Francisco Marques de Macêdo

Francisco Marques de Macêdo nasceu no dia 3 de dezembro de 1924 no Município de Barbalha, que está localizado na região Sul do Estado do Ceará, distante 575 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Francisco Marques da Silva e de Maria Loureto Macêdo Marques.
Chegou ao Município de Boa Viagem nos primeiros anos da década de 1940 a convite de um de seus tios, o Capitão Raimundo Ferreira do Nascimento, que era interventor do Município e lhe indicou para assumir a função de delegado de polícia.

“Pouco tempo depois, foi designado pelo interventor do Estado, Francisco Menezes Pimentel, para assumir a interventoria do Município de Boa Viagem no lugar de José Rangel de Araújo, exercendo essa função entre o dia 10 de maio de 1943 e o dia 11 de fevereiro de 1945.” (SILVA JÚNIOR, 2017: Disponível em https://www.historiadeboaviagem.com.br/raimundo-ferreira-do-nascimento/. Acesso no dia 15 de dezembro de 2021)

Era funcionário público, sendo conhecido também como “Francisquinho da Radiadora”, pois durante algum tempo cuidou de um equipamento de rádio que era pertencente ao Dr. Gervásio de Queiroz Marinho.

“Radiadora ‘A Voz da Liberdade’ – Serviço de som instalado pelo Dr. Gervásio de Queiroz Marinho, na década de 1940, em frente à Praça Antônio de Queiroz Marinho. Foi de grande utilidade aos habitantes de nossa cidade, transmitindo-lhes músicas, notas sociais, avisos, propagandas políticas e outros. Um dos locutores foi Francisco Marques de Macêdo, casado com a boa-viagense Maria Aline Morais Marques. Trabalhou desde a instalação até 1965, sendo substituído pelo seu filho Francisco Clávio Morais Marques.” (NASCIMENTO, 2002: p. 262)

Foi casado com Maria Aline Morais Marques, que era nascida em 25 de dezembro de 1928, sendo filha de Francisco Afonso da Silva e de Francisca Alves de Morais.
Desse matrimônio foram gerados oito filhos, sendo eles: Francisco Clávio Morais Marques, Maria Célia Macêdo de Araújo, Maria de Fátima Morais Marques, Antônio Cleiton Morais Marques, Antônio Francisco Morais Marques, Cícero Roberto Morais Marques, Ana Selma Morais Marques e Alineiry Macêdo da Silva.
Segundo informações existentes no livro C-05, pertencente ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, termo nº 3.451, folha 196, faleceu depois de um infarto fulminante na cidade de Boa Viagem, aos 74 anos de idade, no dia 8 de setembro de 1998.
Logo após o seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado por seus familiares no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, Centro.

BIBLIOGRAFIA:

  1. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.
  2. SILVA JÚNIOR, Eliel Rafael da. Raimundo Ferreira do Nascimento. Disponível em https://www.historiadeboaviagem.com.br/raimundo-ferreira-do-nascimento/. Acesso no dia 15 de dezembro de 2021.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 985, de 19 de dezembro de 2007, a rua que divide os Bairros Padre Paulo e Recreio, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.