Igreja Evangélica Boa-viagense

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

A Igreja Evangélica Boa-viagense está localizada na Rua Agronomando Rangel, nº 84, esquina com a Rua Jaime Ribeiro e Silva, no Centro da cidade de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem da Igreja Evangélica Boa-viagense, em 2011.

Imagem da Igreja Evangélica Boa-viagense, em 2011.

A Igreja Evangélica Boa-viagense é uma igreja cristã protestante que é classificada como reformada, sendo fruto do protestantismo de missão, possui governo congregacional e não tem nenhum tipo de vinculo denominacional.

A FORMA DE GOVERNO:

O congregacionalismo é a forma de governo eclesiástico em que o poder de decisão de seus atos repousa na assembleia de seus membros:

“O regime de administração eclesiástica denominado de congregacional é um sistema de governo em que cada igreja local é independente. A igreja local possui a sua autonomia para reflexão teológica, expansão missionária, relação com outras igrejas e a seleção de seu próprio corpo de ministros. As igrejas congregacionais são comunidades locais, formadas por cristãos unidos para adoração e obediência a Deus, no testemunho público e privado do Evangelho. Constituem-se em igrejas completas e autônomas, não sujeitas, em termos eclesiásticos, a qualquer outra entidade, senão à sua própria assembleia de membros.” (SILVA JÚNIOR, 2015: p. 65)

Para participar das decisões tomadas na assembleia dessa igreja o cristão precisa preencher os critérios de fé e comportamento social exigidos por ela, bem como ser aceito por maioria simples de votos nela, fato que distingue os seus frequentadores em duas classes, membros e congregados.
De uma forma bem simples, sem a necessidade de uma exposição teológica sobre o assunto, o quadro de membros dessa igreja é formado por conversos que foram autorizados a serem batizados nela ou em igrejas reconhecidas por ela, já os congregados são aqueles que frequentam regularmente a igreja, mas inda não solicitaram da assembleia o batismo, que é uma aliança de compromisso firmado entre o futuro membro e a igreja de Cristo espalhada pela face da Terra.

OS PASTORES / OFICIAIS: 

Essa igreja tem a forma de governo congregacional, e o seu quadro de oficiais está dividida em pastores, presbíteros e diáconos. Eles possuem o poder de dirigir e responder pelos trabalhos da comunidade, mas algumas de suas funções são limitadas pela assembleia de membros:

“Os oficiais são simples funcionários da igreja local, designados para ensinarem e para administrarem os interesses da igreja, e não tem poder de governo além do que possuem como membros da igreja.” (BERKHOF, 1990: p. 584)

Antes da decisão dessa assembleia os seus oficiais eram reconduzidos ao governo da igreja anualmente, por voto direto de seus membros, em assembleia especial. Seguindo os princípios bíblicos que tratam do assunto o ofício de pastor, presbítero ou diácono é perpétuo, porém o seu exercício é temporário.

  • Os Pastores:

O pastor é alguém com qualidades morais e espirituais, com formação especifica em um curso de Bacharelado em Teologia, que geralmente estudou em um seminário da própria denominação, ou indicado pela igreja, que foi avaliado por uma banca examinadora da junta regional e que foi ordenado por outros pastores, entre às suas várias funções destacamos: ensinar, disciplinar, aconselhar, realizar visitas e administrar o patrimônio da igreja.
Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já foi cuidadosamente dirigida pelos seguintes pastores:

  1. Rev. Ezequiel Fragoso Vieira – 1998 (jubilado);
  2. Rev. Ezequiel Fragoso Vieira Júnior – 1999 (atual).
  • Os Presbíteros:

O presbítero é uma pessoa geralmente madura na fé e no testemunho, que foi reconhecida pela assembleia da igreja por suas qualidades, e consagrado pelo pastor, para supervisionar os serviços de ensino, disciplina, governo e administração.
Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já contou com a colaboração dos seguintes irmãos:

  1. Presb. Adelmo Vieira de Freitas – 2004 (atual);
  2. Presb. Azael Leandro Alves – 2005 (atual);
  3. Presb. Ernandes Fragoso da Silva – 2014 (atual);
  4. Presb. José Hidelbrando Ribeiro – 2007 a 2011;
  5. Presb. Naum Fragoso da Silva – 2003 (atual);
  6. Presb. Sides Fragoso da Silva – 2014 (atual).
  • Os Diáconos e Diaconisas:

O diácono, ou a diaconisa, é o oficial eleito pela assembleia da igreja, e consagrado pelo pastor, para dedicar-se especialmente à arrecadação de ofertas para fins piedosos; ao cuidado dos pobres, doentes e inválidos; à manutenção da ordem e reverência nos lugares reservados ao serviço divino; exercer a fiscalização para que haja boa ordem na Casa de Deus e nas suas dependências.
Ao longo de sua história eclesiástica essa igreja já contou com a colaboração das seguintes pessoas:

  1. Diacª. Adalcina Vieira de Freitas – 2005 a 2013;
  2. Diacª. Ana Lígia Fragoso – 2014 (atual);
  3. Diacª. Antônia Elisabete da Silva Fragoso – 2007 (atual);
  4. Diacª. Antônia Pereira Blanco – 2003 (atual);
  5. Diacª. Delzumira Alves de Oliveira – 1998 (atual);
  6. Diac. Everardo Lemos – 2007 (atual);
  7. Diac. Ezequias da Silva Alves – 2001 a 2012;
  8. Diacª. Iraci Alves de Freitas – 1998 (atual);
  9. Diac. José Gomes de Oliveira – 1998 a 2015;
  10. Diacª. Rebeca Fragoso da Silva – 2014 (atual);
  11. Diac. Silas Fragoso Vieira – 2007 (atual).

AS CONGREGAÇÕES E A IGREJA MATRIZ:

Entre os cristãos de confissão protestante o termo igreja matriz é pouco utilizado, costuma-se usar o nome de igreja mãe para àquela comunidade religiosa que consegue gerar outras igrejas.

Imagem da Igreja Evangélica Boa-viagense, em 2011.

Sobre essas igrejas, principalmente entre aquelas de modo de governo congregacionalista, toda igreja começa a sua vida eclesiástica como um ponto de pregação, que é um local que serve de referência para futuros encontros, onde de forma simples e reverente se expõe a palavra de Deus.
Algum tempo depois, dependendo do número de pessoas e da regularidade dessas reuniões, o local passa a ser considerado pela comunidade mantenedora como uma de suas congregações.
Essas congregações, que podem ter ou não um templo, geralmente possuem uma liderança leiga formada e comprometida, que presta regularmente satisfação de suas atividades religiosas nas assembleias da igreja mãe.
Com o passar do tempo essas congregações conseguem a sua autonomia financeira, daí solicitam da igreja mãe a sua independência eclesiástica para realizar as suas próprias assembleias administrativas.
No Município de Boa Viagem a Igreja Evangélica Boa-viagense está distribuída da seguinte forma:

  • Zona Urbana:

A cidade:

  1. A Igreja Evangélica Boa-viagense (igreja-mãe).
  • Zona Rural:
  1. Igreja Evangélica do Anafuê.

OS DEPARTAMENTOS / OS SERVIÇOS

Para organizar as atividades de seus membros a Igreja Evangélica Boa-viagense está dividida em departamento, são eles:

  • OS DEPARTAMENTOS:

Os departamentos são as divisões administrativas que tratam de grupos específicos da comunidade.

  1. A Escola Dominical;
  2. A União Auxiliadora Feminina;
  3. A Mocidade Cristã;
  4. O Departamento de Música;
  5. O Esforço Juvenil.
  • OS SERVIÇOS:

Os serviços são atividades religiosas desenvolvidas na Igreja, que tem a finalidade de atingir e fortalecer grupos específicos da sociedade.

  1. A Escola Dominical – (Domingo);
  2. O Culto de Doutrina – (Quarta-Feira);
  3. O Culto de Evangelismo – (Domingo);
  4. O Culto de Jovens – (Sábado);
  5. O Culto de Oração – (Sexta-Feira).

O CONTATO:

O canal de comunicação com a Igreja Evangélica Boa-viagense é o seguinte:

  • Telefone:
  1. 88.98822-9416.

23 ideias sobre “Igreja Evangélica Boa-viagense

  1. Pingback: Bairro Centro | História de Boa Viagem

  2. Pingback: RELIGIOSIDADE | História de Boa Viagem

  3. Pingback: Natanael Alves da Silva | História de Boa Viagem

  4. Pingback: Congregação da Igreja Evangélica Boa-viagense em Anafuê | História de Boa Viagem

  5. Pingback: Jessé Alves da Silva | História de Boa Viagem

  6. Pingback: TURISMO | História de Boa Viagem

  7. Pingback: Distrito de Boa Viagem | História de Boa Viagem

  8. Pingback: Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira | História de Boa Viagem

  9. Pingback: Capela de Nossa Senhora de Lourdes | História de Boa Viagem

  10. Pingback: Igreja Evangélica Congregacional de Pitombeira | História de Boa Viagem

  11. Pingback: Edina da Silva Vieira | História de Boa Viagem

  12. Pingback: Ezequiel Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  13. Pingback: Ezaú Fragoso da Silva | História de Boa Viagem

  14. Pingback: João Fragoso Vieira | História de Boa Viagem

  15. Pingback: Francisco Alves de Sousa | História de Boa Viagem

  16. Pingback: Manoel Bernardino de Santana Filho (Bibliografia) | História de Boa Viagem

  17. Pingback: Gerardo Felix da Silva | História de Boa Viagem

  18. Pingback: João Rodrigues da Silva | História de Boa Viagem

  19. Pingback: Eliane da Silva Alves | História de Boa Viagem

  20. Pingback: Ely Rafael da Silva | História de Boa Viagem

  21. Pingback: Rua Agronomando Rangel | História de Boa Viagem

  22. Pingback: SETEMBRO | História de Boa Viagem

  23. Pingback: Eliel Rafael da Silva Júnior | História de Boa Viagem

Deixe uma resposta