Luzia Rodrigues da Silva

Luzia Rodrigues da Silva nasceu no dia 10 de novembro de 1926 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filha de Luiz Gonzaga Rodrigues e de Delfina Alves de Sousa.
Os seus avós paternos se chamavam Bento Rodrigues Cavalcante e Maria Nunes da Silva, já os maternos eram Manoel da Costa Freire e Francisca Januária de Freitas.
Poucos dias depois do seu nascimento, no dia 13 de novembro, seguindo o costume da confissão religiosa de seus pais, foi batizada na Capela de São José, em Boa Ventura, pelas mãos do Mons. José Cândido de Queiroz Lima.
Na época em que nasceu o Município de Boa Viagem não dispunha de uma casa de parto, fato que obrigou aos seus pais a contar com os valiosos serviços de uma parteira na localidade de Boqueirão, onde passou grande parte de sua infância e juventude.

“Durante muitos anos, os únicos profissionais de saúde existentes em nossa região foram às parteiras, mulheres que normalmente recebiam esse aprendizado de forma hereditária, ou seja, a filha de uma parteira acompanhava a sua mãe no atendimento às mulheres em trabalho de parto auxiliando-a de acordo com as necessidades do momento, possibilitando, assim, após algum tempo de prática, o aprendizado para continuidade do ofício.” (SILVA JÚNIOR, 2016: A História da Saúde no Município de Boa Viagem. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/saude/. Acesso em 28 de novembro de 2017)

Algum tempo depois do seu nascimento, segundo alguns dos seus contemporâneos, em uma noite fria, os seus pais por algum motivo saíram de casa, e por descuido o seu pequeno corpo foi acometido por uma semiparalisia do lado direito, uma característica que lhe acompanhou durante toda vida.
Mais tarde, no dia 13 de janeiro de 1942, pouco tempo depois de ter completado 15 anos de idade, juntamente com os seus familiares, partilhou da dura perda de sua mãe, que foi sepultada em um túmulo existente no Cemitério das Lembranças, fato que contribuiu para que desde cedo viesse a assumir a responsabilidade de cuidar de seus oito irmãos mais jovens.
Durante toda sua vida foi muito temente a Deus, estando presente na maioria dos eventos religiosos de sua comunidade, sendo a responsável pela doação de uma propriedade onde foi construída a Capela de Santa Luzia, que hoje é de grande importância para os moradores da vila do Boqueirão.

“A padroeira do Boqueirão é Santa Luzia, em cuja honra foi erguida uma capela, em 1983. O terreno foi doado pelo Sr. Luiz Gonzaga Rodrigues, conhecido como Gonzaga Bento, que tinha uma filha chamada Luzia, que era muito religiosa. Ela comparecia em todas as missas, ajudava na conservação das igreja e era muito devota. Em reconhecimento ao seu trabalho, os moradores entraram em um acordo e escolheram Santa Luzia como padroeira da capela.” (FRANCO & CAVALCANTE VIEIRA. 2007: p. 59)

Alguns anos mais tarde, falece na casa de sua irmã caçula, no Tabuleiro Alegre, aos 86 anos de idade, no dia 24 de novembro de 2012.
Logo após ao seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares em um túmulo existente no Cemitério das Lembranças.

Imagem de seu túmulo, em 2020.

BIBLIOGRAFIA:

  1. FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.

2 ideias sobre “Luzia Rodrigues da Silva

  1. Pingback: Capela de Santa Luzia – Vila de Boqueirão | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Luiz Gonzaga Rodrigues | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta