Antônio de Assis Uchôa

Antônio de Assis Uchôa nasceu no dia 19 de janeiro de 1873 no Município de Maranguape, no Estado do Ceará, distante 27 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Agostinho de Sousa Uchôa e de Isabel Francelina de Menezes.
Tinha vários irmãos, entre eles destacamos: Raimundo Nonato Uchôa, Francisco de Assis Uchôa, Joana de Assis Uchôa, Philomena Arcelina Uchôa, Felismina Arcelina Uchôa e Margarida Francelina Uchôa.
No dia 12 de fevereiro de 1905, juntamente com os seus familiares, partilhou da notícia do falecimento de seu pai, que era natural de Maranguape e veio a óbito aos 60 anos de idade.
Segundo informações existentes no relatório do Recenseamento dos Estabelecimentos Rurais do Estado do Ceará, documento que foi publicado no dia 1º de setembro de 1920 pelo Ministério da Agricultura, Comércio e Indústria, página 35, era agropecuarista e a sua propriedade estava localizada em um local que ainda hoje é denominado de Tibiquari.
Desenvolvia também atividades de marchante, sendo casado em primeiras núpcias com Raimunda Maria da Glória, que era filha de Manoel Lopes do Nascimento e de Francisca Maria de Jesus.
Desse casamento foram gerados sete filhos, três homens e quatro mulheres, sendo eles: Luís de Assis Uchôa, Raimunda Nonata Uchôa, Francisca de Assis Uchôa, José de Assis Uchôa, Maria de Assis UchôaJoana de Assis Uchôa e Antônio Uchôa Filho.
No dia 31 de maio de 1942, segundo informações existentes no livro B-10, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 24, folha 83, diante do Mons. José Gaspar de Oliveira, estando viúvo, aos 64 anos de idades, contraiu matrimônio com Rita Maria de Sousa, nascida em 1900, sendo filha de Manoel Sabino de Sousa e de Maria Marques de Sousa.
Pouco tempo depois, no dia 13 de maio de 1946, conforme as informações que foram fornecidas por Manoel Soares Campos ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, que estão registradas no livro C-04, tombo nº 1.076, página 44v, veio a óbito na localidade de Salgado, na zona rural do Município de Boa Viagem, aos 73 anos de idade.
Depois do seu falecimento, logo após as formalidades fúnebres de costume, o seu corpo foi sepultado no mausoléu da família existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, n° 295, Centro, na cidade de Boa Viagem.

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto de. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na administração do Prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, através da lei nº 459, de 21 de março de 1988, uma das ruas do Bairro Tibiquari, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.