Luiz Gonzaga Rodrigues

Luiz Gonzaga Rodrigues nasceu no dia 10 de outubro de 1899 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Bento Rodrigues Cavalcante e de Maria Nunes da Silva.
Os seus avós paternos se chamavam José Rodrigues Cavalcante e de Maria Pinto de Mesquita, já os maternos eram Manoel Nunes da Silva e de Maria Rodrigues Nunes.
Poucos dias depois do seu nascimento, no dia 25 de dezembro, seguindo os ritos da confissão religiosa de seus pais, recebeu o sacramento do batismo pelas mãos do Mons. José Cândido de Queiroz Lima.
Na época em que nasceu o Município de Boa Viagem não dispunha de uma casa de parto, fato que obrigou aos seus pais a contar com os valiosos serviços de uma parteira na localidade de Boqueirão, onde passou toda a sua existência.

“Durante muitos anos, os únicos profissionais de saúde existentes em nossa região foram às parteiras, mulheres que normalmente recebiam esse aprendizado de forma hereditária, ou seja, a filha de uma parteira acompanhava a sua mãe no atendimento às mulheres em trabalho de parto auxiliando-a de acordo com as necessidades do momento, possibilitando, assim, após algum tempo de prática, o aprendizado para continuidade do ofício.” (SILVA JÚNIOR, 2016: Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/saude/. Acesso em 28 de novembro de 2017)

Segundo informações existentes no livro B-04, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo nº 3, folha 110v, no dia 7 de janeiro de 1922, com 23 anos de idade, contraiu matrimônio civil com Delfina Alves de Sousa, que era nascida no dia 5 de dezembro de 1901, sendo filha de Manoel da Costa Freire e de Francisca Januária de Freitas.
No dia seguinte, segundo informações existentes no livro B-05, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 6, página 158, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem, confirmou os seus votos diante do Mons. José Cândido de Queiroz Lima.
Desse matrimônio foram gerados onze filhos, seis mulheres e cinco homens, sendo eles: Raimundo Rodrigues de Sousa, Geraldo Rodrigues de Sousa, Luzia Rodrigues da Silva, Luiz Rodrigues da Silva, Eduvirgens Rodrigues de Sousa, João Rodrigues da Silva, Tereza Rodrigues da Silva, Maria Rodrigues da Silva, Conceição Rodrigues Costa, Francisca Rodrigues da Silva e José Rodrigues da Silva.
Sendo agropecuarista, durante grande parte de sua vida residiu com a sua família na Rua José André da Cruz, s/nº, na vila de Boqueirão, investindo para o desenvolvimento dessa região.

Imagem da residência de Luiz Gonzaga Rodrigues, em 2010.

No dia 13 de janeiro de 1942, juntamente com os seus filhos, partilhou da dura e repentina perda de sua esposa, seguindo pouco depois da perda de seu pai, ambos sepultados no Cemitério das Lembranças.
Algum tempo depois desses fatos, no dia 21 de abril de 1945, segundo informações existentes no livro B-11, pertencente a Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 26, página 30v, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem, diante do Mons. Pedro Vitorino Dantas, contraiu matrimônio religioso com Nazira Ribeiro de Assis, que era nascida no dia 30 de setembro de 1918, sendo filha de Antônio Ribeiro Lima e de Francisca Maria de Assis.
No dia seguinte, segundo informações existentes no livro B-09, pertencente ao Cartório Geraldina, tombo nº 804, folha 65, confirmou os seus votos em uma cerimônia de matrimônio civil.
Desse novo matrimônio foram gerados cinco filhas, sendo elas: Maria Lucilde Rodrigues Cavalcante, Maria Lucimar Rodrigues Mesquita, Maria Lucilene Cavalcante, Antônia Rodrigues Cavalcante e Maria Lucileide Rodrigues Carneiro.
Alguns anos mais tarde, segundo informações existentes no livro C-03, pertencente ao Cartório Geraldina, tombo nº 947, folha 40, faleceu em sua residência, aos 83 anos de idade, no dia 13 de fevereiro de 1982.
Logo após ao seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares em um túmulo existente no Cemitério das Lembranças.

Imagem de seu túmulo, em 2020.

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  2. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro de batismos. 1898-1905. Livro A-8. Tombo nº 361. Página 32v.
  3. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro de casamentos. 1921-1922. Livro B-05. Tombo nº 6. Página 133.
  4. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro de casamentos. 1944-1947. Livro B-11. Tombo nº 26. Página 30v.
  5. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. Andarilhos do Sertão: A Chegada e a Instalação do Protestantismo em Boa Viagem. Boa Viagem, CE: Premius, 2015.
  6. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. A História da Saúde no Município de Boa Viagem. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/saude/. Acesso em 28 de novembro de 2017.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 1.287, de 30 de abril de 2016, a unidade básica de saúde da vila de Boqueirão recebeu a sua nomenclatura.