José Vieira de Lima Filho

Dr. José Vieira de Lima FilhoJosé Vieira de Lima Filho nasceu no dia 12 de abril de 1925 no Município de Boa Viagem, que está localizado no Sertão de Canindé, no Estado do Ceará, distante 217 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de José Vieira de Lima e de Adília Maria de Lima.
Os seus avós paternos se chamavam Quintiliano Vieira Lima e Felisbela Vieira de Freitas, já os maternos eram Teófilo da Costa Oliveira e Francisca Juliana da Conceição.
Em sua infância, juntamente com alguns dos seus irmãos, enquanto residia na Fazenda Jantar, propriedade que era pertencente aos seus pais, foi pacientemente alfabetizado pela Profª Hercília Amaro Mesquita:

“Os meus pais me encaminharam aos primeiros passos rumo à escola para aprender as primeiras letras… Era uma escolinha particular com poucos alunos, funcionando numa sala inadequada, da própria residência de Dona Hercília. Era ali que aprendíamos o B-A-BÁ e as primeiras contas de tabuada.” (VIEIRA FILHO, 2008: p. 28-29)

Já nessa época, embora parecesse algo muito distante para um menino do Sertão, revelara para os seus irmãos o desejo de ser médico, diferente de muitos, que a exemplo de seu pai optaram pela política.
No início de sua adolescência, preocupado com os seus estudos, os seus pais decidiram encaminhá-lo para cidade de Fortaleza, onde cursou o primário, depois o ginasial e por fim parte do secundário, tendo concluída essa última etapa na cidade do Rio de Janeiro, na época Capital Federal.
Nesse período, início dos anos 1940, o mundo andava perplexo com os horrores da Segunda Guerra Mundial e o Brasil se aproximava desse conflito depois que o Presidente Getúlio Dornelles Vargas declarou guerra aos países do Eixo.
No dia 22 de agosto de 1942, com 17 anos de idade, era um potencial candidato a compor as fileiras da FEB, a Força Expedicionária Brasileira, no teatro de guerra europeu, mas para o alívio de seus pais não chegou a ser convocado e pode dar continuidade aos seus estudos.
Pouco tempo mais tarde, no dia 2 de setembro de 1945, depois da declaração do encerramento desse conflito bélico, a tensão juvenil por conta da gurra também chegou ao fim e a partir daí pode concentrar a sua atenção nos estudos até que, em 1947, ingressou em uma das turmas da Faculdade Nacional de Medicina, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Nessa época, ainda como estudante, para compor a sua renda, passou a trabalhar como auxiliar médico atendendo na cidade do Rio de Janeiro depois de ser aprovado em concurso público:

“No decorrer do curso médico, exerceu as atividades universitárias de representante de turma junto ao Diretório Acadêmico, de representante do mesmo diretório na realização do XI Congresso Nacional de Estudantes, em 1949, e auxiliar de médico, por concurso, da Prefeitura do antigo Distrito Federal.” (LIMA FILHO, 1988: p. 113)

No dia 5 de junho de 1951, por unanimidade de votos, foi admitido na Associação Brasileira de Escritores. Pouco tempo depois, no dia 12 de dezembro de 1952, no Salão Nobre da Faculdade Nacional de Medicina da Universidade do Brasil, depois de alguns anos de estudo, foi escolhido pela turma para ser orador na solenidade de despedida.
Depois da conclusão de seu curso, passou algum tempo nos quadros funcionais do governo da cidade do Rio de Janeiro até que, almejando novas oportunidades, resolveu se estabelecer na cidade de Maringá, no Estado do Paraná:

“Uma vez formado em Medicina, foi credenciado assistente do Serviço de Obstetrícia do Hospital dos Servidores do Estado (HSE), cargo que ocupou durante 2 anos, quando solicitou exoneração para exercer clinica particular na cidade de Maringá, no Estado do Paraná, cuja sociedade médica ajudou a fundar, tendo exercido as funções de seu primeiro orador oficial.” (LIMA FILHO, 1988: p. 113)

Nos últimos meses de 1955, ainda residindo na cidade de Maringá, que pouco tempo antes tinha conseguido a sua emancipação política do Município de Mandaguari, juntamente com outros colegas de profissão, investiu na fundação de uma sociedade médica.

Imagem de José Vieira de Lima rodeado pelos seus filhos.

Imagem de José Vieira de Lima rodeado pelos seus filhos.

Nesse mesmo ano, por conta das várias dificuldades existentes em um Município ainda sem estrutura, resolveu retornar para cidade do Rio de Janeiro, onde no dia 13 de março de 1957 retornou ao quadro efetivo de funcionários do Distrito Federal:

“Desejoso de ingressar no serviço público, retornou ao Rio de Janeiro, em setembro de 1955, época em que foi designado, interinamente, assistente do Serviço de Ginecologia do HSE para o qual foi nomeado médico, em caráter efetivo, em virtude de concurso público de títulos e provas.” (LIMA FILHO, 1988: p. 114)

Mais tarde, no dia 30 de junho de 1958, foi responsabilizado pela chefia dos ambulatórios da Policlínica Alexander Fleming, do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado, o IPASE, ocupando essa função até o dia 18 de agosto de 1958, quando foi indicado como titular da subdivisão de assistência médico-hospitalar do departamento de assistência do referido instituto, permanecendo nessa função até o dia 26 de junho de 1961, quando assumiu a chefia do serviço de perícias médicas:

“Essa maternidade destinava-se a atender aos servidores federais que contribuíssem para o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado, o IPASE… contava com 50 leitos e quatro leitos de BCI, berçários de cuidados Intensivos, incluindo seção de prematuros.” (SEM AUTOR, 2007: Policlínica Alexander Fleming. Disponível em www.sms.rio.rj.gov.br. Acesso em 17 de julho de 2015)

No dia 26 de fevereiro de 1962, sob nova direção, voltou a dirigir a referida subdivisão de assistência médica, cargo exercido por ele nas três gestões que se seguiram, período que integrou também diversos grupos de trabalho. No IPASE, ocupou ainda a função de consultor médico do Departamento de Assistência.
Algum tempo antes, no dia 21 de novembro de 1960, foi nomeado médico do SANDU, o Serviço de Assistência Médica e Domiciliar de Urgência. Antes disso, no dia 15 de março de 1960, foi surpreendido pela notícia do repentino falecimento de sua mãe na cidade de Fortaleza. Pouco tempo depois, no dia 27 de março de 1967, foi a vez do seu pai.
Entre os dias 15 de julho e 24 de setembro de 1969 realizou estágio no Hospital de Oncologia do Centro Médico Nacional do Instituto Mexicano de Seguro Social, sendo lotado depois disso também no Serviço de Ginecologia do Hospital da Lagoa, que está localizado na Rua Jardim Botânico, nº 501, Bairro Jardim Botânico, na cidade do Rio de Janeiro:

“Nosso interesse pela quimioterapia dos tumores malignos do aparelho genital feminino renovou-se a partir de 1969, quando realizamos estágio no Hospital de Oncologia do Centro Médico Nacional do Instituto Mexicano de Seguro Social.” (LIMA FILHO, 1977: p. 01)

Permaneceu simultaneamente prestando os seus serviços nesses nosocômios até o dia 25 de junho de 1976, quando se afastou para gozar a sua merecida aposentadoria.
Durante muitos anos de sua carreira profissional foi membro titular do CBC, o Colégio Brasileiro de Cirurgiões, que está localizado na Rua Visconde Silva, nº 52, 3º andar, no Bairro de Botafogo, no Estado do Rio de Janeiro:

“Realizou diversos cursos especializados de extensão universitária relacionados com a ginecologia geral e a cancerologia ginecológica, participou ainda de congressos médicos no Brasil e no exterior. Foi membro da sociedade de medicina e cirurgia do Rio de Janeiro, especialista em ginecologia e obstetrícia pela FEBRASGO.” (LIMA FILHO, 1977: p. 115)

No decorrer de sua vida profissional e acadêmica atuou paralelamente como jornalista e escritor, deixando várias obras de referência dentro de sua especialidade médica:

“No exercício de todas as funções médico-administrativas, não tendo em nenhum momento se afastado de suas atividades hospitalares e convívio direto com os seus pacientes, publicou diversos artigos sobre a sua especialidade em revistas e periódicos da cidade do Rio de Janeiro.” (LIMA FILHO, 1988: p. 114)

Depois de aposentado, passou a prestar os seus serviços também para Petrobrás Mineração S.A., com sede na cidade do Rio de Janeiro.
Mesmo residindo distante da cidade de Boa Viagem, a sua terra natal, sempre que podia, voltava ao convívio com os seus conterrâneos em ocasiões que se tornavam festas apoteóticas, principalmente quando alguém de sua família estava governando o Município.
Faleceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia  17 de junho de 2007, pouco tempo depois de completar 82 anos de idade.

HOMENAGEM PÓSTUMA:

  1. Em sua memória, na administração do Prefeito José Vieira Filho, o Mazinho, através da lei nº 971, de 20 de setembro de 2007, o posto de atendimento à saúde da família no Bairro Vila Holanda, na cidade de Boa Viagem, recebeu a sua nomenclatura.