A RELIGIOSIDADE DO MUNICÍPIO DE BOA VIAGEM

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

Embora poucas pessoas saibam discernir a diferença existente entre às palavras credo e confissão, podemos afirmar com segurança que a religião que predomina entre os habitantes do Município Boa Viagem é a religião cristã.

Imagem da celebração da missa de pentecostes, em 2017.

O cristianismo, ao longo dos séculos, dividiu-se em diversos ramos, e em Boa Viagem ele é representado pelas seguintes confissões:

A CONFISSÃO CATÓLICA:

A Igreja Católica, também chamada de Igreja Católica Romana ou Igreja Católica Apostólica Romana, é uma igreja cristã com aproximadamente dois mil anos de tradição. Essa igreja está colocada sob a autoridade suprema do papa, o bispo de Roma, que é considerado dentro de sua teologia como o sucessor do Apóstolo São Pedro.

Imagem aérea da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Boa Viagem, em 2017.

O seu objetivo é a conversão do ser humano aos ensinamentos e à pessoa de Jesus Cristo, em vista do Reino de Deus, e concede um papel importante nessa missão à pessoa da Santíssima Virgem Maria, a quem intitulou de “Mãe da Igreja”.
Para esse fim, a Igreja Católica administra os sacramentos, prega o Evangelho de Jesus Cristo e atua em programas sociais e instituições em todo o mundo.
A Igreja Católica não pensa de si como uma igreja entre as outras, mas como sendo “a única Igreja” estabelecida por Deus para salvar a todos os homens. Essa ideia é visível logo em seu nome, “católica”, que em grego significa universal. Ela elaborou a sua doutrina ao longo dos vários concílios a partir da Bíblia, que foi comentada pelos Pais e pelos doutores da Igreja.
Ela é regida pelo Código de Direito Canônico e se compõe, além da sua muita bem conhecida hierarquia ascendente, que vai do diácono ao papa, de vários movimentos apostólicos, que comportam notadamente as ordens religiosas, os institutos seculares e uma ampla diversidade de organizações e movimentos de leigos.

Procissão.

Imagem de uma procissão, em 2009.

Dentro da confissão católica, o Município de Boa Viagem está dividido geograficamente em quatro paróquias, sendo que três são marianas e estão aos cuidados da Diocese de Quixadá.

  • Os Romanos:
  1. Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem;
  2. Paróquia de Nossa Senhora de Fátima;
  3. Paróquia de Nossa Senhora da Guia;
  4. Paróquia de São Sebastião.

A quarta paróquia, que atualmente mantém pouco contato com a maioria das outras, durante muitos anos foi assistida pelos párocos da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, sendo regida pela Diocese de Crateús.

A CONFISSÃO PROTESTANTE:

A palavra protestante é derivada do latim, que significa: declaração pública, protesto, referindo-se à carta de protesto dos príncipes luteranos contra a decisão da Dieta de Speyer de 1529, que reafirmou o Édito de Worms de 1521, banindo as 95 teses de Martinho Lutero do protesto contra algumas crenças e práticas da Igreja Católica do século XVI.
Em sua história de expansão, o protestantismo chegou ao Brasil de diferentes formas, sendo a mais efetiva a que ocorreu por volta de 1855, quando um casal de ingleses, o Dr. Robert Reed Kalley e a sua esposa, Sarah Poulton Kalley, se instalaram da cidade do Rio de Janeiro como missionários:

“O casal Kalley chegou ao nosso país em um momento político impar do Império brasileiro. O imperador pretendia dar início a um ciclo desenvolvimento jamais visto pela nação… E para auxiliar o seu desejo, era essencial a vinda de estrangeiros, principalmente aqueles que possuíam algum tipo de formação acadêmica. Os Kalleys possuíam todas as qualidades que eram desejadas pelo imperador para participar do ciclo de desenvolvimento do país.” (SILVA JÚNIOR, 2015: p. 95)

Muitos anos depois, no fim da década de 1930, por conta de movimentos de intolerância religiosa ocorridas no Sertão paraibano, muitos protestantes migraram para o Estado do Ceará, estabelecendo-se inicialmente na zona rural do Município de Boa Viagem e fundando a primeira igreja dessa confissão, a Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira.

Imagem do templo da Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira, em 2013.

Pouco tempo depois, em 1955, parte desses protestantes passaram a residir na cidade de Boa Viagem, que recebeu, nos primeiros anos da década de 1970, pessoas de orientação pentecostal, surgindo daí outros grupos e forte dissensão teológica.
Mais tarde, já no século XXI, a presença protestante se tornou muito efetiva no Município de Boa Viagem por conta de seu poder econômico, conseguindo inclusive influenciar decisivamente na escolha política dos representantes dos Poderes Executivo e Legislativo.
Nessa época, embora não tenha tido o resultado esperado por quem endossou o projeto, que foi protocolado na Câmara Municipal pelo Vereador Ademir Carneiro de Freitas, foi aprovada a lei nº 1.018, do dia 16 de março de 2009, que causou mais dissenção do que unidade entre os protestantes:

“Art. 1º – Fica instituída a data de 31 de outubro, dia da Reforma Protestante, como parte integrante do calendário oficial dos feriados municipais, devendo a mesma ser comemorada pelo Município.
Art. 2º – Fica o 2º domingo de dezembro incluído no calendário oficial de comemorações do Município, de acordo com a lei nº 10.335, de 19 de dezembro de 2001, que diz que o Dia da Bíblia deve ser comemorado em todo território nacional.”

