Desse matrimonio foram gerados dois filhos, um homem e uma mulher, sendo eles: Daniele Sampaio de Lima e Michel di Paula Sampaio Lima.
Antes disso, nos últimos anos da década de 1960, juntamente com os seus familiares, partilhou de sucessivas perdas de vários entes queridos, sendo eles: no dia 5 de setembro de 1965 foi o seu avô materno, Theóphilo da Costa Oliveira; pouco tempo depois, no dia 2 de junho de 1966, foi a vez de sua avó paterna, Felisbela Vieira de Freitas; alguns meses depois, no dia 27 de março de 1967, foi a vez de um de seus tios, José Vieira de Lima, e no dia 14 de novembro de 1968 foi a vez de seu avô paterno, Quintiliano Vieira Lima.
Durante alguns anos trabalhou em nosso Município como cartorário do Cartório Vieira, 2º Ofício:

“Nomeado escrevente substituto do 2º Ofício em 24/03/1971, entrou no exercício na mesma data. Passou a responder pelo cartório nas férias do titular em 1º/09/1981. Foi nomeado substituto em 18/09/1981. Como escrevente substituto do 2º Ofício requereu a liquidação de seu tempo de serviço em 25/01/1984.” (MACÊDO, 1991: p. 150)

Algum tempo depois passou a ser o responsável por uma cooperativa agrícola e depois foi comerciante do ramo de materiais de construção civil em um ponto comercial que era localizado na Rua Agronomando Rangel, s/nº, Centro.
No dia 28 de abril de 1974 foi a vez de lamentar o falecimento do seu pai, que na época residia no Município de Dourados, na região Sudoeste do Estado do Mato Grosso do Sul, algum tempo depois, no dia 6 de março de 1980, chegou a vez de sua tia, Cristina Vieira Lima, e no dia 12 de novembro desse mesmo ano foi a vez de seu tio Joaquim Vieira Lima, que era avô materno de sua esposa.
Em 1994, na gestão do Prefeito Antônio Argeu Nunes Vieira, assumiu a pasta da Secretaria de Planejamento no lugar de José Vieira Filho, o Mazinho, seu primo carnal.
Na eleição municipal que ocorreu no dia 3 de outubro de 1996, desejando entrar na vida pública através de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos do PL, o Partido Liberal, com a legenda nº 22.622, mesmo sem fazer campanha conseguiu receber a confiança de 3 eleitores.
No dia 7 de agosto de 1997, de forma consensual, chegou ao fim do seu relacionamento conjugal e nessa mesma época assumiu um novo relacionamento afetivo, dessa vez com Maria Selma Bezerra da Silva, que nasceu no dia 8 de maio, com quem gerou dois filhos, sendo eles: Danilo Augusto Bezerra de Lima e Camilo Bezerra de Lima.
No dia 27 de abril de 2003, em sociedade com Paulo Barbosa Lima, reabriram o Balneário Delfino de Alencar Araújo, que há muitos anos estava fechado.
Faleceu no dia 22 de setembro de 2004, aos 60 anos de idade, na cidade de Fortaleza, depois de receber um tiro de espingarda dentro de sua residência, na cidade de Boa Viagem.
Logo após o seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

BIBLIOGRAFIA:

  1. MACÊDO, Deoclécio Leite de. Notariado Cearense. História dos Cartórios Cearenses. Fortaleza: Expressão Gráfica Editora, 1991.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, através da lei nº 985, de 19 de dezembro de 2007, uma das ruas do Bairro Padre Paulo, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.