Vera do Nascimento Alves

veraVera do Nascimento Alves nasceu no dia 3 de janeiro de 1979 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão Central do Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filha de José Alves dos Santos e de Terezinha do Nascimento Alves.
Os seus avós paternos se chamavam Sebastião Alves dos Santos e Gonçala Santana, já os maternos eram José Roseno Lima e Avelina do Nascimento Lima.
Passou os primeiros anos de sua infância residindo com os seus pais na Rua Ana Gonçalves Leitão, nº 22, no Bairro de Nossa Srª de Fátima, mudando de endereço algum tempo depois para Rua Tomás Ferreira de Sousa, nº 739, no mesmo bairro.
Nessa época, tempo de grande dificuldade financeira para a sua família por causa de uma grave estiagem, conforme o seu próprio relato, enfrentou sérios problemas de saúde por conta da fragilidade de sua saúde:

“Nasceu fraquinha, a bichinha, um pé na vida outro na cova. Mas é sertaneja e sertanejo é a resistência em forma de gente. Lutou pela vida, cresceu e até demais. Quando era pequena a Verinha era muito medrosa. Tinha medo de tudo, a miserável. Dos galhos das árvores, das formigas, dos embuás, das telhas de casa, nem se fala. Pensava que era o babau”. (NASCIMENTO ALVES, 2015: Biografia. Disponível em www.recantodasletras.com.br. Acesso em 16 de julho de 2015)

O seu pai, que desde a juventude dignamente sustentou a sua família esgotando as forças de se corpo como carreteiro nunca mediu esforços para investir em sua educação. Sempre que podia, tinha o cuidado de conduzir os seus filhos pela Rua Pe. Antônio Correia de Sá, um dos nomes urbanos da Rodovia Estadual CE-168, onde existe a travessia de uma perigosa ponte.
Nos primeiros meses de 1986, com apenas sete anos de idade, ingressou em uma das turmas da Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva, que nessa época funcionava na Rua Alfredo de Sousa Terceiro, nº 742, no Bairro Tibiquari.

“Quando chegou o tempo de estudar, aliás com atraso, porque aos sete anos menina já é para estar pela segunda série, entrou na turma do pré-escolar… olhava os coleguinhas comportados nas cadeirinhas e juntava-se a eles. Já sabia ler e escrever… a mãe ensinara-a em casa mesmo. Então entregava-se ao prazer de pintar, desenhar, esculpir com massinha”. (NASCIMENTO ALVES, 2015: Biografia. Disponível em www.recantodasletras.com.br. Acesso em 16 de julho de 2015)

Em 1991, encerrando o 5º ano do Ensino Fundamental, passou a estudar na Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, que está localizada na Rua Alfredo de Sousa Terceiro, nº 680, no Centro da cidade, onde concluiu o Ensino Fundamental e deu início ao curso de Magistério.
Dessa época as lembranças que povoam a sua memória estão os momentos de rebeldia e das chocarrices enfrentadas na escola:

“Todo dia que Deus dava ela fugia na hora do recreio e as tias punham os meninos em seu encalço e traziam-na preza pelos braços, bufando feito touro bravo. A mãe dizia que a Verinha não era ‘bicho que se carregue em meio de carga’… não obstante a ojeriza à escola, manteve durante muito tempo o feito de ser a primeira da sala. Vai entender”. (NASCIMENTO ALVES, 2015: Biografia. Disponível em www.recantodasletras.com.br. Acesso em 16 de julho de 2015)

Algum tempo depois, desejando melhores oportunidades de emprego, passou a residir na cidade de Fortaleza, aonde matriculou-se na Escola de Ensino Fundamental e Médio Mariano Martins, unidade de ensino que está localizada na Avenida Senador Fernandes Távora, nº 1.445, no Bairro Henrique Jorge.
Nessa escola, descobrindo a sua inaptidão vocacional ao magistério, mesmo depois de concluir as cadeiras de estágio, decidiu cursar o Científico.
De formação familiar confessional católica, aos 18 anos de idade, passou a residir na cidade de Pinheiro, que está localizada na Região Norte do Estado do Maranhão, distante 333 quilômetros da cidade de São Luís, onde permaneceu durante pouco tempo.
Nessa época, tentando se descobrir, decidiu dedicar a sua vida ao claustro e a vida consagrada, mas os seus questionamentos feriram alguns dogmas, fato que gerou desagrado entre os seus superiores:

“Pelos 18 anos decidiu passar uma temporada no inferno, digo, convento, de onde foi sumariamente expulsa por questionar a infalibilidade do Papa”. (NASCIMENTO ALVES, 2015: Biografia. Disponível em www.recantodasletras.com.br. Acesso em 16 de julho de 2015)

Regressando para Fortaleza, depois de algum tempo, prestou vestibular e ingressou no curso de Filosofia da UFC, Universidade Federal do Ceará, que foi concluído em 2015.
Amante declarada da literatura, tem investido parte de seu tempo, recursos e talento em composições que são publicadas na página www.recantodasletras.com.br, eventualmente concorre em concursos literários, onde tem recebido diversas premiações com o pseudônimo Srtª Vera:

“Vera do Nascimento Alves (Srtª Vera), contista, poetisa e cronista… É profunda admiradora da vasta literatura nordestina… tem imenso amor ao Sertão, de onde retira a matéria-prima necessária ao ofício de escrever”. (NASCIMENTO ALVES, 2015: Meu Perfil. Disponível em www.recantodasletras.com.br. Acesso em 8 de julho de 2015)

No dia 27 de janeiro de 2011, concorrendo ao II Prêmio Nacional Ideal Clube de Literatura, edição que homenageou a escritora cearense Rachel de Queiroz, em uma solenidade que foi realizada no Salão Nobre Dr. Edson Queiroz, do Ideal Clube de Fortaleza, recebeu menção honrosa dos jurados com a narrativa “Carminha”.

Imagem da Srtª Vera na premiação de um de seus textos, em 2012.

Imagem da Srtª Vera na premiação de um de seus textos, em 2012.

No ano seguinte, no dia 21 de março, em uma solenidade acontecida no Teatro Celina Queiroz, concorrendo na IV edição do Prêmio de Literatura Unifor, dessa vez na categoria poesia, recebeu destaque dos jurados com o poema “Ciranda da Menina-Mulher”.

“Lançado dentro da programação do Mundo Unifor, o Prêmio de Literatura integra uma série de outras ações da instituição voltadas à difusão da arte e de novos talentos”. (S.N.T)

Pouco tempo antes disso, no dia 26 de janeiro de 2012, concorrendo ao III Prêmio Nacional Ideal Clube de Literatura, edição que homenageou o escritor cearense Juvenal Galeno, em uma solenidade que foi realizada novamente no Salão Nobre Dr. Edson Queiroz, recebeu destaque dos jurados com a poesia “O Gato Rajado e a Morta de Amor”.
No ano seguinte, no dia 23 de fevereiro de 2013, mais uma vez no Salão Nobre Dr. Edson Queiroz, foi a vez de receber o resultado do IV Prêmio Nacional de Literatura e XV Estadual do Ideal Clube. Nessa edição recebeu menção honrosa do corpo de jurados com o conto “Da Cor do Céu”.
No dia 19 de fevereiro de 2015, dessa vez concorrendo ao XVII Prêmio Ideal Clube de Literatura, edição de 2014, Prêmio Moreira Campos, que foi chancelado pela Academia Brasileira de Letras e instituído para incentivar, mediante concurso, a criação literária, no gênero conto, recebeu destaque dos jurados com a narrativa “Das Nossas Dores”.

Imagem do lançamento do livro, em 2015.

Imagem do lançamento do livro “A Flor do Mandacaru”, em 2015.

Pouco tempo depois, com o miniconto “O Rabujento”, a Srtª Vera obteve o primeiro lugar no Concurso Literário “De Conto em Conto”, que foi promovido pela Livraria Lua Nova. A solenidade de premiação ocorreu na noite de 17 de novembro de 2015 na sede da livraria, que é uma das referências em livros de qualidade entre a comunidade acadêmica da cidade de Fortaleza.
Ainda nesse ano, no XVIII Prêmio Estadual Ideal Clube 2015, prêmio que foi chancelado pela Academia Cearense de Letras, na categoria de gênero poesia, fez homenagem ao poeta cearense Barros Pinho.
Em uma solenidade ocorrida no dia 25 de fevereiro de 2016, no Salão Nobre Edson Queiroz, a Srtª Vera foi destaque do XVIII Prêmio Estadual Ideal Clube de Literatura com o poema “A Propósito de um Poema de Manoel de Barros”, sendo este publicado na Coletânea do Prêmio Literário que ocorre todo ano.

2 ideias sobre “Vera do Nascimento Alves

  1. Pingback: Vera do Nascimento Alves (Bibliografia) | História de Boa Viagem

  2. Pingback: BIOGRAFIAS | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta