Espírito Santo

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O Espírito Santo é uma localidade existente na zona rural do Município de Boa Viagem, distante pouco mais de ?? quilômetros do Centro da cidade de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem do Casarão do Espírito Santo, um dos mais antigos da região, em 2008.

Dentro da divisão politico-geográfica, em relação ao Marco Zero, essa localidade está na região oeste do Município, dentro dos limites geográficos do território do Distrito de Águas Belas.

A ORIGEM DE SEU TOPÔNIMO:

Designação toponímica classificada como complexa,  o seu nome é entendido como sendo uma das três Pessoas da Santíssima Trindade e, como tal, ele é pessoalmente e totalmente Deus, co-igual e co-eterno com Deus Pai e Deus Filho.
A razão deste nome indica a intenção de demonstrar a catolicidade de seus primeiros habitantes.

AS SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:

No passado, no século XVIII, essa localidade, que está no pé da Serra das Matas, já possuía algumas casas distantes umas das outras, servindo às famílias dos trabalhadores rurais que eram moradoras das várias fazendas existentes na região, que desde essa época já viviam da criação extensiva de gado e do plantio de culturas como milho, feijão, algodão e outras nas terras que margeiam o Rio Juazeiro, que nessa localidade é chamado de Espírito Santo.
Um dos proprietários dessa região foi Antônio Dias Ferreira, afortunado agropecuarista que erigiu a Igreja Matriz de Santo Antônio, na cidade de Quixeramobim:

“A Matriz de Quixeramobim…, foi eretor da matriz, ora existente, o português Antônio Dias Ferreira, homem solteiro, de fortuna avultada, que possuía 20 léguas de terras, a começar do lugar Espírito Santo, além de Boa Viagem, até à barra do Sitiá, onde tinha grandes fazendas de cavalar e muar, com feitorias de escravos de Angola.” (PORDEUS, 1955: Disponível em https://institutodoceara.org.br/revista/Rev-apresentacao/RevPorAno/1955/1955-AntonioDiasFerreiraMatrizQuixeramobim.pdf. acesso no dia 2 de julho de 2021)

Nessa época, desejando aumentar a sua quantidade de terras, este local serviu também de morada para família de Antônio Domingues Álvares e Agostinha Sanches de Carvalho, que são considerados os fundadores da cidade de Boa Viagem, que nessa época era conhecida como Fazenda Cavalo Morto.

“Vimos também o 2º proprietário da Fazenda Espírito Santo fora Antônio Domingues Álvares, não se sabendo, porém, com exatidão, se o mesmo adquirira as terras do Espírito Santo por espólio de Calixto Lopes da Silva, compra, ou benesse da coroa real… O certo é que Calixto Lopes da Silva e Antônio Domingues Álvares são, na ordem cronológica, os 2 desbravadores oficiais das terras que hoje perfazem o topo e as ilhargas da Serra das Matas.” (LIMA, 1994: p. 23)

Alguns anos mais tarde, em 1864, foi escolhido o nome do Agropecuarista Enéas de Vasconcelos Galvão para ser o primeiro presidente da Câmara Municipal de Vereadores de Boa Viagem, que residia nessa localidade.
Nos primeiros anos da década de 1950, com a criação do Município de Monsenhor Tabosa, grande parte do território dessa localidade passou a compor o território dessa nova unidade municipal.

AS LOCALIDADES DE SUA VIZINHANÇA:

O acesso para localidade do Espírito santo, saindo da cidade de Boa Viagem, é feito por via terrestre por meio da Rodovia Estadual Senador Fernandes Távora, a CE-266, seguindo depois por algumas das rodovias municipais, que lamentavelmente não possuem nomenclatura que facilitem a sua identificação.

Imagem do mapa da região desta localidade.

O Espírito Santo tem em sua vizinhança as seguintes localidades: Boqueirão, Longar, Passagem e Tenda, estando no limite com o Município de Monsenhor Tabosa.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BRAGA, Renato. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Ceará. v. 1º. Fortaleza: Imprensa Universitária do Ceará, 1964.
  2. FRANCO, G. A. & CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  3. LIMA, Geraldo Oliveira. Gênese da Paróquia de Monsenhor Tabosa. Rio de Janeiro: Marque Saraiva, 1994.
  4. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  5. PORDEUS, Ismael. Antônio Dias Ferreira e a Matriz de Quixeramobim. Subsídios históricos para as festividades do centenário da paróquia. Disponível em https://institutodoceara.org.br/revista/Rev-apresentacao/RevPorAno/1955/1955-AntonioDiasFerreiraMatrizQuixeramobim.pdf. Acesso no dia 2 de julho de 2021.