Serrote da Cabeça de Pedra

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O Serrote da Cabeça de Pedra é um monumento geológico natural que está localizado dentro dos limites geográficos do Distrito de Boqueirão, em uma comunidade rural que é denominada de Boa Esperança, no Município de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem do Serrote da Cabeça de Pedra, em 2013.

Imagem do Serrote da Cabeça de Pedra, em 2013.

Essa simpática formação rochosa, que está distante 47 quilômetros da cidade de Boa Viagem, é constituída de granito e gnaisse, como o próprio nome já diz, possui em um de seus lados o formato e a semelhança de uma cabeça, que durante anos foi esculpida pela erosão.

O SEU TOPÔNIMO:

Esse curioso atrativo turístico do Município de Boa Viagem possui essa nomenclatura devido a forma em caricatura de uma cabeça, que pode ser humana ou de um macaco. Ele também é conhecido na região como o Serrote da Boa Esperança, por conta da localidade onde está localizado.

A SUA SEMELHANÇA:

Ao observarmos esse monumento geológico logo nos vem a mente o Monte Rushmore, que está localizado no condado de Pennington, na cidade de Keystone, no Estado norte-americano de Dakota do Sul.

Monte Rushmore.

Imagem do Monte Rushmore, em 2014.

O Monte Rushmore é uma formação rochosa onde foram esculpidas artesanalmente as cabeças de quatro presidentes norte-americanos: George Washington, Thomas Jefferson, Theodore Roosevelt e Abraham Lincoln.

COMO CHEGAR A ESSE ATRATIVO:

Partindo do Marco Zero do Município, segue por 29 quilômetros em direção à cidade de Madalena até o quilômetro 230 da Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, até o seu cruzamento com a Rodovia Estadual CE-265, na localidade da Poldrinha.

Serrote da Cabeça de Pedra.

Imagem do Serrote da Cabeça de Pedra, em 2014.

Chegando a Rodovia Estadual CE-265, trecho carroçável, passa pelas comunidades de Fazenda Poldrinha, Fazenda Boa Ventura e segue até uma bifurcação; nessa bifurcação toma-se sentido à esquerda e segue por uma passagem molhada no Rio Conceição, chegando a localidade de Assentamento Boa Ventura, passa pela localidade de Belmonte, cruza novamente o Rio Conceição, e, depois de chegar ao Cemitério das Lembranças, no cruzamento com a primeira Rodovia Municipal, entra à direita e segue em linha reta até à localidade de Boa Esperança.
O trajeto é bem fácil de ser seguido e já na localidade de Belmonte pode se avistar o monumento lítico.

O MELHOR HORÁRIO DE VISITA:

É importante informar aos turistas e aos curiosos que as melhores imagens desse monumento natural só podem ser tiradas pelo horário da manhã, quando o rosto na pedra parece mais nítido, durante o horário da tarde, por conta do ângulo dos Sol, os traços da fisionomia do rosto na pedra são totalmente encobertos.

A LENDA:

Nas proximidades desse atrativo turístico os moradores da região alegam, e até temem, a existência de uma entidade da mitologia tupi-guarani, o Caipora.

Caipora.

O Caipora.

No folclore brasileiro esse personagem da mitologia indígena é representada como sendo um pequeno índio de pele escura, que é muito ágil, anda nu e tem os pés ao contrário. No imaginário popular, em diferentes regiões do país, a figura do Caipora está intimamente associada à vida na floresta.
Ele é o guardião da natureza que consegue aprontar toda sorte de ciladas para os caçadores, sobretudo aqueles que abatem animais além de suas necessidades. Ele afugenta as presas, espanca os cães farejadores e desorienta o caçador simulando os ruídos dos animais da mata, assobia, estala os galhos e assim dá falsas pistas fazendo com que os caçadores se percam no meio do mato.
Mas, de acordo com a crença popular, é sobretudo nas sextas-feiras, nos domingos e dias santos, quando não se deve sair para a caça, que a sua atividade se intensifica.
Mesmo assim existe um meio de driblá-lo, o Caipora aprecia o fumo, assim, reza o costume que, antes de sair numa noite de quinta-feira para caçar no mato, deve-se deixar fumo de corda no tronco de uma árvore e dizer: “Toma, Caipora, deixa eu ir embora”.
A boa sorte de um caçador é atribuída também aos presentes que ele oferece, assim, por sua vez, os homens encontram um meio de conseguir seduzir esse ente fantástico, mas o fracasso na empreitada é atribuído aos ardis da entidade.

O SERROTE DA CABEÇA DE PEDRA E O TURISMO:

O turismo é uma das ferramentas que podem alavancar o desenvolvimento econômico de nossa região, mas, infelizmente, o Governo Municipal ainda não encontrou meios para promover ações nesse sentido, mesmo estando claramente expresso em nossa Lei Orgânica:

“Art. 160 – O Município promoverá e incentivará o turismo como fator de desenvolvimento social e econômico, com o aproveitamento em atividades artesanais que deverão merecer tratamento especial.”

Outro fato a se destacar sobre esse assunto é que, mesmo possuindo uma boa localização, alguns produtores da região não despertaram ainda para explorar essa rentável atividade econômica.
Ao lado do Serrote da Cabeça da Pedra poderiam ser explorados um Hotel Fazenda ou um Resort de Campo, onde  o turismo de aventura e a paisagem da região seriam o carro chefe de suas atrações.

O Turismo de Aventura:

O turismo de aventura é um segmento de mercado do setor turístico cujo atrativo principal é a prática de atividades de aventura e de caráter recreativo.

Serrote da Cabeça de Pedra.

Imagem do Serrote da Cabeça de Pedra, em 2014.

Esse tipo de atividade turística pode ocorrer em qualquer espaço: natural, construído, rural, urbano, estabelecido como área protegida ou não.
O turismo de aventura é um subproduto do ecoturismo e possui características e consistência de mercado próprias. Ao lado dessa atração turística poderiam ser exploradas as seguintes modalidades:

  1. Arborismo;
  2. Balonismo;
  3. Camping;
  4. Cavalgada;
  5. Corrida de aventura;
  6. Motocross;
  7. Mountain bike;
  8. Orientação;
  9. Paintball;
  10. Parapente;
  11. Pesque-pague;
  12. Rapel;
  13. Tirolesa;
  14. Trekking.

AS NECESSIDADES DO LOCAL PARA DESENVOLVER O SETOR:

Para se explorar essa atividade econômica o Governo Municipal precisaria despertar o interesse dos empresários e dos agropecuaristas do Município para esse lucrativo nicho de mercado.
Essa parceria poderia ser firmada também entre os proprietários dos hotéis da cidade e os agropecuaristas da localidade, que serviriam de guias ou teriam as suas próprias estruturas de hospedagem, onde agregariam valor aos seus produtos agrícolas:

  1. Hospedagem;
  2. Alimentação;
  3. Transporte;
  4. Recepção e condução de turistas;
  5. Recreação e entretenimento;
  6. Produtos agrícolas e artesanais.

Outro atrativo existente nas proximidades são as casas de fabricação de farinha e os engenhos de cana-de-açúcar.

Imagem de um engenho localizado nas proximidades do Serrote da Cabeça de Pedra.

Imagem de um engenho localizado nas proximidades do Serrote da Cabeça de Pedra.

AS CARACTERÍSTICAS:

Altitude:
Coordenadas:
Localidade: Boa Esperança.
Distrito: Boqueirão.
Município: Boa Viagem.
Estado: Ceará.
País: Brasil.
Tombado: Não.
Vigilância: Não.
Identificação: Sim.

Uma ideia sobre “Serrote da Cabeça de Pedra

  1. Pingback: TURISMO | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta