CE-266

AS CARACTERÍSTICAS GERAIS:

A Rodovia Estadual CE-266 é uma rodovia classificada como transversal, que é mantida com recursos do Governo do Estado do Ceará, possuindo aproximadamente 387 quilômetros de extensão, mas destes apenas 138 possuem manta asfáltica.

Rodovia Estadual CE-266.

Imagem da Rodovia Estadual CE-266, em 2013.

Em relação à largura e a circulação de automóveis essa rodovia é classificada como sendo de pista simples, que são aquelas em que existe somente um pavimento asfáltico, que é dividido pelos veículos nos dois sentidos de circulação, a mão dupla.
Os veículos, nesse tipo de rodovia, devem trafegar sempre do lado direito da pista em relação a si, contudo podem utilizar o outro lado da rodovia para efetuar ultrapassagens em determinadas condições.
Quanto à velocidade, nessa rodovia, os limites podem variar de acordo com as características de cada trecho e a sua fiscalização está sob os cuidados da PRE, a Polícia Rodoviária Estadual, que utiliza radares fixos e móveis.
É comum também a imposição de limites de velocidade reduzida nas zonas urbanas de Municípios pelos quais passam as rodovias, medida esta que serve para proteger os pedestres e os animais que eventualmente possam surgir.
Essa rodovia estadual, que possui o sentido oeste-leste, interliga os Municípios de Tamboril, Monsenhor Tabosa, Boa Viagem, Quixeramobim, Banabuiú, Tabuleiro do Norte, Limoeiro do Norte e termina na fronteira com o Estado do Rio Grande do Norte.

Imagem do trecho da Rodovia Estadual CE-266, entre os Municípios de Boa Viagem e Monsenhor Tabosa, antes de receber a sua pavimentação.

Ela nasce na região oeste-sudoeste do Estado do Ceará e termina na divisa com o Estado do Rio Grande do Norte, em seu percurso passa por vários Distritos e nem sempre passa pela sede dos Municípios.
Dentro dos limites do Município de Boa Viagem ela teve a sua pavimentação em manta asfáltica concluída nos últimos meses de 2013, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef.
Quanto a sua manutenção ela é gerenciada pelo DER, o Departamento Estadual de Rodovias, que está ligado à Secretaria da Infraestrutura do Governo do Estado do Ceará.

AS CARACTERÍSTICAS DA RODOVIA DENTRO DO MUNICÍPIO:

Essa rodovia, vindo da Cidade de Tamboril, sentido sudoeste, encontra-se com à Rodovia Estadual CE-467, na Vila de Nossa Senhora do Livramento, dentro do Município de Monsenhor Tabosa.
Dentro do Município de Boa Viagem essa rodovia possui aproximadamente 65 quilômetros de extensão, mas apenas 30 são pavimentados em manta asfáltica.
Na Cidade de Boa Viagem essa rodovia divide os Bairros Ponte Nova, Vila Azul e Nossa Srª de Fátima dos Bairros Alto da Queiroz, Alto do Motor, Centro e Osmar Carneiro e recebe os seguintes nomes urbanos: Rua Deodato José Ramalho, Rua Padre Antônio Correia de Sá e Rua Manuel de Oliveira Fontes.
Ainda nesse Município essa rodovia cruza com à Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020 e corre no mesmo sentido da Rodovia Estadual CE-168 por alguns quilômetros.

Imagem do cruzamento das rodovias BR-020 com as CEs-168/266, em 2010.

Saindo da Cidade de Boa Viagem essa rodovia segue, sendo carroçável, para o Distrito de Domingos da Costa e, logo depois, para o Distrito de Passagem, já no Município de Quixeramobim.
Partes do trecho dessa rodovia possuem grande relevância para história do desenvolvimento econômico do Estado do Ceará, sendo conhecido alguns desses trechos como a antiga “Estrada Nova das Boiadas”, que era descrita da seguinte forma:

“Vem de Pau dos Ferros (RN), pelo Pereiro, atravessa o rio Jaguaribe em local próximo à cidade de Jaguaribe; mais na frente cruza o rio das Pedras, atinge o rio Banabuiú e depois o Quixeramobim e, enfim, chega a cidade do mesmo nome, onde se bifurca. Um ramal vai para Boa Viagem, Independência e Crateús, alcançando o Piauí pelo boqueirão do Poti; o outro dirige-se a Sobral. Ainda na concepção de Studart Filho, 1966, p. 149, ‘A Estrada Nova das Boiadas prolonga-se até a capital de Pernambuco, por Barriguda, Tabuleiro Formoso e pelo ‘Caminho das Boiadas’, da Paraíba, era a corda de um imenso arco formado pelo velho caminho que, beirando o mar, unia Camucim ao Recife, tocando em Natal, João Pessoa e Olinda’. Assim, tanto isola Fortaleza quanto contribui para que populações das capitanias vizinhas venham povoar o Ceará”. (LIMA, 2008: p. 146-147)

No presente essa rodovia é conhecida no Município de Boa Viagem como Rodovia Estadual Senador Fernandes Távora, em referência ao Senador Manoel do Nascimento Fernandes Távora.

ONDE ABASTECER:

Nessa rodovia, nos três Municípios pesquisados, registramos a existência dos seguintes postos de abastecimento:

  1. Posto Lima, na cidade de Tamboril;
  2. Posto N. Srª Aparecida, na vila de N. Srª do Livramento, em Monsenhor Tabosa;
  3. Posto Jairo Souto, na vila de N. Srª do Livramento, em Monsenhor Tabosa;
  4. Posto Leandro Costa, na Fazenda Nova, em Boa Viagem;
  5. Posto Fragoso/SP, na cidade de Boa Viagem;
  6. Posto O Brasileiro, na cidade de Boa Viagem.

AS PONTES ENTRE BOA VIAGEM E TAMBORIL:

A palavra ponte provém da língua latina “pons”, que por sua vez descende do etrusco “pont”, que significa “estrada”, já em grego, πόντος (póntos), deriva talvez da raiz “pent”, que significa uma ação de caminhar.

Imagem da ponte sobre o Rio do Roçado, em 2019.

Uma ponte é uma construção que permite interligar ao mesmo nível pontos não acessíveis, que geralmente são separados por rios, vales ou outros obstáculos naturais ou artificiais.
As pontes são construídas para permitirem a passagem sobre algum obstáculo a transpor, de pessoas, automóveis, comboios, canalizações ou aquedutos.
Quando uma ponte é construída sobre um curso de água o seu tabuleiro é frequentemente situado a uma altura calculada de forma a possibilitar a passagem de embarcações com segurança sob a sua estrutura.
Quando ela é construída sobre um meio seco costuma-se chamá-la de viaduto como uma forma de apelidar as pontes em meios urbanos.
As pontes existentes nessa rodovia, entre os Municípios de Boa Viagem e Tamboril, são as seguintes:

  1. Ponte sobre o Rio Acaraú, no Município de Tamboril;
  2. Ponte sobre o Rio do Chumbo, no Município de Boa Viagem;
  3. Ponte sobre o Rio Roçado, no Município de Boa Viagem;
  4. Ponte sobre o Rio Capitão-Mor, no Município de Boa Viagem;
  5. Ponte sobre o Rio do Jantar, no Município de Boa Viagem;
  6. Ponte sobre o Rio Boa Viagem, no Município de Boa Viagem.

AS DISTÂNCIAS E A SITUAÇÃO DA RODOVIA:

  • Vila de Sucesso – Cidade de Tamboril = Trecho de 30 km asfaltados.
  • Cidade de Tamboril – Vila de Nossa Senhora do Livramento = Trecho de 35 km não asfaltados.
  • Vila de Nossa Senhora do Livramento – Cidade de Boa Viagem = Trecho de 33 km asfaltados.
  • Cidade de Boa ViagemVila de Domingos da Costa = Trecho de 18 km não asfaltados.
  • Vila de Domingos da Costa – Vila de Passagem = Trecho de 28 km não asfaltados.
  • Vila de Passagem – Cidade de Quixeramobim = Trecho de 30 km não asfaltados.
  • Cidade de Quixeramobim – Vila de Canadá = Trecho de 18 km não asfaltados.
  • Vila de Canadá – Cidade de Banabuiú = Trecho de 36 km não asfaltados.
  • Cidade de Banabuiú – Vila de Rosa = Trecho de 22 km não asfaltados.
  • Vila de Rosa – Vila de Salvação = Trecho de 12 km não asfaltados.
  • Vila de Salvação – Vila de Roldão = Trecho de 30 km não asfaltados.
  • Vila de Roldão – Vila de Santo Antônio = Trecho de 20 km não asfaltados.
  • Vila de Santo Antônio – Vila de Peixe Gordo = Trecho de 15 km asfaltados.
  • Vila de Peixe Gordo – Vila de Poço Novo = Trecho de 40 km asfaltados.
  • Vila de Poço Novo – Rodovia RN-014 = Trecho de 20 km asfaltados.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BRAGA, Renato. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Ceará. v. 1º. Fortaleza: Imprensa Universitária do Ceará, 1964.
  2. FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  3. LIMA, Antônio Cláudio Ferreira: A Construção do Ceará: Temas de História Econômica. Fortaleza: Instituto Albanisa Sarasate, 2008.
  4. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.

91 ideias sobre “CE-266

  1. Pingback: Domingos da Costa | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Potencialidade Viária do Município | História de Boa Viagem

  3. Pingback: BR-020 | História de Boa Viagem

  4. Pingback: CE-168 | História de Boa Viagem

  5. Pingback: Rua Deodato José Ramalho | História de Boa Viagem

  6. Pingback: Rua Padre Antônio Correia de Sá | História de Boa Viagem

  7. Pingback: Rua Balbina Almeida Vieira | História de Boa Viagem

  8. Pingback: Águas Belas | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Igreja Evangélica Congregacional do Jantar | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Posto O Brasileiro | História de Boa Viagem

  11. Pingback: Fábrica de Rações Concentradas Irmãozinhos | História de Boa Viagem

  12. Pingback: Triunfo Agroindustrial | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Posto Fragoso | História de Boa Viagem

  14. Pingback: Capela de São Sebastião – Jantar | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Capela de São Vicente de Paulo – Fazenda Nova | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Avenida Francisco Rosiêr Uchôa de Araújo | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Banco do Brasil | História de Boa Viagem

  18. Pingback: Deodato José Ramalho | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Boa Viagem | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Unidade de Pronto Atendimento – UPA | História de Boa Viagem

  21. Pingback: Bairro Ponte Nova | História de Boa Viagem

  22. Pingback: Distrito de Ipiranga | História de Boa Viagem

  23. Pingback: Distrito de Olho d’Água do Bezerril | História de Boa Viagem

  24. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Dr. Flávio Quintela | História de Boa Viagem

  25. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Sagrado Coração de Jesus | História de Boa Viagem

  26. Pingback: Açude da Fazenda Ponte | História de Boa Viagem

  27. Pingback: Congregação Cristã no Brasil – Timbauba | História de Boa Viagem

  28. Pingback: Monumento ao Encontro das Estradas do Estado do Ceará | História de Boa Viagem

  29. Pingback: Cachoeirão das Almas | História de Boa Viagem

  30. Pingback: Cachoeirão dos Ferreiras | História de Boa Viagem

  31. Pingback: Cachoeira do Escondido | História de Boa Viagem

  32. Pingback: Posto da Saúde Maria Virginia Sousa – Fazenda Nova | História de Boa Viagem

  33. Pingback: Posto da Saúde – Olho d’Água Seco | História de Boa Viagem

  34. Pingback: O Poço do Letreiro | História de Boa Viagem

  35. Pingback: A Pedra da Ema | História de Boa Viagem

  36. Pingback: A Pedra Encantada | História de Boa Viagem

  37. Pingback: Fernando Antônio Vieira Assef | História de Boa Viagem

  38. Pingback: Antônia Gomes de Melo | História de Boa Viagem

  39. Pingback: Rua 26 de Junho | História de Boa Viagem

  40. Pingback: Rua Antônio Domingues Álvares | História de Boa Viagem

  41. Pingback: Rua Agronomando Rangel | História de Boa Viagem

  42. Pingback: Aline Cavalcante Vieira | História de Boa Viagem

  43. Pingback: Rádio Asa Branca | História de Boa Viagem

  44. Pingback: Fazenda Nova | História de Boa Viagem

  45. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Francisco Sales Facundo Severo | História de Boa Viagem

  46. Pingback: Escola de Ensino Fundamental Luiza Maria da Silva | História de Boa Viagem

  47. Pingback: Rio Capitão-Mor | História de Boa Viagem

  48. Pingback: Domingos da Costa | História de Boa Viagem

  49. Pingback: Loteamento Parque Horizonte | História de Boa Viagem

  50. Pingback: Rio do Roçado | História de Boa Viagem

  51. Pingback: Rio da Fazenda Nova | História de Boa Viagem

  52. Pingback: Rio Boa Viagem | História de Boa Viagem

  53. Pingback: Croatá | História de Boa Viagem

  54. Pingback: Rua Raimundo Ferreira de Almeida | História de Boa Viagem

  55. Pingback: Rua Luiz Ferreira de Melo | História de Boa Viagem

  56. Pingback: Rua Manoel de Oliveira Fontes | História de Boa Viagem

  57. Pingback: Rua Feliciano Felício de Oliveira | História de Boa Viagem

  58. Pingback: Rua Sabino Pereira Lima | História de Boa Viagem

  59. Pingback: Ipiranga | História de Boa Viagem

  60. Pingback: Divisão | História de Boa Viagem

  61. Pingback: Boa-fé | História de Boa Viagem

  62. Pingback: Algodões | História de Boa Viagem

  63. Pingback: Alto Grande | História de Boa Viagem

  64. Pingback: Arara dos Francos | História de Boa Viagem

  65. Pingback: Arara dos Marianos | História de Boa Viagem

  66. Pingback: Barra dos Moreiras | História de Boa Viagem

  67. Pingback: Barro Vermelho (Ipiranga) | História de Boa Viagem

  68. Pingback: Bela Aliança | História de Boa Viagem

  69. Pingback: Bela Vista | História de Boa Viagem

  70. Pingback: Alto Alegre (Ipiranga) | História de Boa Viagem

  71. Pingback: Aniceto | História de Boa Viagem

  72. Pingback: Árabe | História de Boa Viagem

  73. Pingback: Baezinha | História de Boa Viagem

  74. Pingback: Barra do Ingá | História de Boa Viagem

  75. Pingback: Batedor | História de Boa Viagem

  76. Pingback: Boa Sorte | História de Boa Viagem

  77. Pingback: Bolívia | História de Boa Viagem

  78. Pingback: Bom Desejo | História de Boa Viagem

  79. Pingback: Cacaueira | História de Boa Viagem

  80. Pingback: Cachoeira dos Fragoso | História de Boa Viagem

  81. Pingback: Cabeça da Vaca | História de Boa Viagem

  82. Pingback: Cachoeira dos Paulinos | História de Boa Viagem

  83. Pingback: Cachoeira dos Vales | História de Boa Viagem

  84. Pingback: Boa Hora | História de Boa Viagem

  85. Pingback: Jacampari | História de Boa Viagem

  86. Pingback: Jantar | História de Boa Viagem

  87. Pingback: Posto da Saúde – Cruz | História de Boa Viagem

  88. Pingback: Altos | História de Boa Viagem

  89. Pingback: Lajes dos Sousas | História de Boa Viagem

  90. Pingback: Logradouro | História de Boa Viagem

  91. Pingback: Arnaldo Cavalcante Lima | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta