Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

A Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista está localizada na Rua José Vieira Costa, nº 1.147, esquina com a Rua José Vieira de Freitas e a Rua Celsina Vieira de Freitas, no Bairro Alto da Queiroz, na cidade de Boa Viagem, no Município de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira da Silva.

Imagem da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista, em 2014.

Essa unidade escolar, pertencente ao Governo do Estado, responde as orientações e as normas da 12ª Coordenadoria Regional de Desenvolvimento da Educação, a CREDE 12, que está sediada no Município de Quixadá.

A BASE LEGAL DE SUA CRIAÇÃO:

A Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista surgiu legalmente por decreto com o nome de David Vieira da Silva no dia 4 de março de 1976, nessa época ela era uma escola de 1º grau, algum tempo depois, em 2009, essa escola passou a ser profissionalizante e em 2015, sem uma justificativa pedagógica ou social aparente, teve a sua nomenclatura modificada.
A sua denominação foi alterada por meio da lei estadual nº 15.619, do dia 2 de junho de 2014, decisão que foi publicada dias depois na 1ª página do Diário Oficial do Estado, edição do dia 2 de julho de 2014.
Nessa época, embora essa mudança tenha tido força de lei, ela não chegou a se concretizar imediatamente por conta da decisão do prefeito do Município, o Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, ter decidido acompanhar o candidato de oposição ao governador nas eleições estaduais que aconteceram no dia 5 de outubro de 2014.
O seu número no INEP, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, é 23096209.

AS MODALIDADES DE ENSINO:

Em nosso país a educação básica compreende a educação infantil, o ensino fundamental e o ensino médio, tendo uma duração ideal de dezoito anos, período da vida escolar em que se toma posse dos conhecimentos mínimos necessários para uma cidadania completa, serve também para se definir sobre o futuro profissional e área do conhecimento que se quer seguir.
Na Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista existe a oferta do ensino médio profissionalizante com os seguintes cursos:

  1. Administração;
  2. Enfermagem;
  3. Finanças e Comércio;
  4. Informática.

OS SÍMBOLOS DA ESCOLA:

A palavra símbolo designa um tipo de signo em que o significante representa algo abstrato, por força de convenção ou semelhança, sendo um elemento essencial no processo de comunicação, encontrando-se difundido pelo quotidiano e pelas mais variadas vertentes do saber humano.
A representação específica para cada símbolo pode surgir como resultado de um processo natural ou pode ser convencionado de modo a que o receptor, uma pessoa ou grupo específico de pessoas, consiga fazer a interpretação do seu significado implícito e atribuir-lhe determinada conotação.
A Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista possui dois símbolos que a identificam, são eles:

1º. A BANDEIRA:

O pavilhão da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista foi criado por seu Núcleo Gestor em 2010, prestigiando o brasão no Estado do Ceará.

Imagem da Bandeira da EEP Venceslau Vieira Batista.

Bandeira da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista.

2º. O BRASÃO:

O brasão da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista foi criado por seu Núcleo Gestor em 2010.

Brasão da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista.

Brasão da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista.

A HISTÓRIA DA INSTITUIÇÃO:

A história da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista, se comparada a das outras escolas do Município de Boa Viagem, é bem recente, mas nesse curto espaço de tempo ela já passou por diversas transformações físicas e administrativas, que pode ser dividida em quatro fases bem distintas:

Escola de 1° Grau David Vieira da Silva.

Imagem da Escola de 1° Grau David Vieira da Silva, em 1976.

  • ESCOLA DE 1º GRAU – 1ª Fase:

A Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista, que na época se chamava David Vieira da Silva, foi solenemente inaugurada no dia 25 de março de 1976, na gestão do Prefeito Dr. Francisco Vieira Carneiro, o Major Carneiro, e contou com a presença de diversas autoridades, entre elas a do governador do Estado do Ceará, o Coronel José Adauto Bezerra.

“A Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva, situada na Rua Alfredo de Sousa Terceiro, nº 742, no Bairro Tibiquari… Recebeu o nome do paraibano, David Vieira da Silva, que foi agropecuarista, comerciante, vereador e vice-prefeito, que, gentilmente, doou o terreno para a construção dessa valiosa obra.” (NASCIMENTO, 2002: p. 125)

Nessa época, para funcionar como uma simples unidade de ensino de 1º grau, essa escola foi construída seguindo os padrões de engenharia do que havia de mais moderno em nosso Estado.

“As suas atividades iniciaram-se com a seguinte estrutura: Cinco salas especiais: diretoria, secretaria, professores, biblioteca e supervisão; quatro salas de aula; quatro banheiros; uma cantina; um bebedouro; uma quadra de esportes; doze professores; seiscentos e noventa alunos e onze funcionários.”  (NASCIMENTO, 2002: p. 125)

Mesmo com esse forte atrativo, nesse tempo, os pais achavam essa escola longe, pois o Bairro Tibiquari era um local ermo, bastante afastado do Bairro Centro da cidade, sem contar que era um local inabitado e considerado por alguns como perigoso por conta de sua proximidade com o Rio Boa Viagem.
Outro importante detalhe, que vale a pena ser mencionado, era a sua alcunha na boca de nossa população, o “Grupo Novo”, que o distinguia da Escola de Ensino Fundamental Pe. Antônio Correia de Sá e da antiga Escola Presidente John Fitzgerald Kennedy, atual Escola de Ensino Fundamental Osmar de Oliveira Fontes.
Nessa primeira fase a escola dispunha das seguintes modalidades de ensino: seriação da 1ª à 4ª e educação destinada para jovens e adultos através de um projeto supletivo denominado de “Logus II”.
Por volta de 1978, segundo informações fornecidas pelo Prof. Cícero Pinto do Nascimento, essa escola passou a receber significativas alterações físicas, pedagógicas e administrativas.

  • ESCOLA DE 1º GRAU COM SISTEMA DE TV – 2ª Fase:

Nos últimos anos da década de 1970, no governo do Coronel Virgílio de Morais Fernandes Távora, essa escola passou a contar com algo inovador para época, o ensino pelo televisor com emissão em frequência VHF:

“A finalidade inicial [da TVC] era difundir teleaulas de primeiro e segundo graus no Estado do Ceará. Em 1973 a emissora exibiu a primeira teleaula para mais de quatro mil alunos das escolas públicas do Estado.” (S.N.T.)

Enfrentando grande dificuldade para formação docente o Governo do Estado investiu consideráveis recursos na tecnologia para dar acesso e uma melhor qualidade de educação aos cearenses.
Já nesse tempo, década de 1980, dentro da possível clientela que seria privilegiada em estudar nessa unidade de ensino, havia uma “camuflada seleção” de seu corpo discente. As primeiras vagas eram ocupadas pelos filhos de pessoas de melhor condição financeira da cidade, as demais eram negociadas como “favor político”.

Imagem da Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva.

Imagem da Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva, em 1980.

Anualmente era tradição a nossa população comentar admirada nas ruas o montante arrecadado pela escola com a escolha de sua rainha, o detalhe era que o critério utilizado no certame era a soma financeira reunida pela família da candidata e não a sua beleza.
Nessa mesma época o Núcleo Gestor da escola era indicado pelo Governo do Estado, que geralmente era o da preferência do Governo Municipal. Esse costume só veio a ser modificado nos primeiros anos da década de 1990, na administração do Governador Tasso Ribeiro Jereissati, quando foi permitido que a escolha dos diretores escolares fosse feita pela indicação dos professores da instituição.
Até essa fase de sua história a disputa pelas vagas para estudar nessa escola eram concorridíssimas, até que, nos primeiros anos do século XXI, depois dos baixos investimentos do Governo do Estado na TVC, o conceito dessa unidade de ensino começou a entrar em acentuado declínio, apesar das inúmeras tentativas de manutenção de seu conceito pelo seu corpo docente:

