José Cândido de Carvalho Filho

Dr.-José-Cândido-de-Carvalho-FilhoJosé Cândido de Carvalho Filho nasceu no dia 13 de abril de 1924 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de José Cândido de Carvalho com Maria Emília de Carvalho.
Os seus avós paternos se chamavam Francisco Alves Madeira e Izabel Fausta de Carvalho, já os maternos eram Manoel Duarte de Araújo e Maria Emília de Araújo.
Poucos dias depois do seu nascimento, seguindo os costumes da confissão religiosa de seus pais, foi batizado pelo Mons. José Cândido de Queiroz Lima na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem.
Nessa época, por ser o filho caçula, passou a ser o centro das atenções dentro de sua família, sendo carinhosamente chamado pelas suas irmãs de “Zequinha”.
Pouco tempo depois, nos primeiros meses de 1925, o seu pai, que havia conseguido grande projeção política no Município de Boa Viagem, chegando por diversas vezes a ser o seu prefeito, desejando melhores condições médicas e escolares para os seus filhos, decidiu migrar com a sua família para cidade de Fortaleza, onde se estabeleceu comercialmente:

“Meu pai adquiriu uma casa comercial em Fortaleza, na Rua Floriano Peixoto, esquina ao lado da antiga Biblioteca Pública. Na mesma rua, na outra esquina do quarteirão, dando para a Praça do Ferreira, estavam o ‘Café Baturité’ e o ‘Café Globo’.” (CARVALHO FILHO, 2008: p. 20)

Mais tarde, quando os seus pais decidiram retornar para cidade de Boa Viagem, passou grande parde de sua infância correndo pelas ruas e brincando nas areias do Rio Boa Viagem, algo que fortaleceu os seus vínculos afetivos com muitas pessoas da cidade.

“Considerado por muitos como introvertido e sem nenhuma experiência nesse ramo comercial, não logrou exito em seu empreendimento e o seu tão sonhado desejo de morar na capital logo chegou ao fim.” (SILVA JÚNIOR, 2015: José Cândido de Carvalho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/jose-candido-de-carvalho/. Acesso no dia 4 de fevereiro de 2017)

Nessa época, residia com a sua família em um belo sobrado existente na Rua Agronomando Rangel, nº 345, esquina com a Rua José Leal de Oliveira, no Centro da cidade, onde o seu pai era comerciante e mantinha um cartório.

Comercial J. Cândido por volta de 1950.

Imagem do Comercial J. Cândido por volta de 1950.

Algum tempo depois, quando chegou a sua idade para recebe instrução escolar, foi matriculado por seus pais em uma das turmas das Escolas Reunidas de Boa Viagem, protótipo daquilo que veio a ser alguns anos mais tarde a Escola de Ensino Fundamental Padre Antônio Correia de Sá, onde foi alfabetizado.
Depois disso, nos primeiros anos da década de 1930, foi transferido para uma escola confessional existente na cidade de Canindé, onde permaneceu até os últimos meses de 1937, quando passou a morar na cidade de Fortaleza, onde estudava como aluno interno do Colégio São Luiz.
Durante os anos em que morou fora da cidade de Boa Viagem, sempre que tinha oportunidade, não perdia a chance de retornar a sua cidade natal, nos deixando preciosos relatos dessas viagens:

“Uma vez por outra, alguns marchantes retornavam à Boa Viagem no final da tarde de sexta-feira, no caminhão do Luiz Araújo ou do Tupinambá, chegando à cidade no amanhecer do sábado. Muitas vezes utilizei esse meio de transporte. O normal era a volta pelo trem da manhã de sábado até Quixeramobim, rumando a seguir para Boa Viagem, no lombo de um burro, na época de chuva; e, na estiagem, num caminhão.” (CARVALHO FILHO, 2008: p. 20)

Nos primeiros meses de 1946, depois de prestar os exames necessários ao ingresso no curso de Bacharelado em Direito, foi matriculado em um das turmas da UFBA, a Universidade Federal da Bahia, onde concluiu o curso nos últimos meses de 1950.
Nessa época, mesmo residindo distante de sua cidade natal, recebeu com alegria o sucesso de seu pai em uma nova empreitada política:

“Na eleição municipal que ocorreu no dia 7 de dezembro de 1947, depois de um tempo fora da vida pública por conta da extinção das câmaras municipais, conseguiu ser eleito para o exercício de seu quarto mandato, assumindo essa função no dia 25 de março de 1948, permanecendo nela até o dia 24 de março de 1951.” (SILVA JÚNIOR, 2015: José Cândido de Carvalho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/jose-candido-de-carvalho/. Acesso no dia 4 de fevereiro de 2017)

Pouco tempo antes disso, nos últimos meses de 1948, depois de um exame de habilitação, concluiu a sua Licenciatura em História na Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia.
É casado com Maria da Conceição Berbert Tavares de Carvalho, com quem gerou três filhos: César, Célia Márcia e José Cândido de Carvalho Júnior.
Entre os anos de 1964 e 1965, pela Faculdade de Direito da Universidade Federal da Bahia, alcançou o título de doutor em Direito Penal.
Foi eleito deputado estadual pelo Estado da Bahia em duas legislaturas. 1959 e 1966.
Foi ministro do Tribunal Federal de Recursos e do Superior Tribunal Federal de Justiça.

Imagem do Ministro José Cândido de Carvalho Filho no lançamento de um dos seus livros, em 2008.

Imagem do Min. Dr. José Cândido de Carvalho Filho no lançamento de um de seus livros, em 2008.

HOMENAGENS:

  1. Na cidade de Ilhéus, que está localizada no Estado da Bahia, uma das ruas da cidade recebeu a sua nomenclatura;
  2. Na cidade de Ilhéus, que está localizada no Estado da Bahia, o edifício do fórum recebeu a sua denominação.