Severino Ernesto Tavares

Severino Ernesto Tavares nasceu no dia 10 de fevereiro de 1857 em um local ainda desconhecido.
Na época do seu nascimento a vila de Boa Viagem, que também era conhecida pela alcunha de “Cavalo Morto”, era apenas uma minúscula localidade existente dentro dos limites geográficos pertencentes ao Município de Quixeramobim.

“Distrito criado com a denominação de Boa Viagem, ex-povoado de Cavalo Morto, pela lei provincial nº 1.025, de 18 de novembro de 1862. Elevado à categoria de vila com a denominação de Boa Viagem, pela lei provincial nº 1.128, de 21 de novembro de 1864, desmembrado de Quixeramobim.” (IBGE, 2000: Disponível em http://cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?lang=&codmun=230240&search=ceara|boa-viagem|infograficos:-historico. Acesso no dia 13 de julho de 2017)

Nos últimos anos do século XIX, não sabemos por qual motivo, passou a residir com a sua família no Município de Boa Viagem, onde exerceu atividade de cartorário.
Era casado com a Professora Maria Ernestina Tavares, nascida no dia 5 de janeiro de 1867, com quem gerou vários filhos, entre eles Citamos: Adelino Tavares e Maria Tavares, que faleceram pouquíssimo tempo depois de seus nascimentos; e Francisco Ernesto Tavares, João Ernesto Tavares.
Em acordo com os documentos da Guarda Nacional existentes no Arquivo Público do Estado do Ceará, ala nº 5, estante nº 1, prateleira nº 4, Caixa 8, matrícula nº ??, prestou valiosos serviços ao Império do Brasil no posto de tenente:

“A Guarda Nacional foi uma força paramilitar organizada por lei no Brasil durante o período regencial, em agosto de 1831, para servir de ‘sentinela da constituição jurada’, e desmobilizada em setembro de 1922. No ato de sua criação lia-se: ‘Com a criação da Guarda Nacional foram extintos os antigos corpos de milícias, as ordenanças e as guardas municipais.’ Em 1850 a Guarda Nacional foi reorganizada e manteve as suas competências subordinadas ao ministro da Justiça e aos presidentes de província. Em 1873 ocorreu nova reforma que diminuiu a importância da instituição em relação ao Exército Brasileiro. Com o advento da República a Guarda Nacional foi transferida em 1892 para o Ministério da Justiça e Negócios Interiores. Em 1918 passou a Guarda Nacional a ser subordinada ao Ministério de Guerra através da organização do Exército Nacional de 2ª Linha, que constituiu de certo modo sua absorção pelo Exército.” (S.N.T)

O 52º Batalhão de Infantaria foi criado através do decreto nº 4.520, de 28 de abril de 1870, sendo desmembrado do Município de Quixeramobim e tinha como comandante o Tenente Coronel José da Silva Bezerra.
Em acordo com uma matéria publicada no dia 28 de dezembro de 1885 no periódico A República, ano IV, nº 295, compunha o diretório do PRF – o Partido Republicano Federalista, existente no Município de Boa Viagem.

“No inicio da República não havia partidos nacionais. Assim, no Ceará, o Partido Republicano cindiu-se em busca do poder.” (CAVALCANTE MOTA, 1999: p. 23)

Nos primeiros meses de 1890, depois da Proclamação da República, foi contratado como secretário do Conselho de Intendência do Município de Boa Viagem, permanecendo nessa função até 1896.
Segundo informações existentes no livro C-02, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo nº 46, página 56v, faleceu no dia 12 de novembro de 1925, aos 68 anos de idade.
Logo após o seu óbito, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares no mausoléu da família existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

Imagem do mausoléu da família Queiroz Ramalho.

BIBLIOGRAFIA:

  1. CAVALCANTE MOTA, José Aroldo. História Política do Ceará. (1889-1930).ABC: Fortaleza, 1996.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  3. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de tombo dos óbitos. 1916-1931. Livro C-02. Tombo nº 46. Página 56v.
  4. PEIXOTO, João Paulo M.; PORTO, Walter Costa. Sistemas Eleitorais no Brasil. Brasília: Instituto Tancredo Neves, 1987.
  5. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. A História da Instrução Pública no Município de Boa Viagem: A sua formação social e pedagógica entre 1864 e 1931. Dissertação apresentada a Flórida Christian University. João Pessoa, 2019.