Marcos José Cavalcante Sampaio

marcos-jose-cavalcante-sampaioMarcos José Cavalcante Sampaio nasceu no dia 15 de setembro de 1961 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Egídio Sampaio e de Francisca Cavalcante Sampaio.
Os seus avós paternos se chamavam José de Queiroz Sampaio e Maria Conceição de Oliveira Sampaio, já os maternos eram João Joca Cavalcante e Adelaide de Carvalho Citó.
Quando era criança, passou grande parte da sua infância residindo com os seus irmãos e pais na Rua Alfredo de Sousa Terceiro, nº 635, Centro, onde existia uma casa com um enorme quintal e frondosas árvores, um sonho para qualquer criança.
Nessa mesma época logo ganhou o apelido carinhoso de “Marquinhos”, ou o de posse, “Marquinhos do Egídio”, hábito comum das cidades interioranas do Nordeste.
Nesse tempo, quando ainda era criança, adorava estar ao lado do seu pai atendendo no balcão da antiga “Casa das Ferragens”, uma casa comercial que estava localizado na Rua Capitão Raimundo Ribeiro do Nascimento, nº 7, esquina com a Rua Agronomando Rangel, no Centro da cidade de Boa Viagem.
O outro local que rotineiramente era fácil de lhe encontrar era na localidade de Várzea do Canto, onde o seu pai possuía uma lucrativa propriedade.
Segundo informações existentes no livro B-04, pertencentes ao Cartório Geraldina, 1º Ofício, tombo n° 1.415, folha 183v, no dia 13 de dezembro de 1980, contraiu matrimônio com Maria de Fátima Sousa Sampaio, que era nascida no dia 18 de junho de 1964, sendo filha de Antônio Otávio de Sousa com Maria Rodrigues de Sousa.
Desse matrimônio foram gerados dois filhos, um homem e uma mulher, sendo eles: Magno de Sousa Sampaio e Thatiana Magda de Sousa Sampaio.
Nessa época, primeiros anos da década de 1980, em sociedade com o Dr. Francisco Segismundo Rodrigues dos Santos Neto, o Dr. Sérgio, fundou a “Farmácia do Povo”, que estava localizada nas proximidades do comércio de seu pai.
Pouco tempo depois, desejando entrar na vida pública por meio de um mandato eletivo na Câmara Municipal de Vereadores, militando nos quadros políticos do PDS, o Partido Democrático Social, registrou a sua candidatura com a legenda nº 1.625, porém não fez campanha eleitoral.
No últimos meses de 1986, aos 25 anos de idade, conciliando as responsabilidades do trabalho com os estudos, finalmente conseguiu concluir o curso Cientifico na Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, que está localizada na Rua Alfredo de Sousa Terceiro, nº 680, Centro.
Pouco tempo depois, no dia 5 de janeiro de 1987, após o fechamento da farmácia e concluído os estudos secundários, enfrentando o medo de nunca ter saído de sua terra natal, tentando a sorte, resolveu passar uma temporada na cidade de Brasília, o Distrito Federal, passando a residir com a sua família na QSF, Rua nº 13, casa nº 5 A.
Nessa cidade, procurando se adequar aos hábitos locais, abriu o seu próprio negócio vendendo produtos hortigranjeiros.
Poucos meses depois, no dia 10 de fevereiro de 1988, percebendo que Brasília não era aquilo que imaginava, resolveu voltar ao Estado do Ceará, desta vez passando a residir na cidade de Fortaleza na Rua Oscar Araripe, s/n°, no Bairro Bonsucesso, trabalhando no mesmo ramo comercial que explorava na cidade de Brasília.
Nessa mesma época, por incompatibilidade de gênios e de forma amigável, resolveu colocar um fim em seu relacionamento conjugal, regressando para a sua terra natal, onde continuou comercializando artigos hortigranjeiros.
No pleito eleitoral que se aproximava, o que ocorreu no dia 3 de outubro de 1992, confiando no apoio de alguns amigos e contando com a benção de seu velho sócio, o Dr. Sérgio, colocou o seu nome na disputa por uma das vagas do Poder Legislativo, ficando na primeira suplência de seu partido e assumindo posteriormente o seu mandato quando a Vereadora Maria Lúcia Costa Campos foi convidada para assumir à pasta da chefia de gabinete da Prefeitura de Boa Viagem.
Na eleição municipal seguinte, que ocorreu no dia 3 de outubro de 1996, ainda nos quadros políticos do PTB, com a legenda nº 12.612, voltou a disputar um mandato eletivo, recebendo a confiança de apenas 445 eleitores, ficando novamente na primeira suplência de sua coligação, assumindo posteriormente o seu mandato quando a Vereadora Maria Lúcia Costa Campos foi convidada para assumir à pasta da chefia de gabinete na gestão do Prefeito Dr. Francisco Vieira Carneiro.

Carnaval de 2007.

Imagem de Marcos José Cavalcante Sampaio no carnaval de 2007.

Nessa época, depois de algum tempo divorciado, passou a conviver em união estável com Maria Aldenira Barros Uchôa Silva, conhecida por Nira, que era nascida no dia 25 de março de 1967, sendo filha de Izaias Uchôa com Zuleica Barros Uchôa.
Dessa nova união conjugal nasceu apenas um filho, sendo ele João Marcos Uchôa Cavalcante Sampaio.
No dia 1º de setembro de 2001, atestado o seu bom comportamento em sociedade, foi iniciado como aprendiz de maçom na Loja Maçônica Cavaleiros do Amor, nº 79, onde posteriormente chegou ao grau de mestre.
No pleito eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 2004, militando nos quadros políticos do PTB, o Partido Trabalhista Brasileiro, com a legenda nº 14.698, novamente concorreu a uma das vagas do Poder Legislativo, recebendo nessa eleição a confiança de 484 eleitores e ficando novamente na suplência de seu partido.
Sem conseguir êxito nas urnas, na segunda gestão do Prefeito D. Fernando Antônio Vieira Assef, foi convidado para assumir à pasta da Secretaria de Obras e Infraestrutura da Prefeitura do Município de Boa Viagem.
Nessa secretaria, com muita dedicação, empreendeu um grande e valioso trabalho de divulgação e sensibilização em favor do meio ambiente, principalmente no que se refere à coleta seletiva de lixo, algo que infelizmente não foi posto em prática pela comunidade e pelo Governo Municipal nas gestões seguintes.

marcos-sampaio

Imagem de sua propaganda de campanha.

Nas eleições municipais que ocorreram no dia 5 de outubro de 2008, novamente pelo PTB, agora com a legenda nº 14.000, recebeu a confiança de apenas 97 eleitores, ficando outra vez na suplência de seu partido.
Depois desse pleito, ficando fora da vida pública, voltou a comercializar produtos hortifrutigranjeiros no Centro da cidade de Boa Viagem.
Segundo informações existentes no livro C-07, pertencente ao Cartório Geraldina, tombo nº 5.647, folha 145v, faleceu na cidade de Boa Viagem no dia 8 de agosto de 2010 enquanto estava sendo socorrido na emergência do Hospital e Casa de Saúde Adília Maria de Lima, que está localizado na Avenida São Vicente de Paulo, nº 101, Centro, vítima de um ataque cardíaco, quando estava prestes a completar 50 anos de idade.
Logo após o seu falecimento, depois das despedidas fúnebres que são de costume, o seu corpo foi sepultado no túmulo da família que existe no Cemitério Parque da Saudade, que está localizado na Rua Joaquim Rabêlo e Silva, nº 295, Centro.

tumulo-da-familia-sampaiojpg

Imagem do túmulo da Família Sampaio, em 2014.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, depois de ser orientado pelo Ministério Público do Estado através do promotor da comarca, Dr. Marcus Vinícius Amorim de Oliveira, por força da lei nº 6.454, de 24 de outubro de 1977, que trata sobre a proibição da utilização do nome de pessoas vivas em edifícios públicos, bem como no que está escrito no artigo nº 14 da Lei Orgânica do Município, o Posto de Saúde da Família Senador Lúcio Gonçalo de Alcântara teve o seu nome revogado e alterado, através da lei nº 1.109, de 6 de julho de 2011, para Posto de Saúde da Família Marcos José Cavalcante Sampaio;
  2. Em sua memória, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, através da lei nº 1.192, de 14 de março de 2014, uma escola da rede municipal recebeu a sua nomenclatura.