Hercília de Sousa Costa

Hercília de Sousa Costa nasceu no dia 22 de setembro de 1921 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filha de José de Sousa Jales e de Maria Senhora da Conceição.
Os seus avós paternos se chamavam Joaquim de Sousa Jales e Raimunda Vieira de Sousa, já os maternos eram José Inácio de Sousa e Raimunda Maria do Espírito Santo.
Poucos dias depois, aos 23 de outubro, na Capela de Santa Ana, na vila de Várzea da Ipoeira, seguindo o costume da confissão religiosa de seus pais, recebeu o batismo pelas mãos do Mons. José Cândido de Queiroz Lima.
Na época em que nasceu o Município de Boa Viagem não dispunha de uma casa de parto, fato que obrigou aos seus pais a contar com os valiosos serviços de uma parteira na Fazenda Sorocaba, onde passou grande parte de sua infância e juventude.

“Durante muitos anos, os únicos profissionais de saúde existentes em nossa região foram às parteiras, mulheres que normalmente recebiam esse aprendizado de forma hereditária, ou seja, a filha de uma parteira acompanhava a sua mãe no atendimento às mulheres em trabalho de parto auxiliando-a de acordo com as necessidades do momento, possibilitando, assim, após algum tempo de prática, o aprendizado para continuidade do ofício.” (SILVA JÚNIOR, 2016: Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/saude/. Acesso em 25 de outubro de 2016)

Segundo informações existentes no livro B-10, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 33, folha 52v, no dia 15 de junho de 1941, diante do Mons. José Gaspar de Oliveira, contraiu matrimônio com Pedro Costa Filho, que era nascido no dia 17 de setembro de 1909, sendo filho de Pedro José da Costa e de Maria Florinda de Jesus.
Pouco tempo depois, no dia 17 de outubro, segundo informações existentes no livro B-08, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 554, folha 28v, confirmou os seus votos em uma cerimônia civil.
Desse matrimônio foram gerados oito filhos, três homens e cinco mulheres, sendo eles: Maria Costa de Assis, Maria de Sousa Costa, Maria Marilena Costa, Maria Leide Costa Fernandes, Maria de Fátima Sousa Costa, Pedro Costa Neto, César Maria Costa e José de Sousa Costa.

Imagem de Hercília de Sousa Costa e de seu esposo.

Algum tempo depois de casada passou a residir em sua propriedade, que era denominada de Fazenda Belo Horizonte, que está localizada nas proximidades da vila de Domingos da Costa.
Na eleição municipal ocorrida em 1950, juntamente com outros familiares, abraçou o projeto político de seu pai, que pleiteou por uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores.

“No pleito eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 1950, desejando entrar na vida pública por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos do PSP – o Partido Social Progressista, apoiando ao candidato Aluízio Ximenes de Aragão, pleiteou uma das vagas do Poder Legislativo Municipal e conseguiu receber a confiança de 113 eleitores, ficando na terceira suplência de seu partido.” (SILVA JÚNIOR, 2017: Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/jose-de-sousa-jales/. Acesso no dia 8 de agosto de 2018)

No pleito eleitoral seguinte deu apoio ao desejo de Manoel Mateus Sobrinho, um sobrinho, que conseguiu ingressar na vida pública.

“No pleito eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 1958, desejando entrar na vida pública por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, depois de uma acirrada campanha, foi conduzido ao exercício de um mandato eletivo no Poder Legislativo.” (SILVA JÚNIOR, 2017: Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/manoel-mateus-sobrinho/. Acesso no dia 8 de agosto de 2018)

No dia 7 de setembro de 2001, na cidade de Boa Viagem, juntamente com os seus familiares, partilhou da perda de seu estimado esposo.
Mais tarde, no dia 12 de julho de 2007, segundo informações existentes no livro C-06, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 5.008, folha 285v, faleceu na cidade de Boa Viagem aos oitenta e cinco anos.
Logo após o seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares em um túmulo existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

Imagem de seu túmulo, em 2018.

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  2. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro de batismos. 1920-1923. Livro A-15. Tombo nº 319. Folha 42v.
  3. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro de casamentos. 1939-1943. Livro B-10. Tombo nº 33. Folha 52v.
  4. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. A História da Saúde no Município de Boa Viagem. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/saude/. Acesso em 25 de outubro de 2016.
  5. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. José de Sousa Jales. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/jose-de-sousa-jales/. Acesso no dia 8 de agosto de 2018.
  6. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. Manoel Mateus Sobrinho. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/manoel-mateus-sobrinho/. Acesso no dia 8 de agosto de 2018.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito José Vieira Filho – o Mazinho, através da lei nº 985, de 19 de dezembro de 2007, uma das ruas do Bairro Osmar Carneiro recebeu a sua nomenclatura.