O Marco Zero

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

O Marco Zero do Município de Boa Viagem é um ponto geográfico urbano que está localizado na Lagoa do Cavalo Morto, dentro da Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, no Centro da cidade de Boa Viagem, no Município de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem aérea do Encontro das Pedras, em 2015.

Imagem aérea do conjunto arquitetônico da Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, em 2015.

Esse importante marco geográfico, que foi criado pela lei municipal nº 1.214, de 22 de setembro de 2014, é considerado pelos boa-viagenses como o local onde a povoação de Cavalo Morto, que era o topônimo da cidade, teve a sua primeira construção pública, que foi a capela que deu origem ao templo da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem.

“Art. 1º – Fica instituído como Marco Zero do Município de Boa Viagem a Lagoa do Cavalo Morto, localizada na Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima, paço do Centro Administrativo Governador Virgílio de Morais Fernandes Távora, em comemoração da passagem dos 150 anos de emancipação política do Município.”

É desse marco que devem ser feitas todas as medições oficiais de distâncias situadas nas placas toponímicas existentes no Município, constituindo-se em um dos principais pontos de turismo da cidade.

“Art. 3º – O Marco Zero será referência para todas as medidas de distância e nível, relativas ou absolutas, no Município de Boa Viagem.”

Esse marco de referência do Município deveria estar dentro da representação da lagoa que era formada pelo Rio Boa Viagem, que na época da passagem de seu sesquicentenário não foi construída por conta da grave crise hídrica que o Município enfrentava, quando a prefeitura tinha por prioridade apresentar soluções de combate à seca aos moradores da cidade, que sofriam por conta do racionamento das águas que vinham do Açude Prefeito José Vieira Filho.

Imagem do protótipo do Marco Zero que deveria ter sido colocado nesse local.

Outra finalidade desse marco é dividir os bairros da cidade utilizando o critério de regiões geográficas, tendo esse simbolo como o ponto de partida, teremos a seguinte divisão:

  1. Zona Norte: Boaviaginha, Floresta e Várzea do Canto;
  2. Zona Sul: Vila Holanda;
  3. Zona Leste: Osmar Carneiro;
  4. Zona Oeste: Alto da Queiroz e Alto do Motor.

Utilizando o mesmo critério acadêmico de localização dos bairros, nos pontos colaterais ao Centro, teremos a seguinte classificação:

  1. Nordeste: José Rosa e Tibiquari;
  2. Noroeste: Padre Paulo e Recreio;
  3. Sudeste: Nossa Srª de Fátima;
  4. Sudoeste: Ponte Nova e Vila Azul.

Esse marco, que deverá servir como atração turística, possuirá também uma dimensão pedagógica, pois esse local poderá servir também como ferramente para execução de excelentes aulas de campo para os professores e alunos da rede pública e privada do Município.

76 ideias sobre “O Marco Zero

  1. Pingback: A DIVISÃO ADMINISTRATIVA DA SEDE | História de Boa Viagem

  2. Pingback: TURISMO | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Bairro Centro | História de Boa Viagem

  4. Pingback: Encontro das Pedras | História de Boa Viagem

  5. Pingback: Cachoeirão das Almas | História de Boa Viagem

  6. Pingback: Bairro Alto do Motor | História de Boa Viagem

  7. Pingback: Bairro Alto da Queiroz | História de Boa Viagem

  8. Pingback: Bairro Boaviaginha | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Bairro Vila Azul | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Bairro Vila Holanda | História de Boa Viagem

  11. Pingback: Bairro de Nossa Srª de Fátima | História de Boa Viagem

  12. Pingback: Bairro Floresta | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Bairro José Rosa | História de Boa Viagem

  14. Pingback: Bairro Osmar Carneiro | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Bairro Padre Paulo | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Bairro Ponte Nova | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Bairro Recreio | História de Boa Viagem

  18. Pingback: Bairro Tibiquari | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Bairro Várzea do Canto | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Praça Monsenhor José Cândido de Queiroz Lima | História de Boa Viagem

  21. Pingback: BV’s | História de Boa Viagem

  22. Pingback: Cachoeirão dos Ferreiras | História de Boa Viagem

  23. Pingback: Cachoeira do Escondido | História de Boa Viagem

  24. Pingback: A Pedra da Ema | História de Boa Viagem

  25. Pingback: Rio Boa Viagem | História de Boa Viagem

  26. Pingback: O Poço do Letreiro | História de Boa Viagem

  27. Pingback: Os Cemitérios Indígenas | História de Boa Viagem

  28. Pingback: Casarão das Almas | História de Boa Viagem

  29. Pingback: A Pedra Encantada | História de Boa Viagem

  30. Pingback: A Pedra do Letreiro | História de Boa Viagem

  31. Pingback: A Pedra do Lajedo | História de Boa Viagem

  32. Pingback: O Letreiro dos Albertos | História de Boa Viagem

  33. Pingback: O Serrote da Onça | História de Boa Viagem

  34. Pingback: A Lagoa do Cavalo Morto | História de Boa Viagem

  35. Pingback: Trapiá dos Martins | História de Boa Viagem

  36. Pingback: Trapiá | História de Boa Viagem

  37. Pingback: Trapiá dos Lobos | História de Boa Viagem

  38. Pingback: Trapiazeiro | História de Boa Viagem

  39. Pingback: Fazenda Nova | História de Boa Viagem

  40. Pingback: Anafuê | História de Boa Viagem

  41. Pingback: Várzea da Cruz | História de Boa Viagem

  42. Pingback: Santa Terezinha | História de Boa Viagem

  43. Pingback: Varzantinha | História de Boa Viagem

  44. Pingback: Santos Cosme | História de Boa Viagem

  45. Pingback: Boa Ventura | História de Boa Viagem

  46. Pingback: Domingos da Costa | História de Boa Viagem

  47. Pingback: Agreste | História de Boa Viagem

  48. Pingback: Águas Belas | História de Boa Viagem

  49. Pingback: Algodões | História de Boa Viagem

  50. Pingback: Conceição | História de Boa Viagem

  51. Pingback: Holanda | História de Boa Viagem

  52. Pingback: Lagoa do Senador | História de Boa Viagem

  53. Pingback: Capitão-Mor | História de Boa Viagem

  54. Pingback: Alívio | História de Boa Viagem

  55. Pingback: Almas | História de Boa Viagem

  56. Pingback: Altos | História de Boa Viagem

  57. Pingback: Alto do Descanso | História de Boa Viagem

  58. Pingback: Gurupi | História de Boa Viagem

  59. Pingback: Algodão | História de Boa Viagem

  60. Pingback: Angicos | História de Boa Viagem

  61. Pingback: Águas Claras | História de Boa Viagem

  62. Pingback: Timbaúba | História de Boa Viagem

  63. Pingback: Jatobá | História de Boa Viagem

  64. Pingback: Aleixo | História de Boa Viagem

  65. Pingback: Cachoeira dos Andrés | História de Boa Viagem

  66. Pingback: Salva Terra | História de Boa Viagem

  67. Pingback: Arara dos Francos | História de Boa Viagem

  68. Pingback: Arvoredo | História de Boa Viagem

  69. Pingback: Areias | História de Boa Viagem

  70. Pingback: Alto Alegre | História de Boa Viagem

  71. Pingback: Poço d’Água | História de Boa Viagem

  72. Pingback: Areia dos Lessas | História de Boa Viagem

  73. Pingback: Serrote da Cabeça de Pedra | História de Boa Viagem

  74. Pingback: Boa Esperança | História de Boa Viagem

  75. Pingback: Poço da Pedra | História de Boa Viagem

  76. Pingback: Oiticica | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta