Raimundo Ribeiro de Sousa

Raimundo Ribeiro de Sousa nasceu no dia 5 de março de 1895 no Município de Senador Pompeu, que está localizado no Sertão do Estado do Ceará, distante 273 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Joaquim Ribeiro de Sousa e de Maria dos Anjos de Sousa.
Nos primeiros anos do século XX, não sabemos por qual motivo, passou um período residindo na cidade de Pedra Branca, que está localizado no Sertão de Senador Pompeu, quando conheceu a sua futura esposa, que era irmão de um experiente ferreiro, que se chamava Francisco Doth do Nascimento.
Algum tempo depois contraiu matrimônio com Maria Jacinta do Nascimento, que nasceu no dia 10 de março de 1904, sendo filha de Joaquim Costa Leitão e de Maria José do Nascimento.
Desse matrimônio foram gerados sete filhos, quatro homens e três mulheres, sendo eles: Francisco Ribeiro da Silva, Giseuda Ribeiro da Silva, Sebastião Ribeiro da Silva, Francié Ribeiro da Silva, Luís Ribeiro da Silva, Maria José Ribeiro de Sousa e Antônia Ribeiro da Silva.
Nessa cidade, trabalhando com o seu cunhado, aprendeu o oficio de ferreiro, até que, em 1917, desejando encontrar um local onde pudesse estabelecer a sua própria forja, resolveu se estabelecer com a sua família na cidade de Boa Viagem, onde viveu o resto de seus dias.
Ao se estabelecer em Boa Viagem, com muito sacrifício adquiriu uma pequena propriedade nas cercanias do Centro da cidade, onde dentro de pouco tempo construiu uma casa, que alguns anos depois recebeu o endereço de Rua Alberto Santos Dumont, atual Rua 26 de Junho, nº 291.
Durante muitos anos, diante da economia de Boa Viagem ser totalmente agrícola, foi um dos responsáveis pela fabricação de ferramentas como machados, chibancas, picaretas, foices, enxadas e outros.
Alguns anos mais tarde, no dia 19 de agosto de 1976, juntamente com os seus filhos, foi surpreendido pelo falecimento de sua estimada esposa.
Segundo informações existentes no livro C-03, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 1.413, folha 273, faleceu no dia 19 de fevereiro de 1985, prestes a completar 90 anos de idade.
Logo após o seus falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado no mausoléu pertencente a sua família que existe no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, n° 295, Centro.

Imagem do mausoléu da Família Doth, em 2013.

Imagem do mausoléu da Família Doth, em 2013.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, por meio da lei nº 459, de 21 de março de 1988, a rua que divide o Bairro Alto do Motor dos Bairros Alto da Queiroz e Recreio, nome urbano da Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, recebeu a sua nomenclatura.
    Nessa rua, registramos o erro cometido pelo Governo Municipal quando na placa de identificação colocou o nome de “José Ribeiro da Silva”, fato que desobedece a lei nº 414, de 12 de dezembro de 1984, que diz o seguinte:

“Art. 153 – Não será permitida a locação de anúncios ou cartazes quando:
V – Contenham incorreções;
Faça o uso de palavras em língua estrangeira, salvo aquelas que por insuficiência de nosso léxico a ele se hajam incorporado.”