A Pedra do Letreiro de Taperinha

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

A Pedra do Letreiro de Taperinha é um potencial sítio arqueológico existente no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza.

Imagem da Pedra do Letreiro, em 2017.

Imagem da Pedra do Letreiro de Taperinha, em 2017.

Esse sítio foi recentemente listado no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos do IPHAN, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, também denominado de Arquivo Noronha Santos.

COMO CHEGAR AO SíTIO:

Saindo do Marco Zero, na cidade de Boa Viagem, segue pela Avenida Basílio Vieira Carneiro até o mastro do pavilhão municipal, na Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, daí continua pela Rua Coronel Luís Amaro Bezerra até a Rua Francisco Joel Lima e Silva, passando pela antiga Escola Agrotécnica Dr. Janival Almeida Vieira, seguindo até uma localidade denominada de Poço d’Água.
Na localidade de Poço d’Água, depois da entrada do aterro sanitário, segue à direita por uma rodovia municipal até à localidade de Caraúbas, daí segue na mesma rodovia até à localidade de Taperinha, local das inscrições.

AS CONDIÇÕES DO SÍTIO:

Esse pequeno sítio arqueológico, devido a sua proximidade da estrada e das casas do lugarejo, sofre por conta dos vândalos que costumam pichar as suas rochas e usar o local como depósito de lixo.

Imagem da Pedra do Letreiro, em 2017.

Imagem da Pedra do Letreiro de Taperinha, em 2017.

Nesse local, registramos a existência de muitas furnas, que são locais que serviam para abrigar os nossos ancestrais das intempéries do clima.
A palavra “taperinha” é o diminutivo da palavra “tapera”, que segundo informações existentes no “Dicionário Toponímico, Histórico e Geográfico do Nordeste” possui o seguinte significado:

“Palavra indígena derivada de TA-PU-ERA, que significa: aldeia extinta, aldeia antiga, ruínas, aldeia indígena abandonada ou habitação em ruínas.” (FALCÃO, 2005: p. 716)

Existe uma “tradição oral”, contada pelos mais velhos da localidade, que no passado, nesse local, havia uma aldeia indígena e que nela foi sacrificada um padre.

COMO VOCÊ PODE AJUDAR EM SUA PRESERVAÇÃO:

O ideal seria permanecer com esse local fechado para o público até que os governos organizassem uma estrutura física, logística e com pessoal qualificado para explorar a potencialidade turística dessa região.

Imagem do local onde acreditam ser o sangue do padre.

Imagem do local onde acreditam ser o sangue do padre.

Embora percebamos essa urgente necessidade, infelizmente o Governo Municipal não sinaliza nenhuma vontade nesse sentido, e as pessoas vão continuar fazendo essa visita sem nenhum tipo de orientação e responsabilidade. Ao visitar esse local, as pessoas devem estar atentas ao seguinte:

  1. Não se deve fazer nenhum tipo de fogueira que danifique as pinturas;
  2. Não se deve passar o dedo, tinta ou qualquer outro objeto para “reviver” a pintura;
  3. Não se deve deixar lixo no local;
  4. Não se deve fazer nenhum tipo de pintura ou desenho no local.

Bom mesmo seria que a associação comunitária da localidade abraçasse a responsabilidade pelo zelo, vigilância e manutenção desse sítio, que teria a sua vida preservada por mais anos.

AS CARACTERÍSTICAS DO SÍTIO:

  • Nome do sítio: Pedra do Letreiro de Taperinha.
  • Designação do IPHAN:
  • Distância da cidade: 18 quilômetros.
  • País: Brasil.
  • Estado: Ceará.
  • Município: Boa Viagem.
  • Distrito: Boa Viagem.
  • Localidade: Taperinha.
  • Altitude: 276 m.
  • Coordenadas: (S) 05º 01′ 34,8″ (W) 039º 43′ 07,4″.
  • CNSA:
  • Largura: 2,5 m.
  • Altura: 1.25 m².
  • Vegetação: Savana-estépica (Caatinga).
  • Propriedade da terra: Particular.
  • Proteção legal: Federal.
  • Lei: 3.924, de 26 de julho de 1961.
  • Tipo de sítio: Arte rupestre.
  • Arte rupestre: Pintura.
  • Deposição: Superfície.
  • Exposição: Ao céu aberto.
  • Ano do registro:
  • Tombo: Federal.
  • Vigilância: Não.
  • Identificação: Sim.

Uma ideia sobre “A Pedra do Letreiro de Taperinha

  1. Pingback: Os Sítios Arqueológicos do Município de Boa Viagem | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta