Rio Trapiá

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O Rio Trapiá, que é considerado apenas como um riacho, é um curso natural de água doce que está localizado no Município de Boa Viagem, no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará.

Imagem da ponte sobre o Rio Trapiá, na BR-020.

Nesse percurso esse importante rio corta uma rodovia federal, a BR-020, ficando a sua ponte distante aproximadamente 23 quilômetros do Centro da cidade de Boa Viagem.

A SUA NASCENTE E O SEU PERCURSO:

Esse rio possui aproximadamente ?? quilômetros de extensão e as suas nascentes estão dentro do território do Município de Boa Viagem, na Serra do Facão, correndo em direção do lado direito do Rio, um dos importantes tributários do Rio Quixeramobim.
Quanto a sua temporalidade esse rio é classificado como intermitente e em sua extensão, desde a nascente até a sua foz, possui excelentes terras para o cultivo e a criação de animais.
Sobre a cor de suas águas, no período das enchentes, que costumam acontecer entre março e maio, as suas águas ficam escuras por conta dos sedimentos que costumam ser arrastados das partes mais altas de sua nascente.
Depois disso as suas águas ficam bem claras e costumam ficar em maior volume nos poços que são feitos naturalmente, onde fica fácil de encontrarmos várias espécies de aves, serpentes, peixes, batráquios e quelônios.

A ADMINISTRAÇÃO DO RIO:

Esse rio, por sua extensão estar completamente dentro do Município de Boa Viagem, é gerenciado pela Secretaria do Meio Ambiente da Prefeitura Municipal de Boa Viagem.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BRAGA, Renato. Dicionário Geográfico e Histórico do Ceará. Tomo II. Fortaleza: Imprensa Universitária do Ceará, 1967.
  2. FRANCO, G.A; CAVALCANTE VIEIRA, M.D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 232.
  3. GOMES, Raimundo Pimentel. Corografia Dinâmica do Ceará. Fortaleza: Departamento de Imprensa Oficial do Ceará, 1970.
  4. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  5. SOUSA BRASIL, Thomaz Pompeo de. Ensaio Estatístico da Província do Ceará. Tomo I. Fortaleza: Fundação Waldemar Alcântara, 1997.

Uma ideia sobre “Rio Trapiá

  1. Pingback: OS RECURSOS HÍDRICOS DO MUNICÍPIO DE BOA VIAGEM | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta