I’m Not Dog No.

I’M NOT DOG NO.

Eliel Rafael da Silva Júnior

Essa história eu ouvi quando compunha o Núcleo Gestor da Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, não sei até onde é a sua veracidade, o que sei é que até os dias de hoje ela ainda é lembrada pelos funcionários mais antigos daquela unidade de ensino.
Conta-se que nos últimos anos da década de 1970 aconteceu uma festa, tipo de “arromba”, na casa de um dos figurões da cidade de Boa Viagem.
Nessa época, nessa escola, um dos diretores era o Rev. Ezequiel Fragoso Vieira e como de costume, em seu horário de trabalho, passou pela secretaria para saber das demandas do dia, quando ocorreu o seguinte diálogo:
Disse a Rosimar Marinho, que era a secretária: – Bom dia pastor!
Com aquela voz mansa ele respondeu: – Bom dia.
Daí, curiosa por saber das novidades, ela perguntou: – O pastor recebeu o convite para festa de “fulano”?
O pastor respondeu: – Não, nem estava sabendo.
Pasma diante do fato, logo ela retrucou: – Vish, TODO CACHORRO RECEBEU CONVITE PARA ESSA FESTA E O SENHOR, NÃO?
O pastor com aquela calma de sempre disse:  É PORQUE EU NÃO SOU CACHORRO!

Uma ideia sobre “I’m Not Dog No.

  1. Pingback: CRÔNICAS E POESIAS | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta