Walter Batista de Santana

walter-batista-de-santanaWalter Batista de Santana nasceu no Município de Quixeramobim, que está localizado no Sertão Central do Estado do Ceará, distante 203 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Eudoro Batista de Santana e de Clotildes Batista de Santana.
Foi casado com Maria do Rosário de Albuquerque Santana, que era filha de Lafaiete de Albuquerque Lima e de Adélia Cordeiro de Albuquerque.
Desse matrimônio foram gerados três filhos, todos homens, sendo eles: Eudoro Walter de Santana, José Walter Batista Santana e Walter Batista de Santana Filho.
Na administração de Francisco Meneses Pimentel, interventor do Estado do Ceará, recebeu nomeação para assumir a função de intendente da Prefeitura de Boa Viagem, ocupando essa função entre o dia 27 de fevereiro ao dia 21 de novembro de 1945, quando foi destituído desse cargo pelo Dr. Benedito Augusto Carvalho dos Santos, que entregou essa função ao Dr. Lourival Soares e Silva.
Nesse período, de acordo com uma matéria que foi publicada no jornal A Noite, edição do dia 19 de maio de 1945, esteve presente com outras lideranças políticas do Município de Boa Viagem na convenção que deu apoio a candidatura do General Eurico Gaspar Dutra à presidência da república.

“Boa Viagem – Walter Batista de Santana, prefeito municipal, Fausto Nilo Costa, Delfino de Alencar Araújo, Antenor Gomes de Barros Leal, Francisco Araújo Filho, Ataciso Cavalcante Mota e José Rangel de Araújo.”

Pouco tempo depois desse fato, prestando concurso para o exercício da função de serventuário do Cartório de 2º Ofício, foi preterido dessa função pelo nome de Francisco Nunes Fernandes, que já era o escrivão interino desse cartório e havia se inscrito ex-ofício, não apresentando todos os documentos exigidos pelo certame.

“Interpondo recurso Walter Batista de Santana, classificado em 1º lugar, em face dos pareceres do Consultor Geral do Estado…. por ato de 7 de janeiro de 1947, resolveu o governo anular o concurso, alegando preterição das formalidades legais, ficando prejudicada a nomeação de Francisco Nunes Fernandes. Para o seu lugar, foi nomeado interinamente o cidadão José Cândido de Carvalho… Assim, tendo em vista a reclamação interposta em tempo hábil… o governador do Estado houve por bem… retificando o despacho reclamado, considerar válido o concurso. E, consequentemente, determinar a nomeação do concorrente, Walter Batista de Santana, para o cargo de 2º tabelião, candidato que alcançou o primeiro lugar no referido concurso, ficando anulada a inscrição do concorrente, Francisco Nunes Fernandes, pelos motivos expostos…” (MACÊDO, 1991: p. 147)

Mais tarde, depois da resolução desse fato, no dia 24 de março de 1947, segundo informações expostas no Diário Oficial do Estado do dia 1º de março, foi nomeado vitaliciamente para função de 2º tabelião do Cartório de Registros, Títulos, Documentos e Registro de Imóveis do Município de Boa Viagem.
No dia 25 de fevereiro de 1950, em uma nova petição, solicitou contagem de tempo de serviço público como funcionário municipal, pedindo dispensa de sua função de 2º tabelião, que foi atendida no dia 14 de novembro do mesmo ano, sendo substituído por Quintiliano Vieira Filho.
Antes do atendimento de sua solicitação de exoneração, no pleito eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 1950, desejando retornar à vida pública do Município de Boa Viagem por meio de uma das cadeiras na Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos da UDN, a União Democrática Nacional, conseguiu ser eleito ao receber a confiança de 232 eleitores, se consagrando como o vereador com a segunda maior votação dessa eleição.
Pouco tempo depois de assumir o seu mandato, desejando melhores condições para sobreviver, resolveu transferir-se com a sua família para cidade de Fortaleza, sendo substituído na Câmara de Vereadores por Jerônimo Alves Bezerra.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, através da lei nº 459, de 21 de março de 1988, uma das ruas do Bairro Centro, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.