Oliveira Ferreira Franco

Oliveira Ferreira Franco nasceu no dia no Município de Boa Viagem, que está localizado no sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Felix Ferreira Franco.
No dia 15 de novembro de 1966, desejando entrar na vida pública através de uma das cadeiras da Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos da ARENA 1, a Aliança Renovadora Nacional, foi eleito ao exercício de seu primeiro mandato ao receber a confiança de 268 eleitores, ficando entre os três vereadores como o maior número de votos em sua coligação.
Nessa legislatura, dando apoio aos projetos vindos do gabinete do Prefeito José Vieira Filho, aprovou dotação orçamentaria para implantação de um tiro de guerra no Município de Boa Viagem; Aprovou a aquisição de uma propriedade e a posterior construção do Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima; Aprovou a doação da propriedade em que foi construída uma Agência do Banco do Estado do Ceará e aprovou a implantação do Serviço Autônomo de Água e Esgoto na cidade de Boa Viagem.
Na eleição municipal seguinte, que ocorreu no dia 15 de novembro de 1970, ainda na bancada da ARENA, desejando a sua reeleição, conseguiu receber apenas 199 votos, ficando na suplência de sua coligação.
Na disputa eleitoral do dia 15 de novembro de 1972, continuando nos quadros políticos da ARENA, conseguiu retomar a sua cadeira no Poder Legislativo depois de receber 347 votos, ficando entre os nove vereadores de maior votação desse pleito.
Nessa legislatura, apoiou aos projetos encaminhados pelo gabinete do Prefeito Dr. Francisco Vieira Carneiro, foram eles: Criação do plano rodoviário municipal; Construção do Centro Comunitário Dep. José Vieira Filho; Construção da Escola de Ensino de Fundamental David Vieira da Silva; Construção do Centro de Abastecimento Municipal Walkmar Brasil Santos; Reforma da Praça Vereador José Vieira de Lima; Instalação da CODAGRO e outros.
No dia 15 de novembro de 1976, ainda militando na bancada da ARENA, conseguiu ser reeleito ao exercício de seu terceiro mandato.
Nessa legislatura, que foi prorrogada por mais dois anos, dando apoio ao projetos vindos do gabinete do Prefeito Benjamim Alves da Silva, aprovou orçamento da construção do Centro Administrativo Gov. Virgílio de Morais Fernandes Távora; a instalação do projeto sertanejo; a construção do Terminal Rodoviário Samuel Alves da Silva; a construção do Terminal Aéreo Cel. Virgílio de Morais Fernandes Távora; a construção do Açude da Massangana; a construção das muralhas do Estádio Municipal Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto e a instalação da EMATERCE, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará.
No pleito eleitoral seguinte, que ocorreu no dia 15 de novembro de 1982, dessa vez compondo à bancada do PDS, o Partido Democrático Social, com a legenda nº 1.630, desejando seguir para o seu quarto mandato, conseguiu receber apenas 248 votos, ficando novamente na suplência de sua coligação.