Posteriormente a promulgação dessa lei, que era para servir de amalgama entre os grupos divergentes em teologia, gosto musical, usos e costumes, ela vem sendo utilizada como trampolim de projeção política de lideranças religiosas sem escrúpulos que querem exercer influência ideológico partidária sobre os seus congregados, algo que está em desarmonia com às escrituras sagradas e o espírito cristão de liberdade.
Ainda nesse período alguns desses pastores tentaram fundar uma associação, que felizmente não obteve êxito, pois não conseguiram constituir uma liderança que agradasse a sua maioria, considerando que alguns dos seus envolvidos nitidamente tentam se impor como os “bispos das igrejas protestantes do Município”.
Depois dessa tentativa frustrada de constituir uma liderança, ficou nítido entre os envolvidos que existe o seguinte pensamento:

“Não existe um pastor ou uma igreja que represente a totalidade dos protestantes no Município de Boa Viagem, quem disser ou tentar demonstrar o contrário estará mentindo!”

No meio dessa variedade de pensamentos, o protestantismo do Município de Boa Viagem está dividido em várias correntes, sendo elas:

  • Os Reformados:

As igrejas reformadas, ou históricas, são uma família de denominações protestantes que são oriundas do Movimento de Reforma, acontecido no início do século XVI, e estão conectadas historicamente por sua doutrina calvinista.
Muitas dessas igrejas possuem várias semelhanças, diferindo apenas na forma de governo e escatologia, em Boa Viagem as igrejas pertencentes a esse grupo são as seguintes:

Zona Urbana:

  1. A Igreja Batista – (Convenção Cearense);
  2. Igreja Batista Regular de Boa Viagem – Alto do Motor;
  3. Igreja Evangélica Congregacional de Boa Viagem – Centro;
  4. Igreja Evangélica Boa-viagense – Centro;
  5. Igreja Presbiteriana de Boa Viagem – José Rosa.

Zona Rural:

  1. Igreja Evangélica Congregacional de Cachoeira;
  2. Igreja Batista Regular de Madeira Cortada.

Essas igrejas, que também estão classificadas como protestantismo de missão, também estão diretamente relacionadas ao movimento de reforma acontecido dentro da Igreja Anglicana.

  • Os Pentecostais:

O pentecostalismo é um movimento de renovação de dentro do cristianismo que coloca ênfase especial em uma experiência direta e pessoal com Deus através do Batismo no Espírito Santo.
O termo pentecostal é uma palavra derivada da palavra pentecostes, que vem do grego e descreve a festa judaica das semanas. No Brasil, o pentecostalismo é um fenômeno religioso que não existe apenas entre os protestantes, entre os católicos ele é conhecido pelo nome de Movimento de Renovação Carismática.
Para todos os cristãos o pentecostes é um evento que comemora a descida do Espírito Santo sobre os seguidores de Jesus Cristo, conforme foi descrito no livro dos Atos dos Apóstolos.
Os pentecostais, ou carismáticos, tendem a ver que o seu movimento reflete o mesmo tipo de poder espiritual, estilo de adoração e ensinamentos que foram encontrados na igreja primitiva, por esse motivo alguns pentecostais também usam o termo Apostólico ou Evangelho Pleno para descrever o seu movimento.
A ênfase do pentecostalismo está sobre os dons espirituais. Está teologicamente e historicamente próximo ao Movimento Carismático, influenciando tão significativamente o movimento que às vezes os termos pentecostal e carismático são usados indistintamente.
Os pentecostais podem ser inseridos em mais de um grupo de cristãos, indo do trinitariano até o não-trinitariano. Muitos grupos pentecostais são afiliados ao Conferência Mundial Pentecostal. No Brasil é comum os pentecostais se auto-identificarem com termo evangélico. Em Boa Viagem as principais igrejas desse movimento cristão são os seguintes:

Zona Urbana:

  1. Congregação Cristã no Brasil – Centro/Boa Viagem;
  2. Congregação Cristã no Brasil – Ponte Nova/Boa Viagem;
  3. Igreja Batista Ágape de Boa Viagem – Recreio/Boa Viagem;
  4. A Igreja Cristã Novo Tempo;
  5. A Igreja do Evangelho Quadrangular;
  6. Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Templo Central) – Vila Azul/Boa Viagem;
  7. Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Templo Central) – Vila de Águas Belas;
  8. Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Bela Vista) – Alto do Motor/Boa Viagem;
  9. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Canaã);
  10. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Ministério de Canindé);
  11. Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Montese) – Nossa Srª de Fátima/Boa Viagem;
  12. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Shalom Adonai);
  13. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus Monte das Oliveiras (Montese);
  14. A Igreja Evangélica Aliança com a Trindade;
  15. Igreja Evangélica a Palavra de Cristo no Brasil – Padre Paulo / Boa Viagem;
  16. Igreja Evangélica a Palavra de Cristo no Brasil – Vila de Guia;
  17. Igreja Evangélica Pentecostal a Última Embarcação para Cristo – Vila de Ibuaçu;
  18. A Igreja Evangélica da Glória de Deus;
  19. A Igreja Evangélica Eterna Redenção;
  20. A Igreja Pentecostal Deus é Amor.

Como é fácil de perceber, o pentecostalismo é um termo amplo, que inclui uma vasta gama de diferentes perspectivas teológicas, como resultado, não existe nenhuma organização central ou igreja que dirija o movimento.

Zona Rural:

  1. A Igreja Evangélica Assembleia de Deus (Templo Central) – Camará dos Timóteos;
  2. A Igreja Evangélica Paz e Vida.
  • Os Neopentecostais:

O neopentecostalismo, também conhecido como pentecostalismo moderno ou terceira onda, é uma vertente do evangelicalismo que congrega denominações oriundas do pentecostalismo clássico.
Em alguns países as igrejas pertencentes a esses grupos são chamados de carismáticos ou neocarismáticos, tendo como exceção o Brasil, onde essa nomenclatura é reservada quase exclusivamente para um movimento dentro da Igreja Católica chamado de Renovação Carismática Católica. No Município de Boa Viagem as igrejas que representam esse grupo são as seguintes:

  1. A Igreja Universal do Reino de Deus;
  2. A Igreja Mundial do Poder de Deus.

Embora pareça muito confuso, os neopentecostais formaram um grupo coexistente com os pentecostais, mas com uma identidade bem distinta.
Eles possuem uma forma muito sobrenaturalista de encarar a sua vida religiosa, pois enfatizam a busca e a necessidade de revelações diretas da parte de Deus; de curas milagrosas para doenças e uma intensa batalha espiritual entre as forças espirituais do bem e do mal, que afirmam ter consequências diretas na vida cotidiana dos homens.
Quanto ao “uso e costumes” são, em geral, mais flexíveis e abertos do que os pentecostais tradicionais.
Segundo o escritor Alan Pierrat algumas denominações desse gênero são um misto com elementos de doutrinas e liturgias tradicionais, outras possuem doutrinamento e literaturas próprias, visão de profetismo, evangelismo e discipulado peculiares.

“Os ensinos da prosperidade não tiveram origem no pentecostalismo. Todavia, a tendência das denominações pentecostais de aceitarem as afirmações de autoridades proféticas criou um espaço teológico onde a doutrina da prosperidade pode afirmar-se e crescer… Nossa primeira conclusão histórica é que o pentecostalismo foi o portador desta doutrina, mas ela necessariamente não faz parte das crenças pentecostais.” (PIERRAT, 1993: p. 130)

Quanto ao “uso e costumes” são, em geral, mais flexíveis e abertos do que os pentecostais tradicionais.

A CONFISSÃO RESTAURACIONISTA:

O restauracionismo é a postura histórico-teológica presente em denominações cristãs que acreditam que o cristianismo histórico apostatou em algum ponto de sua existência, sendo necessário urgentemente restaurar o cristianismo primitivo da era apostólica.
As igrejas classificadas dentro desse grupo alegam procurar restaurar “tudo” o que Jesus Cristo estabeleceu na Escritura Sagrada, diferente do protestantismo oriundo da tentativa de reforma da Igreja Católica Apostólica Romana.
No Município de Boa Viagem os grupos que pensam dessa maneira estão divididos nos seguintes grupos:

  1. Igreja Adventista do Sétimo Dia – Boaviaginha / Boa Viagem;
  2. A Igreja Evangélica Pentecostal de Jesus Cristo;
  3. Igreja Nova Apostólica – Vila Azul / Boa Viagem;
  4. Salão do Reino das Testemunhas de Jeová – Centro / Boa Viagem.

Vale salientar também que, embora recebam a mesma classificação, existem profundas diferenças teológicas entre elas.

A CONFISSÃO ESPÍRITA:

Um centro espírita é uma entidade classificada como filantrópica que desenvolve as suas atividades com base na Doutrina Espírita, codificada nas obras básicas de Allan Kardec, motivo pelo qual muitos definem os espíritas como “kardecistas”.

Imagem de um encontro de kardecistas no Centro Espírita Cristão Emmanuel, em 1993.

Alguns grupos ligados a essa confissão cristã, preocupados em não serem confundidos com os cultos afro-brasileiros, umbanda ou candomblé, mudaram a sua nomenclatura de “Centro Espírita” para “Casa Espírita”, fato que já ocorre em nosso Município.
Em Boa Viagem registramos a existência de dois locais onde são realizados estudos dessa doutrina, são eles:

  1. A Casa Espírita Maria de Nazaré;
  2. Centro Espírita Cristão Emmanuel – Centro / Boa Viagem.