Cicinato Ferreira Neto (Bibliografia)

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE O AUTOR:

Nome: Cicinato Ferreira Neto.
Formação: Licenciatura em História.
Biografia

A BIBLIOGRAFIA:

1º) TITULO: A TRAGÉDIA DOS MIL DIAS: A SECA DE 1877 – 79 NO CEARÁ.

A Tragédia dos Mil Dias

RESENHA: Nessa obra o autor expõe, de forma clara e sucinta, os difíceis anos da seca de 1877 a 1879, que deixaram o Município de Boa Viagem em um grave estado de penúria. Essa seca, que além de produzir grande miséria, causou também grande mortandade por conta da fome e das doenças, entre elas o beribéri.

FICHA CATALOGRÁFICA:

Ano de publicação: 2006.
Edição: 1ª.
Editora: PREMIUS.
ISBN: 551.577.38 (813.1).
Páginas: 288.
Tiragem: 2.000 exemplares (Esgotado).

2º) TITULO: A MISTERIOSA VIDA DE LAMPIÃO.

RESENHA: Cicinato Ferreira Neto é um promissor historiador cearense que mantem o seu foco no regionalismo nordestino, nessa obra ele trata de uma das figuras mais controversas de nosso passado, Virgulino Ferreira, popularmente conhecido como “Lampião”.
O autor confessa ter lido aproximadamente uma centena de obras que tratam da vida do cangaceiro pernambucano, visitando áreas de Pernambuco, Alagoas e Sergipe, Estados onde Lampião teve forte influência.

FICHA CATALOGRÁFICA:

Ano de publicação: 2010.
Edição: 1ª.
Editora: PREMIUS.
ISBN: 978-85-60041-84-8.
Páginas: 296.
Tiragem: 2.000 exemplares (Esgotado).

3º) TITULO: HISTÓRIA DO FISCO CEARENSE.

RESENHA: O fisco cearense, que possui mais de 175 anos, foi presenteado com uma valiosa obra que registra as suas vitórias, fracassos, inovações e desafios para uma época em que a palavra de ordem é a globalização.
Essa obra tem como foco a evolução geral do setor encarregado de cobrança de tributos e da coordenação de receitas e despesas do Poder Executivo do Estado do Ceará.

FICHA CATALOGRÁFICA:

Ano de publicação: 2011.
Edição: 1ª.
Editora: PREMIUS.
ISBN: 978-85-7564-559-8.
Páginas: 312.
Tiragem: 2.000 exemplares (Esgotado).

Uma ideia sobre “Cicinato Ferreira Neto (Bibliografia)

  1. Pingback: LITERATURA BOA-VIAGENSE | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta