Ivonete Leitão Facundo

nete-facundoIvonete Leitão Facundo nasceu no dia 3 de novembro de 1980 no Município de Quixeramobim, que está localizado no Sertão Central do Estado do Ceará, distante 203 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filha de José Facundo Filho e de Maria Francisca Leitão Facundo.
Os seus avós paternos se chamavam José Facundo de Almeida e Maria José de Sousa Almeida, já os maternos eram Francisco Lessa Leitão e Maria Alice de Sousa Leitão.
Na época de seu nascimento, por conta das dificuldades em assistência médica, os seus pais optaram para que nascesse na cidade de Quixeramobim, sendo trazida logo em seguida para localidade de Sussuarana, no Município de Boa Viagem, onde passou muitos anos de sua vida.
Algum tempo depois, quando chegou a sua idade escolar, foi matriculada pelos seus pais na Escola de Ensino Fundamental Antônio Cirilo Lima, onde cursou até a 4ª do antigo ensino primário, passando a estudar logo em seguida na Escola de Ensino Fundamental David Vieira Carneiro, que está localizada na vila de Domingos da Costa, onde concluiu o Ensino Fundamental.
Depois disso, desejando dar continuidade aos seus estudos, foi matriculada em uma das turmas da Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, onde concluiu o Ensino Médio.
Nos primeiros meses de 2007, precisando de um emprego fixo, foi contratada como comerciária da “Farmavet”, uma farmácia veterinária existente no Centro da cidade de Boa Viagem, onde permaneceu até os últimos meses de 2012.
Antes disso, por volta de 2008, passou a viver em união estável com Antônio Fernando Alves de Sousa, que é nascido no dia 4 de junho de 1981, sendo filho de José Rodrigues de Sousa e de Antônia Alves de Sousa.
Mais tarde, em 2012, passou a trabalhar como secretária no consultório do médico ortopedista Dr. Agripino Rodrigues Mendes Magalhães, que lhe motivou a entrar na vida pública por meio de uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

No pleito eleitoral que ocorreu no dia 2 de outubro de 2016, estando filiada nos quadros políticos do PSDC, o Partido Social Democrata Cristão, com a legenda nº 27.000, concorreu ao seu primeiro mandato ao Poder Legislativo, sendo eleita nessa ocasião com 1.151 votos, sendo a décima terceira vereadora com o maior número de votos desse pleito.
No seu primeiro ano dessa legislatura, se colocou contra projetos absurdos que foram encaminhados pelo gabinete da prefeita, entre eles destacamos a do sacrifício de animais de rua, que não apresentou a forma de apreensão, manejo, adoção e sacrifício desses animais, principalmente cães e gatos, algo que gerou grande polêmica na sociedade, sendo inclusive acionada a presença de representantes de sociedades de defesa dos animais, que não foram ouvidos pelos vereadores da base aliada da prefeita.

“Uma nova polêmica volta a dividir opiniões de moradores da pacata cidade, uma lei que recolhe animais de ruas para um abrigo, para evitar acidentes nas ruas e danos ao patrimônio publico. Durante a sessão ordinária realizada nesta terça-feira, dia 19, uma intensa discussão entre vereadores da base de oposição foi registrada pelo publico presente, vereadores estiveram hoje votando o projeto de lei nº 032/2017, que altera a redação da lei nº 414 de 1984, na qual institui o código de postura do Município de Boa Viagem. De acordo com o parlamentar Adelmo Rodrigues – principal figura de oposição, o projeto de lei põe em risco a criação de animais como cachorros e gatos, o parlamentar questionou os demais vereadores os motivos pelos quais a prefeitura irá sacrificar animais que forem apreendidos, sendo respondido logo em seguida pelo vereador Arnaldo Cavalcante que leu o parágrafo 3 do artigo 1, que diz que o animal cuja apreensão seja impossível e perigosa ou o seu comportamento possa oferecer risco a saúde individual ou coletiva poderá após um atestado de um médico veterinário, ser sacrificado. Outros parlamentares de pronunciaram contra a medida, questionando valores a serem cobrados como multa pela apreensão do animal e a destinação de animais de raça. O debate ficou acalourado, porém, o projeto de lei seguiu para ser votado e acabou sendo aprovado pela maioria, com a ausência do Vereador Jardel Fernandes, o grupo de oposição encabeçado pelos vereadores Adelmo Rodrigues, Anchieta, Vera, Clícia, Jovino e Nete Facundo acabou ficando sem maioria. (Sacrifício de animais de rua vira debate polêmico na Câmara Municipal de Boa Viagem nesta terça. Disponível em http://sertnews.com.br/artigo/sacrificio-de-animais-de-rua-vira-debate-polemico-na-camara-municipal-de-boa-viagem-nesta-terca20170919134732.html. Acesso  no dia 8 de janeiro de 2018)

3 ideias sobre “Ivonete Leitão Facundo

  1. Pingback: Administração de 2017 – 2020 | História de Boa Viagem

  2. Pingback: NOVEMBRO | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Aline Cavalcante Vieira | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta