Manoel José de Farias Filho

Manoel José de Farias Filho nasceu no Município de Quixeramobim, que está localizado no Sertão Central do Estado do Ceará, distante 203 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo Filho de Manoel José de Farias.
Na época do seu nascimento a cidade de Boa Viagem, que também era conhecida pelo topônimo de “Cavalo Morto”, era apenas um pequeno povoado existente dentro dos limites geográficos do Município de Quixeramobim:

“Distrito criado com a denominação de Boa Viagem, ex-povoado de Cavalo Morto, pela lei provincial nº 1.025, de 18 de novembro de 1862. Elevado à categoria de vila com a denominação de Boa Viagem, pela lei provincial nº 1.128, de 21 de novembro de 1864, desmembrado de Quixeramobim.” (IBGE, 2000: Disponível em http://cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?lang=&codmun=230240&search=ceara|boa-viagem|infograficos:-historico. Acesso no dia 13 de julho de 2017)

Na eleição municipal ocorrida no dia 29 de maio de 1892, desejando entrar na vida pública, entrou na disputa por uma das cadeiras da Câmara Municipal de Boa Viagem, ficando em uma das suplências entre o dia 15 de outubro de 1892 e o dia 10 de junho de 1896.

Imagem da Casa de Câmara e Cadeia do Município de Boa Viagem na década de 1940.

Nesse período, participando de algumas sessões, juntamente com os seus pares, elegeu como intendente Manoel Benício Bezerra de Menezes, responsável pelo Poder do Executivo do Município.
Nessa legislatura, quando o Município de Boa Viagem atravessava os rigores de uma estiagem, seguindo o que previa o Projeto Pompeu-Sinimbú, juntamente com os seus companheiros de vereança, acompanhou a última fase da construção da Casa de Câmara e Cadeia Pública, onde também passaria a funcionar a escola da vila; acompanhou a construção da base do Mercado Público Municipal Jessé Alves da Silva, que só foi concluído por volta de 1919; assinou o manifesto do desejo de instalação de uma linha de telégrafo para cidade de Boa Viagem, um verdadeiro avanço para época; acompanhou os trabalhos de assistência médica que atenderam às pessoas que sofriam por conta de uma epidemia de varíola que ocorreu no Município; promoveu a abertura de novas ruas e o melhoramento no saneamento e limpeza das ruas já existentes.
Depois disso, no pleito eleitoral do dia 5 de maio de 1896, foi conduzido a um novo mandato, desempenhando essa nova legislatura entre o dia 10 de junho de 1896 e o dia 10 de junho de 1900.
Nesse período acompanhou a aplicação do orçamento apresentado pelo Intendente José do Vale Pedroza na Câmara Municipal; a entrega de sementes de milho, feijão e arroz para mil agricultores do Município e a qualificação de seus eleitores.
Na eleição municipal seguinte conseguiu ser reconduzido para o desempenho de seu terceiro mandato parlamentar, que teve início no dia 10 de junho de 1904 e foi encerrado no dia 10 de junho de 1908.

BIBLIOGRAFIA:

  1. CAVALCANTE MOTA, José Aroldo. História Política do Ceará. (1889-1930).ABC: Fortaleza, 1996.
  2. IBGE. Histórico de Boa Viagem. Disponível em http://cidades.ibge.gov.br/painel/historico.php?lang=&codmun=230240&search=ceara|boa-viagem|infograficos:-historico. Acesso no dia 13 de julho de 2017.
  3. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  4. PEIXOTO, João Paulo M. & PORTO, Walter Costa. Sistemas Eleitorais no Brasil. Brasília: Instituto Tancredo Neves, 1987.
  5. UCHOA RIBEIRO, Valdir. Conselhos de Intendência no Ceará. Fortaleza: Premius, 2005.

4 pensou em “Manoel José de Farias Filho

  1. Pingback: Administração de 1892 – 1896 | História de Boa Viagem

  2. Pingback: Administração de 1896 – 1900 | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Administração de 1904 – 1908 | História de Boa Viagem

  4. Pingback: BIOGRAFIAS | História de Boa Viagem

Deixe um comentário