Boa Esperança (Boqueirão)

AS INFORMAÇÕES BÁSICAS:

A Boa Esperança, ou Fazenda Boa Esperança, é uma localidade existente na zona rural do Município de Boa Viagem, que está distante 47 quilômetros do Centro da cidade de Boa Viagem, no Estado do Ceará.

Imagem da localidade de Boa Esperança, em 2016.

Dentro da divisão politico-geográfica, em relação ao Marco Zero, essa localidade está localizada na região norte do Município, dentro dos limites do território do Distrito de Boqueirão.

A ORIGEM DE SEU TOPÔNIMO:

Designação toponímica classificada como complexa, a sua nomenclatura tem a sua origem na denominação de uma fazenda, que posteriormente deu nome a localidade, guardando ainda hoje algumas características da época em que passou a ser habitada.
Uma fazenda é uma propriedade rural agrícola, geralmente composta por um imóvel e um terreno destinado à prática da agricultura e da pecuária, que neste caso teve a sua primeira denominação de Várzea do Juá, ou Fazenda Várzea do Juá, que dentro de algum tempo caiu em desuso.
No Município de Boa Viagem existem outras localidades com este mesmo nome, tendo uma Boa Esperança no perímetro do Distrito de Boa Viagem e outra Boa Esperança no Distrito de Ipiranga.

AS SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:

Essa localidade rural ainda guarda as suas características primárias, servindo aos seus moradores para exploração econômica da agricultura e da pecuária, tendo como primeiro morador o Agropecuarista Marcelo Facundo Carneiro, que constituiu grande prole.

“Em 17 de março de 1950, como pobres retirantes, Marcelo Facundo Carneiro juntamente com os seus nove filhos e a sua esposa, Conceição, pegam a estrada sem quase nada na bagagem. O seu destino é a terra que trocou com o seu irmão, Antônio Facundo Carneiro. Ao chegar ao seu novo lar, conhecida como Várzea do Juá, por servir de abrigo ao gado no final da tarde, pois havia a sobra de vário juazeiros, ele batizou a região como Boa Esperança. Pois segundo ele, ali estaria sua Boa Esperança de agora em diante. Algum tempo depois o lugar cresceu, ganhou novos moradores, sendo a família de Manoel Roseira do Nascimento seus segundos moradores, seguindo da família de Paulo Roseira… Com uma área superficial de mais ou menos 3 quilômetros, muita coisa mudou. Hoje, com 80 habitantes, a sua fonte de renda ainda depende da pecuária e agricultura para sobrevivência local. Com incentivo da prefeitura, não ficou para trás no tempo, continua a evoluir. Boa Esperança hoje conta com: um grupo escolar, cisterna, cacimbão, energia elétrica, açude, igreja, água encanada e muitas outras coisas.”  (FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. 2007: p. 62-63)

A região é irrigada por alguns riachos, dentre eles o Três Murros e o Cachoeirinha, que passam ao pé do Serrote da Pedra e são afluentes do lado esquerdo do Rio Conceição, conhecido também como Rio dos Cachorros.

Imagem da passagem molhada sobre o Riacho Três Murros, em 2016.

Em nossos dias, já sendo bastante habitada, os moradores dessa localidade procuram constantemente fortalecer os seus laços culturais promovendo manifestações que conseguem reunir os moradores das localidades vizinhas.

“A quadrilha Arraiá do Marcelão foi fundada em 2003 pelo Professor Expedito Moreira Sales. Ela acontece anualmente durante as festas juninas na localidade de Boa Esperança. Por existir um pequeno número de jovens, mas de grande disposição e criatividade, acharam por bem formar uma quadrilha na comunidade, a qual recebeu o nome de Arraiá do Marcelão, em homenagem a Marcelo Facundo Carneiro, que foi o primeiro habitante deste lugar. Em 2003, o professor substituto e missionário da comunidade, Expedito Sales, deu início aos ensaios e consequentemente à realização da quadrilha, que foi criada para divulgar e valorizar a cultura.” (FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. 2007: p. 62-63)

Essas festividades não estão restritas a eventos profanos, sendo comum também a promoção de eventos religiosos, que foram incentivados pelo Pe. José Adauberto de Lima, que na época era o responsável pela Paróquia de Nossa Senhora da Guia.

“O festejo acontece na Capela de Boa Esperança, no primeiro e no último dia da festa. É feito com a imagem da padroeira passando em frente a todas as casas da comunidade e com o povo cantando músicas em seu louvor. Os festejos começaram no dia 17 de novembro de 2000 pelos habitantes da comunidade, que forma incentivados pelo Pe. José Adauberto, que mostrou o valor e a importância social da festa, tendo como propósito inicial a edificação da capela, que até esse tempo aconteciam no grupo escolar.” (FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. 2007: p. 65)

AS LOCALIDADES DE SUA VIZINHANÇA:

O acesso para localidade de Boa Esperança, saindo da cidade de Boa Viagem, é feito por via terrestre por meio da Rodovia Federal Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, a BR-020, seguindo pela Rodovia Estadual CE-265, e logo depois por uma das rodovias municipais, que lamentavelmente não possuem um número para facilitar a sua identificação.

Imagem do mapa da região.

A localidade de Boa Esperança tem em sua vizinhança as seguintes localidades: Argentina, BelmonteBoqueirão, Lagoa do Senador, Lembranças e Olho d’Água Salgado.

OS EQUIPAMENTOS EXISTENTES NA LOCALIDADE:

Na localidade de Boa Esperança os seus habitantes possuem alguns equipamentos para facilitar as suas vidas, bem como a dos moradores de sua vizinhança, tendo um deles forte potencialidade turística, sendo eles:

  1. Capela de Nossa Senhora das Graças;
  2. Escola de Ensino Fundamental Marcelo Facundo Carneiro;
  3. O Serrote da Cabeça de Pedra.

BIBLIOGRAFIA:

  1. BRAGA, Renato. Dicionário Histórico e Geográfico do Estado do Ceará. v. 1º. Fortaleza: Imprensa Universitária do Ceará, 1964.
  2. FRANCO, G. A.; CAVALCANTE VIEIRA, M. D. Boa Viagem, Conhecer, Amar e Defender. Fortaleza: LCR, 2007.
  3. NASCIMENTO, Cícero Pinto do. Memórias de Minha Terra. Fortaleza: Encaixe, 2002.