Eliézio Viana de Sousa

Eliézio DothEliézio Viana de Sousa nasceu no dia 19 de novembro de 1955 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de José Viana de Sousa e de Maria José Ribeiro de Sousa.
Os seus avós paternos se chamavam Manoel Viana de Sousa e Raimunda da Cunha Ramos, já os maternos eram Raimundo Ribeiro de Sousa e Maria Jacinta Ribeiro.
Foi o segundo entre os nove filhos desse casal e desde a sua infância cresceu observando o movimento da forja e ouvindo as seguidas e compassadas batidas das marretas na  bigorna, que davam forma ao ferro em brasa viva na oficina pertencente ao seu pai, que era ferreiro.
Deu início a sua vida estudantil na Escola de Ensino Fundamental Padre Antônio Correia de Sá e, logo depois, foi matriculado em uma das turmas da Escola de 1º e 2º Graus Dom Terceiro, onde chegou a concluir apenas à 7ª série do curso ginasial.
Em sua infância, por conta de suas habilidades, destacou-se dos demais garotos de sua época como jogador de futebol e sempre era relacionado nas equipes de várzea que costumavam disputar os torneios pela zona rural do Município.
Outra competição, onde o seu nome era tido como certo, costumava acontecer nos períodos de férias escolares na quadra da Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, ou na quadra do Centro de Referência da Assistência Social Deputado José Vieira Filho, o antigo CSU, sigla que significa Centro Social Urbano.

Imagem de um torneio de futebol de salão nas férias de 1976.

Imagem de um torneio de futebol de salão nas férias de 1976.

Essa habilidade, já na juventude, o projetou a compor o elenco da Seleção de Futebol do Município de Boa Viagem que costumava disputar o torneio intermunicipal de futebol amador, que anualmente era promovido pela APCDEC, a Associação Profissional dos Cronistas Desportivos do Estado do Ceará.
Nessa época, no segundo semestre de 1983, na XVI edição do torneio, após a realização de uma brilhante campanha, a Seleção do Município de Boa Viagem conseguiu a façanha de chegar a grande final, que foi disputada no Estádio Plácido Aderaldo Castelo, o Castelão, onde lamentavelmente foi derrotada pelo placar minimo, ficando com o vice-campeonato.

“A história do Boa Viagem Esporte Clube tem início na década de 1980. Naquela época a Seleção do Município foi inscrita em uma competição Intermunicipal realizada pela Associação Profissional dos Cronistas Desportistas do Estado do Ceará, a APCDEC. Em 1983 o clube, que ainda não era profissional, chegou à final da competição, todavia não conseguiu conquistá-la, foi derrotado na final pela equipe de Itapipoca pelo placar de 1 a 0. Quatorze anos depois, em 1997, o sonhado título tornou-se realidade, o Boa Viagem venceu a equipe de Maranguape na final da competição e tornou a repetir a façanha em 1998, quando conseguiu derrotar na final o selecionado de Aracati. Com a conquista do Torneio Intermunicipal o Boa Viagem Esporte Clube garantiu o direito de disputar a Segunda Divisão do Campeonato Cearense de 2000. Diante disso, a sociedade do Município de Boa Viagem se organizou em torno do clube e, com apoio da Governo Municipal, foi fundado o Boa Viagem Esporte Clube.” (S.N.T)

Demonstrando boa técnica, habilidade e forte potencial atlético não demorou muito para ser notado pelos olheiros das equipes profissionais do Estado.
Pouco tempo depois, juntamente com outro companheiro, foi convidado a fazer um teste na peneira de um dos clubes da elite do futebol cearense, o Guarany Sportig Club, da cidade de Sobral, que imediatamente o profissionalizou e o incluiu em seu elenco.
Nessa época, por conta das dificuldades financeiras enfrentadas pelo clube, resolveu abandonar o profissionalismo e firmou contrato por duas temporadas com a Sociedade Esportiva Unidos do Petróleo, um clube do Município de Crateús, que apesar de ser amador possuía uma boa estrutura e era bastante conhecido na região.

Imagem do elenco da seleção do Município de Boa Viagem, em 1982.

Imagem do elenco da seleção do Município de Boa Viagem, em 1982.

Pouco tempo depois, não suportando a distância de sua família, resolveu abandonar a promissora carreira de atleta e novamente se estabeleceu na cidade de Boa viagem até que, no dia 8 de fevereiro de 1985, conforme o registro existente no livro B-6, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 2.549, página 150v, diante do Dr Célio Sousa Damasceno, juiz da comarca, contraiu núpcias com Antônia Pereira Viana, que nasceu no dia 19 de abril de 1966, sendo filha de Salviano Pereira da Silva e de Raimunda Pereira da Silva.
Desse matrimônio foram gerados dois filho, um homem e uma mulher, sendo eles: Wesley Pereira Viana e Débora Zaira Pereira Viana.
Na sede do Município de Boa Viagem, residia com a sua família na Rua Manoel Araújo Marinho, nº 221, no Bairro Vila Azul.
Logo após o seu casamento, precisando se identificar com alguma coisa para manter a sua família com dignidade, resolveu investir na profissão de músico, talento que desenvolveu graças aos esforços de seu irmão mais velho, Elmo Viana de Sousa.
Pouco tempo depois, juntamente com alguns dos seus irmãos, montou uma banda de música que costumava alegrar os festejos de carnaval da cidade, sendo denominada de “The Doths”.

The Doths.

Imagem do grupo The Doths.

Atuando no meio artístico se aprimorou investindo no ramo de empresário e produtor musical, criou uma banda de forró que logo caiu nas graças do povo da região, a “Banda Peso do Forró”.
Essa banda, segundo nos informa o Caderno Regional do jornal Diário do Nordeste, edição do dia 19 de novembro de 2003, foi contratada pelo Governo Municipal a participar das festividades dos 137 anos de emancipação política do Município de Boa Viagem:

“Localizado a 220 quilômetros de Fortaleza, o Município de Boa Viagem é só festa. A população está mobilizada para comemorar no próximo dia 21, os 137 anos de emancipação política do Município. A programação, elaborada pela equipe administrativa do Prefeito Fernando Assef, será festejada em grande estilo. Aberta no dia 17 passado, com alvorada cívica, as atividades alusivas a data, contaram, neste dia, com o hasteamento de bandeiras, mostra cultural, inauguração da pista de motocross, feira artesanal e show com Black Banda. Além destas atrações, o Prefeito Fernando Assef entregou parcialmente a Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima. A recuperação e construção de áreas de lazer fazem parte das ações implementadas pela administração de Fernando Assef… Hoje, dia 19, haverá mais uma edição do Projeto Cidadão, cujo objetivo é oferecer a comunidade serviços e ações, como emissão de documentos e atendimento médico-odontológico. Um culto em ação de graças, entrega de títulos de cidadãos, apresentação dos talentos da terra e shows com a Banda Peso do Forró.”

Por sua qualidade no gênero, logo disparou no sucesso popular, sendo cotada como uma das prediletas nas rádios locais, algo que chamou a atenção da emissora de Tv Diário, que o convidou a participar de um programa de grande audiência em sua grade, o “Forrobodó”, que era apresentado nessa época pelo cantor e apresentador Tony Nunes.

Imagem da capa de um dos CD’s gravados pela banda.

No dia 24 de junho de 2003, dia das festividades de São João, quando estava reunindo os componentes de sua banda para essa inédita apresentação musical, que seria em rede nacional, solicitou de um amigo, Cícero Soares do Nascimento, o empréstimo de seu veículo, um carro da montadora FIAT de cor vermelha, ano 1993.
Sem muita experiencia ao volante, acompanhado unicamente por seu filho, quando se dirigia ao Município de Quixeramobim no intuito de apanhar Ana Amélia Lopes Gomes, a vocalista da banda, ocorreu um trágico acidente na Rodovia Estadual CE-265 entre os Municípios de Madalena e Quixeramobim.
Nessa época esse trecho da rodovia ainda não havia recebido a pavimentação asfáltica e possuía muitas irregularidades em seu piso, quando em uma curva o carro perdeu a direção e caiu em uma voçoroca arremessando o seu corpo para fora do veículo.
Inexplicavelmente o veículo, que não capotou, ficou sobre o seu corpo prejudicando-lhe a respiração, deixando em desespero o seu filho, que tentou de todas as formas conseguir ajuda, mas não obteve sucesso.
A sua morte de forma repentina, prestes a completar 48 anos de idade, deixou de luto todos aqueles que o admiravam.
O seu cortejo fúnebre conseguiu reunir uma imensa legião de amigos, que o acompanharam até o túmulo de sua família existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

Imagem do mausoléu da Família Doth, em 2013.

Imagem do mausoléu da Família Doth, em 2013.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 1.145, de 21 de março de 2012, uma das ruas do Bairro Alto da Queiroz, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.

5 ideias sobre “Eliézio Viana de Sousa

  1. Pingback: Rua Eliézio Viana de Sousa | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Maria José Ribeiro de Sousa | História de Boa Viagem

  3. Pingback: NOVEMBRO | História de Boa Viagem

  4. Pingback: JUNHO | História de Boa Viagem

  5. Pingback: BIOGRAFIAS | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta