Banco do Brasil

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O Banco do Brasil no Município de Boa Viagem está localizado na Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, nº 156, esquina com as ruas José Rangel de Araújo e Agronomando Rangel, no Centro da cidade de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem da agência do Banco do Brasil de Boa Viagem, em 2011.

O Banco do Brasil é uma instituição financeira brasileira que é classificada como estatal, sendo constituída de forma de sociedade de economia mista, com participação majoritária do Governo Federal, tendo a seguinte missão:

“Ser um banco competitivo e rentável, promover o desenvolvimento sustentável do Brasil e cumprir a sua função pública com eficiência.”

Durante muitos anos esse banco foi o principal agente financeiro existente na cidade de Boa Viagem, sendo o número de sua agência o 0898-2.

A BASE LEGAL DE SUA CRIAÇÃO:

O Banco do Brasil foi criado por um alvará do dia 12 de outubro de 1808 pelo então Príncipe-regente Dom João de Bragança, futuro Rei Dom João VI de Portugal, por sugestão do Conde de Linhares, Rodrigo de Sousa Coutinho, num conjunto de ações que visavam a criação de indústrias manufatureiras no Brasil, incluindo isenções de impostos para importação de matérias-primas e de exportação de produtos industrializados.

O SÍMBOLO DO BANCO:

A palavra símbolo designa um tipo de signo em que o significante representa algo abstrato, por força de convenção ou semelhança, sendo um elemento essencial no processo de comunicação, encontrando-se difundido pelo quotidiano e pelas mais variadas vertentes do saber humano.
A representação específica para cada símbolo pode surgir como resultado de um processo natural ou pode ser convencionado de modo a que o receptor, uma pessoa ou grupo específico de pessoas, consiga fazer a interpretação do seu significado implícito e atribuir-lhe determinada conotação. O Banco do Brasil possui apenas uma logomarca comercial, sendo ela:

  • O BRASÃO:

O Banco do Brasil é a instituição financeira mais antiga do país e já foi representado por diversos brasões, sendo o último deles o que segue:

Imagem do logotipo utilizado pelo banco.

O brasão desse importante agente financeiro carrega um conjunto de detalhes que resumem um pouco da sua história e dos valores da própria instituição, são eles:

  • As letras: A atual identidade visual dessa instituição financeira é composta por duas letras b entrelaçadas, representando as abreviações do seu nome, como também faz alusão a um cifrão $.

UM POUCO DE SUA HISTÓRIA NO MUNICÍPIO DE BOA VIAGEM:

No passado as movimentações bancárias existentes no Município de Boa Viagem eram bastante difíceis, necessitando do constante deslocamento para outras cidades, fazendo com que os seus moradores escondessem o seu dinheiro e outros pertences, ocasionando a desvalorização do dinheiro e possíveis roubos.

  • A Primeira Agência:

A primeira agência bancaria do Município de Boa Viagem foi inaugurada no dia 14 de junho de 1976, uma manhã de segunda-feira, na gestão do Prefeito Benjamim Alves da Silva, passando a servir a sua população em suas movimentações financeiras em um local estratégico da cidade.

Imagem do local onde primeiro se instalou o Banco do Brasil, em 1976.

O primeiro local de estabelecimento dessa agência foi em um casarão construído pelo Sr. José Bezerra do Vale, que na época pertencia ao Dr. Francisco Vieira Carneiro, o “Major”, e que está localizado na Rua Agronomando Rangel, nº 517, Centro, esquina com a Rua Alfredo de Sousa Terceiro.
Esse local, embora fosse bastante amplo e bem localizado, era completamente adaptado, não oferecendo o conforto e a segurança necessária de sua finalidade.

  • A Segunda Agência:

Mais tarde, percebendo o significativo aumento do volume de seus negócios por conta da pecuária e da produção de algodão existente na região, verificou-se a urgente necessidade da ampliação de sua agência.

Imagem de uma procissão, tendo ao lado às obras de edificação do Banco do Brasil, em 1975.

Nesse intuito, seguindo o plano de expansão do banco, a Superintendência do Banco do Brasil achou por bem ampliar à quantidade de seus funcionários e construir um edifício adequado à prestação de seus valiosos serviços na cidade de Boa Viagem.
Para isso, conseguiu chegar a um acordo financeiro por um lote de terra que é bem localizado no Centro da cidade, que era de propriedade do Sr. Francisco de Oliveira Lima.
Pouco tempo depois, no dia 19 de outubro de 1980, realizou-se a desejada inauguração do edifício da agência, contando nessa ocasião com a presença de várias autoridades do Município e do Estado.

“Em 19 de outubro de 1980, tivemos a solene inauguração da atual agência, que teve às suas instalações abençoadas por Dom Joaquim Rufino do Rêgo, então Bispo da Diocese de Quixadá.” (NASCIMENTO, 2002: p. 237)

Nessa mesma época o Município de Boa Viagem ainda era conhecido por sua excelente produção de algodão, o famoso “ouro branco”, nicho econômico desse Município que infelizmente veio gradativamente diminuindo em sua produção por conta da praga do “bicudo”.
Mais tarde, por volta de 1997, logo após à implantação do plano real, no governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso, aconteceu uma crise financeira entre os bancos brasileiros e várias agências diminuiriam à quantidade de seus negócios, necessitando, para aumentar a sua margem de lucro, se desfazer de imóveis e de partes físicas desses imóveis que eram consideradas desnecessárias.

Imagem do Fórum Desembargador Júlio Carlos de Miranda Bezerra, em 2008.

Diante dessa nova situação a Superintendência do Banco do Brasil negociou o 1º andar de sua agência no Município de Boa Viagem com o Governo do Estado, que imediatamente implantou o Fórum Desembargador Júlio Carlos de Miranda Bezerra.
Mais tarde, nos últimos meses de 2017, logo após a mudança das dependências do fórum para seu próprio imóvel, depois de um acordo com o Governo Municipal, na gestão da Prefeita Aline Cavalcante Vieira, nesse local passou a funcionar a Secretaria da Educação do Município.

O HISTÓRICO DE ASSALTOS A ESSA AGÊNCIA:

Essa agência, por conta da movimentação financeira produzida pela agricultura, pecuária e do comércio, os principais setores da economia local, possui um fluxo financeiro bastante considerável para uma cidade do interior do Estado do Ceará, sofrendo por causa disso dois grandes assaltos em sua história.
O primeiro deles aconteceu no início da tarde do dia 2 de setembro de 1986 quando um pequeno bando de criminosos, estando fortemente armados, em uma tentativa desastrosa de assalto, foi surpreendido no momento da fuga.
Nesse dia, por volta das 14h30min, essa agência foi invadida por três elementos, enquanto outro ficou lentamente rodeando as imediações em um automóvel, fato que causou forte suspeita entre os moradores da cidade, que informaram de sua desconfiança na portaria da Rádio Asa Branca, que funcionava bem próximo do banco e imediatamente divulgou o acontecimento no programa apresentado por Manoel Moreira Melo, notícia que causou certo alvoroço na população.
Em acordo com a matéria publicada na página 14 do jornal O POVO, edição do dia 3 de setembro de 1986, conhecemos outros detalhes dessa ação:

“A polícia apurou que a quadrilha havia chegado a este Município há quatro dias, permanecendo acampada na periferia. Os ladrões ocupavam a Belina placa LDO-5970, licença de Tauá, pertencente a Amaro Fernandes Neto… durante uma exposição agropecuária. Por diversas vezes os quatro ladrões havia visitado a cidade para observar o movimento em torno do banco… o assalto foi elaborado há meses em Tucumã, no Estado do Pará, onde os quatro homens se conheceram.”

No assalto ao banco, não imaginamos por qual motivo esse motorista resolveu entrar na agência para ajudar os seus comparsas e nesse meio tempo, percebendo que o carro estava sem vigilância, populares decidiram murchar os pneus do veículo e juntamente com alguns policiais prepararam uma emboscada para os assaltantes.
O veículo da fuga ficou estacionado na Rua José Rangel de Araújo, entre o edifício da Prefeitura de Boa Viagem e à agência do Banco do Brasil.
Depois da coleta do dinheiro os assaltantes saíram do banco utilizando um dos reféns como escudo e de armas em punho conseguiram chegar até ao carro, até que, em um momento de descuido, a polícia conseguiu atingir o criminoso com o refém, mas não impediu que os outros três entrassem no veículo, que mesmo com os pneus vazios saiu em disparada.
Tentando furar o cerco, trocaram vários tiros com o pequeno corpo de polícia militar do Município, que no revide conseguiu acertar o motorista, que inconsciente jogou o carro contra a calçada da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem.

Imagem dos corpos dos envolvidos no assalto publicado no jornal.

Depois da colisão dois assaltantes saíram do veículo e se espalharam pelas ruas da cidade, um deles levou uma rajada de balas e morreu ao pé da porta da igreja, outro, ferido, conseguiu se refugiar em uma das casas nas proximidades do assalto:

“Três assaltantes mortos, um preso e cerca de Cz$ 600 mil recuperados. Este é o resultado do assalto frustrado ocorrido no início da tarde… O gerente Francisco José Mota chamou chamou o delegado Luís Carlos Barbosa, pelo telefone, logo que viu os quatro ladrões entrarem no banco. Quando a quadrilha já se preparava para fugir foi cercada pela polícia, estabelecendo-se um tiroteio. No final da troca de tiros, estavam mortos Adecildo Ferreira Jorge, natural da cidade de Araguaçu, em Goiás, 23 anos, filho de Zacarias da Silva Jorge e Dalva Dias Ferreira; Elder Jeovani Ramos de Godoy, natural do Município de Dourados, Mato Grosso do Sul, 24 anos, filho de Durval Lúcio de Godoy e Francisca Ramos de Godoy; e de um homem identificado apenas com o apelido de “Chinguara”, 25 anos, presumível maranhense. Foi preso e autuado em flagrante o assaltante Luiz Pereira pinto, 23 anos, nascido na cidade de Croatá, também no Maranhão.”

Logo após essa ação a notícia foi divulgada em rede nacional pelas emissoras de tv e foi constatado que os assaltantes, depois das investigações, eram de uma quadrilha de componentes de vários Estados, sendo eles: Mato Grosso do Sul, Goiás e Maranhão.
Ao fim desta ação, quando tudo já estava resolvido, um fato engraçado ocorreu e até hoje está guardado na memória das pessoas que testemunharam esse fato, quando o prefeito da cidade, José Vieira Filho, popularmente conhecido como “Mazinho”, sem um motivo aparente, provavelmente tentando demonstrar poder, tirou o seu revólver do paletó e desferiu dois disparos para o alto.
Diante deste fato inesperado, durante os dias que se seguiram, populares diziam nas calçadas ao meio dos muitos risos que “depois que os bandidos foram mortos é que o valentão da cidade apareceu!”

Imagem da agência do Banco do Brasil antes do segundo assalto.

Muitos anos mais tarde, na madrugada do dia 2 de setembro de 2013, exatamente 27 anos depois do último assalto, um novo crime dessa natureza voltou a acontecer, conforme nos relata uma matéria do jornal Tribuna do Ceará.

“Um grupo de aproximadamente 20 pessoas explodiu na madrugada desta segunda-feira (2) à agência do Banco do Brasil, localizada no Município de Boa Viagem, a 222 km de Fortaleza. Segundo informações do soldado Alex, da 4ª Companhia do Batalhão da Polícia Militar (BPM), parte do grupo se dirigiu à delegacia e trocou tiros com a polícia, enquanto a outra parte ficou encarregada de explodir o banco, cuja estrutura foi totalmente destruída. O soldado disse que a quadrilha conseguiu atingir o cofre e levar o dinheiro, mas a quantia ainda não foi informada. Não houve feridos durante a ação. Este foi o 105° ataque a banco, segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará.”

Nesse assalto, os criminosos chegaram quando a população da cidade já estava dormindo, conseguindo tirar proveito do fator surpresa para levar vantagem sobre os agentes da lei.

Imagem da agência do Banco do Brasil depois do assalto, em 2013.

O bando, que estava dividido em três equipes, em sua maioria camuflados com fardas militares e bem municiados, cronometricamente agiu se espalhado entre os principais pontos da cidade.
O primeiro grupo se colocou estrategicamente nas imediações do presídio, que está localizado na esquina da Rua Teófilo Amaro, s/nº, com a Rua José Leal de Oliveira, Centro.
O segundo grupo, em várias motocicletas, perseguiu a equipe policial do RONDA do Quarteirão, que prontamente refugiou-se fora da zona urbana, tentando entrar em contato por rádio com o Quartel do 4º Batalhão de Polícia Militar, que está sediado no Município de Canindé, e com às delegacias das cidades vizinhas no intuito de se reagruparem e armarem um revide eficaz.
Ao mesmo tempo em que tudo isso ocorria na cidade, o terceiro grupo, após conseguir alguns reféns, invadiu o banco destruindo uma de suas vidraças e armou cargas de explosivos junto ao cofre, conseguindo com uma pequena pausa realizar duas explosões.
A primeira detonação causou um grande estrago na estrutura do prédio, acordando grande parte da população, que não imaginava o que estava acontecendo e rapidamente congestionou às linhas ligando para o telefone 190.
No presídio, onde ficava o permanente da polícia militar, que estava sob fogo, os cidadãos eram imediatamente informados do assalto e eram alertados para que se acalmassem e não saíssem de suas casas.
Na segunda detonação, que provavelmente recebeu uma maior carga de explosivos, aconteceu um pequeno black-out, que logo voltou a normalidade.
Foram mais de 40 minutos de terror, com explosões, tiros e de correria nas ruas da cidade até que, depois que tinham em mãos aquilo que vieram buscar, empreenderam fuga pelo trecho carroçável da Rodovia Estadual CE-266, que dá acesso ao Distrito de Domingos da Costa.

Imagem da agência do Banco do Brasil, logo após o assalto.

Certificados da fuga, bando de populares começaram a chegar nas imediações da agência e presenciaram uma cenário de destruição que atingiu não somente ao banco, mas também a alguns imóveis da vizinhança.

A ESTRUTURA FÍSICA:

Para executar bem as suas atividades, gerando segurança e conforto para os seus funcionários e clientes, a agência do Banco do Brasil da cidade de Boa Viagem possui a seguinte estrutura:

  • Setor Administrativo:
  1. Arquivo: 1
  2. Banheiro: 1
  3. Cantina: 1
  4. Cofre: 1
  5. Cozinha: 1
  6. Depósitos: 2
  7. Pátio aberto: 1
  8. Tesouraria: 1
  • Setor de Atendimento:
  1. Autoatendimento: 1
  2. Caixas: 3
  3. Gerências: 3

Imagem da agência do Banco do Brasil da cidade de Boa Viagem, em 2019.

O CONTATO:

Os canais de comunicação com a agência do Banco do Brasil da cidade de Boa Viagem são os seguintes:

  • Telefones:
  1. 88.3427-1112;
  2. 88.3427-1344.

BIBLIOGRAFIA:

  1. FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  2. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.