“Implantação e estruturação da Associação de Pais e Comunitário – APC e do Conselho Escolar; elaboração do Projeto Político Pedagógico – PPP; início da estruturação física do Laboratório Escolar de Informática – LEI; ampliação do acervo da biblioteca escolar; restauração da calçada da escola e construção da área coberta.” (NASCIMENTO, 2002: p. 126)

Em 2000, novamente na gestão do Governador Tasso Ribeiro Jereissati, aconteceu outra inovação, a escolha dos diretores passou a ser de forma democrática pelos segmentos da escola: alunos, pais, funcionários e professores. Ainda nessa fase registramos que aconteceram as seguintes melhorias físicas:

“Pintura do prédio da escola; aquisição de bancos de jardim; reformas na instalação elétrica e hidráulica; aquisição de bebedouros, carteiras escolares; construção de colunas para segurança dos muros, dois banheiros; jornal da escola; implantação do centro de multimeios; duas linhas telefônicas; cobertura de uma área, assinatura do jornal Diário do Nordeste e das revistas: Família Cristã, Isto É, Nova Escola e Diálogo, assim como elaboração de um projeto para implantar o Laboratório Escolar de Informática.” (NASCIMENTO, 2002: p. 127)

Nos primeiros anos de 2000 a Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva passou a ser uma escola comum as demais da rede pública e a sua situação física era a seguinte:

“Trinta e três professores, mil trezentos e dezessete alunos; trinta e dois funcionários; quatorze salas de aula; uma de direção; uma de multimeios; uma de professores; uma biblioteca; uma secretaria; uma cantina; uma despensa; um depósito para merenda; seis banheiros; uma cozinha; uma quadra de esportes e três almoxarifados… doze microcomputadores; seis impressoras; cinco videocassetes; quatorze televisores, um retroprojetor; uma antena parabólica; três aparelhos de som e nove ventiladores.” (NASCIMENTO, 2002: p. 127)

Ainda nesse tempo a escola passou a contar também com a modalidade de curso que ficou conhecida pelo nome de “Tempo de Avançar”, modalidade presencial que era denominada pela sigla EJA, a Educação para Jovens e Adultos.

  • ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL – 3ª Fase:

Chegando a terceira fase de sua história, considerada a menor delas, a Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva sofria com a falta de identidade, pois o Governo do Estado, aos poucos, passava a responsabilidade pela modalidade de ensino fundamental para o Município.
Nesse momento, passando da primeira metade da primeira década do século XXI, o Governo do Estado estudava meios de dar um novo impulso na educação do Estado, foi quando o Governador Cid Ferreira Gomes resolveu investir na construção de escolas técnicas profissionalizantes nos Município de seu interesse:

“A fim de estimular a educação profissional, criar mais oportunidades de emprego para os jovens cearenses e solucionar a falta de mão-de-obra qualificada no mercado local, o Governo do Estado está apostando na construção de escolas profissionalizantes. Atualmente, existem 51 escolas profissionalizantes, cada uma com capacidade para 540 alunos. Além dessas, estão em construção outras 51 escolas. As instituições de ensino funcionam em período integral, ofertando o conteúdo curricular do ensino médio e conhecimentos voltados para o mercado de trabalho.” (FERNANDES ALENCAR, 2014: p. 7)

Nessa mesma época, para os moradores do Município de Boa Viagem, receber uma escola técnica era uma grande conquista, tendo em vista a possibilidade do jovem boa-viagense já sair da escola com uma qualificação profissional definida.
Depois de trinta e três anos de sua fundação a Escola de Ensino Fundamental David Vieira da Silva partiu para a quarta fase de sua história, momento em que a sua estrutura física estava bastante danificada e carecia de urgentes reformas.

  • ESCOLA DE ENSINO MÉDIO PROFISSIONALIZANTE – 4ª Fase:

A quarta fase da história acadêmica e física dessa escola, que provavelmente tenha sido a mais radical, teve inicio no dia 16 de março de 2009, quando ela foi adaptada para servir como escola de ensino profissionalizante e os seus alunos de ensino fundamental foram “espalhados” pelas demais escolas do Município.
Pouco tempo antes disso a escola organizou uma seleção de seu futuro corpo discente e o antigo prédio passou por muitas reformas e adaptações para receber os cursos de enfermagem, informática e comércio.

“No dia 16 de março de 2009 a Escola Estadual de Educação Profissional David Vieira da Silva iniciou as suas atividades. Uma escola aonde já vinha servindo a comunidade boa-viagense, desde  1975, atuando no ensino fundamental; passava agora a ofertar o ensino médio integrado ao curso técnico. Iniciava naquele dia três turmas, sendo uma de enfermagem, uma na área da informática e outra em finanças. Foi um inicio de muitas dificuldades, pois não possuía instalações adequadas para ofertar um curso médio integral, apesar da conclusão naquele momento de uma breve reforma. Naquele dia a comunidade boa-viagense esteve presente prestigiando o evento, como também algumas autoridades; a subsecretária executiva da SEDUC, Cristiane Holanda; o prefeito municipal, Dr. Fernando Assef; a coordenadora da CREDE 12, Profª. Joyce Costa.” (ALVES, 2012: Três anos de funcionamento. Disponível em davidvieiradvs.blogspot.com.br. Acesso em 16 de janeiro de 2015)

Sobre essa seleção, em algumas críticas tecidas pela comunidade à política educacional adotada pelo Governo do Estado, principalmente pelos gestores das outras escolas, onde é apontado que a Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista pratica a exclusão, pois “absorve” o que de melhor é produzido nas escolas de ensino fundamental, principalmente da rede particular, e deixa o excedente para Escola de Ensino Médio Dom Terceiro, que não pode selecionar a sua clientela.
A escola possui o grato privilégio de trabalhar com uma clientela diferenciada, que potencialmente já sabe o que quer e está quociente da rigidez das diretrizes do estabelecimento.
Essa inflexibilidade imposta pelo Governo do Estado tem produzido bons frutos, que anualmente estão sendo veiculados pela mídia nacional, conforme matéria publicada pela direção da escola no periódico Folha do Sertão, ano 6, nº 72, edição de fevereiro de 2015:

“… das 632 escolas estaduais do Ceará, os nossos resultados no ENEM apontam para um crescimento significativo ano após ano, como mostram as nossas colocações na lista das 632 escolas: 40º lugar em 2010, 20º lugar em 2011, 18º lugar em 2013, com estimativa para ficarmos entre as quinze melhores em 2014.”

A escola mantem ainda, semanalmente, aos sábados, um programa de estilo informativo musical na grade de programação da Rádio Esperança, que é denominado de “Profissionais em Sintonia”.
Depois disso, em 2013, o Governo do Estado sinalizou com o desejo de construir uma nova sede nos padrões aconselhados pelo MEC, Ministério da Educação,  investimento de grande proporção que há anos não acontecia no Município de Boa Viagem por parte do Governo do Estado.

Imagem da Escola Estadual de Educação Profissional David Vieira da Silva, em 2014.

Imagem das obras de construção da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista, em 2014.

Depois de uma grande expectativa pela entrega do novo prédio, finalmente essa escola mudou de endereço e foi solenemente inaugurada no dia 2 de setembro de 2014, na gestão do Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef, e contou com a ilustre presença do Governador Cid Ferreira Gomes.
Nesse dia essa informação foi amplamente divulgada pelo jornalista Valdenir Rodrigues através do site www.boaviagemnotícias.com.br:

“Na manhã desta terça-feira, dia 2 de setembro, às 11h, o Governador Cid Ferreira Gomes foi recepcionado pelo Prefeito Dr. Fernando Antônio Vieira Assef… e lideranças políticas do Município de Boa Viagem e região, além de uma multidão que agradeceu ao gestor estadual pela importante obra. O governador destacou os investimentos que tem feito na educação do Estado do Ceará ao longo dos últimos sete anos e que todos merecem ter uma educação de qualidade. Abordou o tema educação como uma obrigação de todos os gestores. O Prefeito Dr. Fernando Assef ressaltou o empenho do governador afirmando que uma grande porta se abriu para o presente e para o futuro dos jovens boa-viagenses e que a obra representa um marco histórico na educação de nosso Município.”

Nessa ocasião havia uma forte expectativa nos presentes ao ato de inauguração pelo discurso do Governador Cid Ferreira Gomes, que anunciaria a possível alteração do nome do patrono da escola, David Vieira da Silva, fato que não aconteceu.

Imagem da identificação da escola, em 2014.

Imagem da identificação da escola, em 2014.

Alguns meses antes dessa solenidade o Deputado Francisco Osmar Diógenes Baquit havia apresentado um projeto de lei na Assembleia Legislativa em que essa escola receberia o nome de Venceslau Vieira Batista, avô do prefeito do Município de Boa Viagem.
Depois da mudança de endereço o antigo prédio da escola foi inicialmente entregue à Secretaria da Segurança Pública para abrigar o Quartel da 4ª Companhia do 4º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Ceará.
Antes disso, no segundo semestre de 2014, aconteceu também uma grande decepção para os 45 alunos da turma de Nutrição e Dietética dessa unidade de ensino, que tiveram de ser diluídos entre os outros cursos ofertados pela escola por conta da falta de planejamento da SEDUC, a Secretaria da Educação do Estado do Ceará.
No início de 2015, depois do calor da campanha política, pra alegria de uns e forte descontentamento de outros, a nomenclatura dessa escola foi finalmente modificada, cumprindo o que previa a lei.
Sobre a sua estrutura, essa unidade de ensino possui uma excelente quadra poliesportiva e um equipado auditório próprio para acomodar 180 pessoas.

Imagem da Escola Estadual de Educação Profissional David Vieira da Silva, em 2014.

Imagem da Escola Estadual de Educação Profissional David Vieira da Silva, em 2014.

AS EQUIPES DE GESTÃO:

Atualmente o cargo de direção da Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista é ocupado depois de algumas etapas: prova escrita, curso de fundamentação, avaliação comportamental e entrevista. Ao longo de sua história essa escola já foi gerenciada pelas seguintes pessoas:

  • 1976 – 1978

Profª. Maria Anfrísio Cavalcante (Diretora);
Profª. Antônia Moreira Vieira (Vice-Diretora);
Profª. Francisca Áurea de Almeida Vieira (Vice-Diretora);
Maria Gonçalves de Sousa (Secretária).

  • 1979 – 1989

Profª. Antônia Moreira Vieira (Diretora);
Profª. Maria das Graças Evangelista Abreu (Vice-Diretora);
Profª. Maria Matias de Oliveira Cavalcante (Vice-Diretora);
Profª. Maria de Fátima Vieira (Supervisora);
Maria Gonçalves de Sousa (Secretária).

  • 1990 – 1991

Profª. Euriza Martins Leal Verçosa Pereira (Diretora);
Profª. Maria Liduína Camurça (Vice-Diretora);
Profª. Maria Matias de Oliveira Cavalcante (Vice-Diretora);
Profª. Maria Moreira de Melo (Supervisora);
Maria Zuíla Ribeiro do Nascimento (Secretária).

  • 1992 – 1993

Profª. Maria Célia Barbosa Costa (Diretora);
Profª. Maria Matias de Oliveira Cavalcante (Vice-Diretora);
Profª. Maria Moreira de Melo (Vice-Diretora);
Maria Zuíla Ribeiro do Nascimento (Secretária).

  • 1994 – 1998

Profª. Teonha Celma Costa Cidrão¹ (Diretora);
Profª. Maria Gonçalves de Sousa (Vice-Diretora);
Profª. Maria Moreira de Melo (Vice-Diretora);
Maria Zuíla Ribeiro do Nascimento (Secretária).

  • 1999 – 2000

Profª. Maria Gonçalves de Sousa (Diretora);
Profª. Luiza da Silva de Sousa (Coordenadora Administrativa Financeira)
Profª. Erivar Soares Pereira (Coordenadora Pedagógica);
Joselina de Melo Oliveira (Secretária).

  • 2000 – 2001

Profª. Euriza Martins Leal Verçosa Pereira¹ (Diretora);
Profª. Eliézio Gomes Facundo (Coordenador Administrativo Financeiro);
Profª. Erivar Soares Pereira (Coordenadora Pedagógica);
Francisca Antônia de Sousa Pereira (Secretária).

  • 2002 – 2004

Profª. Teonha Celma Costa Cidrão (Diretora);
Prof. Eliézio Gomes Facundo (Coordenador Administrativo Financeiro);
Profª. Erivar Soares Pereira (Coordenadora Pedagógica);
Francisca Antônia de Sousa Pereira (Secretária).

  • 2005 – 2008

Profª. Teonha Celma Costa Cidrão (Diretora);
Prof. Marcos Welington Campos Maciel (Coordenador Administrativo Financeiro);
Profª. Erivar Soares Pereira (Coordenadora Pedagógica);
Francisca Antônia de Sousa Pereira (Secretária).

  • 2009 – 2013

Prof. Ivanildo Alves de Oliveira (Diretor);
Profª. Luzia Helena Carvalho Aragão (Coordenadora Pedagógica);
Profª. Edna Maria Lessa² (Coordenadora Financeira);
Lúcia de Fátima Martins Leal (Secretária).

  • 2014 – 2018

Prof. Ivanildo Alves de Oliveira (Diretor);
Profª. Luzia Helena Carvalho Aragão (Coordenadora Pedagógica);
Prof. Francisco Rogilson Diniz (Coordenador Pedagógico);
Prof. Ernandes Fragoso da Silva (Coordenador de Estágio);
Márcio Lohane Marinho (Financeiro);
Lúcia de Fátima Martins Leal (Secretária).

A ESTRUTURA FÍSICA:

Para executar bem as suas atividades pedagógicas, gerando segurança e conforto para os seus usuários, a Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista possui a seguinte estrutura:

  • Setor Administrativo:
  1. Cozinha: 1
  2. Depósitos: 3
  3. Sala de direção: 1
  4. Sala de professores: 1
  5. Sala de secretaria: 1
  6. Salas de coordenação: 2
  • Setor Acadêmico:
  1. Auditório: 1
  2. Anfiteatro: 1
  3. Banheiros: 22
  4. Biblioteca: 1
  5. Ginásio poliesportivo: 1
  6. Laboratórios: 7
  7. Pátio aberto: 1
  8. Pátio coberto: 1
  9. Portaria: 1
  10. Refeitório: 1
  11. Salas de aula: 12
Imagem aérea do Conjunto COHAB, em 2014.

Imagem aérea da escola e do Conjunto COHAB, em 2014.

O CONTATO:

Os canais de comunicação com a Escola Estadual de Educação Profissional Venceslau Vieira Batista são os seguintes:

  • Telefone:
  1. 88.3427-1546.
  • E-mail:
  1. eeepboaviagem@escola.ce.gov.br

Nota: ¹ Nessa gestão, paulatinamente, por diferentes motivos, o Núcleo Gestor da escola foi sendo substituído. Em 1997 assumiram as coordenadoras: Antônia de Fátima Rodrigues Bezerra (pedagógico), Maria Gonçalves de Sousa (financeiro) e Francisca Antônia de Sousa Pereira (secretária);
² Foi substituída nos primeiros meses de 2010 na coordenação da escola pela Profª. Enaias Alves Pedrosa Machado.