Capela de São José – Águas Belas

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

A Capela de São José está localizada na Praça Maximiano Ribeiro Francelino, s/nº, no Centro da vila de Águas Belas, a sede do Distrito de Águas Belas, distante 53 quilômetros do Centro da cidade de Boa Viagem, no Município de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem da Capela de São José, na vila de Águas Belas, em 2014.

Imagem da Capela de São José, na vila de Águas Belas, em 2014.

Essa capela está sob os cuidados da Paróquia de Nossa Senhora da Guia, pertencente à Diocese de Quixadá, celebrando às festividades de sua padroeira, seguindo o calendário litúrgico, no dia 19 de março.

“São José ou José de Nazaré ou José o Carpinteiro foi, segundo o Novo Testamento, o esposo da Virgem Maria e o pai adotivo de Jesus.”

O HISTÓRICO DE SUA CONSTRUÇÃO:

No passado, já por volta de 1894, quando recebia a visita de algum padre, algo que era muito raro, as celebrações religiosas que aconteciam nessa localidade costumavam ocorrer na residência de algum de seus moradores.

“As primeiras famílias a habitarem Águas Belas foram as de Maximiano Honorato e Benedito, todos devotos de São José, que viviam do cultivo do arroz, do feijão, da mandioca e do algodão, implantando e cumprindo um calendário religioso sempre fortalecendo a religiosidade.” (FRANCO & CAVALCANTE VIEIRA, 2007: p. 28)

A maioria dessas celebrações, que aos poucos passou a ser bastante frequentada, tinham como devoção o nome de São José, que alguns anos mais tarde foi tomado como padroeiro da localidade.

“O povoado de Águas Belas, no Município de Boa Viagem tem a sua origem no século XIX. O seu surgimento está ligado à construção da capela, consagrada a São José, em cumprimento a uma promessa. A seca impiedosa e cruel dos anos 1888, que ficou conhecida como ‘a seca dos três oitos’, obrigou a muitas famílias cearenses a saírem de seus berços de origem em busca de água e pão. Antônio Teixeira Pinto e Maximiano Ribeiro Francilim, aqui residentes, também foram obrigados a deixar a sua terra. Partiram para Baturité.” (NASCIMENTO, 1997: p. 1)

Mais tarde, em 1902, depois de alguns anos em edificação, essa capela recebeu a sua bênção em uma celebração conduzida por um religioso chamado Frei Davi, um sacerdote que provavelmente estava em missão, embora exista outra versão desse mesmo fato.

“Segundo o estudioso José Onedir Lima Sales, na antiguidade, os índios chamavam a localidade de Ipaporanga; o nome Águas Belas nasceu das devoções das famílias que procuravam água para sobreviver. Na seca dos três oitos, 1888, Antônio Francisco Teixeira migrou para Baturité. Quando chegou lá, adoeceu de varíola; por esse motivo foi rejeitado pelos coronéis da cultura do café, voltando com sua esposa Maria Isabel Teixeira para Águas Belas. Pelo agravamento da doença, Antônio Francisco Teixeira, devoto de São José, recorreu à fé, prometendo construir uma capela em homenagem ao Santo. Sendo bem sucedido, chegou a Águas Belas e dois anos depois construiu uma casa de taipa, ‘a casa de oração’, sendo a 1ª missa celebrada no dia 29 de março de 1890 pelo Padre José Antônio Cavalcante.” (FRANCO & CAVALCANTE VIEIRA, 2007: p. 28)

Tudo leva a crer que o atual templo tenha sido edificado no mesmo local dessa capela de taipa e em nossos dias ela possui 100 m², tendo 110 metros de frente por 110 metros de fundo, própria para acomodar 150 pessoas sentadas.
Algo que precisa ser mencionado é que possivelmente essa capela tenha sido erguida em algumas etapas, obedecendo as condições do povo e aos caprichos do pároco responsável.
Mais tarde, nos últimos anos da década de 1940, com a criação da Paróquia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, da cidade de Madalena, parte do território da Paróquia de Nossa da Boa Viagem passou aos cuidados dessa nova circunscrição eclesiástica, com quem permaneceu durante muitos anos.

