Hermínio Veras Jorge

herminio-verasHermínio Veras Jorge nasceu no dia 19 de novembro de 1954 no Município de Tamboril, que está localizado no Sertão de Crateús, no Estado do Ceará, distante 301 quilômetros da cidade de Fortaleza, sendo filho de Francisco Jorge Souza e de Francisca Veras Jorge.
É um agropecuarista residente na localidade de Trapiá, na zona rural do Município de Boa Viagem, onde costuma promover vaquejadas.
É casado com Eurides Furtado Jorge, que era nascida no dia 2 de novembro de 1966, sendo filha de Francisco Nelson Furtado e de Antônia Veras Furtado.
Desse matrimônio foram gerados dois filhos, sendo eles: Hermidio Veras Jorge e Herla Maria Furtado Jorge.
No dia 3 de outubro de 1992, militando dentro dos quadros políticos do PDS, o Partido Democrático Social, resolveu colocar o seu nome pela primeira vez em uma disputa eleitoral por uma das vagas da Câmara Municipal de Vereadores e com a legenda nº 11.685 conseguiu ser eleito ao receber a confiança de 557 eleitores, ficando entre os nove vereadores com a maior votação dessa eleição.
Segundo informações existentes no jornal “Voz & Vez”, ano I, nº 2, edição de outubro de 1995, participou com outros colegas do seminário regional que tratou sobre aposentadoria e ocorreu na cidade de Quixeramobim:

“Assunto de vital importância para o trabalhador rural, comerciantes e empresários… Na comitiva de Boa Viagem estavam presentes os seguintes vereadores: João Mozart Silus Cunha, Rosa Vieira, Maria Conceição, Antônio França, Antônio Pereira, José Mendes, Hermínio Veras, Valdeni Vieira, Fernando Assef, José Diniz, João Martins e Francisco Lobo… O destaque de nossa representação no encontro foi a participação direta nos debates, quando os vereadores Fernando Assef e Valdeni Vieira questionaram e se posicionaram contra a política oficial do governo por ser ‘burocrática e exigir uma documentação excessiva para se requerer uma aposentadoria rural’. Os nossos vereadores falaram com conhecimento de causa, o primeiro é advogado e o segundo é um ex-sindicalista ativo na região.”

Na eleição municipal seguinte, que ocorreu no dia 3 de outubro de 1996, buscando a sua reeleição, dessa vez militando dentro dos quadros políticos do PMDB, o Partido do Movimento Democrático Brasileiro, com a legenda nº 15.611, conseguiu ser eleito com 611 votos, sendo o décimo quarto vereador com o maior número de votos dessa disputa.
No pleito eleitoral ocorrido no dia 1º de outubro de 2000, dessa vez dentro dos quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, com a legenda nº 41.111, conseguiu ser reconduzido pela terceira vez a um mandato eletivo depois de receber 603 votos, sendo o décimo sexto vereador com a maior votação do pleito.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

Nessa legislatura, no dia 5 de dezembro de 2002, por meio da resolução nº 122, foi agraciado pelos seus pares com o titulo de cidadania boa-viagense.
Na disputa eleitoral que ocorreu no dia 3 de outubro de 2004, dessa vez compondo à bancada do PP, o Partido Progressista, com a legenda nº 11.333, resolveu registrar a sua candidatura, porém abriu mão de sua campanha.
Na eleição municipal que ocorreu no dia 5 de outubro de 2008, depois de um tempo fora da vida pública, retornando aos quadros políticos do PMDB, novamente com a legenda nº 15.111, tentando retornar ao Poder Legislativo, conseguiu receber apenas 438 votos, ficando na primeira suplência de seu partido.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.

Pouco tempo depois, por conta da inesperada morte do Vereador Benjamim Alves da Silva, que ocorreu no dia 3 de janeiro de 2011, questionou o posicionamento do STF, o Supremo Tribunal Federal, que decidiu entregar essa cadeira ao Vereador José Airto Vieira Lima, o primeiro suplente de sua coligação:

“Suplente do PMDB ao cargo de vereador do Município de Boa Viagem (CE), Hermínio Veras Jorge, ajuizou no Supremo Tribunal Federal (STF), reclamação (RCL 11279) com pedido de medida liminar, para que seja investido no cargo em razão do falecimento do Vereador Benjamim Alves da Silva, também do PMDB. Ele fundamenta o pedido com base no entendimento do STF de que o cargo pertence ao partido, e não à coligação partidária. O Ministro Ricardo Lewandowski é o relator da reclamação. Na ação, a defesa sustenta que, em observância a precedentes do STF, o juiz da comarca concedeu liminar a Hermínio Veras para assegurar-lhe a posse no cargo, como primeiro suplente do partido. Revela, contudo, que foi empossado o Vereador Jose Airto Vieira Lima (PTB), primeiro suplente da coligação, sem ao menos ter sido diplomado pela Justiça Eleitoral, haja vista que o mesmo tomou posse em 07 de janeiro de 2011 e o seu diploma eleitoral fora expedido tão somente em 12 de janeiro de 2011. Contra a decisão do juízo local, a presidente da Casa legislativa municipal acionou o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJ-CE), que suspendeu a decisão que garantia a posse de Hermínio Veras. Segundo a defesa, o desembargador, ao efetuar comentários sobre o tema, deixou explícito que ao seu entender, a vaga pertence à coligação partidária, traduzindo-se em uma verdadeira afronta às recentes decisões.” (Suplente pede nomeação no cargo de vereador no Município de Boa Viagem, 2011: Disponível em http://www.tjce.jus.br/noticias/suplente-pede-nomeacao-no-cargo-de-vereador-municipal-de-boa-viagem-ce/. Acesso no dia 28 de outubro de 2016)

Algum tempo depois, na eleição municipal que ocorreu no dia 7 de outubro de 2012, fazendo uma nova tentativa por uma das vagas do Poder Legislativo, dessa vez nos quadros políticos do PSD, o Partido Social Democrático, com a legenda nº 55.111, recebeu apenas 145 votos, ficando novamente na suplência de seu partido.

Imagem de seu material de campanha.

Imagem de seu material de campanha.