Pe. Inácio Antônio Lobo

Inácio Antônio Lobo exerceu inicialmente o seu ministério pastoral de 1838 a 1842 na função de coadjutor da Paróquia de Santo Antônio de Pádua, em Quixeramobim, assumindo a sua interinidade entre fevereiro e abril de 1846 por conta do impedimento do Cônego Antônio Pinto de Mendonça.

“Conego Antônio Pinto de Mendonça, figura destacada em sua época, foi deputado provincial, deputado geral, vice-presidente da província e senador eleito do império. Representou o bispo de Pernambuco no Ceará como seu visitador. Com a criação do bispado do Ceará, assumiu o governo da diocese até a chegada do 1º bispo, Dom Luís Antônio dos Santos. Enquanto militante político, teve vários substitutos no cargo.” (SIMÃO, 1996: p. 106)

Nessa época, de 1840 a 1843, cumprindo as ordens de seu bispo, distribuiu os sacramentos ao povo na Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem, que está localizada na povoação de Boa Viagem, no Sertão de Canindé, que antes era conhecida pelo topônimo de “Cavalo Morto”, ocasião em que substituiu o Pe. Gonçalo Luís Ramalho.

BIBLIOGRAFIA:

  1. FRANCO, G. A. & CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  2. LIRA, João Mendes. Subsídios para a história eclesiástica e política do Ceará. Rio de Janeiro: Companhia Brasileira de Artes Gráficas, 1984.
  3. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  4. SILVEIRA, Aureliano Diamantino. Ungidos do Senhor na Evangelização do Ceará (1700 a 2004). 2º v. Fortaleza: Premius, 2004.
  5. SIMÃO, Marum. Quixeramobim: Recompondo a história. Fortaleza: MULTIGRAF, 1996.

3 ideias sobre “Pe. Inácio Antônio Lobo

  1. Pingback: Pe. Francisco Ignácio da Costa Mendes | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Pe. Francisco Jorge de Sousa | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta