Joaquim Rodrigues Valença

Joaquim Rodrigues Valença nasceu no dia 22 de abril de 1797 no Município de São João do Cariri, distante 287 quilômetros da cidade de João Pessoa, no Estado da Paraíba, sendo filho de José Rodrigues Valença e de Cosma Maria da Conceição Caluête.
Os seus avós paternos se chamavam Manoel da Cunha e Bárbara Rodrigues, já os maternos eram José Moreira Teixeira Mendes e Luiza Maria de Jesus.
Pouco tempo depois do seu nascimento, seguindo os ritos da confissão religiosa de seus pais, foi batizado no dia 8 de junho pelo Pe Joaquim José Veras.

“A região territorial de São João do Cariri já chegou a atingir mais de 1/3 do atual Estado da Paraíba, pois, além do Sertão e do Cariri, pertencia-lhe Campina Grande e as suas atuais microrregiões do Agreste da Borborema. O território do município era habitado por nativos Cariri até meados do século XVII, quando luso-brasileiros do litoral chegaram e se juntaram aos Cariris e formaram uma aldeia, a qual deram o nome de Travessia. Em 1669 com a doação de uma sesmaria por Alferes José Alves Martins, teve origem o sítio São João. Em 1750 foi criada a freguesia de Nossa Senhora dos Milagres, com sede em um templo construído pelos Jesuítas. Em 1776 foi elevada a categoria de Julgado. Em 1798 foi elevada a categoria de Vila, sob a denominação de Vila de São Pedro no dia 5 de maio de 1803, cujo foi oficialmente instalada a Vila Real de São João do Cariri.”

Antes disso, segundo informações existentes no livro de nascimentos da  freguesia de São João do Cariri de Fora, foi fruto da miscigenação existente na época, pois o seu pai era português, natural da freguesia de São Salvador de Gandra, nesse tempo dentro do perímetro do arcebispado de Braga, já a sua mãe era índia, também natural de São João do Cariri.
Mais tarde, por volta de 1820, aos 21 anos de idade, contraiu matrimônio com Paulina de Holanda Valença, com quem gerou alguns filhos, sendo eles: Francisco de Holanda Valença, Luiz Paulino de Holanda Valença, Antônio Paulino de Holanda Valença, José de Holanda Valença e Thereza de Jesus de Holanda Valença.
Era agropecuarista, sendo um dos criadores de gado dessa região, até que, em uma data incerta, veio a óbito por conta de uma queda de cavalo, sendo sepultado no Município de São Bento do Una, no Estado de Pernambuco.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BARBALHO, Nelson. Cronologia pernambucana: subsídios para a história do Agreste e do Sertão – (1858-1828). Volume 15. Centro de Estudos de História Municipal, Fundação de Desenvolvimento Municipal do Interior de Pernambuco, 1984.
  2. CINTRA, Ivete de Morais. Gado Brabo de Senhores e Senzalas. Centro de Estudos de História Municipal. Recife: Fundação de Desenvolvimento Municipal do Interior de Pernambuco, 1988.
  3. CINTRA, I. M.; PAIVA, Adalberto; FIRMINO, João. São Bento do Una: Formação Histórica. Recife: Companhia Editora de Pernambuco, 1984.
  4. IBGE. A História de São Bento do Una. Disponível em https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/sao-bento-do-una/historico. Acesso no dia 5 de junho de 2019.
  5. TERRAS DE BARAÚNAS. Cosma Caluête. Disponível em http://terrasdebaraunas.blogspot.com/2015/06/cosma-caluete.html. acesso no dia 7 de junho de 2019.