José de Sousa Jales

José de Sousa JalesJosé de Sousa Jales nasceu no dia 24 de maio de 1886 no Município de Iguatu, que está localizado na região Centro-Sul do Estado do Ceará, distante 380 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Joaquim de Sousa Jales e de Raimunda Vieira de Sousa.
Infelizmente não temos informações de quando e qual o motivo dos seus pais se estabelecerem no Município de Boa Viagem.
Segundo as informações contidas no relatório de Recenseamento dos Estabelecimentos Rurais do Estado do Ceará, documento que foi publicado no dia 1º de setembro de 1920 pelo Ministério da Agricultura, Comércio e Indústria, página 35, era agropecuarista e a sua propriedade estava localizada em um local denominado de Fazenda Sorocaba.
Segundo informações existentes no livro B-04, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 19, folha 59, no dia 4 de outubro de 1919 contraiu matrimônio com Maria Senhora da Conceição, que nasceu em 1886, sendo filha de José Inácio de Sousa e de Raimunda Maria do Espírito Santo.
Desse matrimônio foram gerados onze filhos, sete homens e quatro mulheres, sendo eles: Francisco de Sousa Jales, Jacinto de Sousa Jales, João Mateus de Sousa, Joaquim de Sousa Jales, Vicente de Sousa Jales, Antônio de Sousa Jales, Raimundo de Sousa Jales, Hercília de Sousa Costa, Francisquinha de Sousa Jales, Maria de Sousa Jales e Alzira de Sousa Jales.
Embora passasse a maior parte do seu tempo na zona rural, onde estava a sua propriedade, mantinha um estabelecimento comercial de tecidos e material de construção em uma casa existente na esquina da Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, s/nº, com a Rua José Rangel de Araújo, no Centro da cidade de Boa Viagem.
No pleito eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 1950, desejando entrar na vida pública por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos do PSP, o Partido Social Progressista, apoiando ao candidato Aluízio Ximenes de Aragão, pleiteou uma das vagas do Poder Legislativo Municipal e conseguiu receber a confiança de 113 eleitores, ficando na terceira suplência de seu partido.

Imagem de sua casa na Fazenda Sorocaba, em 2018.

Alguns anos mais tarde, embora não tenha conseguido êxito em seu projeto político, deu apoio ao desejo de seu neto, Manoel Mateus Sobrinho, que trabalhava em sua casa comercial, em ingressar na vida pública:

“No pleito eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 1958, desejando entrar na vida pública por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, depois de uma acirrada campanha, foi conduzido ao exercício de um mandato eletivo no Poder Legislativo.” (SILVA JÚNIOR, 2017: Manoel Mateus Sobrinho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/manoel-mateus-sobrinho/. Acesso no dia 17 de janeiro de 2017)

Faleceu em sua propriedade, na zona rural de Boa Viagem, no dia 18 de junho de 1965, aos 79 anos de idade.
Logo após o seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares em um túmulo existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

Mausoléu de José de Sousa Jales.

Imagem da coluna tumular de José de Sousa Jales, em 2013.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, através da lei nº 139, de 12 de março de 1970, uma das ruas do Bairro Vila Azul, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura;
  2. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei n° 763, de 4 de outubro de 2001, uma escola da rede municipal recebeu a sua denominação.