“Em 1º de janeiro de 1947, Dom Lustosa, pelo Decreto de nº 0033, criou a Paróquia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, com território destacado principalmente de Quixeramobim mas com parte retirada também de Canindé (quando foi necessário um entendimento com o superior dos franciscanos em virtude dos direitos que assistem a essa ordem, pelo contrato que lhes entregou à freguesia da São Francisco) e outra parte de Boa Viagem. O Pe. Edmundo, primeiro vigário do lugar, ficara de chagar em 28 de abril de 1947, porque no outro dia seria a sua posse; só que era um a época muito chuvosa e ele só pôde chegar no dia 29 de abril… Em 30 de abril do mesmo ano, Pe. Raimundo Nonato Camelo (Pe. Edmundo), foi empossado pelo Pe. Clineu, de Boa Viagem e desde logo, passou a considerar a possibilidade de ergue uma nova matriz.” (Histórico sobre a fundação da Paróquia de Madalena. Disponível em http://walquimarhistoria.blogspot.com/2011/12/historico-sobre-fundacao-da-paroquia-de.html. Acesso no dia 2 de março de 2020)

Nesse tempo, já em 1951, existindo grande animação por parte de seus frequentadores, os trabalhos religiosos nessa localidade passaram a ser mais frequentes, surgindo outras manifestações em seu calendário de atividades:

“A Capela de Jacampari, enfeitada de anjos, durante o mês de maio, contagia a todos com momentos de paz e de fé. É um momento sublime: a coroação de Nossa Senhora. Esse evento, que teve início há muito tempo, mantém viva a devoção, por parte dos católicos, à mãe do salvador. Começa no mês de maio, mês de Maria. Durante esse tempo, reza-se a novena todos os dias e, nos nove últimos dias do mês, reza-se o terço, havendo a coroação da Imaculada no dia 31 de maio.” (FRANCO & CAVALCANTE VIEIRA, 2007: p. 28)

Nos últimos meses de 1990, na gestão do Prefeito Benjamim Alves da Silva, as imediações dessa capela passaram por uma valiosa urbanização depois da construção da Praça Maximiano Ribeiro Francelino e da pavimentação de suas principais ruas.

Imagem da Capela de São José nos últimos anos da década de 1970.

Nessa mesma época, reunindo às qualidades necessárias, os limites dos territórios das paróquias existentes nessa região foram reformulados para criação da Paróquia de Nossa Senhora da Guia, a quem o patrimônio dessa capela passou a pertencer.

“Alguns anos depois, no dia 16 de janeiro de 1994, finalmente a freguesia foi transformada em paróquia com a posse de seu primeiro pároco, o Pe. Raimundo Nonato de Oliveira.” (SILVA JÚNIOR, 2012: Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/paroquia-de-nossa-senhora-da-guia/. Acesso do dia 12 de setembro de 2019)

OS DIRIGENTES DA CAPELA:

Essa humilde localidade não possui condições para manter um padre residente, mas já contou com o trabalho voluntário de vários dirigentes, sendo eles:

  1. Maria Aldenir Farias Bezerra (1970 – 1999);
  2. Joel Paulino.

A ESTRUTURA FÍSICA DO TEMPLO:

Para executar bem as suas atividades a Capela de São José possui a seguinte estrutura:

  1. Sacristia: 1
  2. Santuário: 1

A PROGRAMAÇÃO:

As atividades semanais da programação da Capela de São José, na vila de Águas Belas, são as seguintes:

  • MISSAS:
  1. Toda 4ª Quinta-Feira do mês ⇒ 19h (noite).
  • CELEBRAÇÃO DA PALAVRA:
  1. Domingo ⇒ 19h (noite).
  • TERÇO DOS HOMENS:
  1. Segunda ⇒ 19h (noite).
  • TERÇO DA MÃE RAINHA:
  1. Todo dia 18 do mês ⇒ 19h (noite).

O CONTATO:

O canal de comunicação com a Capela de São José, na vila de Águas Belas, é o seguinte:

  • Telefone:
  1. 88.3427-4050 (Secretaria Paroquial).

BIBLIOGRAFIA:

  1. FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  3. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. Águas Belas. Disponível em http://www.historiadeboaviagem.com.br/aguas-belas/. Acesso no dia 27 de fevereiro de 2020.