João Inácio de Carvalho

João Inácio de Carvalho nasceu em 1898 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Ignácio José de Carvalho e de Maria São José de Jesus.
O seu avô paterno se chamava Joaquim Pinheiro Milhômem.
Durante toda a sua infância acompanhou a projeção política de seu pai, que exerceu sucessivos mandatos eletivos na Câmara Municipal de Vereadores.
Mais tarde, segundo informações existentes no livro B-05, pertencente à secretaria da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, tombo 51, folha 89, no dia 14 de julho de 1918, aos 21 anos de idade, diante do Mons. José Cândido de Queiroz Lima, contraiu matrimônio com Maria Benícia Carvalho Bezerra de Menezes, sendo filha de Manoel Benício Bezerra de Menezes e de Maria Rabêlo Bezerra de Menezes.
Desse matrimonio foram gerados dez filhos, seis homens e quatro mulheres, sendo eles: Oseias Carvalho, Olavo Carvalho, Obmor Carvalho Bezerra de Menezes, Odélia Carvalho, Odemar Carvalho, Francisca Carvalho, Maria Luzia Carvalho Aragão, Maria José de Carvalho, João Inácio Carvalho Bezerra de Menezes e Pedro Inácio de Carvalho.
Na noite do dia 28 de dezembro de 1946 foi surpreendido pela trágica notícia do assassinato de seu irmão, José Inácio de Carvalho, que era uma importante liderança política do Município:

“O fato ocorreu em uma noite escura, pois nessa época as ruas da cidade de Boa Viagem ainda não possuía iluminação elétrica, só em algumas casas, que possuíam cata-ventos para alimentação das baterias. Essa tragédia se deu quando recepcionavam o Dr. Francisco Carneiro, candidato a deputado estadual, que pretendia reunir os votos de toda Família Vieira existente no Município.” (S.N.T)

Faleceu na cidade de Boa Viagem no dia 14 de setembro de 1950, aos 52 anos de idade.
Logo após o seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, n° 295, no Centro da cidade de Boa Viagem.

Imagem do túmulo da Família Carvalho, em 2013.

BIBLIOGRAFIA:

  1. CAVALCANTE MOTA, José Aroldo. Boa Viagem, Realidade e Ficção. Fortaleza, MULTIGRAF, 1996.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto de. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  3. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro dos casamentos. 1921-1922. Livro B-05. Tombo nº 51. Página 89.
  4. PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA BOA VIAGEM. Livro de registro dos óbitos. 1945-1954. Livro C-06. Tombo nº 400. Página 75v.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 1.159, de 27 de setembro de 2012, uma das ruas do Bairro Vila Azul, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.