José Vieira Carneiro

José Vieira Carneiro nasceu no dia 26 de outubro de 1957 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Severino Vieira Carneiro e de Raimunda Cavalcante Carneiro.
Sabemos pouca coisa de sua infância, descobrimos apenas que com muito esforço e dedicação conseguiu concluir à 4ª série do ensino primário em sua cidade natal, onde desde cedo cultivou o desejo de ser professor.
Mais tarde, por volta de 1974, desejando melhores condições de subsistência, partiu com destino ao Estado de São Paulo com o propósito de encontrar trabalho.
Já empregado, residindo na cidade de São Bernardo do Campo, de todas as formas procurou tirar proveito do tempo para conciliar o seu trabalho com os estudos, logrando êxito em concluir a educação básica e posteriormente, nos últimos meses de 1983, o curso de graduação em Estudos Sociais.
No ano seguinte, desejando aprimorar os seus conhecimentos, deu entrada como portador de diploma em um curso de graduação em Química, que só foi concluído nos últimos meses de 1987.
Antes disso, ainda em 1984, passou uma curta temporada em sua cidade natal, onde lecionou a disciplina de psicologia no curso de magistério oferecido pela Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, retornando para o Estado de São Paulo no ano seguinte.
Foi casado com Ana Lúcia Torres Carneiro, com quem gerou três filhos, um homem e duas mulheres, sendo eles: Gisele Torres Carneiro, Michele Torres Carneiro e Jean Carlos Torres Carneiro.

“Em 1985, para concretizar sua aspiração, o nosso conterrâneo inicia sua sagrada tarefa de ensinar e contribuir com a formação humanística e intelectual de inúmeros jovens em São Bernardo do Campo. Mas, infelizmente, essa sua benfazeja tarefa não durou muito tempo, pois foi abreviada em virtude de uma deletéria ação de um adolescente de 15 anos de idade.” (BEZERRA DE MELO, 2002: p. 48)

No dia 9 de novembro de 2001, estando novamente radicado na cidade de São Bernardo do Campo, lecionando na Escola Estadual Palmira Grassiotto Ferreira da Silva, onde era lotado, foi mortalmente ferido em sua cabeça na sala de aula com o golpe de uma chave que ficou cravada em sua testa.
Ao ser socorrido por seus colegas foi imediatamente encaminhado ao Hospital dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo, vindo a óbito aos 44 anos de idade no dia 23 de novembro.
Mais tarde, no dia 26 de novembro, o seu corpo foi trazido para cidade de Boa Viagem, onde recebeu as despedidas fúnebres que são de costume, sendo sepultado por seus familiares no mausoléu da família existente no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BEZERRA DE MELO, Maria José. Ex-Educadores de Boa Viagem. Monografia apresentada ao departamento de pós-graduação e pesquisa da Universidade Estadual Vale do Acaraú, 2002.
  2. CONTRERAS, Javier. Professor morre e diretor diz que foi acidente. Disponível em https://www.dgabc.com.br/Noticia/227309/professor-morre-diretor-diz-que-foi-acidente. Acesso no dia 20 de fevereiro de 2019.
  3. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2000.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, embora sem uma legislação que lhe ampare, uma das ruas do Bairro  Ponte Nova, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.

Uma ideia sobre “José Vieira Carneiro

  1. Pingback: Rua José Vieira Carneiro | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta